CALENDÁRIO +Info...

Sábado, 1 de Dezembro de 2018

Domingo, 2 de Dezembro de 2018

Segunda-Feira, 3 de Dezembro de 2018

  • ITRM 2018 - 47ª Semana: Últ. dia

Segunda-Feira, 10 de Dezembro de 2018

  • ICTE 2018 - 4º Trim: Início
  • IMPI 2018 - Nov: Últ. dia
  • ITRM 2018 - 48ª Semana: Últ. dia
  • IVNE 2018 - Nov: Últ. dia

Quarta-Feira, 12 de Dezembro de 2018

  • ICC 2018 - Dez: Últ. dia
  • ICCOP 2018 - Dez: Últ. dia
  • ICIT 2018 - Dez: Últ. dia
  • ICS 2018 - Dez: Últ. dia

Sábado, 15 de Dezembro de 2018

Segunda-Feira, 17 de Dezembro de 2018

  • ITRM 2018 - 49ª Semana: Últ. dia

Quinta-Feira, 20 de Dezembro de 2018

  • ICTE 2018 - 4º Trim: Últ. dia
  • IMAAC 2018 - Nov: Últ. dia
  • IMAMI 2018 - Nov: Últ. dia
  • IMAOC 2018 - Nov: Últ. dia
  • IMGA 2018 - Nov: Últ. dia
  • IMLV 2018 - Nov: Últ. dia

Sábado, 22 de Dezembro de 2018

  • IMTM 2018 - Nov: Últ. dia

Segunda-Feira, 24 de Dezembro de 2018

  • ITRM 2018 - 50ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 25 de Dezembro de 2018

  • IPMC 2018 - Dez: Últ. dia
  • IPPI 2018 - Dez: Últ. dia

Segunda-Feira, 31 de Dezembro de 2018

  • ITRM 2018 - 51ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

2133
O INE deseja-lhe um Feliz Natal e um 2019 com 100% de sucesso
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Participação cultural aumenta em 2017: museus com mais 10,6% de visitantes, cinema e espetáculos ao vivo com mais 4,6% e 3,9% de espectadores, respetivamente 12-12-2018

Participação cultural aumenta em 2017: museus com mais 10,6% de visitantes, cinema e espetáculos ao vivo com mais 4,6% e 3,9% de espectadores, respetivamente

• Os museus receberam 17,2 milhões de visitantes, mais 10,6% (1,6 milhões) do que no ano anterior. Este aumento deve-se essencialmente aos visitantes estrangeiros (mais 1,0 milhões).
• O cinema teve 15,7 milhões de espectadores e obteve receitas de bilheteira num total de 81,7 milhões de euros; ambos os valores aumentaram em relação ao ano anterior (4,6% e 5,8%, respetivamente).
• Os espetáculos ao vivo contaram com 15,4 milhões de espectadores (mais 3,9% do que em 2016) e
83 milhões de euros de receitas de bilheteira (menos 2,4% do que no ano anterior).
• Em 2017, os 364 recintos de espetáculos considerados tinham 564 salas/espaços e uma lotação de
251 539 lugares.
• Os materiais impressos diminuíram: jornais, revistas e outras publicações periódicas perderam 20,3% de circulação total (1,9% nos exemplares vendidos e 47,8% nos exemplares oferecidos).
• O volume de negócios das empresas do sector cultural e criativo atingiu 4,9 mil milhões de euros em 2016 (mais 3,7% do que no ano anterior). Este sector integrava 55 422 empresas, mais 2 595 empresas do que em 2015.
• O valor das exportações de bens culturais foi de 57,4 milhões de euros (mais 33,7% do que no ano anterior) e o valor das importações ultrapassou 180 milhões de euros (mais 17,4% em relação a 2016), resultando num saldo deficitário da balança comercial de 123,3 milhões de euros.
• Em 2017, a população empregada nas atividades culturais e criativas foi 81,3 mil pessoas, valor idêntico ao do ano anterior (81,7 mil pessoas).
• A despesa das Câmaras Municipais em atividades culturais e criativas foi 450,1 milhões de euros, tendo aumentado 16,7% (mais 64,4 milhões de euros) em relação a 2016.

