CALENDÁRIO +Info...

Sexta-Feira, 1 de Setembro de 2017

Segunda-Feira, 4 de Setembro de 2017

  • ITRM 2017 - 34ª Semana: Últ. dia

Domingo, 10 de Setembro de 2017

  • IMPI 2017 - Ago: Últ. dia
  • IVNE 2017 - Ago: Últ. dia

Segunda-Feira, 11 de Setembro de 2017

  • ITRM 2017 - 35ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 13 de Setembro de 2017

  • ICC 2017 - Set: Últ. dia
  • ICCOP 2017 - Set: Últ. dia
  • ICIT 2017 - Set: Últ. dia
  • ICS 2017 - Set: Últ. dia

Sexta-Feira, 15 de Setembro de 2017

Segunda-Feira, 18 de Setembro de 2017

  • ITRM 2017 - 36ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 20 de Setembro de 2017

Segunda-Feira, 25 de Setembro de 2017

  • IPMC 2017 - Set: Últ. dia
  • IPPI 2017 - Set: Últ. dia
  • ITRM 2017 - 48ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 41ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 45ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 52ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 51ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 50ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 46ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 47ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 43ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 42ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 40ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 49ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 44ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 37ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1910
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Principais Agregados das Administrações Públicas 22-09-2017

Principais Agregados das Administrações Públicas

O INE apresenta os dados dos Principais Agregados das Administrações Públicas (AP), relativos à estimativa provisória anual de 2016 e enviados ao Eurostat no âmbito do programa de transmissão SEC 2010.
De acordo com esta estimativa provisória, o setor das AP apresentou, em 2016, uma necessidade líquida de financiamento de 3 665 milhões de euros (2,0% do PIB).

SABER +
Imagem sobre Contas Nacionais Anuais: Resultados finais 22-09-2017

Contas Nacionais Anuais: Resultados finais

Em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) registou o valor de 179 809 milhões de euros, correspondendo a um aumento nominal de 3,9% e real de 1,8%, comparativamente com o ano anterior. Este resultado final representa uma revisão em alta do PIB de 305 milhões de euros (0,2%) relativamente à anterior estimativa.
Em termos de contributos líquidos de importações, a despesa de consumo final das Famílias e as Exportações apresentaram o maior contributo (0,7 pontos percentuais – p.p. – cada) para a variação do PIB. O Investimento contribuiu com 0,4 p.p. e a despesa de consumo das Administrações Públicas (AP) com 0,1 p.p..
O emprego medido em unidades de trabalho equivalentes a tempo completo aumentou 1,9%, mais 0,3 p.p. que o VAB, traduzindo-se numa redução da produtividade do trabalho. Todavia, nos ramos exportadores (concorrenciais internacionalmente) assistiu-se a um crescimento deste indicador. 
O saldo externo de bens e serviços manteve-se positivo, tendo aumentado de 0,2% do PIB em 2014 para 0,6% em 2015. Ainda assim, refletindo sobretudo um aumento dos rendimentos líquidos pagos ao exterior, a capacidade de financiamento da economia diminuiu de 1% do PIB em 2014 para 0,3% do PIB em 2015. Também em consequência deste facto, o Rendimento Nacional Bruto registou um crescimento nominal (2,8%) inferior ao do PIB.
Em termos da situação financeira, as AP foram o único setor a registar uma melhoria, tendo a sua necessidade de financiamento diminuído 2,8 p.p., para 4,4% do PIB, refletindo em grande medida a redução das transferências para o setor das Sociedades Financeiras (SF), cuja capacidade de financiamento diminuiu em 1,2 p.p., para 3,6% do PIB. A capacidade de financiamento das Famílias reduziu-se em 0,3 p.p., para 2,2% do PIB. As Sociedades não Financeiras (SNF) registaram uma necessidade de financiamento de 0,7% do PIB (capacidade de financiamento de 1,2% em 2014) e um aumento da taxa de investimento para 21,6% do VAB respetivo (mais 0,7 p.p. que no ano anterior).

