CALENDÁRIO +Info...

Quarta-Feira, 1 de Fevereiro de 2017

Segunda-Feira, 6 de Fevereiro de 2017

  • IARTL 2016: Início
  • ITRM 2017 - 4ª Semana: Últ. dia

Quinta-Feira, 9 de Fevereiro de 2017

  • ICC 2017 - Fev: Últ. dia
  • ICCOP 2017 - Fev: Últ. dia
  • ICIT 2017 - Fev: Últ. dia
  • ICS 2017 - Fev: Últ. dia

Sexta-Feira, 10 de Fevereiro de 2017

  • IMPI 2017 - Jan: Últ. dia
  • IVNE 2017 - Jan: Últ. dia

Segunda-Feira, 13 de Fevereiro de 2017

  • ITRM 2017 - 5ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 15 de Fevereiro de 2017

Segunda-Feira, 20 de Fevereiro de 2017

  • IMAAC 2017 - Jan: Últ. dia
  • IMAMI 2017 - Jan: Últ. dia
  • IMAOC 2017 - Jan: Últ. dia
  • IMGA 2017 - Jan: Últ. dia
  • IMIEA 2017 - Jan: Últ. dia
  • IMLV 2017 - Jan: Últ. dia
  • ITRM 2017 - 6ª Semana: Últ. dia

Sábado, 25 de Fevereiro de 2017

  • IPMC 2017 - Fev: Últ. dia
  • IPPI 2017 - Fev: Últ. dia

Segunda-Feira, 27 de Fevereiro de 2017

  • IARTL 2016: Últ. dia
  • ITRM 2017 - 7ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1213
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média inalterada 23-02-2017

Taxa de juro manteve tendência decrescente e prestação média inalterada

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação passou de 1,028% em dezembro de 2016 para 1,025% em janeiro de 2017. A prestação média vencida foi 237 euros pelo quinto mês consecutivo.

SABER +
Imagem sobre Índice de Novas Encomendas na Construção com forte aumento em termos homólogos 21-02-2017

Índice de Novas Encomendas na Construção com forte aumento em termos homólogos

O índice de novas encomendas na construção apresentou um aumento homólogo de 63% no 4º trimestre de 2016 (aumento de 16,7% no trimestre anterior). Este crescimento foi determinado pelo comportamento do índice do segmento de Obras de Engenharia, que passou de uma variação homóloga de 5,4% para 139,9%. O índice relativo ao segmento de Construção de Edifícios apresentou uma taxa de variação de 19,4% (33% no trimestre anterior).

SABER +
Imagem sobre Atividade económica acelerou em dezembro. Indicador de clima económico aumentou em janeiro 17-02-2017

Atividade económica acelerou em dezembro. Indicador de clima económico aumentou em janeiro

Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga de 1,7% no 4º trimestre (1,8% no tri-mestre anterior). Em janeiro, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico recuperaram na AE. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 3,5% e 1,7%, respetivamente (0,8% e 22,0% em dezembro).
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB registou uma variação homóloga em volume de 1,9% no 4º trimestre (1,6% no trimestre anterior), enquanto a variação em cadeia foi 0,6% (0,8% no 3º trimestre). O indicador de atividade económica, disponível até dezembro, e o de clima económico, disponível até janeiro, aumentaram. O indicador quantitativo do consumo privado acelerou em dezembro devido ao contributo de ambas as componentes, consumo duradouro e consumo corrente. No mesmo mês o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aumentou, refletindo o comportamento de todas as componentes, salientando-se a de construção, que passou de um contributo negativo para positivo. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 4,9% e 6,4% em dezembro, respetivamente (3,6% e 3,1% em novembro). O índice de volume de negócios e o índice de produção da indústria aceleraram em dezembro, verificando-se também um aumento homólogo do respetivo índice de preços. O índice de volume de negócios dos serviços acelerou em dezembro, enquanto o índice de produção da construção e obras públicas registou uma redução menos acentuada.
No 4º trimestre de 2016, a taxa de desemprego fixou-se em 10,5%, taxa idêntica à do trimestre anterior e inferior em 1,7 p.p. à verificada no período homólogo de 2015. O emprego aumentou 1,8% em termos homólogos, menos 0,1 p.p. que no trimestre anterior, enquanto a população ativa diminuiu 0,2% depois de ter apresentado um crescimento de 0,3% no trimestre precedente.
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de 1,3% em janeiro (0,9% em dezem-bro), observando-se uma taxa de variação de 1,4% na componente de bens (0,6% no mês anterior) e de 1,3% na de serviços (taxa idêntica à observada em novembro e dezembro).

