CALENDÁRIO +Info...

Sexta-Feira, 1 de Julho de 2016

Segunda-Feira, 4 de Julho de 2016

  • ITRM 2016 - 25ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 5 de Julho de 2016

Domingo, 10 de Julho de 2016

Segunda-Feira, 11 de Julho de 2016

  • ITRM 2016 - 26ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 13 de Julho de 2016

  • ICC 2016 - Jul: Últ. dia
  • ICCOP 2016 - Jul: Últ. dia
  • ICIT 2016 - Jul: Últ. dia
  • ICS 2016 - Jul: Últ. dia

Sexta-Feira, 15 de Julho de 2016

Segunda-Feira, 18 de Julho de 2016

  • ITRM 2016 - 27ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 20 de Julho de 2016

Quinta-Feira, 21 de Julho de 2016

  • IMGA 2016 - Jun: Últ. dia
  • IMLV 2016 - Jun: Últ. dia

Sexta-Feira, 22 de Julho de 2016

  • ITENF 2016 - 2º Trim: Últ. dia
  • ITENFPOC 2016 - 2º Trim: Últ. dia
  • ITFPV 2016 - 2º Trim: Últ. dia
  • ITTM 2016 - 2º Trim: Últ. dia

Segunda-Feira, 25 de Julho de 2016

  • IPMC 2016 - Jul: Últ. dia
  • IPPI 2016 - Jul: Últ. dia
  • ITRM 2016 - 28ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis, pelo que sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE, é decisiva para a sua produção e difusão.

EM DESTAQUE

0916
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Índice de Vendas no Comércio a Retalho acelerou em termos homólogos 29-07-2016

Índice de Vendas no Comércio a Retalho acelerou em termos homólogos

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho passou de uma variação homóloga de 1,4% em maio, para 4,3% em junho. Os índices de emprego, de remunerações e de número de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário apresentaram, no mês de referência, taxas de variação homóloga de 2,7%, 5,1% e 2,3%, respetivamente (2,6%, 5,2% e 1,6% no mês anterior, pela mesma ordem). No segundo trimestre de 2016, as vendas no Comércio a Retalho subiram 3,0% em termos homólogos (2,6% no primeiro trimestre de 2016).

 

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial registou variação homóloga positiva 29-07-2016

Índice de Produção Industrial registou variação homóloga positiva

O índice de produção industrial registou uma variação homóloga de 1,1%, em junho (-2,1% em maio). A secção das Indústrias Transformadoras apresentou uma variação homóloga de -1,1% (-4,9% no mês anterior). No 2º trimestre de 2016, o índice agregado aumentou 0,7% face ao trimestre homólogo (no trimestre anterior, esta variação tinha sido 0,8%).

SABER +
Imagem sobre Atividade Turística manteve resultados positivos 28-07-2016

Atividade Turística manteve resultados positivos

Segundo os dados mais recentes publicados pela Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais em 2015 fixaram-se em 1 184 milhões (+4,4% que em 2014). A Europa acolheu mais de metade dos turistas internacionais.
Em Portugal, a atividade turística apresentou uma evolução positiva em 2015. O conjunto dos meios de alojamento (hotelaria, turismo no espaço rural e alojamento local) acolheu 19,2 milhões de hóspedes e 53,2 milhões de dormidas, resultando em aumentos de 10,9% e 9,1%.
A hotelaria registou 16,3 milhões de hóspedes e 46,5 milhões de dormidas (+8,6% e +7,0% que em 2014). O mercado interno contribuiu com 6,5 milhões de hóspedes e 13,4 milhões de dormidas, que se traduziram em crescimentos de 7,1% e 5,7%, respetivamente. A evolução dos mercados externos foi igualmente positiva: 9,7 milhões de hóspedes (+9,7%) e 33,1 milhões de dormidas (+7,5%).
Os proveitos totais atingiram 2,4 mil milhões de euros (+13,5%) e os de aposento 1,7 mil milhões (+15,3%).

