CALENDÁRIO +Info...

Quarta-Feira, 1 de Março de 2017

Segunda-Feira, 6 de Março de 2017

  • ITRM 2017 - 8ª Semana: Últ. dia

Sexta-Feira, 10 de Março de 2017

  • IMPI 2017 - Fev: Últ. dia
  • IVNE 2017 - Fev: Últ. dia

Segunda-Feira, 13 de Março de 2017

  • IPP 2016: Últ. dia
  • ITRM 2017 - 9ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 15 de Março de 2017

Segunda-Feira, 20 de Março de 2017

  • IAPI 2016: Últ. dia
  • IMAAC 2017 - Fev: Últ. dia
  • IMAMI 2017 - Fev: Últ. dia
  • IMAOC 2017 - Fev: Últ. dia
  • IMGA 2017 - Fev: Últ. dia
  • IMIEA 2017 - Fev: Últ. dia
  • IMLV 2017 - Fev: Últ. dia
  • ITRM 2017 - 10ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 21 de Março de 2017

  • ITRM 2017 - 17ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 24ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 20ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 14ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 26ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 19ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 21ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 15ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 22ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 23ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 16ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 18ª Semana: Início
  • ITRM 2017 - 25ª Semana: Início
  • SPE 2016: Últ. dia

Sábado, 25 de Março de 2017

  • IPMC 2017 - Mar: Últ. dia
  • IPPI 2017 - Mar: Últ. dia

Segunda-Feira, 27 de Março de 2017

  • ITRM 2017 - 11ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1335
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Procedimento dos Défices Excessivos (1ª Notificação) 24-03-2017

Procedimento dos Défices Excessivos (1ª Notificação)

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat, até ao final do mês corrente, a primeira notificação de 2017 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE).

SABER +
Imagem sobre Capacidade de financiamento da economia aumenta 24-03-2017

Capacidade de financiamento da economia aumenta

A capacidade de financiamento da economia situou-se em 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano terminado no 4º trimestre de 2016, mais 0,3 pontos percentuais (p.p.) que a observada no trimestre anterior. A poupança bruta aumentou 1,7%, verificando-se um aumento do Rendimento Disponível Bruto (RDB) da nação superior ao acréscimo da despesa de consumo final da economia. O Rendimento Nacional Bruto (RNB) registou uma taxa de variação de 1,1%, superior em 0,4 p.p. à taxa de variação do PIB, refletindo a melhoria do saldo dos rendimentos de propriedade com o exterior.
A taxa de poupança das Famílias fixou-se em 4,4%, menos 0,2 p.p. que no trimestre precedente, refletindo um crescimento ligeiramente mais elevado da despesa de consumo final comparativamente com o do rendimento disponível (1,0% e 0,8%, respetivamente). A capacidade de financiamento das famílias passou de 1,2% para 0,8% do PIB no 4º trimestre de 2016, enquanto os saldos das sociedades não financeiras e das sociedades financeiras representavam 0,4% e 2,2% do PIB, respetivamente.
A necessidade de financiamento das Administrações Públicas (AP) diminuiu 1,7 p.p., passando de 3,8% do PIB no ano acabado no 3º trimestre de 2016 para 2,1%. Esta diminuição resultou do efeito conjugado do aumento de 0,7% da receita e de uma redução de 3,0% da despesa. Tomando como referência valores trimestrais e não o ano acabado no trimestre, o saldo das AP situou-se em cerca de 49,9 milhões de euros no 4º trimestre de 2016, correspondendo a 0,1% do PIB (-6,8% em igual período do ano anterior).
Considerando o conjunto do ano 2016, o saldo global das AP fixou-se em -3807,3 milhões de euros, correspondente a  2,1% do PIB (-4,4% do PIB em 2015).

SABER +
Imagem sobre Principais Agregados das Administrações Públicas 24-03-2017

Principais Agregados das Administrações Públicas

O INE apresenta os dados dos Principais Agregados das Administrações Públicas (AP), relativos à estimativa provisória anual de 2016 e enviados ao Eurostat no âmbito do programa de transmissão SEC 2010 .
De acordo com esta estimativa provisória, o setor das AP apresentou, em 2016, uma necessidade líquida de financiamento de 3 807 milhões de euros, correspondente a 2,1% do PIB.

