CALENDÁRIO +Info...

Sexta-Feira, 1 de Janeiro de 2021

Segunda-Feira, 4 de Janeiro de 2021

  • ITRM 2020 - 52ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 5 de Janeiro de 2021

Domingo, 10 de Janeiro de 2021

  • ICC 2021 - Jan: Últ. dia
  • ICCOP 2021 - Jan: Últ. dia
  • ICIT 2021 - Jan: Últ. dia
  • ICS 2021 - Jan: Últ. dia
  • IMPI 2020 - Dez: Últ. dia
  • IVNE 2020 - Dez: Últ. dia

Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2021

Sexta-Feira, 15 de Janeiro de 2021

Quarta-Feira, 20 de Janeiro de 2021

  • IMAMI 2020 - Dez: Últ. dia
  • IMAOC 2020 - Dez: Últ. dia
  • IMGA 2020 - Dez: Últ. dia
  • IMLV 2020 - Dez: Últ. dia

Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2021

Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021

INFORMAÇÕES

16-03-2020

Atendimento WebInq - Devido ao COVID-19 estão previstas algumas limitações no serviço de atendimento do WebInq. Sugere-se que privilegie o contacto através do  email: webinq@ine.pt. Agradecemos a vossa compreensão, em particular nestas circunstâncias atípicas e bastante incertas.

13-03-2020

Atenção - Dadas as circunstâncias atuais do COVID-19, o INE decidiu suspender as entrevistas presenciais devido ao risco para os inquiridos e entrevistadores. Manterá a inquirição por via telefónica ou via internet, para os quais apela à boa colaboração dos inquiridos.
 

EM DESTAQUE

0548
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 31
  • >
Imagem sobre Especial INE COVID-19 21-04-2020

Especial INE COVID-19

Estatísticas oficiais para acompanhamento do impacto social e económico da Pandemia COVID-19

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 42.º reporte semanal 25-01-2021

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 42.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- A atividade económica regional no contexto da pandemia COVID-19 – Março a novembro 2020, publicado a 15 de janeiro;
- Índices de Produção, Emprego, Remunerações na Construção – novembro de 2020, publicado a 11 de janeiro;
- Perspetivas de Exportação de Bens - 1ª Previsão – 2021, publicado a 11 de janeiro;
- Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas nos Serviços – novembro de 2020, publicado a 12 de janeiro;
- Índice de Preços no Consumidor – dezembro de 2020, publicado a 14 de janeiro;
- Atividade Turística – novembro de 2020, publicado a 15 de janeiro;
- Indicadores de contexto para a pandemia COVID-19 em Portugal – Dados até 13 de janeiro, publicado a 15 de janeiro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Viagens turísticas de residentes diminuíram 84,8% com destino ao estrangeiro e 18,5% em território nacional 25-01-2021

Viagens turísticas de residentes diminuíram 84,8% com destino ao estrangeiro e 18,5% em território nacional


No 3º trimestre de 2020, os residentes em Portugal realizaram 6,4 milhões de viagens, o que correspondeu a um decréscimo de 26,7% (-64,9% no 2ºT 2020). As viagens em território nacional concentraram 97,5% das deslocações (6,2 milhões), revelando um decréscimo de 18,5%. As viagens com destino ao estrangeiro diminuíram 84,8%, totalizando 161,9 mil, correspondendo a 2,5% no total (0,6% no 2ºT 2020).
Neste trimestre, o “lazer, recreio ou férias” continuou a ser a principal motivação para viajar (4,4 milhões de viagens, -22,5%), tendo a sua representatividade aumentado (70,0% do total, face a 66,2% no trimestre homólogo). O motivo “visita a familiares ou amigos” correspondeu a 1,6 milhões de viagens (24,4% do total, -2,2 p.p.), registando um decréscimo de 32,6%.
Os “hotéis e similares” concentraram 25,0% das dormidas resultantes das viagens turísticas no 3º trimestre de 2020, perdendo peso no total (-2,4 p.p.). O “alojamento particular gratuito” manteve-se como a principal opção (61,0% das dormidas, +4,4 p.p.).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Investimento empresarial terá diminuído 16,3% em 2020 e as perspetivas de investimento para 2021 apontam para um crescimento de 3,5% 25-01-2021