 

Consulte aqui a publicação

SABER +
Imagem sobre Taxa de desemprego estimada em 11,2% 28-07-2016

Taxa de desemprego estimada em 11,2%

A estimativa provisória da taxa de desemprego para junho de 2016 situou-se em 11,2%, tendo-se mantido inalterada face à estimativa definitiva obtida para maio de 2016.
A estimativa definitiva da taxa de desemprego para maio de 2016 situou-se em 11,2%, tendo sido revista em menos 0,4 pontos percentuais face à estimativa provisória divulgada há um mês.
A estimativa provisória da população desempregada para junho de 2016 foi de 568,8 mil pessoas, o que representa um decréscimo de 0,7% face ao valor definitivo obtido para maio de 2016 (menos 4,0 mil pessoas). A estimativa provisória da população empregada para junho de 2016 foi de 4 532,3 mil pessoas, tendo aumentado 0,2% em relação ao mês anterior (mais 7,7 mil pessoas).
Nestas estimativas foi considerada a população dos 15 aos 74 anos e os valores foram previamente ajustados de sazonalidade.

 

SABER +
Imagem sobre Indicador de confiança dos Consumidores diminui e de indicador de clima económico aumenta 28-07-2016

Indicador de confiança dos Consumidores diminui e de indicador de clima económico aumenta

O indicador de confiança dos Consumidores diminuiu em junho e julho, após ter aumentado em maio.
O indicador de clima económico aumentou em julho, tendo estabilizado no mês anterior. No mês de referência, os indicadores de confiança aumentaram na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas e no Comércio, tendo diminuído nos Serviços.

SABER +
Imagem sobre Viagens turísticas em desaceleração 26-07-2016

Viagens turísticas em desaceleração

No 1º trimestre de 2016 os residentes em Portugal realizaram 3,7 milhões de deslocações turísticas, correspondendo a um aumento de 0,8% face ao 1.ºT 2015 (+5,3% no 4.ºT 2015) das quais 16,6% de longa duração, ou seja, com 4 e mais noites (18,7% no 1.ºT 2015).
A principal motivação para viajar foi a “visita a familiares ou amigos”, justificando a ocorrência de 1,9 milhões de viagens (51,2% do total). Por “lazer, recreio ou férias” realizaram-se 1,2 milhões de viagens (33,0%)e por motivos “profissionais ou de negócios” 408,7 mil (11,0%).
O “alojamento particular gratuito” voltou a ganhar expressão, agregando 72,9% das dormidas (+7,0 p.p. face ao 1.ºT 2015). Os “Hotéis e similares” foram a escolha para 23,3% das dormidas realizadas no trimestre (-3,2 p.p.).

SABER +
Imagem sobre Valor médio de avaliação bancária aumentou 25-07-2016

Valor médio de avaliação bancária aumentou

O valor médio de avaliação bancária do total do País fixou-se em 1065 euros/m2 em junho, registando um aumento de 5 euros/m2 face ao valor observado em maio (variação de 0,5%). A variação homóloga em junho foi 3,4%, que compara com um aumento de 3,3% no mês anterior.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro diminuiu e prestação média estabilizou 22-07-2016

Taxa de juro diminuiu e prestação média estabilizou

No conjunto dos contratos de crédito à habitação, a taxa de juro implícita reduziu-se em 0,023 pontos percentuais face ao observado em maio, fixando-se em 1,089% em junho. A prestação média vencida para a globalidade dos contratos manteve-se em 238 euros pelo terceiro mês consecutivo.

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica diminuiu em abril e maio e indicador de clima económico, já disponível para junho, estabilizou 19-07-2016

Indicador de atividade económica diminuiu em abril e maio e indicador de clima económico, já disponível para junho, estabilizou

Os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico recuperaram ligeiramente na Área Euro (AE) em maio e junho. No último mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 3,0% e 4,0%, respetivamente (2,7% e 12,7% em maio).
Em Portugal, o indicador de atividade económica diminuiu em abril e maio, depois de ter estabilizado no mês precedente. O indicador de clima económico estabilizou em junho, após ter aumentado nos três meses anteriores. O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou em maio, refletindo o crescimento menos expressivo do consumo corrente. No mesmo mês, o indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) diminuiu, em resultado do contributo positivo menos acentuado da componente de material de transporte e ao contributo negativo mais significativo da componente de construção. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de -2,3% e -3,6% em maio, respetivamente (-1,7% e -1,0% em abril). Excetuando combustíveis, as exportações e importações apresentaram variações de 0,8% e de 3,3% em maio (1,2% e 3,5% no mês anterior). Considerando a atividade económica na perspetiva da produção, o índice de volume de negócios da indústria registou variações nominais negativas nos últimos meses, o que refletirá sobretudo variações negativas de preços, uma vez que o índice de produção industrial, embora em desaceleração, manteve um crescimento positivo em maio. O índice de volume de negócios dos serviços, em termos nominais, e o índice de produção da construção e obras públicas, apresentaram diminuições em maio mais intensas que em abril.
De acordo com as estimativas mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, situou-se em 11,6% em maio, tendo-se mantido inalterada face à estimativa definitiva obtida para abril. A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, diminuiu 0,6% face ao mês anterior e 0,3% em termos homólogos.
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de 0,5% em junho (0,3% em maio), observando-se uma taxa de variação de -0,1% na componente de bens (-0,6% no mês anterior) e de 1,5% na de serviços (1,8% em maio).

