CALENDÁRIO +Info...

Quinta-Feira, 1 de Setembro de 2016

Segunda-Feira, 5 de Setembro de 2016

  • ITRM 2016 - 34ª Semana: Últ. dia

Sábado, 10 de Setembro de 2016

  • IMPI 2016 - Ago: Últ. dia
  • IVNE 2016 - Ago: Últ. dia

Segunda-Feira, 12 de Setembro de 2016

  • ITRM 2016 - 35ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 14 de Setembro de 2016

  • ICC 2016 - Set: Últ. dia
  • ICCOP 2016 - Set: Últ. dia
  • ICIT 2016 - Set: Últ. dia
  • ICS 2016 - Set: Últ. dia

Quinta-Feira, 15 de Setembro de 2016

Segunda-Feira, 19 de Setembro de 2016

  • ITRM 2016 - 36ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 20 de Setembro de 2016

Quarta-Feira, 21 de Setembro de 2016

  • IMGA 2016 - Ago: Últ. dia
  • IMLV 2016 - Ago: Últ. dia

Domingo, 25 de Setembro de 2016

  • IPMC 2016 - Set: Últ. dia
  • IPPI 2016 - Set: Últ. dia
  • ITRM 2016 - 41ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 49ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 52ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 46ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 42ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 45ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 51ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 48ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 47ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 43ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 40ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 44ª Semana: Início
  • ITRM 2016 - 50ª Semana: Início

Segunda-Feira, 26 de Setembro de 2016

  • ITRM 2016 - 37ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis, pelo que sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE, é decisiva para a sua produção e difusão.

EM DESTAQUE

0516
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre VAB das empresas não financeiras cresceu 4,8%, em termos nominais 28-09-2016

VAB das empresas não financeiras cresceu 4,8%, em termos nominais

Em 2015, o VAB e o pessoal ao serviço das empresas não financeiras registaram crescimentos de 4,8% e de 2,6%, respetivamente, face ao ano anterior. Para as empresas com natureza de sociedade os aumentos foram de 4,9% e de 3,5%, pela mesma ordem. A rendibilidade das sociedades aumentou em 2015, a par com o aumento da proporção de sociedades com resultados líquidos positivos (+3,0 p.p. que em 2014).
Observou-se também uma evolução positiva dos rácios de autonomia financeira e de endividamento e o aumento de 1,2 p.p. da taxa de investimento (18,91% em 2015) indicando a melhoria da situação financeira das sociedades.
Embora na generalidade dos indicadores analisados, tenha havido uma melhoria geral da situação económica e financeira das sociedades em praticamente todos os setores de atividade, o Alojamento e restauração evidenciou-se como aquele em que a melhoria foi mais expressiva em 2015.

SABER +
Imagem sobre Impostos com relevância ambiental representaram 7,0% do total das receitas de impostos e contribuições sociais 28-09-2016

Impostos com relevância ambiental representaram 7,0% do total das receitas de impostos e contribuições sociais

Em 2015, o valor dos Impostos com relevância ambiental ascendeu a 4,35 mil milhões de euros, representando 7,0% do total das receitas de impostos e contribuições sociais coletado (6,6% em 2014). Aquele valor representou um aumento de 10,7% face a 2014, o que compara com a variação de 4,4% observada para o total da receita de impostos e contribuições sociais.
De acordo com a informação disponível para 2014, o peso destes impostos no total da receita fiscal incluindo contribuições sociais, em Portugal, foi ligeiramente superior (6,6%) ao da média da União Europeia (6,4%).

SABER +
Imagem sobre Valor médio de avaliação bancária aumentou 0,5% 26-09-2016

Valor médio de avaliação bancária aumentou 0,5%

O valor médio de avaliação bancária para o total do País aumentou 0,5% face a julho, correspondendo a 1073 euros/m2. A variação homóloga foi 3,6% (variação de 2,8% em julho).

SABER +
Imagem sobre Capacidade de financiamento da economia situou-se em 0,9% do PIB 23-09-2016