 

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC fixou-se em 0,9% 12-12-2018

Taxa de variação homóloga do IPC fixou-se em 0,9%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 0,9% em novembro de 2018, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) à do mês anterior. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,5%, valor superior em 0,1 p.p. ao registado em outubro.
A variação mensal do IPC foi -0,4% (-0,1% no mês precedente e -0,3% em novembro de 2017). A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,1%, taxa idêntica à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,9%, taxa superior em 0,1 p.p. à do mês anterior e inferior em 1,1 p.p. à estimativa do Eurostat para a área do Euro (em outubro, esta diferença situou-se em 1,4 p.p.). O IHPC registou uma variação mensal de -1,0% (-0,5% no mês anterior e -1,1% em novembro de 2017) e uma variação média dos últimos doze meses de 1,2% (valor inferior em 0,1 p.p. ao registado em outubro).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços cresceu 4,8% 12-12-2018

Volume de Negócios nos Serviços cresceu 4,8%

Em termos homólogos, o índice de volume de negócios nos serviços cresceu 4,8% em outubro, resultado inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) ao observado no mês anterior.
Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresenta-ram variações homólogas de 1,5%, 3,0% e 1,4%, respetivamente (1,6%, 4,2% e -0,1% em setembro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção aumentou 4,5% 11-12-2018

Produção na Construção aumentou 4,5%

O Índice de Produção na Construção registou uma taxa de variação homóloga de 4,5% em outubro (variação de 4,2% em setembro). Os índices de emprego e de remunerações cresceram 3,2% e 4,0% (2,6% e 3,1% em setembro) respectivamente.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria acelerou para 5,4% 10-12-2018

Volume de Negócios na Indústria acelerou para 5,4%

Em termos nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria registou um aumento homólogo de 5,4% em outubro (1,9% no mês anterior). As variações dos índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo situaram-se respetivamente em 7,4% e 2,5% (2,6% e 0,9% em setembro, pela mesma ordem).
Os índices de emprego e de remunerações cresceram 2,1% e 3,8% em outubro (2,0% e 3,6% no mês anterior), respe-tivamente. O índice de horas trabalhadas1 passou de uma variação de -1,4% em setembro para 4,9% em outubro.

SABER +
Imagem sobre As exportações e as importações aumentaram 5,9% e 5,3%, respetivamente, em termos nominais 10-12-2018

As exportações e as importações aumentaram 5,9% e 5,3%, respetivamente, em termos nominais

Em outubro de 2018, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +5,9% e +5,3%, respetivamente, acelerando ambas em relação ao mês anterior (+1,0% e +0,4%, em setembro de 2018, pela mesma ordem). Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 8,5% e as importações cresceram 7,6% (+2,6% e +1,4%, respetivamente, em setembro de 2018).
O défice da balança comercial de bens atingiu 1 593 milhões de euros em outubro de 2018, mais 54 milhões de euros que no mês homólogo de 2017. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1 100 milhões de euros, correspondente a um aumento do défice de 39 milhões de euros em relação a outubro de 2017.
No trimestre terminado em outubro de 2018, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 3,1% e 4,5% face ao mesmo período de 2017.