SABER +
Imagem sobre Procedimento dos Défices Excessivos (2ª Notificação de 2017) 22-09-2017

Procedimento dos Défices Excessivos (2ª Notificação de 2017)

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat, até ao final do mês corrente, a segunda notificação de 2017 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE).

SABER +
Imagem sobre Capacidade de financiamento da economia manteve-se em 1,0% do PIB 22-09-2017

Capacidade de financiamento da economia manteve-se em 1,0% do PIB

A capacidade de financiamento da economia situou-se em 1,0% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano terminado no 2º trimestre de 2017, valor idêntico ao observado no trimestre anterior.
Por setor institucional, registaram-se melhorias no setor das Administrações Públicas (AP), que passou de uma necessidade de financiamento de 1,6% do PIB no ano acabado no 1º trimestre de 2017 para 1,4%, e no setor das sociedades financeiras, tendo a respetiva capacidade de financiamento aumentado 0,4 pontos percentuais (p.p.) para 2,3% do PIB. O saldo correspondente às sociedades não financeiras diminuiu para -1,3% do PIB, na sequência do aumento das remunerações pagas e do investimento do setor. A capacidade de financiamento das famílias estabilizou em 1,4% do PIB, associado à estabilização da poupança corrente, verificando-se aumentos de magnitude semelhante no rendimento disponível e na despesa de consumo final.
Tomando como referência valores trimestrais e não o ano acabado no trimestre, o saldo das AP situou-se em cerca de -1017,2 milhões de euros no 2º trimestre de 2017, correspondente a -2,1% do PIB  (-2,8% em igual período do ano anterior). No conjunto do 1º semestre de 2017, o saldo global das AP fixou-se em -1794,4 milhões de euros, correspondendo a -1,9% do PIB (-3,1% do PIB em igual período do ano passado).

SABER +
Imagem sobre Transporte aéreo de passageiros mantém aceleração. Movimento de mercadorias com redução na ferrovia e desaceleração nos portos e rodovia  21-09-2017

Transporte aéreo de passageiros mantém aceleração. Movimento de mercadorias com redução na ferrovia e desaceleração nos portos e rodovia

No 2º trimestre de 2017, o movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 20,6%, acima da subida de 18,6% registada no trimestre anterior. Por comboio e por metropolitano também se registaram aumentos nos passageiros transportados: 6,6% e 3,7%, respetivamente (+6,2% e +12,4% no 1ºT).
O movimento de mercadorias nos portos nacionais registou um aumento de 2,0%, após o crescimento de 11,1% verificado no trimestre anterior.
O transporte rodoviário de mercadorias registou um crescimento menos acentuado no 2º trimestre de 2017 (+4,3%) comparativamente com o anterior (+11,6%), em termos de toneladas transportadas. Este crescimento continuou a ser suportado pelo aumento do transporte nacional (+6,3%), enquanto o transporte internacional diminuiu (-4,7%).
O transporte de mercadorias por ferrovia decresceu (-5,7% em toneladas e -3,1% em toneladas-quilómetro), após um ligeiro aumento de 0,6% nas toneladas de mercadorias transportadas no 1º trimestre de 2017.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro e prestação média vencida subiram 20-09-2017

Taxa de juro e prestação média vencida subiram

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação fixou-se nos 1,014% em agosto, valor superior em 0,5 pontos base (p.b.) ao observado em julho (1,009%). A prestação média vencida foi 239 euros, 1 euro mais que no mês anterior.