SABER +
Imagem sobre Produção de azeitona para azeite abaixo das 500 mil toneladas 17-02-2017

Produção de azeitona para azeite abaixo das 500 mil toneladas

As previsões agrícolas, em 31 de janeiro, apontam para uma redução significativa da produção de azeitona para azeite (-30% face a 2015), reflexo de condições climatéricas adversas e da alternância anual de produção dos olivais tradicionais. Nos cereais de outono/inverno, regista-se uma diminuição generalizada das áreas instaladas face à campanha anterior, variando entre os -15% no trigo duro e os -5% no centeio. O desenvolvimento vegetativo das searas abrandou bastante com o frio intenso e com a falta de chuva, situação que se foi invertendo a partir da última semana de janeiro.

SABER +
Imagem sobre Índice de Preços na Produção Industrial aumentou 3,0% em termos homólogos 17-02-2017

Índice de Preços na Produção Industrial aumentou 3,0% em termos homólogos

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) registou uma taxa de variação homóloga de 3,0% em janeiro (1,4% em dezembro). Excluindo o agrupamento de Energia, esta variação foi nula (-0,1% no mês anterior). A variação mensal do índice total foi 1,4% (-0,2% no mesmo mês de 2016).

SABER +
Imagem sobre Resultados preliminares de 2016: crescimentos de 5,2% e de 11,4% das dormidas de residentes e de não residentes 15-02-2017

Resultados preliminares de 2016: crescimentos de 5,2% e de 11,4% das dormidas de residentes e de não residentes

A hotelaria registou 1,1 milhões de hóspedes e 2,5 milhões de dormidas em dezembro de 2016, equivalendo a acréscimos homólogos  de 8,1% e 11,0%, inferiores aos de novembro (+12,9% e +14,9%). As dormidas do mercado interno aumentaram 5,0%, em linha com o mês anterior (+5,3%), enquanto os mercados externos desaceleraram (+14,8%) face a novembro (+19,2%), em parte por influência de um importante evento internacional ocorrido em novembro.
A estada média aumentou (+2,7%; 2,35 noites), tal como a taxa de ocupação-cama (+1,7 p.p.; 29,8%).
Os resultados dos proveitos foram expressivos (+15,1% de proveitos totais e +16,1% de proveitos de aposento), ainda que em desaceleração (+24,1% e +26,6% em novembro).
No conjunto do ano de 2016 (resultados preliminares) os estabelecimentos hoteleiros registaram 19,1 milhões de hóspedes e 53,5 milhões de dormidas, a que corresponderam aumentos de 9,8% e 9,6% respetivamente (+8,1% e +6,5% em 2015). O mercado interno contribuiu com 15,2 milhões de dormidas (+5,2%) e os mercados externos com 38,3 milhões (+11,4%). Os hóspedes não residentes representaram 71,5% das dormidas totais (70,4% no ano anterior). Os proveitos totais aumentaram 17,0% e os de aposento 18,0%, ultrapassando o crescimento verificado no ano precedente (+13,0% e +14,7% em 2015).

