CALENDÁRIO +Info...

Sexta-Feira, 1 de Junho de 2018

Sábado, 2 de Junho de 2018

Segunda-Feira, 4 de Junho de 2018

  • ITRM 2018 - 21ª Semana: Últ. dia

Domingo, 10 de Junho de 2018

  • IMPI 2018 - Mai: Últ. dia
  • IVNE 2018 - Mai: Últ. dia

Segunda-Feira, 11 de Junho de 2018

  • IAEC 2017: Início
  • ITRM 2018 - 22ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 12 de Junho de 2018

  • ICC 2018 - Jun: Últ. dia
  • ICCOP 2018 - Jun: Últ. dia
  • ICIT 2018 - Jun: Últ. dia
  • ICS 2018 - Jun: Últ. dia

Sexta-Feira, 15 de Junho de 2018

Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018

  • ITRM 2018 - 23ª Semana: Últ. dia
  • IVAFO 2017: Início

Quarta-Feira, 20 de Junho de 2018

Segunda-Feira, 25 de Junho de 2018

  • IPMC 2018 - Jun: Últ. dia
  • IPPI 2018 - Jun: Últ. dia
  • ITRM 2018 - 24ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1109
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Superfície plantada com tomate para indústria baixa para mínimos de 2013 20-06-2018

Superfície plantada com tomate para indústria baixa para mínimos de 2013

As previsões agrícolas, em 31 de maio, apontam para uma redução de 26% na área instalada de tomate para a indústria, em consequência do agravamento dos problemas fitossanitários que se registou na campanha passada, o que levou alguns produtores a não instalarem esta cultura. Também se observaram diminuições na área de girassol (-20%) e de batata (-5%), culturas que registaram atrasos na instalação. Em sentido contrário, a garantia das disponibilidades hídricas permitiu um aumento na área de arroz (+5%) e a manutenção da área de milho. Quanto aos cereais de inverno, que se encontram em plena maturação, estimam-se aumentos generalizados na produtividade (5% no centeio, 15% no trigo e aveia e 20% no triticale e cevada).
Relativamente às fruteiras, prevê-se um bom ano para as prunóideas, que, apesar de registarem atrasos na maturação, apresentam produtividades muito acima da média dos últimos anos: na cereja o rendimento unitário deverá ficar próximo das 3 toneladas por hectare, enquanto no pêssego será de 12,8 toneladas por hectare.

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica e indicador de clima económico aumentam 20-06-2018

Indicador de atividade económica e indicador de clima económico aumentam

Em maio, o indicador de confiança dos consumidores estabilizou na Área Euro (AE) e o indicador de sentimento económico diminuiu. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 1,6% e 10,9%, respetivamente (0,9% e 9,8% em abril).
Em Portugal, o indicador de atividade económica, disponível até abril, e o indicador de clima económico, disponível até maio, aumentaram. O indicador quantitativo do consumo privado aumentou em abril, refletindo um contributo positivo mais expressivo de ambas as componentes, consumo duradouro e não duradouro. O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) abrandou em abril, devido ao contributo positivo menos intenso de todas as componentes, máquinas e equipamentos, construção e material de transporte, esta última com o abrandamento mais intenso. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram variações homólogas de 5,2% e 7,1% em abril, respetivamente (2,9% e 6,6% em março). Considerando a atividade económica da perspetiva da produção, os índices de produção na indústria e na construção aceleraram em abril, à semelhança do verificado no índice de volume de negócios na indústria. Por sua vez, o índice de volume de negócios nos serviços desacelerou.
Em abril, a estimativa provisória mensal para a taxa de desemprego (15 a 74 anos) ajustada de sazonalidade, situou-se em 7,4% (taxa inferior em 0,1 p.p. ao valor definitivo verificado no mês anterior), o que compara com 7,9% e 9,5% há três meses e há um ano atrás, respetivamente. A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, registou um crescimento homólogo de 2,1% (2,7% em março) e uma diminuição em cadeia de 0,2%.
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de 1,0% em maio (0,4% em abril), observando-se uma taxa de variação de 0,6% na componente de bens (0,3% no mês anterior) e de 1,7% na de serviços (0,6% no mês precedente).