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do índice de preços da habitação foi 8,0% 20-09-2017

Taxa de variação homóloga do índice de preços da habitação foi 8,0%

O Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou, em termos homólogos, 8,0% no segundo trimestre de 2017, um valor superior em uma décima de ponto percentual ao registado no primeiro trimestre de 2017.
A taxa de variação homóloga dos preços dos alojamentos novos foi 5,4%, 1,2 pontos percentuais (p.p.) acima do registado no trimestre anterior. Este foi o segundo período consecutivo em que se verificou uma aceleração dos preços dos alojamentos novos, o que contrasta com a evolução observada para os alojamentos existentes, cuja taxa de variação homóloga passou de 9,2% no primeiro trimestre de 2017 para 8,9%. Em relação ao período anterior, o IPHab cresceu 3,2%, uma taxa semelhante à registada para os alojamentos existentes e novos (3,2% e 3,3%, respetivamente).
Entre abril e junho de 2017, foram transacionados 36 886 alojamentos, o que representa um aumento de 16,1% face ao mesmo período do ano anterior e de 4,9% por comparação com o trimestre transato. O valor das vendas foi aproximadamente de 4,6 mil milhões de euros, dos quais 3,7 mil milhões respeitaram a alojamentos existentes.

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica estabiliza em julho e indicador de clima económico, já disponível para agosto, diminui 19-09-2017

Indicador de atividade económica estabiliza em julho e indicador de clima económico, já disponível para agosto, diminui

Em agosto, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico aumentaram na Área Euro (AE). No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -0,5% e 4,0% (2,8% e 2,0% em julho, respetivamente).
Em Portugal, o indicador de atividade económica, disponível até julho, estabilizou, enquanto o indicador de clima económico, disponível até agosto, diminuiu. O indicador quantitativo do consumo privado acelerou em julho, refletindo um contributo positivo mais expressivo da componente de consumo duradouro. O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) desacelerou em julho devido ao comportamento das componentes de material de transporte e máquinas e equipamentos. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 9,0% e 13,4% em julho, respetivamente (7,7% e 12,8% em junho).
Em julho, a atividade económica na perspetiva da produção revelou um crescimento mais intenso, tendo os índices de volume de negócios da indústria e dos serviços, bem como os índices de produção da indústria e da construção acelerado em termos homólogos.
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, manteve-se inalterada em julho face ao valor definitivo verificado no mês anterior com uma taxa de 9,1%, o que compara com 9,5% e 10,9% há três meses e há um ano atrás, respetivamente. A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, registou um crescimento homólogo de 2,7%, o que representou uma ligeira desaceleração face a junho (variação de 3,0%) e um aumento em cadeia de 0,3% (aumento de 0,2% em junho).
A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) situou-se em 1,1% em agosto (0,9% em julho), observando se taxas de variação de 0,3% na componente de bens (nula no mês anterior) e de 2,4% na de serviços (2,2% em julho).

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial aumentaram 2,5% 18-09-2017

Preços na Produção Industrial aumentaram 2,5%

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) situou-se, em agosto, em 2,5% (2,2% no mês anterior). Excluindo o agrupamento de Energia, esta variação foi 1,2%, taxa idêntica à observada em julho. A variação mensal fixou-se em 0,1% (-0,3% em agosto de 2016).

SABER +
Imagem sobre Atividade na hotelaria desacelerou 14-09-2017

Atividade na hotelaria desacelerou

A hotelaria registou 2,2 milhões de hóspedes e 6,9 milhões de dormidas em julho de 2017, correspondendo a variações de 6,1% e 4,7% (9,1% e 7,2% em junho, respetivamente). O mercado interno retomou o crescimento das dormidas (3,0% face a -0,4% no mês anterior), enquanto os mercados externos desaceleraram (5,4% face a 10,2% em junho).
A estada média (3,11 noites) decresceu 1,4%. A taxa de ocupação-cama (67,3%) aumentou 1,3 p.p.
Os proveitos totais desaceleraram para um crescimento de 13,1% (17,2% em junho), tendo atingido 428,7 milhões de euros. Os proveitos de aposento atingiram 327,3 milhões de euros e também desaceleraram, crescendo 15,2% (19,2% em junho).

