CALENDÁRIO +Info...

Sexta-Feira, 1 de Abril de 2016

Segunda-Feira, 4 de Abril de 2016

  • ITRM 2016 - 12ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 5 de Abril de 2016

Domingo, 10 de Abril de 2016

  • IMPI 2016 - Mar: Últ. dia
  • IVNE 2016 - Mar: Últ. dia

Segunda-Feira, 11 de Abril de 2016

  • ITRM 2016 - 13ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 12 de Abril de 2016

  • ICC 2016 - Abr: Últ. dia
  • ICCOP 2016 - Abr: Últ. dia
  • ICIT 2016 - Abr: Últ. dia
  • ICS 2016 - Abr: Últ. dia

Sexta-Feira, 15 de Abril de 2016

Segunda-Feira, 18 de Abril de 2016

Quarta-Feira, 20 de Abril de 2016

Sexta-Feira, 22 de Abril de 2016

Segunda-Feira, 25 de Abril de 2016

  • IPMC 2016 - Abr: Últ. dia
  • IPPI 2016 - Abr: Últ. dia
  • ITRM 2016 - 15ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis, pelo que sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE, é decisiva para a sua produção e difusão.

EM DESTAQUE

0425
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 25
  • >
Imagem sobre Estat&#237;sticas do Ambiente - 2014 08-01-2016

Estatísticas do Ambiente - 2014

A publicação Estatísticas do Ambiente, na sua edição de 2015, segue a linha editorial e a estrutura do ano anterior e apresenta uma análise detalhada do setor do ambiente privilegiando-se a divulgação da informação através de quadros com indicadores síntese, figuras e mapas.

SABER +
Imagem sobre Estat&#237;sticas do Com&#233;rcio - 2014 08-01-2016

Estatísticas do Comércio - 2014

A presente publicação sobre Estatísticas do Comércio divulga os principais resultados estatísticos relativos às empresas e estabelecimentos de Comércio em Portugal no ano de 2014.

SABER +
Imagem sobre Estat&#237;sticas da Produ&#231;&#227;o Industrial - 2014 17-11-2015

Estatísticas da Produção Industrial - 2014

A presente publicação divulga as estatísticas da produção industrial em termos de produtos produzidos (em volume), de produtos vendidos (em volume e valor) e de prestação de serviços (em valor), relativas a 2014, elaboradas a partir dos resultados do Inquérito Anual à Produção Industrial(IAPI).

SABER +
Imagem sobre A atividade econ&#243;mica - 2014 01-10-2015

A atividade económica - 2014

Brochura com informação estatística de síntese que permite a caracterização da atividade económica de Portugal, referente, entre outros, aos seguintes temas: Contas Nacionais; Empresas; Comércio Internacional; Agricultura e Pescas; Indústria; Construção e Habitação; Comércio Interno, Turismo e Transportes.

SABER +
Imagem sobre Estat&#237;sticas do Turismo - 2014 28-07-2015

Estatísticas do Turismo - 2014

Nesta publicação apresentam-se os principais resultados de estatísticas de Turismo em duas vertentes: na ótica da procura por parte dos residentes em Portugal, bem como na perspetiva da oferta de alojamento turístico coletivo.

SABER +
Imagem sobre Índice de Vendas no Comércio a Retalho desacelerou em termos homólogos 29-04-2016

Índice de Vendas no Comércio a Retalho desacelerou em termos homólogos

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho passou de uma variação homóloga de 4,9% em fevereiro, para 2,5% em março. Os índices de emprego, de remunerações e de número de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário apresentaram, no mês de referência, taxas de variação homóloga de 2,7%, 4,3% e 3,6%, respetivamente (2,7%, 4,6% e 2,5% no mês anterior, pela mesma ordem). No primeiro trimestre de 2016, as vendas no comércio a reatalho subiram 2,5% em termos homólogos (1,4% no 4º trimestre 2015).

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial registou variação homóloga negativa 29-04-2016

Índice de Produção Industrial registou variação homóloga negativa

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de -0,3%, em março (2,1% em fevereiro). A secção das Indústrias Transformadoras registou uma variação homóloga de -1,5% (2,0% no mês anterior). No 1º trimestre de 2016, o índice agregado aumentou 0,8% face ao trimestre homólogo (no trimestre anterior, esta variação tinha sido 2,2%).