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial aceleraram para 3,1% 19-06-2018

Preços na Produção Industrial aceleraram para 3,1%

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) registou uma taxa de variação homóloga de 3,1% (1,4% no mês anterior). Excluindo o agrupamento de Energia, esta variação fixou-se em 1,5% (variação de 1,3% em abril). A variação mensal foi 1,4% (-0,2% em igual mês de 2017).

SABER +
Imagem sobre A redução da população residente atenuou-se 15-06-2018

A redução da população residente atenuou-se

Em 31 de dezembro de 2017, a população residente em Portugal foi estimada em 10 291 027 pessoas, menos 18 546 face a 2016. Este resultado traduziu-se numa taxa de crescimento efetivo negativa de 0,18% mantendo-se a tendência de decréscimo populacional ainda que atenuado face aos últimos anos.
O abrandamento do decréscimo populacional em 2017 resultou da passagem do saldo migratório para valores positivos (+4 886) após seis anos de crescimento migratório negativo. O saldo natural manteve-se com valor negativo (-23 432) e muito próximo do verificado em 2016 (-23 409).
O envelhecimento demográfico em Portugal continua a acentuar-se: face a 2016, a população com menos de 15 anos diminuiu para 1 423 896 (-18 520) e a população com idade igual ou superior a 65 anos aumentou para 2 213 274 pessoas (+36 634), representando respetivamente, 13,8% e 21,5% da população total; a população mais idosa (idade igual ou superior a 85 anos) foi estimada em 297 538 (+11 922).
Em 2017, a idade média da população residente em Portugal situou-se em 44,2 anos, tendo aumentado cerca de 3,1 nos últimos 10 anos.
No futuro, mantém-se o declínio populacional e o agravamento do envelhecimento demográfico. Portugal perderá população até 2080, passando dos atuais 10,3 milhões para 7,7 milhões de residentes, ficando abaixo dos 10 milhões em 2033. O número de jovens diminuirá de 1,4 para 0,9 milhões e o número de idosos passará de 2,2 para 2,8 milhões.

 

Consulte a infografia

SABER +
Imagem sobre Atividade na hotelaria com abrandamento desde o início do ano, em termos acumulados 15-06-2018

Atividade na hotelaria com abrandamento desde o início do ano, em termos acumulados

Os estabelecimentos hoteleiros e similares registaram 1,8 milhões de hóspedes e 4,7 milhões de dormidas em abril de 2018, correspondendo a variações de -5,4% e -8,4% (+11,7% e +9,9% em março, respetivamente). As dormidas de residentes diminuíram 9,3% enquanto as dos não residentes recuaram 8,0%, contrastando com os crescimentos registados em março (+15,4% e +8,0%, respetivamente).
A estada média (2,62 noites) reduziu-se 3,1% (-2,9% no caso dos residentes e -3,5% nos não residentes). A taxa líquida de ocupação-cama (49,9%) recuou 4,7 p.p.
Os proveitos totais abrandaram para um crescimento de 2,0% (+17,5% no mês precedente), tendo atingido 276,7 milhões de euros. Os proveitos de aposento atingiram 199,9 milhões de euros e aumentaram 2,1% (+21,2% em março).
Estes resultados foram influenciados pelo efeito do calendário do período de Páscoa, dado que em 2018 esta época impulsionou as dormidas na hotelaria essencialmente no mês de março.
Refira-se que, no conjunto dos meses de março e abril, as dormidas registaram uma ligeira diminuição de 0,8% (+0,8% no que respeita a residentes e -1,4% relativamente a não residentes).