Investimento empresarial terá diminuído 16,3% em 2020 e as perspetivas de investimento para 2021 apontam para um crescimento de 3,5%

De acordo com os resultados apurados no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de outubro de 2020 (com período de inquirição entre 1 de outubro de 2020 e 14 de janeiro de 2021), o investimento empresarial em termos nominais diminuiu 16,3% em 2020, traduzindo uma redução expressiva face às perspetivas reveladas no inquérito anterior (variação de  8,9%). A revisão em baixa atingiu maior expressão entre as grandes empresas (4º escalão - 500 ou mais pessoas ao serviço e 3º escalão - entre 250 e 499 pessoas ao serviço), que terão cancelado ou adiado decisões de investimento (ver caixa).
Para 2021, os resultados do inquérito apontam para uma recuperação parcial do investimento empresarial, perspetivando-se um crescimento de 3,5%. Este crescimento centra-se nas empresas pertencentes ao 4º escalão, que projetam um aumento do investimento em 10,5% (contributo de 4,6 pontos percentuais (p.p.)) e nas do 3º escalão, com uma variação da FBCF de 19,0% em 2021 (contributo de 3,0 p.p.). As perspetivas das empresas dos restantes escalões (pequenas e médias empresas) apontam para a continuação da redução significativa do investimento em 2021, embora menos intensa que a registada em 2020.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Na última semana de 2020 e na primeira de 2021 registaram-se 6 705 óbitos, mais 1 300 óbitos que a média de 2015-2019 22-01-2021

Na última semana de 2020 e na primeira de 2021 registaram-se 6 705 óbitos, mais 1 300 óbitos que a média de 2015-2019

Na primeira semana de 2021 (4 a 10 de janeiro) registaram-se 3 634 óbitos, mais 563 óbitos relativamente à última semana de 2020 (3 071 óbitos) e mais 830 que a média de 2015-2019. Do total de óbitos na primeira semana de 2021, 729 óbitos foram por COVID-19, correspondendo a 20,1% do total.
Em 2020 registaram-se, em Portugal, 123 409 óbitos (dados preliminares), mais 11 118 que em 2019 e um excesso de mortalidade de 12 220 óbitos relativamente à média dos últimos cinco anos. Do total de óbitos, 61 441 foram de homens e 61 968 de mulheres, mais 5 269 e 5 849 que em 2019 e um excesso de mortalidade, respetivamente, de 5 643 e de 6 578 óbitos, em relação à média de 2015-2019.
Em 2020, mais de 70% dos óbitos (88 634) foram de pessoas com idades iguais ou superiores a 75 anos, dos quais cerca de 60% (53 088) de pessoas com 85 e mais anos.
Cerca de 1/3 dos óbitos registaram-se na região Norte. A Área Metropolitana de Lisboa e a região Centro concentraram cerca de metade da mortalidade registada em 2020.
O maior acréscimo de óbitos ocorreu fora de um estabelecimento hospitalar (domicílio ou noutro local), mais 16,5% que a média de 2015-2019 e mais 14,4% que em 2019.

SABER +
Imagem sobre No 4º trimestre, novembro terá sido o mês mais negativo para a atividade económica 20-01-2021

No 4º trimestre, novembro terá sido o mês mais negativo para a atividade económica