SABER +
Imagem sobre Índice de preços da habitação aumentou 7,1% em 2016 23-03-2017

Índice de preços da habitação aumentou 7,1% em 2016

Em 2016, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) apresentou uma variação média anual de 7,1%. O ritmo de crescimento observado em 2016 foi superior em 4 pontos percentuais (p.p.) ao observado em 2015, verificando-se um crescimento médio dos preços dos alojamentos existentes (8,7%) superior ao dos alojamentos novos (3,3%).
No quarto trimestre de 2016, a taxa de variação homóloga do IPHab manteve-se elevada e igual à do trimestre anterior (7,6%). Tal como tem vindo a suceder desde o último trimestre de 2014, os alojamentos existentes voltaram a registar um aumento dos preços (9,2%) superior ao verificado nos alojamentos novos (3,5%).
No ano de 2016 registaram-se 127 106 transações de habitações, mais 18,5% do que em 2015, ultrapassando os 14,8 mil milhões de euros, mais 18,7% que em 2015.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média inalterada 22-03-2017

Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média inalterada

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação fixou-se em 1,018% em fevereiro (1,025% em janeiro). A prestação média vencida foi 237 euros pelo sexto mês consecutivo.

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica e indicador de clima económico aumentam 17-03-2017

Indicador de atividade económica e indicador de clima económico aumentam

Em fevereiro, o indicador de confiança dos consumidores na Área Euro (AE) estabilizou, tendo o indicador de senti-mento económico recuperado. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram uma variação em cadeia de 0,3% em ambos os casos (3,5% e 1,7% em janeiro, respetivamente).
Em Portugal, o indicador de atividade económica, disponível até janeiro e o indicador de clima económico, disponível até fevereiro, aumentaram. O indicador quantitativo do consumo privado estabilizou em janeiro, refletindo um con-tributo positivo menos expressivo da componente de consumo corrente e um contributo mais intenso da componente de consumo duradouro. O indicador de FBCF aumentou em janeiro devido ao comportamento de todas as componentes, destacando-se a de construção. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 12,9% e 14,3% em janeiro, respetivamente (5,0% e 6,4% em dezembro). O índice de volume de negócios e o índice de produção da indústria aceleraram em janeiro, verificando-se uma aceleração do respetivo índice de preços. O índice de volume de negócios dos serviços acelerou em janeiro, enquanto o índice de produção da construção e obras públicas registou uma taxa de variação homóloga positiva. De referir que em janeiro a atividade económica foi positivamente influenciada por um efeito de dias úteis, verificando-se dois dias úteis adicionais comparativamente com igual mês de 2016.
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 10,2% em janeiro (mantendo-se inalterada face ao valor definitivo observado em dezembro e sendo inferior em 0,4 pontos percentuais à taxa observada há três meses e em 1,9 pontos percentuais à taxa registada há um ano atrás). A estimativa para a população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, apresentou um aumento de 2,4% em termos homólogos, traduzindo um ligeiro abrandamento face a dezembro (variação homóloga de 2,6%) e uma diminuição em cadeia de 0,2%. 
A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) situou-se em 1,6% em fevereiro (1,3% em janeiro), observando-se taxas de variação de 1,7% na componente de bens (1,4% no mês anterior) e de 1,4% na de serviços (1,3% em janeiro).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial situou-se em 4,0% 17-03-2017

Taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial situou-se em 4,0%

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) situou-se em 4,0% em fevereiro (3,7% no mês anterior). Excluindo o agrupamento de Energia o índice aumentou 0,8% (0,2% no mês precedente). A variação mensal do índice agregado foi -0,8% (-1,1% em fevereiro de 2016).