SABER +
Imagem sobre No 4.º trimestre de 2016, o Índice de Custo do Trabalho aumentou 1,2% face ao trimestre homólogo de 2015. Em termos de média anual, aumentou 1,6% em 2016 14-02-2017

No 4.º trimestre de 2016, o Índice de Custo do Trabalho aumentou 1,2% face ao trimestre homólogo de 2015. Em termos de média anual, aumentou 1,6% em 2016

O Índice de Custo do Trabalho (ICT) ajustado de dias úteis registou um acréscimo homólogo de 1,2%, no 4.º trimestre de 2016. No trimestre anterior tinha sido observado um acréscimo homólogo de 2,8%.
As duas principais componentes dos custos do trabalho - custos salariais e os outros custos (por hora efetivamente trabalhada) - aumentaram 1,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.
Em termos de média anual, o ICT aumentou 1,6% em 2016, devido a acréscimos de 1,8% nos custos salariais e de 0,9% nos outros custos do trabalho. Recorde-se que, no ano anterior, o ICT tinha também registado uma variação de 1,6% (a que corresponderam acréscimos de 1,3% nos custos salariais e de 2,6% nos outros custos).

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto aumentou 1,9% em volume no 4º trimestre de 2016 e 1,4% no conjunto do ano 2016 14-02-2017

Produto Interno Bruto aumentou 1,9% em volume no 4º trimestre de 2016 e 1,4% no conjunto do ano 2016

No 4º trimestre de 2016, o Produto Interno bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 1,9% em volume (variação de 1,6% no 3º trimestre). Esta aceleração do PIB resultou do aumento do contributo da procura interna, observando-se uma recuperação do Investimento e um crescimento mais intenso do consumo privado. O contributo da procura externa líquida foi negativo, contrariamente ao observado no trimestre anterior, refletindo a aceleração mais acentuada das Importações de Bens e Serviços em volume que a das Exportações de Bens e Serviços.
Comparativamente com o 3º trimestre, o PIB aumentou 0,6% em termos reais (variação em cadeia de 0,8% no trimestre anterior). O contributo da procura interna para a variação em cadeia do PIB passou de negativo no 3º trimestre para positivo, traduzindo, principalmente, a evolução do Investimento. Em sentido contrário, a procura externa líquida passou a registar um contributo negativo, observando-se um forte aumento das importações totais.
Em 2016, o PIB aumentou 1,4% em volume, menos 0,2 p.p. que o verificado no ano anterior. O contributo da procura interna para a variação do PIB diminuiu, refletindo a redução do Investimento e, em menor grau, a desaceleração do consumo privado. A procura externa líquida apresentou um contributo significativamente menos negativo que em 2015.

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios nos Serviços acelerou ligeiramente 13-02-2017

Índice de Volume de Negócios nos Serviços acelerou ligeiramente

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de 9,0% em dezembro (8,0% no mês de novembro).
No 4º trimestre de 2016 a variação, comparativamente com o mesmo período de 2015, foi 7,6% (1,1% no trimestre anterior). No conjunto do ano 2016, o índice de volume de negócios nos serviços cresceu 1,5%, taxa superior em 4,1 pontos percentuais à observada em 2015.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 3,4%, 4,2% e 1,9%, respetivamente (2,7%, 3,4% e 1,7% em novembro, pela mesma ordem). No conjunto do ano de 2016, estes três índices registaram taxas de variação médias de 1,6%, 2,1 % e 0,5%, respeti-vamente (1,0%, 1,9% e 0,8% em 2015).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 1,3% 10-02-2017

Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 1,3%

A variação homóloga do IPC passou de 0,9% em dezembro de 2016 para 1,3% em janeiro de 2017, refletindo sobretudo a aceleração dos preços dos combustíveis. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,5%, taxa idêntica à do mês anterior.
A variação mensal do IPC foi -0,6% (nula no mês anterior e -1,0% em janeiro de 2016). A variação média dos últimos doze meses registou uma taxa de 0,7%, valor superior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1,3%, valor superior em 0,4 p.p. ao verificado no mês anterior e inferior em 0,5 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em dezembro a taxa variação homóloga do IHPC português foi 0,2 p.p. inferior à do IHPC da área do Euro). O IHPC registou uma variação mensal de -0,7% (nula no mês anterior e -1,1% em janeiro de 2016) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,7% (valor superior em 0,1 p.p. ao registado no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção com variação homóloga de -0,8% 10-02-2017

Índice de Produção na Construção com variação homóloga de -0,8%

O índice de produção na construção registou, em dezembro, uma taxa de variação homóloga de -0,8%, (-1,9% em novembro). No ano de 2016 o índice de produção diminuiu 3,3% (variação média anual de -2,3% em 2015).
O índice de emprego aumentou 0,6%, (0,1% no mês anterior) e o de remunerações diminuiu 2,8%, (-0,7% em novembro). As variações médias anuais destes índices, foram -3,3% e -4,2% em 2016, pela mesma ordem.