Em dezembro, o indicador de sentimento económico da Área Euro (AE) aumentou, quase compensando a diminuição registada em novembro. O indicador de confiança dos consumidores da AE recuperou significativamente em dezembro, após ter diminuído nos dois meses anteriores. Os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 8,8% e 13,9%, respetivamente (5,8% e 5,7% em novembro).
Em Portugal, não considerando médias móveis de três meses (ver secção seguinte), a informação disponível para novembro e dezembro revela uma interrupção da recuperação parcial da atividade económica observada desde maio. No entanto, os indicadores de confiança dos consumidores e de clima económico aumentaram em dezembro face ao mês anterior. O mesmo sucedeu com os indicadores de confiança na Indústria Transformadora, na Construção e Obras Públicas e, de forma ligeira, no Comércio. A exceção ocorreu nos Serviços em que o indicador diminuiu.
O montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais de pagamento automático na rede multibanco registou, em termos homólogos, reduções de 11,8% e 7,8% em novembro e dezembro, respetivamente (decréscimo de 6,3% em outubro). As vendas de veículos automóveis registaram taxas de variação homóloga de -19,6% nos automóveis ligeiros de passageiros, -19,1% nos comerciais ligeiros e -15,7% nos veículos pesados (-27,9%, -1,4% e +16,7% em novembro, respetivamente).
De acordo com as estimativas mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, situou-se em 7,2% em novembro, menos 0,3 pontos percentuais (p.p.) que em outubro (8,1% em agosto de 2020 e 6,7% em novembro de 2019). A taxa de subutilização do trabalho situou-se em 14,0%, menos 0,9 p.p. que no mês anterior (12,5% no período homólogo de 2019). A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, diminuiu 0,9% em termos homólogos (taxa de -1,7% em outubro), mas aumentou 0,6% face ao mês anterior.
Em 2020, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação média anual nula (0,3% em 2019) e uma variação homóloga de -0,2% em novembro e dezembro.
O índice de preços na produção da indústria transformadora apresentou em dezembro uma taxa de variação homóloga de -4,9% (-5,2% no mês anterior) e, excluindo a componente energética, de -0,8% em novembro e dezembro.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro desceu para 0,897%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 55 087 euros e 227 euros, respetivamente 19-01-2021

Taxa de juro desceu para 0,897%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 55 087 euros e 227 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,897% em dezembro (0, 918% no mês anterior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 0,857% em novembro para 0,790% em dezembro. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 172 euros, fixando-se em 55 087 euros. A prestação média desceu 1 euro, para os 227 euros.
Em 2020, a taxa de juro média anual para o total do crédito à habitação fixou-se em 0,957%, valor 10,3 p.b. inferior ao ano anterior. O capital médio em dívida aumentou 1 300 euros, para 54 240 euros. A prestação média mensal diminuiu 5,4% (13 euros), para 233 euros.

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial diminuíram 4,0% 19-01-2021

Preços na Produção Industrial diminuíram 4,0%

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) situou-se em -4,0% em dezembro (-4,7% no mês anterior). Excluindo o agrupamento de Energia a variação dos preços foi -0,7% (-0,7% em novembro). A variação mensal do índice agregado foi 0,1% (-0,6% em igual período de 2019).
No 4.º trimestre de 2020, o índice total apresentou uma variação homóloga de -4,5% (-5,0% no trimestre anterior). Excluindo a Energia, o índice diminuiu 0,8% (-1,4% no trimestre anterior).
Para o conjunto do ano 2020, a variação média do índice fixou-se em -4,2% (variação nula no ano de 2019), tendo os índices para o mercado interno e externo registado diminuições de 3,4% e 5,4% respetivamente (-0,3% e 0,6% no ano anterior, pela mesma ordem). Excluindo do índice total o agrupamento de Energia, a variação média foi -1,1% (0,4% em 2019).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 41.º reporte semanal 18-01-2021

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 41.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Inquéritos de Conjuntura às Empresas e aos Consumidores – dezembro de 2020, publicado a 04 de janeiro;
- Estimativa Rápida do IPC/IHPC – dezembro de 2020, publicado a 04 de janeiro;
- Estimativas Mensais de Emprego e Desemprego – novembro de 2020, publicado a 07 de janeiro;
- Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria – novembro de 2020, publicado a 08 de janeiro;
- Estatísticas do Comércio Internacional – novembro de 2020, publicado a 08 de janeiro;
- Índice de Custos de Construção de Habitação Nova – novembro de 2020, publicado a 08 de janeiro;
- Óbitos por semana - Dados preliminares 2020 – Semanas 1 a 52, publicado a 08 de janeiro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Redução de 82,1% do movimento de passageiros nos aeroportos nacionais 18-01-2021

