Política de Cookies

Para poder prestar um serviço personalizado, funcional e de qualidade aos utilizadores do nosso serviço WEBINQ, o INE utiliza cookies próprios, imprescindíveis ao bom funcionamento do site.
Mais informação

CALENDÁRIO +Info...

Wednesday, 1 de September de 2021

Monday, 6 de September de 2021

  • ITRM 2021 - 34ª Semana: Últ. dia

Friday, 10 de September de 2021

  • ICC 2021 - Set: Últ. dia
  • ICCOP 2021 - Set: Últ. dia
  • ICIT 2021 - Set: Últ. dia
  • ICS 2021 - Set: Últ. dia
  • IMPI 2021 - Ago: Últ. dia
  • IPCAMP 2021 - Ago: Últ. dia
  • IPCOL 2021 - Ago: Últ. dia
  • IPHH 2021 - Ago: Últ. dia
  • IVNE 2021 - Ago: Últ. dia

Monday, 13 de September de 2021

  • ITRM 2021 - 35ª Semana: Últ. dia

Wednesday, 15 de September de 2021

Monday, 20 de September de 2021

  • IMAMI 2021 - Ago: Últ. dia
  • IMAOC 2021 - Ago: Últ. dia
  • ITRM 2021 - 36ª Semana: Últ. dia

Tuesday, 21 de September de 2021

  • IMGA 2021 - Ago: Últ. dia
  • IMLV 2021 - Ago: Últ. dia

Wednesday, 22 de September de 2021

  • IMTM 2021 - Ago: Últ. dia
  • ITRM 2021 - 40ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 41ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 42ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 43ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 44ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 45ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 46ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 47ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 48ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 49ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 50ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 51ª Semana: Início
  • ITRM 2021 - 52ª Semana: Início

Saturday, 25 de September de 2021

Monday, 27 de September de 2021

INFORMAÇÕES

13-03-2020

Atenção - Dadas as circunstâncias atuais da COVID-19, o INE decidiu suspender as entrevistas presenciais de alguns inquéritos devido ao risco para os inquiridos e entrevistadores. Manterá a inquirição por via telefónica ou via internet (quando aplicável), para os quais apela à boa colaboração dos inquiridos.
 

EM DESTAQUE

0108
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Região Norte manteve a esperança de vida mais elevada à nascença e Área Metropolitana de Lisboa manteve a esperança de vida mais elevada aos 65 anos - 2018-2020 24-09-2021

Região Norte manteve a esperança de vida mais elevada à nascença e Área Metropolitana de Lisboa manteve a esperança de vida mais elevada aos 65 anos - 2018-2020

A esperança de vida à nascença em Portugal foi estimada em 81,06 anos para o total da população, sendo de 78,07 anos para os homens e de 83,67 anos para as mulheres, no triénio 2018-2020.
A esperança de vida à nascença continua a ser superior para as mulheres, mas a diferença para os homens tem vindo a diminuir, sendo agora de 5,60 anos (6,02 em 2008-2010).
Por região NUTS II, foi no Norte que se verificaram os valores mais elevados para a esperança de vida à nascença, para o total da população (81,46 anos) e para homens (78,55 anos), e no Centro para mulheres (84,00).
As maiores diferenças de longevidade entre homens e mulheres observaram-se nas Regiões Autónomas da Madeira (6,89) e dos Açores (6,82) e as menores na Área Metropolitana de Lisboa (5,41) e no Norte (5,44).
Por região NUTS III, as maiores esperanças de vida à nascença foram observadas no Cávado (82,10 anos), na Região de Coimbra (81,58 anos) e na Região de Leiria (81,57 anos).
A esperança de vida aos 65 anos em Portugal atingiu 19,69 anos. Os homens de 65 anos de idade podem esperar viver, em média, mais 17,76 anos e as mulheres mais 21,11 anos.
Por região NUTS II, os valores mais elevados de esperança de vida aos 65 anos verificaram-se na Área Metropolitana de Lisboa (19,97 anos), tanto para homens (18,05 anos) como para mulheres (21,54 anos).
As três regiões NUTS III com maior longevidade aos 65 anos foram: Região de Coimbra (20,39 anos), Terras de Trás-os-Montes (20,28 anos) e Alto Tâmega (20,25 anos).