SABER +
Imagem sobre A produção industrial cresceu 9,3% em 2017, em termos nominais, acelerando face ao ano anterior 10-12-2018

A produção industrial cresceu 9,3% em 2017, em termos nominais, acelerando face ao ano anterior

Em 2017, o total das vendas de produtos e da prestação de serviços na indústria transformadora atingiu 85,6 mil milhões de euros, representando um aumento nominal de 9,3% face ao ano anterior (+1,3% em 2016).
A Fabricação de produtos petrolíferos refinados, a Fabricação de veículos automóveis e a Fabricação de produtos químicos registaram os contributos positivos mais significativos para o crescimento verificado no total da indústria transformadora, com 1,7 p.p., 1,6 p.p. e 0,7 p.p., respetivamente, tendo também apresentado variações anuais positivas face ao ano anterior (+19,8%, +18,9% e +14,5%, pela mesma ordem).

 

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre Custos de construção com variação homóloga de 1,8% 07-12-2018

Custos de construção com variação homóloga de 1,8%

Em outubro, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 1,8%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) que em setembro (valor revisto) de 2018. Os preços dos materiais e o custo da mão de obra registaram variações de 1,3% e 2,6%, respetivamente (0,2 p.p. e 0,5 p.p. acima ao valor do mês anterior, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Um euro a mais de exportações reparte-se em 44 cêntimos de importações adicionais e em mais 56 cêntimos de PIB 30-11-2018

Um euro a mais de exportações reparte-se em 44 cêntimos de importações adicionais e em mais 56 cêntimos de PIB

Este destaque apresenta o sistema de Matrizes Simétricas de Input-Output para a economia portuguesa referentes a 2015.
De acordo com os resultados deste sistema, cada euro de despesa nos agregados da procura final gera os seguintes impactos:
• Despesa de Consumo Final das Famílias: 23 cêntimos de importações e 77 cêntimos de PIB;
• Despesa de Consumo Final das Administrações Públicas: 10 cêntimos de importações e 90 cêntimos de PIB;
• Formação Bruta de Capital Fixo: 36 cêntimos de importações e 64 cêntimos de PIB;
• Exportações: 44 cêntimos de importações e 56 cêntimos de PIB.
Ainda com base neste sistema Input-Output, uma redução uniforme de, por hipótese, 10% das exportações com destino ao Reino Unido, em consequência do Brexit, tem um impacto negativo de 0,26 pontos percentuais do PIB português, não considerando efeitos sobre a economia portuguesa do impacto noutras economias que são parceiros comerciais relevantes.

SABER +
Imagem sobre O risco de pobreza reduziu-se para 17,3% 30-11-2018

O risco de pobreza reduziu-se para 17,3%

O Inquérito às Condições de Vida e Rendimento, realizado em 2018 sobre rendimentos do ano anterior, indica que 17,3% das pessoas estavam em risco de pobreza em 2017, menos 1 ponto percentual (p.p.) que em 2016. A taxa de risco de pobreza correspondia, em 2017, à proporção de habitantes com rendimentos monetários líquidos (por adulto equivalente) inferiores a 5 610 euros anuais (468 euros por mês).
A proporção de menores de 18 anos em risco de pobreza reduziu-se novamente, para 18,9%. Em contrapartida, aumentou o risco de pobreza para a população idosa: 17,7%, mais 0,7 p.p. que em 2016. A taxa de pobreza para a população em idade ativa foi de 16,7%, menos 1,4 p.p. que no ano anterior.
Pela primeira vez são divulgadas estimativas regionais. Os residentes na Área Metropolitana de Lisboa foram os menos afetados pelo risco de pobreza em 2017 (12,3%), tendo em conta a linha de pobreza nacional. Esta proporção registou os valores mais elevados nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira respetivamente 31,5% e 27,4%. No entanto, tendo em conta que há diferenças socioeconómicas significativas entre as regiões, foram complementarmente estimadas linhas de pobreza regionais que mostraram diferenças de proporções menos acentuadas entre as regiões (ver caixa).  
Apesar dos rendimentos monetários em Portugal continuarem a pautar-se por uma distribuição fortemente assimétrica, os principais indicadores de desigualdade reduziram-se novamente em 2017: o Coeficiente de Gini, em particular, foi de 32,6%, menos 0,9 p.p. que no ano anterior.
Em 2018, mantém-se a tendência de redução da taxa de privação material (16,6%, menos 1,4 p.p. que em 2017) e da taxa de privação material severa (6,0%, menos 0,9 p.p. que em 2017). A intensidade da privação material reduziu-se pela primeira vez desde o início da década.