SABER +
Imagem sobre Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2% 13-09-2017

Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2%

No 2º trimestre de 2017 os edifícios licenciados aumentaram 7,4% face ao período homólogo (+29,4% no 1º trimestre de 2017), correspondendo a 4,6 mil edifícios. Nos edifícios licenciados para construções novas observou-se um acréscimo de 12,4% (+36,7% no 1º trimestre de 2017) enquanto no licenciamento para reabilitação se registou um decréscimo de 0,7% (+18,2% no 1º trimestre de 2017). Os edifícios concluídos registaram um aumento de 12,2% (+13,1% no 1º trimestre de 2017) perfazendo 2,9 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados decresceu 6,4% (+13,1% no 1º trimestre de 2017) e os edifícios concluídos registaram uma variação de +0,2% (+3,2% no 1º trimestre de 2017).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC aumentou para 1,1% 12-09-2017

Taxa de variação homóloga do IPC aumentou para 1,1%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) aumentou para 1,1% em agosto de 2017, taxa superior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à registada no mês anterior, devido sobretudo à aceleração dos preços da classe Transportes (classe 7). O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 1,3%, mais 0,3 p.p. que no mês anterior.
A variação mensal do IPC foi nula (-0,7% no mês anterior e -0,2% em agosto de 2016). A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,1%, taxa idêntica à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1,3%, valor superior em 0,3 p.p. ao mês anterior e inferior em 0,2 p.p. à estimativa do Eurostat para a área do Euro (em julho, a diferença entre estas duas taxas foi de 0,3 p.p.). O IHPC registou uma variação mensal de 0,2% (-0,6% no mês anterior e nula em agosto de 2016) e uma variação média dos últimos doze meses de 1,2% (valor idêntico ao registado no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços acelerou 11-09-2017

Volume de Negócios nos Serviços acelerou

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de 6,0% em julho (5,4% no mês anterior).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário registaram variações homólogas de 3,4%, 4,6% e 3,3%, respetivamente (3,6%, 5,6% e 3,9% em junho, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre As exportações e importações aumentaram 4,6% e 12,8%, respetivamente, em termos nominais 08-09-2017

As exportações e importações aumentaram 4,6% e 12,8%, respetivamente, em termos nominais

Em julho de 2017, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de, respetivamente, +4,6% e +12,8% (+6,7% e +6,6% em junho de 2017, pela mesma ordem). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 5,1% e as importações cresceram 9,4% (+7,2% em ambos os fluxos em junho de 2017).
O défice da balança comercial de bens situou-se em 1 057 milhões de euros em julho de 2017, o que representa um aumento de 446 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 625 milhões de euros, correspondente a um acréscimo de 219 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.
No trimestre terminado em julho de 2017, as exportações e as importações de bens aumentaram respetivamente 9,0% e 13,4% face ao período homólogo.

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção acelerou 08-09-2017

Índice de Produção na Construção acelerou

O índice de produção na construção apresentou, em julho de 2017, uma taxa de variação homóloga de 1,6%, o que compara com a variação de 0,9% verificada em junho. Os índices de emprego e de remunerações cresceram 1,9% e 3,3%, respetivamente (1,9% e 1,2%, no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria desacelerou 07-09-2017

Volume de Negócios na Indústria desacelerou

O Índice de Volume de Negócios na Indústria registou uma variação homóloga nominal de 5,5% em julho (6,9% no mês anterior). O índice relativo ao mercado externo abrandou, apresentando um aumento de 2,0% face ao mês homólogo (8,6% em junho), enquanto o índice relativo ao mercado nacional cresceu 8,0% (5,7% em junho).
Os índices do emprego, das remunerações e das horas trabalhadas apresentaram variações homólogas de 3,0%, 4,6% e 1,9%, respetivamente (2,9%, 5,0% e 2,3% em junho, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Índice de Custos de Construção de Habitação Nova manteve variação homóloga 06-09-2017

Índice de Custos de Construção de Habitação Nova manteve variação homóloga

A variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova foi 1,5% em julho, taxa igual à registada no mês anterior. O Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação apresentou uma taxa de variação homóloga de 2,6% (2,8% em junho).