SABER +
Imagem sobre Rendimento Nacional Bruto regressa a variações positivas 23-09-2021

Rendimento Nacional Bruto regressa a variações positivas

A economia portuguesa apresentou um saldo externo de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano acabado no 2º trimestre de 2021. O Rendimento Nacional Bruto (RNB) e o Rendimento Disponível Bruto (RDB) aumentaram 3,7% e 4,0%, respetivamente, no ano acabado no 2º trimestre (depois de reduções de 1,1% e 1,0% no trimestre anterior), tendo o PIB nominal aumentado 3,6% (variação de -1,1% no ano acabado no 1º trimestre de 2021).
No 2º trimestre de 2021, a capacidade de financiamento das Famílias2 diminuiu 2,3 pontos percentuais (p.p.), para 5,2% do PIB e a taxa de poupança fixou-se em 11,5% (14,2% no trimestre anterior), refletindo sobretudo o crescimento de 4,4% do consumo privado (-1,8% no trimestre anterior).
O saldo das Sociedades Não Financeiras fixou-se em -0,9% do PIB, mais 1,7 p.p. que no trimestre anterior, traduzindo o aumento de 5,6% do Valor Acrescentado Bruto (VAB). A capacidade de financiamento das Sociedades Financeiras diminuiu 0,6 p.p. para 1,6% do PIB.
A necessidade de financiamento das Administrações Públicas (AP) diminuiu 1,2 p.p. no ano terminado no 2º trimestre de 2021, para 5,8% do PIB. Tomando como referência valores trimestrais e não o ano acabado no trimestre, o saldo das AP no 2º trimestre de 2021 atingiu -2 802,8 milhões de euros, correspondentes a -5,3% do PIB, o que compara com -10,6% no período homólogo.
A incorporação dos resultados finais de 2019 e, sobretudo, dos resultados provisórios de 2020 das Contas Nacionais Anuais, na estimação das Contas Nacionais Trimestrais determinaram revisões significativas (ver destaque também hoje publicado com estas contas anuais), salientando-se a revisão em alta (+0,7 p.p.) da variação homóloga em volume do PIB no 2º trimestre de 2021, para +16,2%, e uma revisão em baixa (-0,4 p.p.) da variação em cadeia, para 4,5%.

SABER +
Imagem sobre Principais Agregados das Administrações Públicas - 2020 23-09-2021

Principais Agregados das Administrações Públicas - 2020

O INE apresenta os dados dos principais agregados das Administrações Públicas (AP) relativos à estimativa provisória anual de 2020, tendo como referência a base 2016 das Contas Nacionais Portuguesas.
A estimativa provisória para o ano de 2020 revela que o setor das AP apresentou um saldo negativo (necessidade líquida de financiamento) de -11 684 milhões de euros, correspondente a -5,8% do PIB.

SABER +
Imagem sobre Procedimento dos Défices Excessivos - 2ª Notificação - 2021 23-09-2021

Procedimento dos Défices Excessivos - 2ª Notificação - 2021

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat, até ao final do mês corrente, a segunda notificação de 2021 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE). De acordo com os resultados provisórios obtidos neste exercício, em 2020 o saldo das Administrações Públicas (AP) atingiu -11 684,2 milhões de euros, o que correspondeu a -5,8% do PIB (saldo positivo de 0,1% em 2019). A dívida bruta das AP terá atingido 135,2% do PIB em 2020.

SABER +
Imagem sobre PIB em volume aumentou 2,7% em 2019 e contraiu 8,4% em 2020 23-09-2021