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios na Indústria desacelerou em dezembro 09-02-2017

Índice de Volume de Negócios na Indústria desacelerou em dezembro

O Índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou um crescimento homólogo nominal de 5,0% em dezembro (7,1% no mês anterior). Os índices relativos aos mercados externo e nacional passaram de aumentos de 9,1% e de 5,6%, respetivamente, em novembro, para 6,5% e 3,9% em dezembro.
No 4º trimestre de 2016, as vendas na indústria aumentaram 2,8% em termos homólogos (redução de 0,8% no trimestre anterior).
No conjunto do ano 2016, as vendas na indústria apresentaram uma variação média de -0,9% (0,1% em 2015).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas registaram aumentos homólogos de, respetivamente, 2,2%, 2,7% e 0,3% em dezembro (variações de 2,1%, 4,8% e -0,7% no mês anterior, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre As exportações e as importações aumentaram 11,8% e 12,6%, respetivamente, em termos nominais 09-02-2017

As exportações e as importações aumentaram 11,8% e 12,6%, respetivamente, em termos nominais

Em dezembro de 2016, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de respetivamente +11,8% e +12,6% (+7,8% e +8,7% em novembro de 2016, pela mesma ordem). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 8,9% e as importações cresceram 9,1% (respetivamente +8,2% e +10,6% em novembro de 2016).
O défice da balança comercial de bens atingiu 1 374 milhões de euros em dezembro de 2016, o que representa um aumento de 181 milhões de euros face ao mês homólogo de 2015. O défice da balança comercial excluindo os Combustíveis e lubrificantes situou-se em 950 milhões de euros, mais 84 milhões de euros face a dezembro de 2015.
No 4º trimestre de 2016, as exportações de bens cresceram 4,9% e as importações de bens aumentaram 6,4%, face ao período homólogo.
No conjunto do ano de 2016 as exportações de bens aumentaram 0,9% (+3,7% em 2015) e as importações de bens cresceram 1,2% (+2,2% em 2015), relativamente ao ano anterior, tendo o défice da balança comercial aumentado 281 milhões de euros. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações cresceram 2,4% e 4,8%, respetivamente em 2016 (+4,3% e +7,0% em 2015).

SABER +
Imagem sobre Índice de Custos de Construção de Habitação Nova manteve ligeira aceleração 08-02-2017

Índice de Custos de Construção de Habitação Nova manteve ligeira aceleração

A taxa de variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova, no Continente, foi 1,7% em dezembro, aumentando 0,1 pontos percentuais (p.p.) face à variação de novembro. O Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação, no Continente, apresentou uma taxa de variação homóloga de 1,6%, 0,1 p.p. inferior à verificada no mês anterior.
A variação média anual do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova fixou-se em 0,6% em 2016 (0,3% no ano anterior), enquanto o Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação aumentou 0,6% em 2016 (variação nula em 2015).