SABER +
Imagem sobre Em 2016 os edifícios licenciados aumentaram 11,6% e os edifícios concluídos diminuíram 6,6%, face a 2015. No 4º trimestre de 2016, a taxa de variação homóloga dos edifícios concluídos foi pela primeira vez positiva desde o 3º trimestre de 2005 16-03-2017

Em 2016 os edifícios licenciados aumentaram 11,6% e os edifícios concluídos diminuíram 6,6%, face a 2015. No 4º trimestre de 2016, a taxa de variação homóloga dos edifícios concluídos foi pela primeira vez positiva desde o 3º trimestre de 2005

No 4º trimestre de 2016 os edifícios licenciados aumentaram 16,2% face ao período homólogo (+18,9% no 3º trimestre de 2016), correspondendo a 4,4 mil edifícios. Nos edifícios licenciados para construções novas observou-se um acréscimo de 18,8% (+17,6% no 3º trimestre de 2016) enquanto no licenciamento para reabilitação se registou um acréscimo de 12,1% (+16,7% no 3º trimestre de 2016). De acordo com as estimativas, os edifícios concluídos registaram um aumento de 1,6% (-2,6% no 3º trimestre de 2016) totalizando 2,7 mil edifícios. Esta taxa foi pela primeira vez positiva desde o 3º trimestre de 2005.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados aumentou 4,3% (-2,9% no 3º trimestre de 2016) e os edifícios concluídos registaram uma variação nula (+8,0% no 3º trimestre de 2016).
No total do ano de 2016 foram licenciados 16,6 mil edifícios e concluídos 10,3 mil edifícios, correspondendo a um acréscimo de 11,6% nos edifícios licenciados face ao ano anterior (-4,2% em 2015) e a um decréscimo de 6,6% nos edifícios concluídos (-19,2% em 2015).

SABER +
Imagem sobre Dormidas em janeiro de 2017 aumentaram 12,6%, principalmente devido aos residentes no estrangeiro (+17,6%) 15-03-2017

Dormidas em janeiro de 2017 aumentaram 12,6%, principalmente devido aos residentes no estrangeiro (+17,6%)

A hotelaria registou 984,6 mil hóspedes e 2,4 milhões de dormidas em janeiro de 2017, equivalendo a acréscimos homólogos de 14,0% e 12,6% (+8,1% e +10,6% respetivamente em dezembro de 2016). As dormidas do mercado interno aumentaram 2,4% (+5,1% em dezembro de 2016), e as de mercados externos cresceram 17,6% (+14,0% em dezembro).
A estada média decresceu (-1,2%; 2,43 noites) enquanto a taxa de ocupação-cama aumentou (+2,7 p.p.; 28,8%).
Os proveitos aceleraram, tendo os proveitos totais atingido 123,0 milhões de euros (+18,1%) e os de aposento 84,1 milhões de euros (+17,2%).

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios nos Serviços desacelerou 13-03-2017

Índice de Volume de Negócios nos Serviços desacelerou

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de 2,5% em janeiro (7,6% no mês anterior).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 3,6%, 4,0% e 1,6%, respetivamente (3,6%, 4,1% e 1,8% em dezembro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre As exportações e importações aumentaram 19,6% e 22,3%, respetivamente, em termos nominais 13-03-2017

As exportações e importações aumentaram 19,6% e 22,3%, respetivamente, em termos nominais

Em janeiro de 2017, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de, respetivamente, +19,6% e +22,3% (+12,0% e +13,0% em dezembro de 2016, pela mesma ordem). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações cresceram 17,1% e as importações 14,6% (respetivamente
+9,2% e +9,5% em dezembro de 2016).
O défice da balança comercial de bens situou-se em 941 milhões de euros em janeiro de 2017, representando um aumento de 252 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 535 milhões de euros, que corresponde a uma redução de 5 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.
No trimestre terminado em janeiro de 2017, as exportações e as importações de bens aumentaram respetivamente 12,9% e 14,3% face ao período homólogo.