PIB em volume aumentou 2,7% em 2019 e contraiu 8,4% em 2020

No ano de 2020, marcado pelos efeitos económicos da pandemia COVID-19, o Produto Interno Bruto (PIB) ascendeu a 200,1 mil milhões de euros, o que representou uma diminuição nominal de 6,7% (+4,5% em 2019) e real de 8,4% (+2,7% em 2019), sendo o deflator implícito de 1,9% (1,7% em 2019). Com este resultado, 2020 passa a ser o ano com maior contração da atividade económica desde 1995 (início desta série das Contas Nacionais).
O Rendimento Nacional Bruto (RNB) diminuiu 5,7% em 2020, após o crescimento de 4,3% em 2019. A taxa de poupança das famílias disparou para 12,8%, 5,6 pontos percentuais (p.p.) superior ao ano anterior. A economia apresentou uma necessidade de financiamento de 0,1% do PIB, que contrasta com a capacidade de financiamento (1,0%) registada em 2019.
Os resultados apresentados, que correspondem à versão final de 2019 e à versão provisória de 2020 das Contas Nacionais, traduzem uma revisão em alta do PIB em 2019, de 0,2% em valor e volume, e uma revisão em baixa em 2020, de 1,3% em valor e 0,8% em volume, relativamente aos dados anteriormente divulgados. A revisão dos valores referentes a 2020 foi fundamentalmente determinada pela ainda maior contração que a inicialmente estimada das atividades de alojamento e restauração e transporte e armazenagem. Esta revisão traduziu sobretudo a incorporação dos resultados da Informação Empresarial Simplificada referente a 2020 entretanto disponibilizada.

SABER +
Imagem sobre Preços da Habitação aumentam 6,6% 22-09-2021

Preços da Habitação aumentam 6,6%

No 2º trimestre de 2021, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos, 1,4 pontos percentuais (p.p.) acima do observado no trimestre anterior. Neste período, os preços das habitações novas aumentaram a um ritmo superior ao das habitações existentes, 6,9% e 6,5%, respetivamente.
Em relação ao trimestre anterior, o IPHab aumentou 2,2% (1,6% no 1º trimestre de 2021). Por categoria, o aumento dos preços foi mais intenso nas habitações novas (3,5%) que nas habitações existentes (1,8%). 
Entre abril e junho de 2021 transacionaram-se 52 855 habitações, mais 58,3% face a idêntico período do ano anterior. Este aumento expressivo deve-se em parte a um efeito de base dado que a comparação homóloga incide nos meses de abril a junho de 2020, período caraterizado por restrições significativas sobre a atividade económica em consequência das medidas de contenção da pandemia COVID-19 que implicaram o número (e valor) mais baixo de transações desde o 3º trimestre de 2016. Por meses, o aumento do número de transações fixou-se em 75,1%, em abril, reduzindo-se para pouco mais de 50% nos dois meses seguintes. Em valor, no trimestre de referência, as habitações transacionadas contabilizaram aproximadamente 8,6 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 66,5% em termos homólogos. Abril foi o mês com o crescimento mais expressivo, com uma taxa de variação homóloga de 72,4%, seguindo-se junho e maio com variações de 64,3% e 63,9%, respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 77.º reporte semanal 21-09-2021

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 77.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Índices de Produção, Emprego, Remunerações na Construção – Julho de 2021, publicado a 13 de setembro;
- Atividade Turística – Julho de 2021, publicado a 14 de setembro;
- Índices de Preços na Produção Industrial – Agosto de 2021, publicado a 16 de setembro;
- Estatísticas Vitais - Dados mensais – Agosto de 2021, publicado a 17 de setembro;
- Atividade dos Transportes - Estatísticas rápidas do transporte aéreo – Julho de 2021, publicado a 17 de setembro;
- Síntese Económica de Conjuntura – Agosto de 2021, publicado a 17 de setembro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro desceu para 0,792%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 57 115 euros e 236 euros, respetivamente 20-09-2021

Taxa de juro desceu para 0,792%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 57 115 euros e 236 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,792% em agosto (0,800% no mês anterior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu de 0,674% em julho para 0,689% em agosto. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 325 euros, fixando-se em 57 115 euros. A prestação média subiu 1 euro, para 236 euros.