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto aumentou 2,1% em volume 30-11-2018

Produto Interno Bruto aumentou 2,1% em volume

O Produto Interno Bruto (PIB) registou no 3º trimestre de 2018 uma taxa de variação homóloga de 2,1% (2,4% no trimestre anterior). A procura interna registou um contributo menos positivo, em resultado da desaceleração do consumo privado. A procura externa líquida apresentou um contributo negativo ligeiramente menos intenso que o observado nos dois trimestres anteriores, tendo as Exportações e Importações de Bens e Serviços desacelerado.
Comparativamente com o 2º trimestre de 2018, o PIB aumentou 0,3% em termos reais, menos 0,3 pontos percentuais (p.p.) que no trimestre anterior. O contributo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB passou de nulo a negativo, refletindo uma diminuição das Exportações de Bens e Serviços mais intensa que a das Importações de Bens e Serviços. O contributo positivo da procura interna aumentou no 3º trimestre, traduzindo um crescimento mais elevado do consumo privado e do Investimento.

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial registou uma variação homóloga de -0,3% 30-11-2018

Índice de Produção Industrial registou uma variação homóloga de -0,3%

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de -0,3%, em outubro, idêntica à observada no mês anterior. O índice da secção das Indústrias Transformadoras diminuiu 1,7% (-0,7% em setembro).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC estimada em 0,9% 30-11-2018

Taxa de variação homóloga do IPC estimada em 0,9%

Tendo por base a informação apurada até à data do presente destaque, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido 0,9% em novembro de 2018 (o valor apurado para outubro foi 1,0%). A variação homóloga estimada do indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) situou-se em 0,6% (0,4% no mês anterior). A taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá diminuído de 7,3% em outubro para 4,9% em novembro.
A variação mensal do IPC terá sido -0,4% (em outubro, o valor apurado foi -0,1% e em novembro de 2017 tinha sido -0,3%), estimando-se uma variação média nos últimos doze meses de 1,1%, valor idêntico ao registado no mês precedente.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de 1,0% (o valor observado em outubro foi 0,8%).
Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de novembro serão publicados no próximo dia 12 de dezembro.

SABER +
Imagem sobre Vendas no Comércio a Retalho aceleraram para 5,2% 29-11-2018

Vendas no Comércio a Retalho aceleraram para 5,2%

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho registou uma variação homóloga de 5,2% em outubro (1,1% no mês anterior). Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário, apresentaram crescimentos homólogos de 2,5%, 3,7% e 2,0%, respetivamente (2,3%, 4,5% e -0,4% em setembro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego de setembro situou-se em 6,6% 29-11-2018

A taxa de desemprego de setembro situou-se em 6,6%

Em setembro de 2018, a taxa de desemprego situou-se em 6,6%, menos 0,3 pontos percentuais (p.p.) que no mês anterior, menos 0,2 p.p. em relação a três meses antes e menos 2,0 p.p. que no mesmo mês de 2017. Aquele valor representa uma revisão nula da estimativa provisória divulgada há um mês. Desde setembro de 2002 que não era observada uma taxa de desemprego tão baixa.
Comparando com o mês precedente, a população desempregada diminuiu 5,0% (menos 18,0 mil pessoas) e a população empregada aumentou 0,2% (mais 8,8 mil pessoas).
A estimativa provisória da taxa de desemprego de outubro de 2018 aponta para 6,7%, mais 0,1 p.p. que no mês anterior.