Capacidade de financiamento da economia situou-se em 0,9% do PIB

A capacidade de financiamento da economia situou-se em 0,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano terminado no 2º trimestre de 2016, mais 0,1 pontos percentuais (p.p.) que a observada no trimestre anterior. A poupança bruta diminuiu 0,5%, verificando-se um crescimento da despesa de consumo final da economia (0,6%) ligeiramente superior ao aumento do Rendimento Disponível Bruto da nação (0,5%). O PIB e o Rendimento Nacional Bruto (RNB) aumentaram 0,6% e 0,4% no 2º trimestre de 2016, respetivamente. O menor aumento do RNB refletiu o agravamento do saldo dos rendimentos de propriedade com o exterior (taxas de variação de -3,5% nos rendimentos recebidos e de 1,8% nos rendimentos pagos).
A taxa de poupança das Famílias fixou-se em 3,9%, mais 0,1 p.p. que no trimestre precedente, refletindo um crescimento ligeiramente mais elevado do Rendimento Disponível comparativamente com o da despesa de consumo final (0,7% e 0,6%, respetivamente).
A necessidade de financiamento das Administrações Públicas (AP) diminuiu, passando de 3,7% do PIB no ano acabado no 1º trimestre de 2016 para 3,4%. Esta melhoria do saldo das AP resultou do efeito conjugado do aumento de 0,2% da receita e de uma redução de 0,4% da despesa. Tomando como referência valores trimestrais e não o ano acabado no trimestre, o saldo das AP fixou-se em -2,5% do PIB no 2º trimestre de 2016 (-3,6% no trimestre homólogo). No conjunto do 1º semestre de 2016, o saldo das AP foi -2,8% do PIB (-4,6% em igual período do ano passado).

SABER +
Imagem sobre Procedimento dos Défices Excessivos (2ª Notificação de 2016) 23-09-2016

Procedimento dos Défices Excessivos (2ª Notificação de 2016)

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE procede ao envio ao Eurostat da segunda notificação de 2016 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE). O quadro 1 da notificação, em baixo apresentado, sintetiza os principais resultados para o período de 2012 a 2016.

SABER +
Imagem sobre Principais Agregados das Administrações Públicas 23-09-2016

Principais Agregados das Administrações Públicas

O INE apresenta os dados dos Principais Agregados das Administrações Públicas, relativos à estimativa provisória anual de 2015 e enviados ao Eurostat no âmbito do programa de transmissão SEC 2010.
De acordo com esta estimativa provisória, o setor das Administrações Públicas apresentou, em 2015, uma necessidade líquida de financiamento de 7 821 milhões de euros (4,4% do PIB).

SABER +
Imagem sobre Contas Nacionais Anuais: Resultados Finais 23-09-2016

Contas Nacionais Anuais: Resultados Finais

Em 2014, o Produto Interno Bruto (PIB) ascendeu a cerca de 173,1 mil milhões de euros. Este valor corresponde a um aumento nominal de 1,7% e real de 0,9%, relativamente a 2013. O contributo da procura interna para a variação real foi positivo (2,2 pontos percentuais, p.p.), enquanto o da procura externa líquida foi negativo (-1,3 p.p.), em resultado de um crescimento das importações (7,8%) superior ao das exportações (4,3%). O saldo externo de bens e serviços foi positivo pelo segundo ano consecutivo, embora reduzindo-se de 1,0% do PIB em 2013 para 0,2% em 2014.
O emprego total, medido em unidades equivalentes a tempo completo (ETC), apresentou uma variação positiva em 2014 (1,6%, que compara com a redução de 2,5% no ano anterior), o que não se verificava desde 2008. A conjugação deste resultado com o crescimento de 0,4% do VAB traduziu-se na diminuição de 1,2% da produtividade do trabalho. De notar, no entanto, que a evolução da produtividade foi diversa entre os ramos de atividade, resultando a variação negativa sobretudo do comportamento de algumas atividades de produtos não transacionáveis.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média aumentou ligeiramente 22-09-2016

Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média aumentou ligeiramente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação situou-se em 1,059% em agosto (1,066% em julho). A prestação média vencida para a globalidade dos contratos foi 238 euros, 1 euro superior à observada no mês anterior, devido ao aumento da componente amortização.

SABER +
Imagem sobre Em termos nominais, em 2015 as exportações aumentaram 3,7% e as importações cresceram 2,2% 21-09-2016

Em termos nominais, em 2015 as exportações aumentaram 3,7% e as importações cresceram 2,2%

Em 2015 as exportações de bens atingiram 49 826 milhões de euros, o que corresponde a um aumento nominal de 3,7% relativamente ao ano anterior. As importações de bens cresceram 2,2%, totalizando 60 310 milhões de euros. Registou-se um défice de 10 485 milhões de euros, menos 494 milhões de euros que no ano anterior.
Angola perdeu a sua posição como principal parceiro Extra-UE de Portugal, posição que passou a ser ocupada pelos Estados Unidos nas exportações e pela China nas importações.
As exportações portuguesas apresentaram um dinamismo superior à evolução registada nas importações totais de bens efetuadas pelos cinco principais países de destino (Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos).
De acordo com os dados da ONU, em 2014 Portugal foi dos três principais exportadores mundiais em diversos bens (ver caixa no fim deste destaque), destacando-se claramente na exportação de Cortiça e suas obras.