SABER +
Imagem sobre Taxa de desemprego estimada em 12,1% 28-04-2016

Taxa de desemprego estimada em 12,1%

A estimativa provisória da taxa de desemprego para março de 2016 situou-se em 12,1%, tendo diminuído 0,1 pontos percentuais face à estimativa definitiva obtida para fevereiro de 2016.
A estimativa provisória da população desempregada para março de 2016 foi de 615,2 mil pessoas, o que representa um decréscimo de 1,1% face ao valor definitivo obtido para fevereiro de 2016 (menos 6,6 mil pessoas). A estimativa provisória da população empregada foi de 4 475,9 mil pessoas, menos 1,2 mil do que no mês anterior (ao que corresponde uma variação relativa quase nula).
Nestas estimativas foi considerada a população dos 15 aos 74 anos e os valores foram previamente ajustados de sazonalidade.

SABER +
Imagem sobre Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo 28-04-2016

Número de nados-vivos aumentou mas saldo natural manteve-se negativo

Em 2015, nasceram com vida (nados-vivos) 85 500 crianças, de mães residentes em Portugal. Este valor traduz um aumento de 3,8% (3 133 crianças), relativamente ao ano anterior.
Registaram-se 108 511 óbitos de residentes em território nacional, um aumento de 3,5% (3 668 óbitos) face a 2014. Do total de óbitos, 54 158 foram de homens e 54 353 de mulheres; 84,9% dos óbitos respeitam a pessoas com 65 e mais anos de idade.
Portugal mantém um saldo natural negativo pelo sétimo ano consecutivo. Em 2015, o saldo natural situou-se em -23 011 (-22 423, em 2014).
O número de casamentos celebrados em Portugal (32 393) registou um aumento ligeiro face a 2014 (mais 915), contrariando a evolução observada nos últimos anos.

SABER +
Imagem sobre Indicador de confiança dos Consumidores diminui e indicador de clima económico aumenta 28-04-2016

Indicador de confiança dos Consumidores diminui e indicador de clima económico aumenta

O indicador de confiança dos Consumidores diminuiu em abril, após ter estabilizado no mês anterior, interrompendo a tendência ascendente observada desde o início de 2013.
O indicador de clima económico aumentou entre fevereiro e abril, após ter diminuído nos cinco meses anteriores. No mês de referência, os indicadores de confiança aumentaram no Comércio e nos Serviços, tendo estabilizado na Construção e Obras Públicas e diminuído na Indústria Transformadora.

SABER +
Imagem sobre Valor médio de avaliação bancária diminuiu ligeiramente 26-04-2016

Valor médio de avaliação bancária diminuiu ligeiramente

O valor médio de avaliação bancária do total do País foi 1048 euros/m2 em março, correspondendo a uma diminuição de 0,1% comparativamente com o valor observado no mês anterior e a uma variação homóloga de 3,7% (variações de 0,2% e 3,8% em fevereiro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro diminuiu e prestação média estabilizou 22-04-2016

Taxa de juro diminuiu e prestação média estabilizou

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação passou de 1,181% em fevereiro para 1,163% em março. A prestação média vencida para a globalidade dos contratos foi 239 euros, valor idêntico ao observado no mês anterior.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal, Volume 14, N.º 2 - abril de 2016 20-04-2016

REVSTAT - Statistical Journal, Volume 14, N.º 2 - abril de 2016

Este Volume apresenta sete artigos científicos:
ESTIMATION ASPECTS OF THE MICHAELIS–MENTEN MODEL
Authors: Thomas L. Toulias and Christos P. Kitsos.
SKEWNESS INTO THE PRODUCT OF TWO NORMALLY DISTRIBUTED VARIABLES AND THE RISK CONSEQUENCES
Authors: Amilcar Oliveira, Teresa A. Oliveira and Antonio Seijas-Macias.
FRACTAL BASED CANCER MODELLING
Authors: Milan Stehlík, Philipp Hermann and Orietta Nicolis.
RISK ANALYSIS AND RETROSPECTIVE UNBALANCED DATA
Authors: Francesca Pierri, Elena Stanghellini and Nicoló Bistoni.
MODELING NON-LIFE INSURANCE PRICE FOR RISK WITHOUT HISTORICAL INFORMATION
Authors: Filipe Charters de Azevedo, Teresa A. Oliveira and Amilcar Oliveira.
EXTREME VALUE ANALYSIS — A BRIEF OVERVIEW WITH AN APPLICATION TO FLOW DISCHARGE RATE DATA IN A HYDROMETRIC STATION IN THE NORTH OF PORTUGAL
Authors: Helena Penalva, Sandra Nunes and M. Manuela Neves.
NON-STATIONARY MODELLING OF EXTREME TEMPERATURES IN A MOUNTAINOUS AREA OF GREECE
Authors: Chrys Caroni and Dionysia Panagoulia