SABER +
Imagem sobre Indicadores de confiança dos Consumidores e de clima económico diminuem 29-11-2018

Indicadores de confiança dos Consumidores e de clima económico diminuem

O indicador de confiança dos Consumidores diminuiu em novembro, retomando o movimento descendente iniciado em junho, após ter atingindo em maio o valor máximo da série.
O indicador de clima económico diminuiu em novembro, após ter estabilizado no mês anterior e de ter atingindo entre junho e agosto o valor máximo desde maio de 2002. No mês de referência, os indicadores de confiança diminuíram na Indústria Transformadora e nos Serviços, tendo aumentado na Construção e Obras Públicas e estabilizado no Comércio.  

SABER +
Imagem sobre Valor da habitação subiu para 1 212 euros por metro quadrado 28-11-2018

Valor da habitação subiu para 1 212 euros por metro quadrado

O valor médio de avaliação bancária foi 1 212 euros em outubro, superior em 7 euros ao observado no mês preceden-te. Este valor representa um aumento de 0,6% relativamente a setembro e 6,2% face ao mesmo mês do ano anterior.

SABER +
Imagem sobre Residentes nas Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa efetuaram, em média, 2,72 e 2,60 deslocações por dia, com durações de 22,0 e 24,5 minutos, respetivamente 27-11-2018

Residentes nas Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa efetuaram, em média, 2,72 e 2,60 deslocações por dia, com durações de 22,0 e 24,5 minutos, respetivamente

De acordo com os resultados definitivos do Inquérito à Mobilidade nas Áreas Metropolitanas do Porto (AMP) e de Lisboa (AML), realizado pelo INE em 2017, apuraram-se rácios de população móvel sem diferenças sensíveis entre as duas áreas metropolitanas: 78,9% na AMP e 80,4% na AML.
As maiores proporções de população móvel foram identificadas, na AMP, nos municípios do Porto (85,0%) e Matosinhos (83,0%) e, na AML, nos municípios da Amadora (87,7%) e Odivelas (84,6%).
O principal motivo das deslocações efetuadas foi o trabalho, tanto na AMP (30,3%) como na AML (30,8%), seguindo-se as compras (18,5% e 19,8%, respetivamente).
O número médio de deslocações/dia por pessoa móvel situou-se em 2,72 na AMP e 2,60 na AML.
O automóvel confirmou-se como principal meio de transporte nas áreas metropolitanas, de forma mais marcante na AMP (67,6% das deslocações) que na AML (58,9%), considerando todos os dias da semana em geral. A taxa de ocupação do automóvel foi de 1,56 pessoas na AMP e de 1,60 na AML.
As deslocações efetuadas pelos residentes da AMP e AML duraram em média 22,0 minutos e 24,5 minutos, respetivamente.
Considerando o subconjunto de deslocações dentro do território de cada área metropolitana, constata-se que, em média, os residentes na AMP despendiam no total 66,8 minutos por dia em deslocações no território metropolitano, valor que sobe para 72,5 minutos por dia na AML.

 

Consulte a Publicação

 

 

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro fixou-se em 1,051%, o capital em dívida em 52 160 euros e a prestação mensal em 243 euros 21-11-2018

Taxa de juro fixou-se em 1,051%, o capital em dívida em 52 160 euros e a prestação mensal em 243 euros

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação aumentou 0,8 pontos base (p.b.) face ao observado em setembro, para 1,051%. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu 1,5 p.b. no mês em análise, para 1,459%. A prestação média vencida atingiu os 243 euros, um euro acima do mês anterior. O capital médio em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação diminuiu 13 euros, fixando-se em 52 160 euros.

SABER +
Imagem sobre A proporção de utilizadores de internet banking aumentou em 10 p.p. 21-11-2018

A proporção de utilizadores de internet banking aumentou em 10 p.p.