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do índice de preços da habitação foi 6,3% 20-09-2016

Taxa de variação homóloga do índice de preços da habitação foi 6,3%

No segundo trimestre de 2016, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 6,3% em relação a idêntico período do ano anterior, 0,6 pontos percentuais (p.p.) abaixo da taxa de variação homóloga observada para os primeiros três meses do ano.
Quando comparado com o trimestre anterior, o IPHab acelerou pelo terceiro trimestre consecutivo, passando de uma variação de 1,8% no 1º trimestre para 3,1%. Os alojamentos existentes mostraram, pelo segundo trimestre consecutivo, uma taxa de variação dos preços superior ao observado para os alojamentos novos (3,5% contra 2,1%, respetivamente).
Entre Abril e Junho de 2016, transacionaram-se 31 768 alojamentos, o que representa um aumento de 29,6% face ao mesmo período do ano anterior e de 7,8% por comparação com o trimestre transato. No segundo trimestre de 2016, as transações de alojamentos familiares superaram ligeiramente os 3,7 mil milhões de euros.

SABER +
Imagem sobre Indicador de clima económico aumentou em agosto e indicador de atividade económica diminuiu entre abril e julho 19-09-2016

Indicador de clima económico aumentou em agosto e indicador de atividade económica diminuiu entre abril e julho

Em agosto, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico diminuíram na Área Euro (AE), após terem aumentado entre maio e julho. No último mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -1,2% e 0,7%, respetivamente (-1,5% e -5,5% em julho).
Em Portugal, o indicador de atividade económica diminuiu entre abril e julho, depois de ter estabilizado no mês precedente, enquanto o indicador de clima económico aumentou em julho e agosto. O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou entre maio e julho, refletindo, em larga medida, o crescimento menos expressivo do consumo duradouro no último mês. O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) diminuiu em julho, em resultado do contributo mais negativo da componente de construção e do contributo menos positivo da componente de material de transporte. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de -2,3% e -3,9% em julho, respetivamente (-1,5% e -3,5% em junho). O índice de volume de negócios da indústria registou uma variação nominal ligeiramente menos negativa em julho, verificando-se uma variação negativa do índice de produção industrial e do respetivo índice de preços. O índice de volume de negócios dos serviços apresentou uma diminuição menos intensa em termos nominais em junho e julho. O índice de produção da construção e obras públicas registou uma variação negativa mais acentuada no último mês.
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 11,1% em julho (idêntica à taxa definitiva observada em junho, mas menor em 0,5 e em 1,2 pontos percentuais que as registadas três meses antes e há um ano atrás, respetivamente). A população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, aumentou 0,2% face a junho e 1,5% em termos homólogos. 
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de 0,7% em agosto (0,6% em julho), observando-se uma taxa de variação de 0,3% na componente de bens (0,1% no mês anterior) e de 1,3% na de serviços (idêntica à observada em julho).

SABER +
Imagem sobre 120 mil fogos de habitação social em 2015, com uma renda média mensal de 56 euros 19-09-2016

120 mil fogos de habitação social em 2015, com uma renda média mensal de 56 euros

Principais resultados do Inquérito à Caracterização da Habitação Social relativo a 2015:
Existiam em Portugal 120 mil fogos de habitação social inseridos em 26,2 mil edifícios;
Existiam 1 157 fogos de habitação social por 100 mil habitantes;
A habitação social representava 2% do parque habitacional total (fogos);
A renda média mensal foi de 56€. Os contratos celebrados em 2015 (ao abrigo do novo regime de arrendamento apoiado) apresentam valores de renda médios mensais (113€) superiores aos dos restantes regimes;
Registaram-se 19,8 mil pedidos de habitação social;
O saldo entre receitas e despesas de habitação social foi positivo (+14,8 milhões de euros).

SABER +
Imagem sobre Atividade Turística - Principais indicadores mantiveram crescimento 15-09-2016

Atividade Turística - Principais indicadores mantiveram crescimento

Os estabelecimentos hoteleiros registaram 2,1 milhões de hóspedes e 6,5 milhões de dormidas em julho de 2016, correspondendo a aumentos homólogos de 10,2% e 7,0% (+10,3% e +9,5% em junho). O mercado interno desacelerou acentuadamente (+2,0% face a +8,5% no mês anterior), enquanto foi mais moderada a desaceleração dos mercados externos (+9,3% em julho e +9,8% em junho).
A estada média reduziu-se 2,9% para 3,13 noites. A taxa de ocupação-cama aumentou 2,1 p.p. para 65,0%.
Os proveitos totais aumentaram 16,8% e os de aposento 17,5% (+16,0% e +16,9% no mês anterior, respetivamente).