SABER +
Imagem sobre Edifícios licenciados com aumento de 2,0% e edifícios concluídos com crescimento de 20,0% 14-06-2018

Edifícios licenciados com aumento de 2,0% e edifícios concluídos com crescimento de 20,0%

No 1º trimestre de 2018 os edifícios licenciados cresceram 2,0% face ao período homólogo (-1,3% no 4º trimestre de 2017), correspondendo a 5,1 mil edifícios. Nos edifícios licenciados para construções novas registou-se um acréscimo de 6,3% (+3,5% no 4º trimestre de 2017), enquanto no licenciamento para reabilitação se registou uma diminuição de 20,7% (-12,1% no 4º trimestre de 2017). Os edifícios concluídos registaram um crescimento de 20,0% (+19,6% no 4º trimestre de 2017) perfazendo 3,5 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados aumentou 18,3% (-4,0% no 4º trimestre de 2017) enquanto nos edifícios concluídos se observou uma variação de +3,6% (+0,7% no 4º trimestre de 2017).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços acelerou para 5,7% 12-06-2018

Volume de Negócios nos Serviços acelerou para 5,7%

Em termos homólogos, o índice de volume de negócios nos serviços aumentou 5,7% em abril, que compara com 4,5% no mês anterior.
Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresenta-ram variações homólogas de 3,4%, 5,8% e 6,1%, respetivamente (3,9%, 5,3% e 3,0% em março, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC aumentou para 1,0% 12-06-2018

Taxa de variação homóloga do IPC aumentou para 1,0%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 1,0% em maio de 2018, taxa superior em 0,6 pontos percentuais (p.p.) à do mês anterior. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,6%, valor superior em 0,4 p.p. ao registado em abril. A aceleração do IPC reflete a dissipação do efeito de base associado ao calendário da Páscoa em 2017, tal como referido no destaque do mês anterior, e também a evolução recente dos preços dos combustíveis.
A variação mensal do IPC foi 0,4% (0,7% no mês precedente e -0,2% em maio de 2017). A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,0%, taxa inferior em 0,1 p.p. à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 1,4%, taxa superior em 1,1 p.p. à do mês anterior e inferior em 0,5 p.p. à estimativa do Eurostat para a área do Euro (em abril, esta diferença foi de 0,9 p.p.). O IHPC registou uma variação mensal de 0,8% (1,0% no mês anterior e -0,3% em maio de 2017) e uma variação média dos últimos doze meses de 1,2% (valor idêntico ao registado em abril).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria cresceu 12,7% 11-06-2018

Volume de Negócios na Indústria cresceu 12,7%

O Índice de Volume de Negócios na Indústria registou uma variação homóloga nominal de 12,7% em abril (-0,3% no mês anterior). O índice relativo ao mercado nacional aumentou 11,8% (1,3% em março), enquanto o do mercado externo cresceu 13,9% (variação de -2,6% no mês precedente).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas apresentaram variações homólogas de 3,5%, 6,8% e 4,4% em abril (3,3%, 5,5% e 1,2% no mês anterior, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção aumentou 2,7% 11-06-2018

Produção na Construção aumentou 2,7%

O Índice de Produção na Construção1 registou uma taxa de variação homóloga de 2,7% em abril (variação de 2,4% em março). Os índices de emprego e de remunerações cresceram 2,3% e 4,8% (1,7% e 2,3% em março) respetivamente.

SABER +
Imagem sobre As exportações e as importações aumentaram 18,1% e 13,1%, respetivamente, em termos nominais 08-06-2018

As exportações e as importações aumentaram 18,1% e 13,1%, respetivamente, em termos nominais

Em abril de 2018, as exportações de bens registaram uma variação homóloga nominal de 18,1%, em sentido contrário à variação verificada no mês anterior (-5,4%). As importações de bens aumentaram 13,1%, correspondendo a uma aceleração face à variação registada em março de 2018 (+0,7%). Estas evoluções refletem, em parte, efeitos de calendário, dado que abril de 2018 teve mais dois dias úteis que abril de 2017.
O défice da balança comercial de bens foi de 1 253 milhões de euros em abril de 2018, o que representa um decréscimo de 39 milhões de euros face ao mês homólogo de 2017. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 972 milhões de euros, correspondente a um aumento do défice de 19 milhões de euros em relação a abril de 2017.
No trimestre terminado em abril de 2018, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 5,2% e 7,1% face ao mesmo período de 2017.