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica estabilizou em fevereiro e indicador de clima económico, já disponível para março, aumentou 19-04-2016

Indicador de atividade económica estabilizou em fevereiro e indicador de clima económico, já disponível para março, aumentou

Em março, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico diminuíram na Área Euro (AE). No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 3,8% e 18,7%, respetivamente (1,3% e 2,6% em fevereiro).
Em Portugal, o indicador de atividade económica estabilizou em fevereiro, após ter desacelerado nos dois meses anteriores. O indicador de clima económico aumentou em março, após ter-se mantido relativamente estável nos dois meses anteriores. O indicador quantitativo do consumo privado apresentou um crescimento homólogo mais intenso em fevereiro, refletindo a aceleração do consumo corrente. No mesmo mês, o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) abrandou ligeiramente, em resultado sobretudo do contributo negativo da componente de construção. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de -1,2% e 1,4% em fevereiro, respetivamente (0,4% e 0,3% em janeiro). Considerando a atividade económica na perspetiva da produção, é de referir que os índices de volume de negócios da indústria e dos serviços registaram variações nominais negativas nos últimos meses, em parte refletindo variações negativas de preços. No caso da indústria, a variação do respetivo índice de preços manteve se negativa e o índice de produção industrial, embora em desaceleração, manteve um crescimento positivo em fevereiro. Por sua vez, o índice de produção da construção e obras públicas registou em fevereiro uma variação negativa idêntica à do mês anterior.
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 12,3% em fevereiro. Desde Maio de 2015, as estimativas mensais desta taxa têm oscilado num estreito intervalo entre 12,1% e 12,4%. A população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, aumentou 0,2% em termos homólogos em fevereiro e diminuiu 0,3% face ao mês anterior.
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de 0,4% em fevereiro e março, taxa inferior em 0,4 p.p. à registada em janeiro, observando-se taxas de -0,4% e de 1,7% no último mês nas componentes de bens e serviços, respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Índice de Preços na Produção Industrial diminuiu 3,8% em termos homólogos 18-04-2016

Índice de Preços na Produção Industrial diminuiu 3,8% em termos homólogos

O Índice de Preços na Produção Industrial registou uma taxa de variação homóloga de -3,8% em março (-2,9% em fevereiro). Excluindo o agrupamento de Energia o índice diminuiu 1,2% (variação de -1,1% no mês anterior). A variação mensal do índice agregado situou-se em -0,1% (0,8% em março de 2015).
No 1º trimestre de 2016, o índice total apresentou uma variação homóloga de -3,0% (-3,4% no 4º trimestre de 2015).

SABER +
Imagem sobre Aumento significativo das dormidas e proveitos  15-04-2016

Aumento significativo das dormidas e proveitos

A hotelaria registou 989,9 mil hóspedes e 2,6 milhões de dormidas em fevereiro de 2016, equivalendo a aumentos homólogos de 14,1% e 15,1% (+9,4% e +10,0% em janeiro). O crescimento das dormidas contou com o contributo do mercado interno (+11,3%) e, de forma mais expressiva, dos mercados externos (+16,8%). 
A estada média aumentou (+0,9%; 2,58 noites), tal como a taxa líquida de ocupação cama (+2,5 p.p., situando-se em 32,3%).
Os proveitos registaram acréscimos significativos (+20,6% para os proveitos totais e +20,7% para os de aposento), superiores aos registados em janeiro (+13,5% e +15,6%).