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 1,6% 10-03-2017

Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 1,6%

A variação homóloga do IPC passou de 1,3% em janeiro para 1,6% em fevereiro de 2017, devido em parte à aceleração dos preços da classe dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,6%, taxa superior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) à do mês anterior.
A variação mensal do IPC foi -0,2% (-0,6% no mês anterior e -0,4% em fevereiro de 2016). A variação média dos últimos doze meses registou uma taxa de 0,7%, taxa idêntica à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1,6%, valor superior em 0,3 p.p. ao verificado no mês anterior e inferior em 0,4 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em janeiro a taxa variação homóloga do IHPC português foi 0,5 p.p. inferior à do IHPC da área do Euro). O IHPC registou uma variação mensal de -0,2% (-0,7% no mês anterior e -0,5% em fevereiro de 2016) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,8% (valor superior em 0,1 p.p. ao registado no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção com variação homóloga positiva 10-03-2017

Índice de Produção na Construção com variação homóloga positiva

O índice de produção na construção apresentou, em janeiro, uma variação de 0,9% em termos homólogos (-0,9% em dezembro). Comparando com o mesmo mês do ano anterior, os índices de emprego e de remunerações cresceram 2,9% e 0,8% (0,7% e -2,2% em dezembro) respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios na Indústria aumentou 13,5% em janeiro 09-03-2017

Índice de Volume de Negócios na Indústria aumentou 13,5% em janeiro

O Índice de Volume de Negócios na Indústria registou um variação homóloga nominal de 13,5% em janeiro (6,0% no mês anterior). Os índices relativos aos mercados externo e nacional passaram de aumentos de 9,2% e de 3,8%, respe-tivamente, em dezembro, para 19,4% e 9,0% em janeiro.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas apresentaram crescimentos homólogos de 2,3%, 3,2% e 2,2% em janeiro (2,2%, 3,1% e 0,3% no mês anterior), respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Índice de Custos de Construção de Habitação Nova acelerou 08-03-2017

Índice de Custos de Construção de Habitação Nova acelerou

A taxa de variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova, no Continente, foi 2,1% em janeiro, tendo aumentado 0,4 pontos percentuais (p.p.) face ao mês anterior. O Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação, no Continente, apresentou uma taxa de variação homóloga de 1,8% (1,6% em dezembro de 2016).

SABER +
Imagem sobre VAB do setor não financeiro cresceu 5,8%, em termos nominais, em 2015 06-03-2017

VAB do setor não financeiro cresceu 5,8%, em termos nominais, em 2015

Em 2015 existiam 1 181 406 empresas em Portugal, nas quais se registou um crescimento de 3,6% no número de pessoas ao serviço. O número de empresas individuais cresceu 3,2% e o número de sociedades 2,5%.
No setor não financeiro, o Volume de negócios (VVN), o Valor acrescentado bruto (VAB) e o Excedente bruto de exploração (EBE) registaram acréscimos nominais de 2,7%, 5,8% e 6,9% respetivamente.
Existiam 4 569 sociedades não financeiras de elevado crescimento, mais 1 144 do que em 2014. As sociedades com perfil exportador representaram 6,2% do total das sociedades não financeiras e foram responsáveis por 33,2% do VAB.

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial desacelerou 02-03-2017

Índice de Produção Industrial desacelerou

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de 2,7% em janeiro (4,4% em dezembro de 2016). A taxa de variação da secção das Indústrias Transformadoras foi 0,8% (1,0% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Índice de Vendas no Comércio a Retalho abrandou 02-03-2017

Índice de Vendas no Comércio a Retalho abrandou

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho registou, em janeiro, uma variação homóloga de 2,0% (4,0% em dezembro). Os índices de emprego, de remunerações e de número de horas trabalhadas, ajustadas de efeitos de calendário, apresentaram, no mês de referência, taxas de variação homóloga de 2,2%, 4,1% e 3,0%, respetivamente (1,9%, 7,5% e -0,4% em dezembro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego de dezembro de 2016 foi de 10,2% 01-03-2017