O acesso à internet em casa continua a aumentar, abrangendo 79% dos agregados em 2018, mais 2 pontos percentuais (p.p.) que no ano anterior e mais 26 p.p. que em 2010. Quase todos os agregados com acesso à internet em casa fazem-no através de banda larga.
Em 2018, 81% dos utilizadores acederam à rede em mobilidade, principalmente através de telemóvel ou smartphone; 67% dos residentes utilizaram ou instalaram aplicações no smartphone. A proporção de utilizadores de internet banking com idade dos 16 aos 74 anos de idade é de 52%, tendo aumentado 10 p.p. em relação ao ano anterior.
37% dos residentes dos 16 aos 74 anos utilizaram o comércio eletrónico nos 12 meses anteriores à entrevista, mais 3 p.p. que no ano anterior e mais 22 p.p. relativamente a 2010, mas em nível inferior à taxa de utilização na União Europeia.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Cultura - 2017 12-12-2018

Estatísticas da Cultura - 2017

 

O Instituto Nacional de Estatística divulga a publicação Estatísticas da Cultura  - 2017 que disponibiliza informação sobre diversos temas e domínios culturais: ensino; emprego; índice de preços no consumidor de bens e serviços culturais; participação cultural, despesas das famílias em lazer, recreação e cultura, empresas do sector cultural e criativo; comércio internacional de bens culturais; património cultural; artes plásticas; materiais impressos e de literatura; cinema; artes do espectáculo; radiodifusão e financiamento das atividades culturais e criativas.


Os dados mais recentes referem-se ao ano de 2017 exceto os relativos às empresas com atividade nas áreas culturais e criativas, que respeitam a 2016.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Produção Industrial - 2017 10-12-2018

Estatísticas da Produção Industrial - 2017

 

A presente publicação divulga as estatísticas da produção industrial em termos de produtos produzidos (em volume), de produtos vendidos (em volume e valor) e de prestação de serviços (em valor), relativas a 2017, elaboradas a partir dos resultados do Inquérito Anual à Produção Industrial.

Esta caracterização da produção industrial utiliza metodologias e listas de produtos harmonizadas no âmbito da União Europeia, de acordo com o Regulamento (CEE) nº 3924/91, de 1991.12.19 e o Regulamento (CE) nº 912/2004, de 2004.04.29.

A partir de 2012 o IAPI tem melhoria de cobertura e novo processo de apuramento, motivos pelos quais os dados não são diretamente comparáveis com anos anteriores. Para uma melhor interpretação dos resultados, recomenda-se a leitura da Nota Metodológica e Conceitos.

SABER +
Imagem sobre Anuário Estatístico de Portugal - 2017 03-12-2018

Anuário Estatístico de Portugal - 2017

 

O Instituto Nacional de Estatística apresenta a 109ª edição do Anuário Estatístico de Portugal (AEP), a qual dá continuidade a uma longa tradição iniciada em 1877 (AEP 1875). O AEP 2017 apresenta uma análise global destinada a fornecer uma visão abrangente dos fenómenos registados em 2017, em termos sociais, económicos e demográficos.


A atual edição mantém a estrutura dos 28 subcapítulos agrupados em quatro grandes temas: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. Cada subcapítulo introduz uma página infográfica de síntese que precede a análise estatística baseada na evolução dos principais indicadores.


Os dados estatísticos, que acompanham esta publicação, apresentam séries temporais desagregadas ao nível de NUTS I e II, possibilitando uma comparação cronológica e espacial dos fenómenos retratados.

SABER +
Imagem sobre Mobilidade e funcionalidade do território nas Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa : 2017 27-11-2018

Mobilidade e funcionalidade do território nas Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa : 2017

 

A publicação sobre o Inquérito à Mobilidade nas Áreas Metropolitanas do Porto e de Lisboa - 2017, apresenta um capítulo distinto para cada uma das regiões, inicialmente sobre a Área Metropolitana do Porto, seguindo-se um outro relativo à Área Metropolitana de Lisboa.