SABER +
Imagem sobre Mortalidade aumentou em agosto comparativamente com o mês homólogo de 2020 17-09-2021

Mortalidade aumentou em agosto comparativamente com o mês homólogo de 2020

No mês de agosto de 2021, o número de óbitos foi 9 157, valor superior ao registado no mês precedente (+361 óbitos). Neste mês, a tendência de redução do número de óbitos por comparação com o período homólogo de 2020 alterou-se, tendo-se registado mais 194 óbitos (2,2%) que em agosto de 2020. O número de óbitos por COVID-19 subiu para 388 (+120 relativamente a julho de 2021), representando 4,2% do total de óbitos. Comparativamente com agosto de 2020, registou-se um aumento de 301 óbitos por COVID-19.
Em julho de 2021 registaram-se 6 654 nados-vivos, correspondendo a uma redução de 10,5% relativamente ao mesmo mês de 2020, mantendo-se, assim, a tendência de decréscimo da natalidade verificada desde julho de 2020.
No mês de julho de 2021, o saldo natural registou o valor de -2 136. Apesar do agravamento relativamente a junho, o saldo natural foi menos negativo por comparação com o mês homólogo de 2020 (quando registou o valor de -2 966).
Em julho de 2021, celebraram-se 4 200 casamentos, correspondendo a 2,1 vezes o número de casamentos realizados no mês julho de 2020 (+2 163). De janeiro a julho de 2021 foram celebrados mais 4 666 casamentos do que no período homólogo de 2020 e menos 3 976 do que no período homólogo de 2019.

SABER +
Imagem sobre Transporte aéreo manteve tendência de crescimento em julho 17-09-2021

Transporte aéreo manteve tendência de crescimento em julho

Em julho de 2021, nos aeroportos nacionais registou-se o movimento de 2,8 milhões de passageiros e o movimento de carga e correio totalizou 16,5 mil toneladas (+116,1% e +71,9%, face a julho de 2020, respetivamente).
Comparando com julho de 2019, o movimento de passageiros diminuiu 55,8% e o movimento de carga e correio decresceu 10,3%.
Entre janeiro e julho de 2021, França foi o principal país de origem e de destino dos voos, seguindo-se, com um volume de passageiros significativamente mais reduzido, o Reino Unido e a Alemanha.

SABER +
Imagem sobre Recuperação da atividade económica prossegue 17-09-2021

Recuperação da atividade económica prossegue

A informação quantitativa mais recente disponível para julho revela taxas de crescimento homólogo menos intensas que o verificado nos meses precedentes, mas a informação disponível para o mês de agosto sugere uma melhoria da atividade económica. Como tem sido referido, a comparação em termos homólogos continua a ser influenciada, em grande medida, por efeitos de base em função da evolução do contexto pandémico.
Em geral, os indicadores de curto prazo ainda não atingiram em julho os níveis do período homólogo de 2019, com destaque para a atividade turística. Porém, no caso das exportações de bens em termos nominais, o nível registado em julho foi superior ao registado no período homólogo de 2019 e as importações nominais terão ficado próximas do valor então observado. Note-se no entanto que, para além da recuperação da atividade económica, estas evoluções refletem ainda aumentos de preços que se têm vindo a observar em 2021, mais intensos em bens energéticos e noutras matérias-primas. Os indicadores quantitativos de síntese (atividade económica, consumo privado e investimento) apresentaram em julho de 2021 crescimentos menos intensos que em junho. Todavia, em agosto, o indicador de clima económico aumentou, depois de ter interrompido no mês anterior o perfil ascendente observado entre março e junho.
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (16 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 6,6% em julho, menos 0,2 pontos percentuais (p.p.) que em junho (7,0% em abril e 8,1% em julho de 2020). A taxa de subutilização do trabalho (16 a 74 anos) situou-se em 12,5% (12,8% em junho e 15,7% no período homólogo de 2020).
A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 1,5% em agosto, taxa idêntica à do mês anterior. Diferentemente, o índice de preços na produção da indústria transformadora acelerou em agosto para uma taxa de variação homóloga de 9,3% (8,6% no mês anterior), registando o crescimento mais elevado da presente série.

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial aumentaram 11,0% 16-09-2021

Preços na Produção Industrial aumentaram 11,0%

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) situou-se em 11,0% em agosto (10,1% no mês anterior). Excluindo o agrupamento de Energia, esta variação foi 7,0% (6,7% no mês precedente). A variação mensal do índice agregado foi 0,8% (variação nula em igual mês de 2020).