SABER +
Imagem sobre 30 Anos de Integração Europeia 18-07-2016

30 Anos de Integração Europeia

Como evoluiu a sociedade portuguesa entre 1986 e a atualidade, cumpridos 30 anos de adesão à CE/EU?
De uma maneira geral, estas três décadas coincidiram com significativas melhorias em áreas relevantes para o bem-estar dos cidadãos, como a saúde, a educação e as condições de habitação. Verificou-se um acréscimo das qualificações da mão-de-obra, quando avaliadas pelo aumento dos níveis educacionais dos portugueses.
Quanto à dinâmica económica, pode considerar-se a existência de dois períodos. O primeiro de 1986 a 2000, no qual a economia cresceu a um ritmo elevado e superior ao da média europeia. O segundo de 2001 até à atualidade (2014), no qual a economia portuguesa praticamente estagnou, enquanto na média europeia se registou algum crescimento eco-nómico (UE15 e UE28, com uma média das taxas de crescimento anual ligeiramente acima de 1,0%).

 

Consulte aqui a publicação

SABER +
Imagem sobre Número de fogos cuja construção foi licenciada em 2015 aumentou pela primeira vez desde 2000 18-07-2016

Número de fogos cuja construção foi licenciada em 2015 aumentou pela primeira vez desde 2000

Em 2015 o número de edifícios cuja construção foi licenciada em Portugal diminuiu 4,2% face ao ano anterior (-5,3% em 2014), tendo sido licenciados 14 917 edifícios, atenuando-se a tendência de redução registada desde 2000. O número de fogos licenciados em todos os tipos de obra foi 12 801, o que corresponde a um aumento de 11,1% face ao ano anterior (-1,5% em 2014).
Foram concluídos 10 972 edifícios, correspondendo a um decréscimo de 19,2% em 2015 (-12,0% em 2014). O número de fogos concluídos em 2015 (cerca de 9 mil fogos) registou um decréscimo de 25,7% face ao ano anterior (-21,6% em 2014). Os fogos de construções novas para habitação familiar diminuíram 25,4% (-24,4% em 2014).
O número de alojamentos familiares vendidos aumentou significativamente em 2015 (27,4%), em resultado do forte crescimento das vendas de alojamentos existentes e, em menor grau, do aumento das vendas de alojamentos novos. O valor dos alojamentos transacionados em 2015 atingiu um montante próximo dos 12,5 mil milhões de euros, mais 2,9 mil milhões que em 2014 e o respetivo índice de preços continuou a aumentar (3,1%), embora a um ritmo menos intenso que no ano anterior (-1,2 p.p.).

SABER +
Imagem sobre Ligeira aceleração nas dormidas e proveitos baseada no mercado externo 15-07-2016

Ligeira aceleração nas dormidas e proveitos baseada no mercado externo

Os estabelecimentos hoteleiros registaram 1,8 milhões de hóspedes e 5,0 milhões de dormidas em maio de 2016, correspondendo a acréscimos homólogos de 5,1% e 7,8% (+7,6% e +6,1% em abril). Para o aumento das dormidas apenas contribuíram os não residentes (+10,7% face a +6,5% no mês anterior), já que o mercado interno decresceu 1,1% (+5,2% em abril), interrompendo a tendência positiva dos últimos meses.
A estada média aumentou (+2,6%; 2,73 noites), tal como a taxa líquida de ocupação cama (+2,5 p.p.; 52,0%).
Os proveitos totais (+14,9%) e os de aposento (+15,8%) aceleraram face ao mês anterior (+12,5% e +12,1%, respetivamente).