Redução de 82,1% do movimento de passageiros nos aeroportos nacionais

Em novembro de 2020, nos aeroportos nacionais registou-se o movimento de 715 mil passageiros, representando um decréscimo de 82,1% (-74,1% em outubro). O movimento de carga e correio totalizou 14,2 mil toneladas, correspondendo a uma diminuição de 27,2% (-28,1% em outubro).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre COVID-19: como a pandemia afetou as economias regionais? 15-01-2021

COVID-19: como a pandemia afetou as economias regionais?

No quadro de protocolo celebrado entre as duas entidades, a AT transmite informação mensal ao INE obtida através do sistema E-fatura. Essa informação permite avaliar o comportamento da economia numa perspetiva regional no período de março (início dos efeitos económicos da pandemia) a novembro de 2020 (último mês disponível) face a igual período de 2019. Alguns dos factos apurados:
• Entre março e novembro de 2020, verificou-se, em Portugal, uma redução homóloga de -14,8% no valor da faturação, destacando-se com valores superiores à média nacional, o Algarve (-29,1%), a R. A. Madeira (-21,9%) e a AML (-18,4%). Em Portugal e em todas as NUTS II, esta contração foi mais acentuada de março a maio (-23,1% em Portugal), período coincidente com a fase de confinamento associado ao 1º Estado de Emergência.
• De março a novembro de 2020, os valores de faturação das Atividades de alojamento e das Atividades artísticas, de espetáculos, desportivas e recreativas representaram menos de metade do valor faturado no mesmo período de 2019. Em 21 das 25 NUTS III, as Atividades de alojamento também foram o ramo com maior contração homóloga de faturação. Inversamente, em 12 sub-regiões, o ramo Informação e comunicação apresentou o desempenho mais positivo.
• As sub-regiões Tâmega e Sousa e Área Metropolitana do Porto com um número de casos confirmados por 100 mil habitantes no período em análise superior ao valor do país, foram as sub-regiões com uma redução do valor faturado inferior à do país. No polo oposto, Algarve, Região Autónoma da Madeira e Alentejo Litoral apresentaram um número de casos confirmados abaixo da média do país e uma contração do valor faturado relativamente mais acentuada (ver figura 7).

STATSLAB - Estatísticas em desenvolvimento

SABER +
Imagem sobre Atividade Turística acentuou contração em novembro. Proveitos com quebras de 80% 15-01-2021

Atividade Turística acentuou contração em novembro. Proveitos com quebras de 80%

O setor do alojamento turístico  registou 407,1 mil hóspedes e 940,2 mil dormidas em novembro de 2020, correspondendo a variações de -76,8% e -76,9%, respetivamente (-60,1% e -63,6% em outubro, pela mesma ordem). As dormidas de residentes diminuíram 58,8% (-22,2% em outubro) e as de não residentes recuaram 85,5% (-76,7% no mês anterior).
Os proveitos totais registaram uma variação de -79,5% (-68,2% em outubro) e atingiram 47,1 milhões de euros. Os proveitos de aposento fixaram-se em 32,8 milhões de euros, diminuindo 80,2% (-69,2% no mês anterior).
Em novembro, 46,9% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (33,4% em outubro).
Em novembro, considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 440,7 mil hóspedes e 1,1 milhões de dormidas, correspondendo a evoluções de -76,0% e -74,2%, respetivamente (-58,8% e -61,5% em outubro, pela mesma ordem).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 13 de janeiro 15-01-2021

COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 13 de janeiro

A expressão da pandemia continua a ser caracterizada por uma elevada heterogeneidade territorial. Alguns dos resultados apurados foram os seguintes:
• Nas regiões Norte e Centro, as únicas a superar o valor médio nacional, o número de óbitos entre 7 de dezembro de 2020 e 3 de janeiro de 2021 foi 1,2 vezes superior ao observado no período homólogo de referência (média para o mesmo período nos cinco anos anteriores). Em 225 municípios o número de óbitos entre 7 de dezembro e 3 de janeiro foi superior ao valor homólogo de referência, dos quais 60 registaram um número de óbitos 1,5 vezes superior ao observado no período de referência.
• No dia 13 de janeiro de 2021, registaram-se em Portugal 61 273 novos casos nos últimos 7 dias, o valor mais elevado desde o início da pandemia COVID-19 em Portugal, e desde o dia 28 de dezembro de 2020 que se observa um aumento exponencial do número de novos casos nos últimos 7 dias. A taxa de incidência de COVID-19 a 14 dias foi 1 011, correspondendo ao número de novos casos confirmados de COVID-19 nos últimos 14 dias por cada 100 mil habitantes.
• A 5 de janeiro de 2021, data da última atualização de dados ao nível do município, apenas as regiões Norte (681 novos casos nos últimos 14 dias por 100 mil habitantes) e Centro (653) superaram a taxa de incidência de COVID-19 registada em Portugal (615).
• Os novos casos registados nos últimos 14 dias nas regiões Norte e Centro representavam 61% do total de novos casos do país. Com valores acima da média regional destacaram-se as sub-regiões do Cávado (916), Terras de Trás-os-Montes (874), Alto Tâmega (851), Ave (784) e o Douro (775), da região Norte, e as sub-regiões de Viseu Dão Lafões (791), Beiras e Serra da Estrela (774), Região de Aveiro (678) e Médio Tejo (674), da região Centro.
• A 5 de janeiro de 2021, 57 municípios registaram um número de novos casos confirmados de COVID-19 (últimos 14 dias) por 100 mil habitantes superior ao limiar definido como de risco extremamente elevado (960 novos casos por 100 mil habitantes), dos quais 19 pertenciam à NUTS II Norte e 21 pertenciam à NUTS II Centro.
• O menor nível de concentração territorial de novos casos COVID-19 (últimos 14 dias) ocorreu a 5 de janeiro de 2021 e o maior a 21 de junho, considerando o coeficiente de localização calculado semanalmente desde o dia 19 de abril. Até 21 de junho, a tendência foi no sentido de uma maior concentração dos novos casos registados a que se seguiu posteriormente uma redução da concentração.

SABER +
Imagem sobre A taxa de variação média anual do IPC foi nula em 2020 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,2% em dezembro 13-01-2021

A taxa de variação média anual do IPC foi nula em 2020 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,2% em dezembro

Em 2020, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação média anual nula, sucedendo a uma taxa de 0,3% registada no conjunto do ano de 2019. Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação média também foi nula (0,5% no ano anterior).
Em dezembro de 2020, o IPC registou uma variação homóloga de -0,2%, taxa idêntica à observada em novembro. Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a variação homóloga foi -0,1% (-0,2% no mês anterior). Em termos mensais, o IPC apresentou uma variação de -0,1% em dezembro (-0,3% no mês anterior e -0,1% em dezembro de 2019).
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma taxa de variação média de -0,1% em 2020 (0,3% no ano anterior). A taxa de variação homóloga situou-se em -0,3% em dezembro, taxa superior em 0,1 p.p. à observada em novembro de 2020 e idêntica à estimada pelo Eurostat para a área do Euro.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços diminuiu 15,3% 12-01-2021

Volume de Negócios nos Serviços diminuiu 15,3%

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de -15,3% em novembro, agravando em 2,2 pontos percentuais o resultado do mês precedente.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de -8,4%, -4,1% e -11,4%, respetivamente (-8,3%, -6,2% e -12,7% em outubro, pela mesma ordem).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção diminuiu 1,2% 11-01-2021