SABER +
Imagem sobre Índice de Preços na Produção Industrial diminuiu 3,0% 15-09-2016

Índice de Preços na Produção Industrial diminuiu 3,0%

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial foi -3,0% em agosto (-3,4% no mês anterior). Excluindo o agrupamento de Energia, o índice diminuiu 1,3% (diminuição de 1,1% em julho). A variação mensal do índice agregado situou-se em -0,4% (-0,9% em agosto de 2015).

SABER +
Imagem sobre Edifícios licenciados aumentaram 12,0% e obras concluídas decresceram 10,7% 13-09-2016

Edifícios licenciados aumentaram 12,0% e obras concluídas decresceram 10,7%

No 2º trimestre de 2016 os edifícios licenciados aumentaram 12,0% face ao período homólogo (-4,3% no 1º trimestre de 2016), correspondendo a 4,2 mil edifícios. Nos edifícios licenciados para construções novas observou-se um acréscimo de 12,2% (+2,8% no 1º trimestre de 2016) enquanto no licenciamento para reabilitação se registou um acréscimo de 10,6% (-11,3% no 1º trimestre de 2016). Os edifícios concluídos diminuíram 10,7% (-13,8% no 1º trimestre de 2016) totalizando 2,5 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados cresceu 9,7% (+1,0% no 1º trimestre de 2016) e os edifícios concluídos diminuíram 1,4% (-4,6% no 1º trimestre de 2016).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 0,7% 12-09-2016

Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 0,7%

A variação homóloga do IPC passou de 0,6% em julho para 0,7% em agosto de 2016. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,6%, inferior em 0,2 p.p. à do mês anterior. Ao nível das classes de despesa destacou-se o aumento da taxa de variação homóloga da classe dos Transportes, que passou de -2,1% em julho para -1,3% em agosto, o que se traduziu no contributo mais relevante para a aceleração do IPC total.
A variação mensal do IPC foi -0,2% (-0,7% em julho e -0,3% em agosto de 2015). A variação média dos últimos doze meses manteve-se em 0,6%.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,8%, valor superior em 0.1 p.p. ao verificado no mês anterior e superior em 0,6 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em julho esta diferença foi 0,5 p.p.). O IHPC registou uma variação mensal nula (-0.6% no mês anterior e -0,1% em agosto de 2015) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,6% (valor igual ao registado em julho).

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção diminuiu 4,0% em termos homólogos 09-09-2016

Índice de Produção na Construção diminuiu 4,0% em termos homólogos

O índice de produção na construção1 apresentou, em julho, uma taxa de variação homóloga de -4,0% (-3,8% no período anterior). Os índices de emprego e de remunerações decresceram, respetivamente, 3,9% e 6,3% (variações de -3,8% e -6,5% em junho).

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios nos Serviços registou variação homóloga positiva 09-09-2016

Índice de Volume de Negócios nos Serviços registou variação homóloga positiva

O índice de volume de negócios nos serviços passou de uma variação homóloga de -0,8% em junho para 0,8% em julho.
Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresenta-ram variações homólogas de 1,8%, 3,4% e 0,4%, respetivamente (1,8%, 2,8% e -0,6% em junho, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre As exportações e importações diminuíram 4,6% e 7,2%, respetivamente, em julho de 2016, em termos nominais, face ao mesmo mês de 2015 09-09-2016

As exportações e importações diminuíram 4,6% e 7,2%, respetivamente, em julho de 2016, em termos nominais, face ao mesmo mês de 2015

Em julho de 2016, as exportações de bens diminuíram 4,6% e as importações de bens decresceram 7,2% face ao mesmo mês de 2015 (-1,5% e -0,5% em junho de 2016, respetivamente). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, tanto as exportações como as importações decresceram 3,1% (respetivamente +1,1% e +3,5% em junho de 2016).
O défice da balança comercial de bens atingiu 557 milhões de euros em julho de 2016, reduzindo-se em 174 milhões de euros face ao mesmo mês de 2015. O défice da balança comercial, excluindo os Combustíveis e lubrificantes, situou-se em 353 milhões de euros, menos 13 milhões de euros que no mês homólogo de 2015.
No trimestre terminado em julho de 2016, as exportações de bens decresceram 2,3% e as importações de bens diminuíram 3,9%, face ao período homólogo.