SABER +
Imagem sobre Índice de Preços na Produção Industrial apresentou variação homóloga menos negativa 15-07-2016

Índice de Preços na Produção Industrial apresentou variação homóloga menos negativa

O Índice de Preços na Produção Industrial passou de uma variação homóloga de -4,6% em maio para -3,2% em junho. Excluindo o agrupamento de Energia, o índice diminuiu 1,0% (variação de -1,1% no mês anterior). A variação mensal do índice agregado situou-se em 1,3% (-0,1% em junho de 2015).
No 2.º trimestre de 2016, o índice total apresentou uma variação homóloga de -4,0% (-3,0% no trimestre anterior).

SABER +
Imagem sobre Mercadorias movimentadas nos portos aumentaram. Transporte ferroviário e rodoviário de mercadorias diminuiu. Transporte de passageiros aumentou 13-07-2016

Mercadorias movimentadas nos portos aumentaram. Transporte ferroviário e rodoviário de mercadorias diminuiu. Transporte de passageiros aumentou

As mercadorias movimentadas nos portos aumentaram 3,9%, mais que no trimestre anterior (+2,7%) mas aquém do 3º trimestre de 2015 (+6,1%). As mercadorias transportadas por modo ferroviário diminuíram 7,3% em toneladas e 2,0% em toneladas-quilómetro (+6,4% e +3,3% no 4.º T 2015, pela mesma ordem), em contraste com a evolução positiva que se registou desde o 3º trimestre de 2013. O movimento de carga e correio nos aeroportos nacionais diminuiu 4,9%, redução em linha com os últimos trimestres (-8,0% no 4.º T 2015). No 1º trimestre de 2016, as mercadorias transportadas por estrada diminuíram 6,8%, devido à componente nacional (-10,6%). As mercadorias transportadas em trocas internacionais evoluíram no sentido oposto (+11,8%), contrariando o decréscimo sofrido no trimestre anterior (-5,4%).
Os movimentos de aeronaves aterradas e de passageiros nos aeroportos nacionais aumentaram 9,6% e 13,4% respetivamente, ligeiramente mais que no trimestre anterior (+7,7% e +12,2%). O transporte de passageiros continuou a aumentar nas vias ferroviárias pesadas (+0,9%, +1,5% no trimestre anterior) bem como no metropolitano (+4,9%,+5,8% no trimestre anterior).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 0,5% 12-07-2016

Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 0,5%

A variação homóloga do IPC passou de 0,3% em maio para 0,5% em junho de 2016, sobretudo devido ao aumento do contributo dos preços dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (classe 1). O indicador de inflação subjacente, correspondente ao índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma variação homóloga de 0,7%, inferior em 0,1 p.p. à do mês anterior.
A variação mensal do IPC foi 0,1% (0,3% em maio e -0,1% em junho de 2015). A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 0,6%.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,7%, taxa superior em 0,3 p.p. à verificada no mês anterior e superior em 0,6 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em maio esta diferença foi 0,5 p.p.). A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em 0,2% (0,4% no mês anterior e  -0,1% em junho de 2015) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,6% (valor igual ao registado em maio).

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios nos Serviços apresentou variação homóloga mais negativa 11-07-2016

Índice de Volume de Negócios nos Serviços apresentou variação homóloga mais negativa

O índice de volume de negócios nos serviços diminuiu, em maio e em termos homólogos, 2,6% (variação de -1,6% no mês anterior).
Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,1%, 1,0% e 0,5%, respetivamente (0,8%, 1,7% e 1,3% em abril, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre As exportações diminuíram 0,7% e as importações decresceram 3,6% em maio de 2016, em termos nominais, face ao mesmo mês de 2015. Em 2015 o Reino Unido foi o 4º principal mercado das exportações portuguesas. 11-07-2016

As exportações diminuíram 0,7% e as importações decresceram 3,6% em maio de 2016, em termos nominais, face ao mesmo mês de 2015. Em 2015 o Reino Unido foi o 4º principal mercado das exportações portuguesas.