SABER +
Imagem sobre Nova publicação digital sobre indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 08-06-2018

Nova publicação digital sobre indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

O Instituto Nacional de Estatística (INE) lança hoje a primeira publicação nacional de acompanhamento estatístico da Agenda 2030 da ONU, intitulada “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Indicadores para Portugal | Agenda 2030”.

 

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre Custos de construção de habitação subiram para 1,7% 07-06-2018

Custos de construção de habitação subiram para 1,7%

A variação homóloga do Índice de Custos de Construção de Habitação Nova foi 1,7% em abril, taxa superior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) ao verificado em março. O Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação aumentou 2,5% (2,3% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto aumentou 2,1% em volume 30-05-2018

Produto Interno Bruto aumentou 2,1% em volume

O Produto Interno Bruto (PIB) registou no 1º trimestre de 2018 uma taxa de variação homóloga de 2,1% (2,4% no trimestre anterior). A procura externa líquida apresentou um contributo mais negativo para a variação homóloga do PIB, passando de -0,1 p.p. no 4º trimestre para -0,4 p.p., tendo as Exportações de Bens e Serviços a desacelerado mais que as Importações de Bens e Serviços. O contributo da procura interna aumentou ligeiramente para 2,6 p.p. (2,5 p.p. no 4º trimestre), refletindo a ligeira aceleração do consumo final e do Investimento. Esta evolução do Investimento foi determinada pelo comportamento da Variação de Existências, visto que a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) abrandou, devido, sobretudo, à componente da construção.
Comparativamente com o 4º trimestre de 2017, o PIB aumentou 0,4% em termos reais (0,7% no trimestre anterior). O contributo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB foi negativo (-0,3 p.p.), contrariamente ao registado no trimestre anterior (0.5 p.p.), observando-se um crescimento das Importações de Bens e Serviços e uma estagnação das Exportações de Bens e Serviços. O contributo da procura interna situou-se em 0,8 p.p., mais 0,5 p.p. que no 4º trimestre, em resultado da aceleração do consumo privado e da FBCF.

SABER +
Imagem sobre Vendas no Comércio a Retalho abrandaram para 0,7% 30-05-2018

Vendas no Comércio a Retalho abrandaram para 0,7%

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho registou uma variação homóloga de 0,7% (5,2% em março). Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário, apresentaram taxas de variação homóloga de 3,1%, 4,0% e 0,4%, respetivamente (3,2%, 6,5% e 0,8% em março, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Produção Industrial acelerou para variação homóloga de 3,8% 30-05-2018

Produção Industrial acelerou para variação homóloga de 3,8%

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de 3,8%, em abril (2,1% em março). A secção das Indústrias Transformadoras aumentou 2,1% (-1,7% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego de março situou-se em 7,5% 30-05-2018

A taxa de desemprego de março situou-se em 7,5%

A taxa de desemprego de março de 2018 situou-se em 7,5%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) que no mês anterior, menos 0,4 p.p. em relação a três meses antes e menos 2,2 p.p. face ao mesmo mês de 2017. Aquele valor representa uma revisão em alta, de 0,1 p.p., face à estimativa provisória divulgada há um mês e ter-se-á de recuar até abril de 2004 para encontrar uma taxa inferior a esta.
A população desempregada de março foi estimada em 386,0 mil pessoas, tendo diminuído 2,4% em relação ao mês precedente (menos 9,6 mil pessoas), enquanto a população empregada foi estimada em 4 776,7 mil pessoas, tendo diminuído 0,1% (menos 4,5 mil pessoas) face ao mês anterior.
A estimativa provisória da taxa de desemprego de abril de 2018 situou-se em 7,4%. Neste mês, estima-se que a população desempregada tenha sido de 381,4 mil pessoas e a população empregada de 4 766,5 mil pessoas.