Cada capítulo subdivide-se em 3 partes, sobre:


 - caracterização da população residente na perspetiva da mobilidade (população móvel), incluindo informação socioeconómica e despesas com a mobilidade;

 - análise da mobilidade na área metropolitana de acordo com duas óticas:

 - deslocações totais realizadas, segundo a residência do respondente,
 - deslocações intrametropolitanas;

 - opiniões dos residentes, evidenciando razões para utilização do transporte individual ou público, bem como a avaliação efetuada sobre os transportes públicos.


No final apresenta-se a nota metodológica bem como um glossário.

SABER +
Imagem sobre Nomenclatura combinada - 2019 27-11-2018

Nomenclatura combinada - 2019

 

A Nomenclatura Combinada (NC) é a nomenclatura das mercadorias da Comunidade Europeia que satisfaz as exigências das estatísticas do comércio internacional (intra e extracomunitário) e da pauta aduaneira comum, nos termos do artigo 9º do Tratado que institui a Comunidade Económica Europeia.
A presente publicação, destinada aos responsáveis pelo fornecimento da informação no domínio do comércio internacional, contém toda a NC, com exceção dos direitos aduaneiros e das correspondentes indicações complementares.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Novembro de 2018 22-11-2018

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Novembro de 2018

 

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título: Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Outubro de 2018 20-11-2018

Boletim Mensal de Estatística - Outubro de 2018

 

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas Demográficas - 2017 15-11-2018

Estatísticas Demográficas - 2017

 

Publicação com análise dos principais acontecimentos demográficos em Portugal, evidenciando as tendências e aspetos mais relevantes da situação em 2017, que abarcam as seguintes temáticas:

 

- Volume e estrutura populacional, crescimento efetivo, natural e migratório;
- Natalidade e fecundidade;
- Mortalidade geral, fetal e neonatal e esperanças de vida;
- Nupcialidade e divórcios;
- Migrações internacionais e aquisição da nacionalidade portuguesa.


Para complementar a informação apresentada, foram incluídas na própria publicação hiperligações para um conjunto de indicadores do Portal do INE. São ainda disponibilizados quadros de resultados com séries longas dos principais indicadores demográficos com informação decenal para o período 1900-1980 e anual entre 1980 e 2017.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas dos Transportes e Comunicações - 2017 09-11-2018

Estatísticas dos Transportes e Comunicações - 2017

Na presente publicação o INE divulga os principais resultados estatísticos sobre a atividade dos setores de Transportes e Comunicações em 2017.


Transporte ferroviário: apresentam-se os resultados dos inquéritos do INE sobre a infraestrutura ferroviária, equipamento de transporte, informação económica sobre as empresas, resultados de transporte ferroviário ligeiro e ligeiro e de consumo energético. Transporte rodoviário: difundem-se estatísticas sobre infraestruturas rodoviárias, parque de veículos presumivelmente em circulação, vendas de veículos (agora também usados) e registo de matrículas, emissão de cartas de condução, consumo de combustíveis, sinistralidade bem como resultados dos inquéritos ao transporte rodoviário de mercadorias e de passageiros. Transporte marítimo e fluvial: apresentam-se os principais resultados do inquérito dirigido às administrações portuárias, sobre movimento de navios, mercadorias e passageiros; são ainda apresentados resultados detalhados do inquérito ao transporte fluvial de passageiros e veículos. Transporte aéreo: inclui-se informação referente à atividade das empresas licenciadas em Portugal, bem como resultados detalhados de tráfego aeroportuário e dados sobre navegação aérea. Transporte por conduta: são apresentadas estatísticas com base em informações obtidas junto das empresas com atividade no transporte em gasoduto e oleoduto. Comunicações: são abrangidos os setores de telecomunicações e serviços postais.


Nesta publicação está também disponível um capítulo de enquadramento económico e ainda estatísticas do comércio internacional por modos de transporte.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Setembro de 2018 23-10-2018

Boletim Mensal de Estatística - Setembro de 2018

 

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
#