Produção na Construção diminuiu 1,2%

A variação do Índice de Produção na Construção recuperou 0,5 pontos percentuais face a Outubro, fixando-se em -1,2%. Os índices de emprego e de remunerações registaram variações homólogas de 0,3% e -3,2%, (variações de -0,1% e 0,3%,em Outubro, respetivamente).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Empresas perspetivam aumento nominal de 4,9% nas exportações de bens em 2021 11-01-2021

Empresas perspetivam aumento nominal de 4,9% nas exportações de bens em 2021

As empresas exportadoras de bens perspetivam um crescimento nominal de 4,9% das suas exportações em 2021 face ao ano anterior. Apesar destes valores representarem uma melhoria face às perspetivas indicadas pelas empresas para 2020 no inquérito precedente (-13,0%), não permitem ainda assim uma recuperação para valores próximos dos registados antes da pandemia.
Efetivamente, a confirmarem-se estas perspetivas, o valor das exportações de bens em 2021 corresponderá a um nível 12,8% inferior ao total das exportações de bens verificado em 2019.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 40.º reporte semanal 08-01-2021

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 40.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação – novembro de 2020, publicado a 27 de dezembro;
- Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas no Comércio a Retalho – novembro de 2020, publicado a 29 de dezembro;
- Atividade Turística - Estimativa Rápida – novembro de 2020, publicado a 30 de dezembro;
- Índices de Produção Industrial – novembro de 2020, publicado a 30 de dezembro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Custos de construção aumentam 1,7% em termos homólogos 08-01-2021

Custos de construção aumentam 1,7% em termos homólogos

Em novembro, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 1,7%, menos 0,6 pontos percentuais (p.p.) face ao observado no mês anterior. O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações de 1,3% e de 2,3% face ao período homólogo.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre As exportações e as importações diminuíram 0,4% e 12,1%, respetivamente, em termos nominais 08-01-2021

As exportações e as importações diminuíram 0,4% e 12,1%, respetivamente, em termos nominais

Em novembro de 2020, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de -0,4% e -12,1%, respetivamente (-2,3% e -11,4%, pela mesma ordem, em outubro de 2020). Destacam-se os decréscimos nas exportações e nas importações de Combustíveis e lubrificantes (-42,9% e -47,5%, respetivamente) e nas importações de Material de transporte (-35,3%), sobretudo Outro material de transporte (maioritariamente aviões).
Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 2,7% e as importações diminuíram 8,3% (-1,4% e -8,4%, pela mesma ordem, em outubro de 2020).
O défice da balança comercial de bens diminuiu 820 milhões de euros face ao mês homólogo de 2019, atingindo 888 milhões de euros em novembro de 2020. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 735 milhões de euros, correspondente a uma diminuição do défice de 651 milhões de euros em relação a novembro de 2019.
No trimestre terminado em novembro de 2020, as exportações e as importações de bens diminuíram respetivamente 0,9% e 10,8% face ao trimestre terminado em novembro de 2019 (-1,4% e -9,9%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em outubro de 2020).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria recuou 4,2% 08-01-2021

Volume de Negócios na Indústria recuou 4,2%

Em termos homólogos e nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria diminuiu 4,2% em novembro (-8,0% no mês anterior). Sem o agrupamento de Energia, as vendas passaram de uma redução de 6,4% em outubro para um crescimento de 0,9% em novembro. Os índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo registaram variações de -6,4% e -1,1% (-8,8% e -6,8% no mês anterior, pela mesma ordem).
O emprego e as horas trabalhadas  apresentaram variações homólogas de -2,6% e -7,4% (-3,0% e -8,1% em outubro), respetivamente, enquanto as remunerações aumentaram 1,7% (0,2% no mês precedente).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Dezembro de 2020 25-01-2021

Boletim Mensal de Estatística - Dezembro de 2020

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Janeiro de 2021 22-01-2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Janeiro de 2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre As Pessoas - 2019 07-01-2021