SABER +
Imagem sobre Nos últimos dois anos o aumento da quota de pesca e as trocas de quotas com Espanha quase duplicaram as possibilidades de pesca do biquerão 30-05-2018

Nos últimos dois anos o aumento da quota de pesca e as trocas de quotas com Espanha quase duplicaram as possibilidades de pesca do biquerão

Em 2017 a frota de pesca nacional capturou 118,4 mil toneladas de pescado fresco ou refrigerado (124,2 mil toneladas em 2016), no valor de 272,4 milhões de euros (269,5 milhões de euros em 2016), o que representa um decréscimo de 4,7% em volume e um aumento de 1,1% em valor. O preço médio do pescado descarregado foi de 2,23 €/kg (2,10 €/kg em 2016), tendo atingido o valor mais elevado dos últimos 20 anos.
Ente as espécies de pescado que recentemente têm adquirido relevância, é de referir desta vez o biqueirão. Efetivamente, em 2017 foram transacionadas em lota 9 021 toneladas desta espécie, a maior quantidade desde que há registos estatísticos sistemáticos por espécie. A taxa de utilização da quota nacional deste recurso pesqueiro subiu de 3% em 2010 para 102% em 2017.
O principal destino para o biqueirão capturado foi a exportação (média de 87% no período 2012-2017), a maior parte em fresco para Espanha, sendo que a partir de 2015 a quantidade de biqueirões salgados exportados ultrapassou as preparações e conservas, que tradicionalmente eram o segundo destino deste recurso.

 

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC estimada em 1,0% 30-05-2018

Taxa de variação homóloga do IPC estimada em 1,0%

Tendo por base a informação apurada até à data do presente destaque, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido 1,0% em maio de 2018 (o valor apurado para abril foi 0,4%). A variação homóloga estimada do indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) é de 0,6% (o valor final de abril foi 0,2%). A aceleração do IPC reflete a dissipação do efeito de base associado ao calendário da Páscoa em 2017, tal como referido no destaque do mês anterior, e também a evolução recente dos preços dos combustíveis.
A variação mensal estimada do IPC é de 0,4% (em abril, o valor definitivo foi 0,7%) e a variação média dos últimos doze meses de 1,0% (1,1% registado no mês precedente).
Estima-se que o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português tenha registado uma variação homóloga de 1,4% (o valor final de abril foi 0,3%).
Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de maio serão publicados no próximo dia 12 de junho.

SABER +
Imagem sobre Indicador de confiança dos Consumidores e indicador de clima económico aumentam 29-05-2018

Indicador de confiança dos Consumidores e indicador de clima económico aumentam

O indicador de confiança dos Consumidores aumentou nos últimos três meses, atingindo em maio o valor máximo da série.
O indicador de clima económico aumentou em maio, após ter estabilizado no mês anterior, atingindo o máximo desde maio de 2002. Em maio, os indicadores de confiança aumentaram na Construção e Obras Públicas, no Comércio e nos Serviços, tendo diminuído na Indústria Transformadora.

SABER +
Imagem sobre Objectivos de desenvolvimento sustentável 08-06-2018

Objectivos de desenvolvimento sustentável

 

O INE apresenta os indicadores disponíveis para Portugal, decorrentes do quadro global de indicadores adotado pelas Nações Unidas para acompanhar os progressos realizados no âmbito dos ODS-Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030.


Os indicadores apresentados são maioritariamente produzidos ou divulgados no contexto do Sistema Estatístico Nacional, permitindo uma leitura estatística do desempenho nacional em relação aos ODS, desde 2010 até ao ano mais recente disponível.


É apresentada uma análise sintética do comportamento de cada indicador no período de referência, abrangendo os 17 ODS e, sempre que disponível e relevante, incluindo dados com desagregação geográfica a nível III da NUTS e a nível de município. São também divulgadas notas de enquadramento sobre a Agenda 2030 e sobre o ponto de situação em Portugal, relativamente ao plano e acompanhamento nacionais da implementação dos ODS. 