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou variação homóloga mais negativa 08-09-2016

Índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou variação homóloga mais negativa

O Índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou uma variação homóloga nominal de -4,5% em julho (-3,1% no mês anterior). O índice relativo ao mercado nacional diminuiu 6,0% (redução de 2,7% em junho), enquanto o índice relativo ao mercado externo apresentou uma variação de -2,7% (-3,4% no mês anterior).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas1 apresentaram aumentos homólogos de 1,5%, 3,4% e de 1,1%, respetivamente (variações de 1,6%, 3,4% e de 0,9% em junho, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Agosto de 2016 23-09-2016

Boletim Mensal de Estatística - Agosto de 2016

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Comércio Internacional - 2015 21-09-2016

Estatísticas do Comércio Internacional - 2015

A presente publicação divulga os resultados provisórios das estatísticas do Comércio Internacional de Bens relativas ao ano 2015.
As estatísticas do Comércio Internacional de bens incluem as estatísticas do Comércio Intra-UE, obtidas através da informação proveniente do Sistema Intrastat, e as estatísticas do Comércio Extra-UE, baseadas nas declarações alfandegárias.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2016 21-09-2016

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2016

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.


Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título: Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Síntese económica de conjuntura - Agosto de 2016 19-09-2016

Síntese económica de conjuntura - Agosto de 2016

A Síntese Económica de Conjuntura é uma publicação de acompanhamento da conjuntura destinada a quem necessita de indicações seguras acerca das tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços. Contém informação actualizada e apresentada de modo a permitir avaliar o estado da economia no momento da análise e antever a sua evolução provável a curto prazo. Esta análise é suportada por um conjunto de quadros e gráficos dos principais indicadores que são complementados por diversos outros relativos à evolução da produção, da procura, do emprego e dos preços na União Europeia, Estados Unidos e Japão.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas Agrícolas - 2015 05-09-2016

Estatísticas Agrícolas - 2015

A publicação Estatísticas Agrícolas - 2015, está organizada em 14 capítulos, com textos de análise e respetivos quadros estatísticos. A informação divulgada diz respeito à agricultura e a alguns setores da economia nacional relacionados com o setor agrícola, incluindo assuntos tão diversificados como a produção vegetal, animal e florestal; a economia agrícola, analisada através das contas económicas da agricultura, da silvicultura e preços e índices de preços na agricultura, bem como a estrutura das explorações agrícolas e o comércio internacional de produtos agrícolas e florestais, entre outros.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2016 23-08-2016

Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2016

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2016 22-08-2016

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2016

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Síntese económica de conjuntura - Julho de 2016 18-08-2016

Síntese económica de conjuntura - Julho de 2016

A Síntese Económica de Conjuntura é uma publicação de acompanhamento da conjuntura destinada a quem necessita de indicações seguras acerca das tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços. Contém informação actualizada e apresentada de modo a permitir avaliar o estado da economia no momento da análise e antever a sua evolução provável a curto prazo. Esta análise é suportada por um conjunto de quadros e gráficos dos principais indicadores que são complementados por diversos outros relativos à evolução da produção, da procura, do emprego e dos preços na União Europeia, Estados Unidos e Japão.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Turismo - 2015 28-07-2016

Estatísticas do Turismo - 2015

Apresentam-se os principais resultados de estatísticas de Turismo em duas vertentes: na ótica da procura por parte dos residentes em Portugal, bem como na perspetiva da oferta de alojamento turístico coletivo.

No âmbito da procura turística são disponibilizados os principais resultados do Inquérito às Deslocações dos Residentes (IDR), referentes às viagens turísticas  e de excursionismo (deslocações de um só dia) e sua caracterização, bem como aos turistas e excursionistas.

Relativamente à oferta em alojamento turístico coletivo, são apresentados os dados provenientes do Inquérito à Permanência de Hóspedes na Hotelaria e Outros Alojamentos (IPHH), bem como de inquéritos similares realizados pelo INE aos parques de campismo, colónias de férias e pousadas de juventude. Destaca-se a divulgação de informação detalhada não só sobre estabelecimentos hoteleiros e similares mas também sobre alojamento local, e ainda turismo no espaço rural e turismo de habitação.

Apresentam-se ainda capítulos dedicados ao contexto económico internacional e nacional, com base em informação complementar de fontes diversas, designadamente a Organização Mundial de Turismo, Eurostat, Fundo Monetário Internacional, Banco de Portugal e Administrações portuárias.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2016 25-07-2016

Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2016

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
#