A taxa de desemprego de dezembro de 2016 foi de 10,2%

A taxa de desemprego de dezembro de 2016 situou-se em 10,2%, menos 0,3 pontos percentuais (p.p.) do que no mês anterior e menos 0,7 p.p. em relação a três meses antes. Aquele valor é igual à estimativa provisória divulgada há um mês (10,2%). Constitui também o valor mais baixo observado desde março de 2009 (10,0%).
A população desempregada de dezembro foi estimada em 520,7 mil pessoas, tendo diminuído 3,2% em relação ao mês precedente (menos 17,3 mil pessoas), enquanto a população empregada foi estimada em 4 601,6 mil pessoas, tendo aumentado 0,4% (mais 16,9 mil pessoas) face ao mês anterior.
A estimativa provisória da taxa de desemprego de janeiro de 2017 foi de 10,2%. Neste mês, a estimativa provisória da população desempregada foi de 521,8 mil pessoas e a da população empregada foi de 4 593,2 mil pessoas.

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto aumentou 1,4% em volume no ano de 2016 e 2,0% no 4º trimestre de 2016 01-03-2017

Produto Interno Bruto aumentou 1,4% em volume no ano de 2016 e 2,0% no 4º trimestre de 2016

Em 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) atingiu cerca de 185 mil milhões de euros em termos nominais, tendo registado um aumento de 1,4% em volume, menos 0,2 pontos percentuais (p.p.) que o verificado no ano anterior. O contributo da procura interna para a variação do PIB diminuiu, situando-se em 1,5 p.p. em 2016 (2,6 p.p. em 2015), refletindo, principalmente, a redução do Investimento e, em menor grau, o ligeiro abrandamento do consumo privado. A procura externa líquida passou de um contributo de -1,0 p.p. em 2015 para  0,1 p.p., em resultado da desaceleração das Importações de Bens e Serviços, mais acentuada que a das Exportações de Bens e Serviços. Em termos nominais, o Saldo Externo de Bens e Serviços aumentou para 1,2% do PIB (0,7% em 2015), beneficiando dos ganhos de termos de troca registados em 2016, ainda que inferiores aos de 2015.
No 4º trimestre de 2016, o PIB registou, em termos homólogos, um aumento de 2,0% em volume (variação de 1,7% no trimestre anterior), tendo sido revisto em alta em 0,1 p.p. face à Estimativa Rápida. A aceleração do PIB resultou do maior contributo da procura interna, que passou de 1,1 p.p. no 3º trimestre para 2,5 p.p., observando-se uma recuperação do Investimento e um crescimento mais intenso do consumo privado. O contributo da procura externa líquida foi negativo (-0,6 p.p.), após ter sido positivo no trimestre anterior (0,6 p.p.), com as Importações de Bens e Serviços a apresentarem uma aceleração mais acentuada que as Exportações.
Comparativamente com o 3º trimestre, o PIB aumentou 0,6% em termos reais, taxa inferior em 0,3 p.p. à do trimestre anterior. O contributo da procura interna foi positivo, contrariamente ao observado no trimestre anterior, traduzindo, principalmente, a evolução do Investimento. Em sentido contrário, a procura externa passou a registar um contributo negativo, devido ao forte crescimento das Importações de Bens e Serviços.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Janeiro de 2017 21-03-2017

Boletim Mensal de Estatística - Janeiro de 2017

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2017 21-03-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.


Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Síntese económica de conjuntura - Fevereiro de 2017 17-03-2017

Síntese económica de conjuntura - Fevereiro de 2017

A Síntese Económica de Conjuntura é uma publicação de acompanhamento da conjuntura destinada a quem necessita de indicações seguras acerca das tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços. Contém informação actualizada e apresentada de modo a permitir avaliar o estado da economia no momento da análise e antever a sua evolução provável a curto prazo. Esta análise é suportada por um conjunto de quadros e gráficos dos principais indicadores que são complementados por diversos outros relativos à evolução da produção, da procura, do emprego e dos preços na União Europeia, Estados Unidos e Japão.