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego situou-se em 10,5% no 4.º trimestre e em 11,1% no ano de 2016 08-02-2017

A taxa de desemprego situou-se em 10,5% no 4.º trimestre e em 11,1% no ano de 2016

A taxa de desemprego do 4.º trimestre de 2016 foi de 10,5%. Este valor manteve-se inalterado face ao do trimestre anterior e é inferior em 1,7 pontos percentuais (p.p.) ao do trimestre homólogo de 2015.
A população desempregada, estimada em 543,2 mil pessoas, registou uma diminuição trimestral de 1,2% (menos 6,3 mil pessoas) e uma diminuição homóloga de 14,3% (menos 90,7 mil).
A população empregada, estimada em 4 643,6 mil pessoas, registou um decréscimo trimestral de 0,4% (menos 17,9 mil) e um acréscimo homólogo de 1,8% (mais 82,1 mil).
Em termos de média anual, a taxa de desemprego situou-se em 11,1% em 2016, o que representa uma diminuição de 1,3 p.p. em relação a 2015. A taxa de desemprego de jovens (15 a 24 anos) situou-se em 28,0%, menos 4,0 p.p. em relação ao ano anterior.
A população desempregada, estimada em 573,0 mil pessoas em 2016, diminuiu 11,4% em relação ao ano anterior (menos 73,5 mil). A proporção de desempregados à procura de emprego há 12 e mais meses (longa duração) foi de 62,1%, tendo diminuído 1,5 p.p. em relação ao ano anterior. A população empregada, estimada em 4 605,2 mil pessoas, registou um acréscimo anual de 1,2% (mais 56,5 mil). A taxa de atividade da população em idade ativa situou-se em 58,5%, valor inferior em 0,1 p.p. ao observado em 2015.
Nestas estimativas foi considerada a população com 15 e mais anos e os valores não são ajustados de sazonalidade.

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego de novembro de 2016 foi de 10,5% 30-01-2017

A taxa de desemprego de novembro de 2016 foi de 10,5%

A taxa de desemprego de novembro de 2016 situou-se em 10,5%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) face ao mês anterior e 0,4 p.p. em relação a três meses antes. Aquele valor é igual à estimativa provisória divulgada há um mês (10,5%). Constitui também o valor mais baixo observado desde abril de 2009 (10,3%).
A população desempregada de novembro foi estimada em 537,7 mil pessoas, tendo diminuído 1,3% em relação ao mês precedente (menos 7,2 mil pessoas), enquanto a população empregada foi estimada em 4 581,4 mil pessoas, mantendo-se praticamente inalterada face ao mês anterior.
A estimativa provisória da taxa de desemprego de dezembro de 2016 foi de 10,2%. Neste mês, a estimativa provisória da população desempregada foi de 519,5 mil pessoas e a da população empregada foi de 4 587,1 mil pessoas.

SABER +
Imagem sobre Viagens turísticas dos residentes aumentam, especialmente as de curta duração e em território nacional 30-01-2017

Viagens turísticas dos residentes aumentam, especialmente as de curta duração e em território nacional

No 3.º trimestre de 2016 os residentes realizaram 7,63 milhões de deslocações turísticas, correspondendo a um acréscimo de 9,6% face ao trimestre homólogo de 2015 (-1,2% no 2ºT 2016). As deslocações de curta duração aumentaram 11,8% (+1,9% no 2ºT 2016), correspondendo a 52,5% do total. As deslocações ao estrangeiro cresceram 7,1% (+1,3% no 2ºT 2016), representando 9,4% do total, mas foram as deslocações em território nacional que mais aumentaram neste período: +9,9% (-1,4% no 2ºT 2016).
“Lazer, recreio ou férias” foi a principal motivação para viajar, tendo-lhe correspondido 4,6 milhões de deslocações (59,9% do total, +1,3 p.p. após +1,2 p.p. no 2ºT). Para “visita a familiares ou amigos” realizaram-se 2,5 milhões de deslocações (32,2% do total, -1,7 p.p., -2,3 p.p. no 2ºT), tendo as viagens por motivos “profissionais ou de negócios” (359,0 mil) mantido o seu peso relativo (4,7%).
O “alojamento particular gratuito” aumentou a sua expressão, agregando 61,6% das dormidas (+2,1 p.p., sucedendo a +5,0 p.p. no 2ºT). Os “hotéis e similares” reuniram 21,3% das dormidas no trimestre (-1,1 p.p. em termos de representatividade; -6,1 p.p. no 2ºT).