SABER +
Imagem sobre Transporte de mercadorias e de passageiros com aumentos no 4º trimestre de 2015. Resultados preliminares de 2015 evidenciam subida generalizada no transporte de passageiros e aumentos significativos no movimento de mercadorias nos portos e na ferrovia 13-04-2016

Transporte de mercadorias e de passageiros com aumentos no 4º trimestre de 2015. Resultados preliminares de 2015 evidenciam subida generalizada no transporte de passageiros e aumentos significativos no movimento de mercadorias nos portos e na ferrovia

No 4º trimestre de 2015, as mercadorias movimentadas nos portos cresceram 2,7%, desacelerando face ao trimestre anterior (+6,4%). Nos modos ferroviário e rodoviário as mercadorias transportadas aumentaram 6,4% e 2,4%, respetivamente, no 4º trimestre de 2015 (+0,3% e +5,3% no 3º trimestre, pela mesma ordem). Em sentido oposto, registou-se uma redução no transporte de carga/correio (-8,0%) por meio aéreo tal como no 3º trimestre (-4,9%).
Os passageiros transportados por via aérea aumentaram significativamente no 4º trimestre de 2015 (+12,2%) mais 3,1 pontos percentuais que o crescimento observado no trimestre anterior. O transporte de passageiros continuou a aumentar nas vias ferroviárias pesadas (+1,5%, +1,4% no trimestre anterior) e no transporte por metropolitano (+5,8%, +4,5% no 3ºT, pela mesma ordem), tendo estabilizado no transporte fluvial (+0,2%, face a +5,3% no trimestre precedente).

Em 2015 (resultados preliminares), o transporte de mercadorias nas vias marítima e ferroviária registou aumentos de 7,7% e 7,8%, respetivamente (+3,2% e +10,9% no ano anterior). Também no modo rodoviário aumentou (+2,1%), recuperando da ligeira redução em 2014 (-0,9%). Nas infraestruturas aeroportuárias verificou-se redução no movimento de carga e correio (-2,1%), em contraste com o ano precedente (+5,9%).
No que respeita aos resultados preliminares de 2015 sobre transporte de passageiros, destacou-se o aumento de 11,0% nos aeroportos nacionais, acima da variação de +9,4% em 2014. No transporte ferroviário pesado aumentou 1,7% (+1,8% no ano anterior) e nos sistemas de metropolitano cresceu 2,8% (+1,9% em 2014). Nos transportes fluviais verificou-se recuperação face ao ano precedente (+3,1% em 2015 após uma variação de -0,4% em 2014).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC manteve-se em 0,4% 12-04-2016

Taxa de variação homóloga do IPC manteve-se em 0,4%

Em março de 2016, a variação homóloga do IPC manteve-se em 0,4%. O indicador de inflação subjacente, correspondente ao índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma variação homóloga de 1,0% (0,9% no mês anterior).
A variação mensal do IPC foi 1,9% (-0,4% em fevereiro e 1,9% em março de 2015). A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 0,6%.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,5%, taxa superior em 0,3 p.p. à verificada no mês anterior e superior em 0,6 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (diferença superior em 0,2 p.p. à registada em fevereiro). A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em 2,2% (-0,5% no mês anterior e 1,9% em março de 2015) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,6% (valor igual ao registado em fevereiro).

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios nos Serviços apresentou variação homóloga positiva 11-04-2016

Índice de Volume de Negócios nos Serviços apresentou variação homóloga positiva

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou, em fevereiro, uma variação homóloga nominal de 0,9% (-2,3% no mês anterior).
Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas, ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,1%, 1,6% e 2,2%, respetivamente (0,9%, 1,2% e 0,1% janeiro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção manteve a diminuição homóloga 11-04-2016

Índice de Produção na Construção manteve a diminuição homóloga

O índice de produção na construção apresentou, em fevereiro, uma taxa de variação homóloga de -4,7%, idêntica à verificada no período anterior. Os índices de emprego e de remunerações diminuíram, respetivamente, 5,3% e 4,6% (variações de -5,6% e -3,7% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre As exportações aumentaram 0,8% e as importações cresceram 5,3% em fevereiro de 2016, em termos nominais face ao mesmo mês de 2015 08-04-2016

As exportações aumentaram 0,8% e as importações cresceram 5,3% em fevereiro de 2016, em termos nominais face ao mesmo mês de 2015