SABER +
Imagem sobre Anuário Estatístico de Portugal - 2015 10-03-2017

Anuário Estatístico de Portugal - 2015

 

O Instituto Nacional de Estatística apresenta a 107ª edição do Anuário Estatístico de Portugal (AEP), a qual dá continuidade a uma longa tradição iniciada em 1877 (AEP 1875). O AEP 2015 apresenta uma análise global destinada a fornecer uma visão abrangente dos fenómenos registados em 2015, em termos sociais, económicos e demográficos.

A atual edição mantém a estrutura dos 28 subcapítulos agrupados em quatro grandes temas: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. Cada subcapítulo introduz uma análise, dos principais indicadores, ilustrada por gráficos e infografias.

Os dados estatísticos, que acompanham esta publicação, apresentam séries temporais desagregadas ao nível de NUTS I e II, possibilitando uma comparação espacial dos fenómenos retratados.

SABER +
Imagem sobre Portugal - 2015 07-03-2017

Portugal - 2015

O Instituto Nacional de Estatística divulga uma publicação que sintetiza traços relevantes sobre as estruturas que compõem o sistema demográfico, social e económico de Portugal. A publicação está dividida nas seguintes partes:


Enquadramento populacional, Enquadramento socioeconómico (população ativa, emprego e desemprego, rendimento e condições de vida das famílias, educação e saúde) e Atividade económica (empresas, comércio internacional, contas nacionais, preços e administrações públicas).


Ao longo do texto, é analisada a evolução de indicadores em Portugal desde 1990 a 2015, por vezes comparada com a da União Europeia. Esta publicação, bem como a informação estatística que suporta a análise e os gráficos apresentados, é disponibilizada em formato PDF, XLSX e CSV, podendo ser consultada e exportada no portal do INE (www.ine.pt).


Está também disponível a edição interativa da publicação

SABER +
Imagem sobre Empresas em Portugal - 2015 06-03-2017

Empresas em Portugal - 2015

Com a publicação Empresas em Portugal 2015, o Instituto Nacional de Estatística atualiza os principais indicadores estatísticos caracterizadores da estrutura e evolução do setor empresarial português, para o período 2008-2015, obtidos a partir do Sistema de Contas Integradas das Empresas (SCIE). Para uma mais fácil consulta, os quadros de resultados deixaram de fazer parte integrante do documento PDF da publicação, sendo disponibilizados separadamente em ficheiros XLSX para os indicadores demográficos, económicos e patrimoniais do total de empresas e das empresas não financeiras em Portugal:


1) Indicadores Demográficos das Empresas em Portugal, 2008-2015;
2) Indicadores Económicos e Patrimoniais das Empresas em Portugal, 2008-2015;
3) Indicadores Demográficos das Empresas Não Financeiras em Portugal, 2008-2015;
4) Indicadores Económicos e Patrimoniais das Empresas Não Financeiras em Portugal, 2008-2015.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2017 21-02-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Síntese económica de conjuntura - Janeiro de 2017 17-02-2017

Síntese económica de conjuntura - Janeiro de 2017

A Síntese Económica de Conjuntura é uma publicação de acompanhamento da conjuntura destinada a quem necessita de indicações seguras acerca das tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços. Contém informação actualizada e apresentada de modo a permitir avaliar o estado da economia no momento da análise e antever a sua evolução provável a curto prazo. Esta análise é suportada por um conjunto de quadros e gráficos dos principais indicadores que são complementados por diversos outros relativos à evolução da produção, da procura, do emprego e dos preços na União Europeia, Estados Unidos e Japão.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Janeiro de 2017 27-01-2017

REVSTAT - Statistical Journal - Janeiro de 2017

REVSTAT - Statistical Journal (Vol.15 Number 1 - January 2017)


Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.  Edição em língua inglesa.

SABER +
Imagem sobre Região Alentejo em números - 2015 26-01-2017

Região Alentejo em números - 2015

Brochura bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura
 
Consulte mais informação sobre a região na publicação: Anuário Estatístico da Região Alentejo - 2015

SABER +
#