Adicionalmente é disponibilizada informação complementar aos indicadores em formato .xlsx, em articulação com o dossiê temático disponível no Portal do INE.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Pesca - 2017 30-05-2018

Estatísticas da Pesca - 2017

 

A publicação Estatísticas da Pesca, para o ano de 2017, apresenta-se organizada em 9 capítulos, com textos de análise e respetivos quadros estatísticos.

Esta publicação associa-se uma vez mais às comemorações do Dia do Pescador (31 de maio), disponibilizando um conjunto de informação relativa às Pescas em Portugal, bem como a alguns sectores da economia nacional relacionados. Os dados estatísticos divulgados incidem sobre assuntos tão diversificados como descargas e capturas por portos, espécies e NUTS II, mercado dos produtos da pesca e estruturas organizativas, frota de pesca, número de pescadores matriculados, informações relativas à indústria transformadora da pesca e aquicultura, comércio internacional do sector da pesca e atividades correlacionadas e dados relativos aos “stocks” e níveis de exploração.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Abril de 2018 25-05-2018

Boletim Mensal de Estatística - Abril de 2018

 

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Causas de morte - 2016 22-05-2018

Causas de morte - 2016

 

A publicação apresenta os resultados estatísticos relativos à mortalidade por causas de morte em Portugal durante o ano de 2016. Está organizada em fichas individuais para 55 grupos de causas de morte baseados na lista utilizada pela «OECD Health Data», com apresentação de uma análise descritiva para cada causa ou grupo de causas de morte, bem como um quadro síntese com dados e indicadores de mortalidade.
Incluem-se ainda quadros de dados com informação mais detalhada por grupo de causas de morte, nomeadamente contagens de óbitos por sexo, grupo etário e região de residência, bem como indicadores estatísticos derivados.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Maio de 2018 22-05-2018

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Maio de 2018

 

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.


Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Práticas de gestão - 2016 17-05-2018

Práticas de gestão - 2016

 

A publicação Práticas de Gestão - 2016 tem como objetivo caracterizar as práticas de gestão das sociedades com recurso a uma medida sintética da qualidade da gestão designada indicador gscore.

Esta análise foi desagregada em dois grupos — práticas mais estruturadas e práticas menos estruturadas — relacionando esta classificação com indicadores económicos, grau de qualificação dos recursos humanos e grau de utilização de tecnologias de informação e comunicação.
A evidência empírica aponta para uma associação significativa entre práticas de gestão e performance económica.
As empresas de maior dimensão, pertencentes a grupos, há mais anos no mercado, com elevada qualificação de recursos humanos e utilizando mais intensivamente tecnologias de informação e comunicação tendem não só a ser aquelas com melhor performance económica mas também as que exibem práticas de gestão mais estruturadas.

Os primeiros resultados deste inquérito foram divulgados no destaque à comunicação social: Inquérito às Práticas de Gestão 2016, em novembro de 2017.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Março de 2018 23-04-2018

Boletim Mensal de Estatística - Março de 2018

 

O Boletim Mensal de Estatística, contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Abril de 2018 20-04-2018

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Abril de 2018

 

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal 12-04-2018

REVSTAT - Statistical Journal

REVSTAT - Statistical Journal (Vol.16 Number 2 - April 2018)
Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.  Edição em língua inglesa.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Saúde - 2016 06-04-2018

Estatísticas da Saúde - 2016

A presente publicação apresenta os dados estatísticos sobre saúde relativos a Portugal em 2016, abrangendo – em geral com desagregação geográfica ao nível III da nova versão da  NUTS (NUTS 2013) – dez subtemas: hospitais, farmácias e medicamentos, pessoal de saúde inscrito, partos, morbilidade por doenças de declaração obrigatória, mortalidade geral, mortalidade infantil, mortalidade neonatal, mortalidade fetal e conta satélite da saúde.
Inclui ainda uma breve descrição das operações estatísticas que estão na origem dos dados publicados, bem como dos conceitos e classificações utilizados.


Consulte também a infografia Saúde em Portugal - 2016

SABER +
#