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto aumentou 2,9% em termos homólogos 31-08-2017

Produto Interno Bruto aumentou 2,9% em termos homólogos

O Produto Interno Bruto (PIB) aumentou, em termos homólogos, 2,9% em volume no 2º trimestre de 2017 (taxa de 2,8% no trimestre anterior). A procura externa líquida manteve um ligeiro contributo positivo para a variação homóloga do PIB, verificando-se uma desaceleração em volume das Exportações de Bens e Serviços de magnitude idêntica à observada nas Importações de Bens e Serviços. A procura interna manteve um contributo positivo elevado, superior ao do trimestre precedente, em resultado da aceleração do Investimento.
Comparativamente com o 1º trimestre de 2017, o PIB aumentou 0,3% em termos reais (variação em cadeia de 1,0% no trimestre anterior). O contributo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB foi negativo, verificando-se uma ligeira redução das Exportações de Bens e de Serviços. O contributo positivo da procura interna aumentou devido ao comportamento do Investimento, verificando-se contributos positivos da Variação de Existências e da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), embora no último caso menos intenso que o observado no trimestre anterior.

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego de junho foi de 9,1% 30-08-2017

A taxa de desemprego de junho foi de 9,1%

A taxa de desemprego de junho de 2017 situou-se em 9,1%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) do que no mês anterior e menos 0,6 p.p. em relação a três meses antes. Aquele valor representa uma revisão de mais 0,1 p.p. face à estimativa provisória divulgada há um mês e constitui o valor mais baixo observado desde novembro de 2008 (8,9%).
A população desempregada de junho foi estimada em 468,9 mil pessoas, tendo diminuído 1,1% em relação ao mês precedente (menos 5,2 mil pessoas), enquanto a população empregada foi estimada em 4 680,6 mil pessoas, tendo aumentado 0,2% (mais 8,5 mil pessoas) face ao mês anterior.
A estimativa provisória da taxa de desemprego de julho de 2017 foi de 9,1%. Neste mês, a estimativa provisória da população desempregada foi de 470,1 mil pessoas e a da população empregada foi de 4 692,4 mil pessoas.

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial acelerou 30-08-2017

Índice de Produção Industrial acelerou

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de 6,4%, em julho (3,7% no mês anterior). A secção das Indústrias Transformadoras apresentou uma variação homóloga de 3,8% (3,0% em junho).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2017 21-09-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2017 22-08-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2017 18-08-2017

Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2017

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Turismo - 2016 04-08-2017

Estatísticas do Turismo - 2016

Apresentam-se os principais resultados de estatísticas de Turismo nas vertentes de procura turística dos residentes em Portugal, bem como na perspetiva da oferta de alojamento turístico coletivo e sua ocupação. Adicionalmente, apresentam-se resultados sintéticos sobre turismo internacional.


No âmbito da procura turística são disponibilizados os principais resultados do Inquérito às Deslocações dos Residentes, caracterizando turistas e as suas viagens, bem como informação sobre excursionismo.
Relativamente à oferta em alojamento turístico coletivo, são apresentados os dados provenientes do Inquérito à Permanência de Hóspedes na Hotelaria e Outros Alojamentos (IPHH), bem como de inquéritos similares realizados pelo INE aos parques de campismo, colónias de férias e pousadas de juventude. Destaca-se a divulgação de informação detalhada não só sobre estabelecimentos hoteleiros e similares mas também sobre alojamento local, e ainda turismo no espaço rural e turismo de habitação.