Em fevereiro de 2016, as exportações de bens cresceram 0,8% e as importações de bens aumentaram 5,3% face a fevereiro de 2015 (-2,4% e -1,4% em janeiro de 2016, respetivamente). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 2,9% e as importações cresceram 7,7% (respetivamente -1,2% e +5,2% em janeiro de 2016).
O défice da balança comercial de bens registou um aumento homólogo de 206 milhões de euros em fevereiro de 2016, similar ao acréscimo registado no défice da balança comercial excluindo os Combustíveis e lubrificantes (-204 milhões de euros).
No trimestre terminado em fevereiro de 2016, as exportações de bens diminuíram 1,2% e as importações de bens cresceram 1,4% face ao período homólogo.
Em 2015 as exportações de bens aumentaram 3,7% e as importações de bens cresceram 2,1% face ao ano anterior. O aumento das transações com Espanha correspondeu ao maior contributo para a evolução global tanto das exportações como das importações. Em sentido contrário, destacaram-se as acentuadas reduções registadas nas trocas comerciais de bens com Angola. Desta forma, os Estados Unidos passaram a ser o principal destino dos bens nacionais fora da UE. A China foi o principal fornecedor Extra-UE de bens a Portugal.
O défice da balança comercial de bens diminuiu 540 milhões de euros em 2015 face ao ano anterior, mas excluindo os Combustíveis e lubrificantes aumentou 1 439 milhões de euros.

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios na Indústria atenuou diminuição homóloga 08-04-2016

Índice de Volume de Negócios na Indústria atenuou diminuição homóloga

O Índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou uma variação homóloga nominal de -1,9% em fevereiro ( -3,7% no mês anterior). O índice relativo ao mercado externo passou de uma variação de -5,9% em janeiro para  -1,9% em fevereiro, enquanto a variação do índice relativo ao mercado nacional se manteve em -2,0%.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas apresentaram aumentos homólogos de 1,4%, 3,0% e de 0,4%, respetivamente (1,3%, 3,5% e 1,2% em janeiro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Índice de Custos de Construção de Habitação Nova acelerou ligeiramente 06-04-2016

Índice de Custos de Construção de Habitação Nova acelerou ligeiramente

A taxa de variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova, no Continente, foi 0,3% em fevereiro, taxa superior em 0,2 pontos percentuais à registada em janeiro. O Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação, no Continente, apresentou uma taxa de variação homóloga de 0,3% (0,1% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Em 2014, 10,1 milhões de dias de internamento nos hospitais 06-04-2016

Em 2014, 10,1 milhões de dias de internamento nos hospitais

• Em 2014 metade dos hospitais eram tutelados pelo Estado e de acesso universal
• Aumentaram os atendimentos em serviços de urgência nos hospitais privados
• Diminuíram as camas de internamento dos hospitais oficiais
• Quase 3 /4 das grandes e médias cirurgias foram realizadas em hospitais oficiais
• Em 2014 ocorreram menos 1/4 dos partos do que dez anos antes
• Quase 31% do total de mortes foram causadas por doenças do aparelho circulatório e 25% por tumores malignos
• As mortes por VIH/SIDA afetaram sobretudo os homens
• Mais de metade da população com 18 ou mais anos tinha excesso de peso ou era obesa
• Em dez anos, as consultas médicas externas e os atos complementares de diagnóstico e de terapêutica aumentaram sobretudo nos hospitais privados
• A mortalidade infantil reduziu-se mais de 40%, a neonatal quase 40% e a fetal quase 30%
• Mais de 50% da despesa corrente em saúde foi financiada pelo SNS e pelos SRS entre 2012 e 2014

SABER +
Imagem sobre O desporto representou 1,2% do VAB e 1,4% do emprego no triénio 05-04-2016

O desporto representou 1,2% do VAB e 1,4% do emprego no triénio

No âmbito da Conta Satélite do Desporto (CSD) foram identificadas cerca de 25 mil entidades cuja atividade representou, em média, 1,2% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) e 1,4% do emprego (Equivalente a Tempo Completo - ETC) da economia portuguesa, no triénio 2010-2012. A remuneração média na CSD excedeu em cerca de 5% a remuneração média nacional, resultado determinado pela elevada remuneração média observada nas sociedades desportivas.
A CSD contempla, além das atividades desportivas (0,3% do VAB e emprego), as atividades necessárias para realizar desporto (0,6% do VAB e 0,9% do emprego) e atividades em que o desporto é um contributo importante para os seus processos de produção (0,3% do VAB e 0,2% do emprego).

SABER +
#