Em maio de 2016, as exportações de bens diminuíram 0,7% e as importações de bens decresceram 3,6% face a maio de 2015 (-2,7% e -7,0% em abril de 2016, respetivamente). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 2,2% e as importações 6,8% (respetivamente +1,1% e -0,2% em abril de 2016).
O défice da balança comercial de bens diminuiu 164 milhões de euros em maio de 2016 face ao mesmo mês de 2015 e o défice da balança comercial excluindo os Combustíveis e lubrificantes aumentou 213 milhões de euros.
No trimestre terminado em maio de 2016, as exportações de bens decresceram 2,3% e as importações de bens diminuíram 3,6% face ao período homólogo.
Além da informação habitual, inclui-se neste Destaque informação específica sobre as transações comerciais de bens de Portugal com o Reino Unido, assim como sobre a importância deste país nas transações comerciais com outros Estados-membros da UE. Salienta-se que o Reino Unido foi em 2015 o 4º maior mercado de destino das exportações portuguesas (6,7% do total), tendo-se registado nesse ano um saldo da balança comercial de bens a favor de Portugal na ordem de 1,5 mil milhões de euros.
 

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção diminuiu 4,7% 11-07-2016

Índice de Produção na Construção diminuiu 4,7%

O índice de produção na construção apresentou uma taxa de variação homóloga de -4,7% em maio (variação de -4,2% no mês anterior). Os índices de emprego e de remunerações diminuíram 5,0% e 5,8%, respetivamente (ambos registaram variações de -5,1% em abril).

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios na Indústria registou diminuição homóloga menos intensa 08-07-2016

Índice de Volume de Negócios na Indústria registou diminuição homóloga menos intensa

Em termos nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou uma variação homóloga de -1,2% em maio (-4,8% no mês anterior). O índice relativo ao mercado externo diminuiu 0,3% (redução de 6,9% em abril), enquanto o índice relativo ao mercado nacional registou uma variação de -2,0% (-3,0% no mês precedente).
Os índices de emprego e de remunerações apresentaram aumentos homólogos de 1,8% e de 2,2%, respetivamente (1,6% e 4,5% em abril, pela mesma ordem), enquanto a variação do índice de horas trabalhadas1 se situou em -1,4% (3,3% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Investimento empresarial deverá crescer 6,0% em termos nominais em 2016 08-07-2016

Investimento empresarial deverá crescer 6,0% em termos nominais em 2016

De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril de 2016 (com período de inquirição entre 1 de abril e 4 de julho de 2016), o investimento empresarial em termos nominais deverá apresentar uma taxa de variação de 6,0% em 2016, que compara com a variação de 3,1% obtida no inquérito de outubro de 2015. Os resultados deste inquérito apontam ainda para uma diminuição de 0,2% do investimento em 2015.
Entre os objetivos do investimento, perspetiva-se, entre 2015 e 2016, um aumento do peso relativo do investimento associado à racionalização e restruturação e, em menor grau, do investimento orientado para a extensão da capacidade produtiva. Perspetiva-se também a diminuição da importância relativa do investimento de substituição, continuando, no entanto, a ser o objetivo mais referido.
O principal fator limitativo do investimento empresarial identificado pelas empresas nos dois anos analisados foi a deterioração das perspetivas de venda, seguindo-se a incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos. Entre 2015 e 2016 prevê-se uma diminuição do peso relativo da insuficiência da capacidade produtiva e da deterioração das perspetivas de venda e um aumento do peso relativo da dificuldade em obter crédito bancário.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Turismo - 2015 28-07-2016

Estatísticas do Turismo - 2015

Apresentam-se os principais resultados de estatísticas de Turismo em duas vertentes: na ótica da procura por parte dos residentes em Portugal, bem como na perspetiva da oferta de alojamento turístico coletivo.

No âmbito da procura turística são disponibilizados os principais resultados do Inquérito às Deslocações dos Residentes (IDR), referentes às viagens turísticas  e de excursionismo (deslocações de um só dia) e sua caracterização, bem como aos turistas e excursionistas.

Relativamente à oferta em alojamento turístico coletivo, são apresentados os dados provenientes do Inquérito à Permanência de Hóspedes na Hotelaria e Outros Alojamentos (IPHH), bem como de inquéritos similares realizados pelo INE aos parques de campismo, colónias de férias e pousadas de juventude. Destaca-se a divulgação de informação detalhada não só sobre estabelecimentos hoteleiros e similares mas também sobre alojamento local, e ainda turismo no espaço rural e turismo de habitação.