Apresentam-se ainda capítulos dedicados ao contexto económico internacional e nacional, com base em informação complementar de fontes diversas, designadamente a Organização Mundial de Turismo, Eurostat, Fundo Monetário Internacional, Banco de Portugal e Administrações portuárias.
São ainda divulgados resultados preliminares sobre visitantes (não residentes) chegados a Portugal.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2017 25-07-2017

Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2017

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2017 21-07-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota - até Fevereiro de 2009 editado com o título: Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Estatísticas Agrícolas - 2016 20-07-2017

Estatísticas Agrícolas - 2016

A publicação Estatísticas Agrícolas - 2016 está organizada em 13 capítulos, com textos de análise e respetivos quadros estatísticos. A informação divulgada diz respeito à agricultura e a alguns setores da economia nacional relacionados com o setor agrícola, incluindo assuntos tão diversificados como a produção vegetal, animal e florestal; a economia agrícola, analisada através das contas económicas da agricultura, da silvicultura e preços e índices de preços na agricultura, bem como a estrutura das explorações agrícolas e o comércio internacional de produtos agrícolas e florestais, entre outros.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Julho de 2017 19-07-2017

REVSTAT - Statistical Journal - Julho de 2017

REVSTAT - Statistical Journal (Vol.15 Number 3 - July 2017)


Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.  Edição em língua inglesa.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Construção e Habitação - 2016 17-07-2017

Estatísticas da Construção e Habitação - 2016

A presente publicação insere-se na série anual das Estatísticas da Construção e Habitação, disponibilizando um vasto conjunto de indicadores sobre a construção e habitação em Portugal.


Da informação agora disponibilizada, destaca-se a divulgação das Estimativas do Parque Habitacional 1991-2016 e de indicadores sobre Obras Concluídas e Licenciadas, relativos a 2016.


Incluem-se nesta publicação, elementos informativos sobre o mercado de habitação: vendas de alojamentos familiares, evolução de preços, valores de avaliação de peritos ao serviço de instituições bancárias, evolução dos custos de construção e índice de preços das propriedades comerciais.


Os resultados da edição de 2015 do Inquérito à Caracterização da Habitação Social são também integrados nesta publicação.
Os quadros de resultados são disponibilizados separadamente e os resultados são apresentados com uma desagregação geográfica ao nível das regiões NUTS III, para a maior parte das variáveis. No entanto, grande parte desta informação está disponível no Portal de Estatísticas Oficiais com desagregação ao nível do município e, para alguns indicadores, atingindo o nível da freguesia.

SABER +
Imagem sobre Orçamentos Familiares - 2015 / 2016 17-07-2017

Orçamentos Familiares - 2015 / 2016

O Inquérito às Despesas das Famílias 2015/2016 (IDEF 2015/2016) foi realizado pelo Instituto Nacional de Estatística entre março de 2015 e março de 2016. Nesta publicação são apresentados os resultados estatísticos relativos à estrutura das despesas e distribuição dos rendimentos dos agregados familiares residentes em Portugal, e ainda sobre as condições de conforto dos mesmos agregados familiares. Corresponde à edição mais recente da série de inquéritos sobre os orçamentos familiares, iniciada na década de 60.


A informação estatística encontra-se organizada em cinco dimensões: a partição dos agregados familiares de acordo com diferentes características socioeconómicas; a despesa anual média por agregado familiar; o rendimento médio por agregado familiar; o rendimento por adulto equivalente, a pobreza e a desigualdade; e ainda alguns indicadores de conforto. A publicação integra ainda um capítulo sobre a metodologia de amostragem e estimação de resultados.


Adicionalmente aos quadros da publicação que apresentam os principais resultados do inquérito, disponibilizam-se dois ficheiros .XLS com os respetivos coeficientes de variação e a despesa anual média do agregado até ao 4º nível de desagregação da Classificação do Consumo Individual por Objetivo (COICOP).


Na infografia Orçamentos familiares apresenta-se uma ilustração de alguns dados estatísticos sobre a despesa anual média por agregado em 2010/2011 e 2015/2016.

SABER +
#