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 76.º reporte semanal 15-09-2021

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 76.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Atividade dos Transportes – 2.º Trimestre de 2021, publicado a 08 de setembro;
- Índice de Custos de Construção de Habitação Nova – julho de 2021, publicado a 08 de setembro;
- Estatísticas do Comércio Internacional – julho de 2021, publicado a 09 de setembro;
- Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria – julho de 2021, publicado a 09 de setembro;
- Índice de Preços no Consumidor – agosto de 2021, publicado a 10 de setembro;
- Construção: Obras Licenciadas e Concluídas – 2.º Trimestre de 2021, publicado a 10 de setembro;
- Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas nos Serviços – julho de 2021, publicado a 10 de setembro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Dormidas de residentes em julho com crescimento expressivo na RA Madeira, RA Açores, Algarve e Alentejo face ao mesmo mês de 2019 14-09-2021

Dormidas de residentes em julho com crescimento expressivo na RA Madeira, RA Açores, Algarve e Alentejo face ao mesmo mês de 2019

O setor do alojamento turístico registou 1,6 milhões de hóspedes e 4,5 milhões de dormidas em julho de 2021, o que compara com 1,0 milhão hóspedes e 2,6 milhões de dormidas em julho de 2020. Os níveis atingidos em julho de 2021 foram, no entanto, inferiores aos observados em julho de 2019, tendo diminuído o número de hóspedes e de dormidas, 42,5% e 45,0%, respetivamente. Comparando ainda com julho de 2019, observa-se um crescimento de 6,4% nas dormidas de residentes e um decréscimo de 67,6% nas dormidas de não residentes.
Os proveitos registados nos estabelecimentos de alojamento turístico atingiram 296,9 milhões de euros no total e 223,4 milhões de euros relativamente a aposento. Comparando com julho de 2019, os proveitos totais diminuíram 44,5% e os relativos a aposento decresceram 46,7%. O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 40,4 euros em julho (31,4 euros em junho). O rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 99,9 euros em julho (86,8 euros em junho). Em julho de 2019, o RevPAR e o ADR foram 70,0 euros e 106,8 euros, respetivamente.
Para o decréscimo dos proveitos de aposento que se observou em julho, quando comparado com o mesmo mês de 2019 (-46,7%), contribuíram, por um lado, a diminuição do número de dormidas neste mês (-45,0%) e, por outro, a diminuição do ADR (-6,5%).
Entre janeiro e julho de 2021, considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 5,8 milhões de hóspedes e 14,8 milhões de dormidas, correspondendo a variações de -1,2% em ambos, face ao mesmo período de 2020.

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção aumentou 4,1% 13-09-2021

Produção na Construção aumentou 4,1%

O Índice de Produção na Construção cresceu 4,1% em julho, em termos homólogos, desacelerando 3,6 pontos percentuais (p.p.) face ao mês anterior. O emprego e as remunerações apresentaram variações homólogas de 2,1% e 5,6% (2,5% e 9,0% em junho), respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços cresceu 11,8% 10-09-2021

Volume de Negócios nos Serviços cresceu 11,8%

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de 11,8% em julho, inferior em 8,7 pontos percentuais (p.p.) à taxa observada no mês precedente. A intensidade da variação continua a refletir efeitos base, dado que a comparação incide em meses muito afetados pela pandemia. Com efeito, o índice de julho de 2021 foi 6,3% inferior ao de julho de 2019.
A variação em cadeia do índice global foi -0,3% (5,4% em junho).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,0%, 4,0% e 5,6%, respetivamente (0,3%, 8,8% e 10,0% em junho, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Licenciamento e obras concluídas em níveis superiores ao período pré-pandemia 10-09-2021