Apresentam-se ainda capítulos dedicados ao contexto económico internacional e nacional, com base em informação complementar de fontes diversas, designadamente a Organização Mundial de Turismo, Eurostat, Fundo Monetário Internacional, Banco de Portugal e Administrações portuárias.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2016 25-07-2016

Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2016

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2016 21-07-2016

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2016

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título: Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Síntese económica de conjuntura - Junho de 2016 19-07-2016

Síntese económica de conjuntura - Junho de 2016

A Síntese Económica de Conjuntura é uma publicação de acompanhamento da conjuntura destinada a quem necessita de indicações seguras acerca das tendências do crescimento da procura, da produção, do rendimento e dos preços. Contém informação actualizada e apresentada de modo a permitir avaliar o estado da economia no momento da análise e antever a sua evolução provável a curto prazo. Esta análise é suportada por um conjunto de quadros e gráficos dos principais indicadores que são complementados por diversos outros relativos à evolução da produção, da procura, do emprego e dos preços na União Europeia, Estados Unidos e Japão.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Construção e Habitação - 2015 18-07-2016

Estatísticas da Construção e Habitação - 2015

A presente publicação insere-se na série anual das Estatísticas da Construção e Habitação, disponibilizando um vasto conjunto de indicadores sobre a construção e habitação em Portugal.


Da informação agora disponibilizada, destaca-se a divulgação das Estimativas do Parque Habitacional 1991-2015 e de indicadores sobre Obras Concluídas e Licenciadas, relativos a 2015.


Incluem-se nesta publicação, elementos informativos sobre o mercado de habitação: vendas de alojamentos familiares, evolução de preços, valores de avaliação de peritos ao serviço de instituições bancárias e evolução dos custos de construção.

Os quadros de resultados são disponibilizados separadamente e os resultados são apresentados com uma desagregação geográfica ao nível das regiões NUTS III, para a maior parte das variáveis. No entanto, grande parte desta informação está disponível no Portal de Estatísticas Oficiais com desagregação ao nível do município e, para alguns indicadores, atingindo o nível da freguesia.

SABER +
Imagem sobre Portugal - 30 Anos Integração Europeia 18-07-2016

Portugal - 30 Anos Integração Europeia

 

A publicação Portugal - 30 anos de Integração Europeia reúne informação estatística que permite analisar como evoluiu a sociedade portuguesa entre 1986 até à atualidade, perfazendo 30 anos de adesão à CE/UE.

Nos quatro capítulos — Território, População, a Atividade económica e o Estado — adotou-se a utilização de uma dupla linguagem, o texto e a representação gráfica em paralelo, para ilustrar os fenómenos em observação. Disponibilizamos também, em anexo à publicação, metainformação e os quadros em formato .xls.


Em todos os casos, tomou-se o caso português em comparação com a média da UE, aqui representada da forma mais abrangente possível de UE28 ou UE27, mas também no seu “core” em UE15, quer em termos históricos, quer pelo maior grau de integração económica e financeira.

 

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Junho de 2016 28-06-2016

REVSTAT - Statistical Journal - Junho de 2016

 

REVSTAT - Statistical Journal (Vol.14 Number 3 - June 2016)

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.  Edição em língua inglesa.

 

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Maio de 2016 27-06-2016

Boletim Mensal de Estatística - Maio de 2016

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Inquérito Nacional de Saúde - 2014 23-06-2016

Inquérito Nacional de Saúde - 2014

A publicação apresenta os resultados definitivos do Inquérito Nacional de Saúde (INS) 2014, realizado pelo INE em colaboração com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. Os resultados apresentados caracterizam a população residente, com 15 ou mais anos, em três grandes domínios: estado de saúde, cuidados de saúde e determinantes de saúde relacionadas com estilos de vida. Inclui, ainda, os quadros de dados com informação desagregada por NUTS I e II, sexo e grupos etários, e os principais aspetos metodológicos e conceptuais associados ao inquérito.


Os resultados apresentados nesta publicação correspondem a estimativas da população em geral detalhadas por sexo, grupo etário, região de residência, nível de escolaridade e condição perante o trabalho.

Para cada estimativa, foram também calculadas as proporções relativas à população residente e os coeficientes de variação, disponíveis nos quadros anexos à publicação. Os coeficientes de variação viabilizam o cálculo dos intervalos de confiança, conforme descrito na nota metodológica.

Disponível também uma infografia de alguns dados relevantes do INS 2014.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Junho de 2016 23-06-2016

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Junho de 2016

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título: Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
#