As Pessoas - 2019

Brochura de síntese de informação estatística relativa aos temas: População, Educação, Cultura e Desporto, Saúde, Mercado de Trabalho, Proteção Social e Rendimento e Condições de Vida.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Novembro de 2020 24-12-2020

Boletim Mensal de Estatística - Novembro de 2020

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Dezembro de 2020 23-12-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Dezembro de 2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Ambiente - 2019 21-12-2020

Estatísticas do Ambiente - 2019

A publicação Estatísticas do Ambiente, na sua edição de 2020, segue a linha editorial e a estrutura do ano anterior e apresenta uma análise detalhada do setor do ambiente privilegiando-se a divulgação da informação através de quadros com indicadores síntese, figuras e mapas.

SABER +
Imagem sobre Nomenclatura combinada - 2021 18-12-2020

Nomenclatura combinada - 2021

Nomenclatura Combinada (NC) é a nomenclatura das mercadorias da Comunidade Europeia que satisfaz as exigências das estatísticas do comércio internacional (intra e extracomunitário) e da pauta aduaneira comum, nos termos do artigo 9º do Tratado que institui a Comunidade Económica Europeia.
A presente publicação, destinada aos responsáveis pelo fornecimento da informação no domínio do comércio internacional, contém toda a NC, com exceção dos direitos aduaneiros e das correspondentes indicações complementares.

SABER +
Imagem sobre Anuário Estatístico da Região Autónoma da Madeira - 2019 17-12-2020

Anuário Estatístico da Região Autónoma da Madeira - 2019

A edição deste ano segue a estrutura temática adotada nas edições anteriores, consistindo em 27 subcapítulos agrupados em quatro grandes domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. No início de cada subcapítulo, apresenta-se um quadro com um conjunto de indicadores de síntese, visando uma comparação mais imediata do posicionamento das diferentes unidades territoriais nos fenómenos retratados.
Os quadros de informação disponibilizam as hiperligações para os indicadores em Dados Estatísticos | Base de Dados com o nível de desagregação geográfica de acordo com a informação editada.

Está disponível, também, a informação integrada dos quadros publicados para as sete regiões em Dossiês temáticos | Municípios.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Comércio - 2019 16-12-2020

Estatísticas do Comércio - 2019

A presente publicação sobre Estatísticas do Comércio divulga os principais resultados estatísticos relativos às empresas de comércio e estabelecimentos retalhistas de dimensão relevante em Portugal, no ano de 2019.

Relativamente às empresas de comércio (secção G da CAE), é apresentada informação com base nos dados preliminares do Sistema de Contas Integradas das Empresas (SCIE), bem como resultados do Inquérito às Empresas de Comércio (IECom) nomeadamente sobre a repartição do volume de negócios por produtos vendidos (nomenclatura CPA), abrangendo os setores automóvel, grossista e retalhista.

No que respeita a estabelecimentos de comércio a retalho, divulgam-se os principais resultados do Inquérito às Unidades Comerciais de Dimensão Relevante, sobre repartição de volume de negócios por produtos vendidos e ainda outras características da atividade destas unidades comerciais, de acordo com a natureza alimentar ou não alimentar dos estabelecimentos, a região onde se inserem, o escalão de área de vendas, entre outras ventilações.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Cultura - 2019 15-12-2020

Estatísticas da Cultura - 2019

O Instituto Nacional de Estatística divulga a publicação Estatísticas da Cultura - 2019 que disponibiliza informação sobre diversos temas e domínios culturais: ensino; emprego; índice de preços no consumidor de bens e serviços culturais; participação cultural, despesas das famílias em lazer, recreação e cultura, empresas do sector cultural e criativo; comércio internacional de bens culturais; património cultural; artes plásticas; materiais impressos e de literatura; cinema; artes do espetáculo; recintos de espetáculos; radiodifusão e financiamento das atividades culturais e criativas.

SABER +
#