SABER +
Imagem sobre Índice de Vendas no Comércio a Retalho abrandou 30-01-2017

Índice de Vendas no Comércio a Retalho abrandou

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho1 registou, em dezembro, uma variação homóloga de 3,9% (4,7% em novembro). Os índices de emprego, de remunerações e de número de horas trabalhadas, ajustadas de efeitos de calendário, apresentaram, no mês de referência, taxas de variação homóloga de 2,0%, 7,9% e -0,4%, respetivamente (2,7%, 6,3% e 1,5% em novembro, pela mesma ordem). No quarto trimestre de 2016, as vendas no Comércio a retalho subiram 4,1% em termos homólogos (3,3% no terceiro trimestre).
Para conjunto o ano de 2016, o Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho aumentou 2,9%, mais 1,1 pontos percentuais que em 2015.

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial acelerou 30-01-2017

Índice de Produção Industrial acelerou

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de 5,1%, em dezembro (1,9% em novembro). A secção das Indústrias Transformadoras registou uma variação homóloga de 1,8% (-0,4% no mês anterior). No 4º trimestre de 2016, o índice agregado aumentou 2,1% face ao trimestre homólogo (no trimestre anterior esta variação tinha sido 0,4%). O índice total aumentou 1,0% em 2016, menos 0,8 pontos percentuais que no ano anterior.

SABER +
Imagem sobre Indicador de confiança dos Consumidores e indicador de clima económico aumentam 30-01-2017

Indicador de confiança dos Consumidores e indicador de clima económico aumentam

O indicador de confiança dos Consumidores aumentou nos últimos cinco meses, atingindo o valor máximo desde abril de 2000.
O indicador de clima económico aumentou em janeiro, após ter diminuído nos dois meses precedentes. No mês de referência, os indicadores de confiança aumentaram na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas, no Comércio e nos Serviços.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2017 21-02-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Síntese económica de conjuntura - Janeiro de 2017 17-02-2017

Síntese económica de conjuntura - Janeiro de 2017

A Síntese Económica de Conjuntura é uma publicação de acompanhamento da conjuntura destinada a quem necessita de indicações seguras acerca das tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços. Contém informação actualizada e apresentada de modo a permitir avaliar o estado da economia no momento da análise e antever a sua evolução provável a curto prazo. Esta análise é suportada por um conjunto de quadros e gráficos dos principais indicadores que são complementados por diversos outros relativos à evolução da produção, da procura, do emprego e dos preços na União Europeia, Estados Unidos e Japão.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Janeiro de 2017 27-01-2017

REVSTAT - Statistical Journal - Janeiro de 2017

REVSTAT - Statistical Journal (Vol.15 Number 1 - January 2017)


Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.  Edição em língua inglesa.

SABER +
Imagem sobre Área Metropolitana de Lisboa em números - 2015 26-01-2017

Área Metropolitana de Lisboa em números - 2015

Brochura bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

Consulte mais informação sobre a região na publicação: Anuário Estatístico da Área Metropolitana de Lisboa - 2015

SABER +
Imagem sobre Região Algarve em números - 2015 26-01-2017

Região Algarve em números - 2015

Brochura bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

Consulte mais informação sobre a região na publicação: Anuário Estatístico da Região Algarve - 2015

SABER +
Imagem sobre Região Centro em números - 2015 26-01-2017

Região Centro em números - 2015

Brochura bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

Consulte mais informação sobre a região na publicação: Anuário Estatístico da Região Centro - 2015

SABER +
Imagem sobre Região Alentejo em números - 2015 26-01-2017

Região Alentejo em números - 2015

Brochura bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura
 
Consulte mais informação sobre a região na publicação: Anuário Estatístico da Região Alentejo - 2015

SABER +
Imagem sobre Região Norte em números - 2015 26-01-2017

Região Norte em números - 2015

Brochura bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

Consulte mais informação sobre a região na publicação: Anuário Estatístico da Região Norte - 2015

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Dezembro de 2016 24-01-2017

Boletim Mensal de Estatística - Dezembro de 2016

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Janeiro de 2017 20-01-2017

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Janeiro de 2017

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
#