Licenciamento e obras concluídas em níveis superiores ao período pré-pandemia

No 2º trimestre de 2021 foram licenciados 6,5 mil edifícios, +27,1% face ao mesmo trimestre do ano anterior (+8,3% no 1º trimestre de 2021). Este valor supera em 9,3% os edifícios licenciados no 2º trimestre de 2019 (período pré-pandemia COVID-19). Os edifícios licenciados em construções novas aumentaram 27,3%, +14,7% face ao 2º trimestre de 2019 (+9,8% no 1º trimestre de 2021). O licenciamento para reabilitação registou um crescimento de 25,4%, traduzindo-se num decréscimo de 6,7% em relação ao 2º trimestre de 2019 (+2,9% no 1º trimestre de 2021). Os edifícios concluídos cresceram 3,3% (+5,6% no 1º trimestre de 2021; +7,9% face ao 2º trimestre de 2019), totalizando 3,7 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados decresceu 1,5% (+13,0% no 1º trimestre de 2021) e o número de edifícios concluídos diminuiu 0,4% (-3,0% no 1º trimestre de 2021).
Numa análise mensal, verifica-se que após o decréscimo homólogo observado em janeiro (-13,3%), os edifícios licenciados observaram um crescimento muito significativo em março, abril e maio (+45,3%, +70,5% e +22,9%, respetivamente). Quando comparado com os mesmos meses de 2019, este crescimento é também relevante nos meses de março, abril e junho (+25,2%, +27,7% e +8,8%, respetivamente).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC manteve-se em 1,5% 10-09-2021

Taxa de variação homóloga do IPC manteve-se em 1,5%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 1,5% em agosto de 2021, taxa idêntica à observada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,9% (0,8% em julho).
A variação mensal do IPC foi -0,2% (-0,3% no mês precedente e em agosto de 2020). A variação média dos últimos doze meses foi 0,5% (0,4% em julho).
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português apresentou uma variação homóloga de 1,3%, taxa superior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à do mês anterior e inferior em 1,7 p.p. ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em julho de 2021, esta diferença foi 1,1 p.p.).
O IHPC registou uma variação mensal de -0,1% (-0,4% no mês anterior e -0,3% em agosto de 2020) e uma variação média dos últimos doze meses de 0,1% (-0,1% no mês precedente).
No final do destaque apresenta-se ainda uma caixa com a evolução dos preços da eletricidade em Portugal e em Espanha.

SABER +
Imagem sobre Exportações e importações aumentaram 11,7% e 21,4%, em termos nominais 09-09-2021

Exportações e importações aumentaram 11,7% e 21,4%, em termos nominais

Em julho de 2021, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +11,7% e +21,4%, respetivamente (+21,7% e +29,6%, pela mesma ordem, em junho de 2021). Face a julho de 2019, verificaram-se variações de +4,1% e -2,0%, pela mesma ordem.
Excluindo Combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações aumentaram 8,6% e 15,2%, respetivamente (+17,9% e +24,6%, pela mesma ordem, em junho de 2021). Em comparação com julho de 2019, registou-se um acréscimo de 4,8% nas exportações e um decréscimo de 2,2% nas importações.
O défice da balança comercial de bens aumentou 662 milhões de euros face ao mês homólogo de 2020 (diminuiu 371 milhões de euros em relação a julho de 2019), atingindo 1 493 milhões de euros em julho de 2021. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice atingiu 943 milhões de euros.
No trimestre terminado em julho de 2021, as exportações de bens aumentaram 26,6% e as importações cresceram 33,5% em relação ao mesmo período de 2020 (+49,1% e +48,2%, pela mesma ordem, no 2º trimestre de 2021). Comparando com o trimestre terminado em julho de 2019, as exportações aumentaram 2,2% e as importações diminuíram 2,8%.
Além da habitual publicação de resultados mensais, divulgam-se neste destaque os resultados definitivos para o ano de 2020, que apresentam revisões ligeiras face aos resultados preliminares divulgados em junho: taxas de variação anuais de -10,3% nas exportações e de -14,8% nas importações face a 2019, correspondendo a revisões de -0,1 p.p. e de +0,3 p.p., respetivamente, face aos resultados preliminares.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria cresceu 11,8% 09-09-2021

Volume de Negócios na Indústria cresceu 11,8%

O Índice de Volume de Negócios na Indústria registou um crescimento homólogo nominal de 11,8% em julho (18,8% no mês anterior). As variações dos índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo situaram-se em 7,8% e 17,8% (14,1% e 25,8% em junho), respetivamente. Os aumentos acentuados continuam a refletir um efeito base, dado que a comparação incide em meses muito afetados pela pandemia. Comparando julho de 2021 com julho de 2019, os índices total, do mercado nacional e do mercado externo variaram, respetivamente, -0,3%, -1,8% e 1,9%.

O emprego, as remunerações e as horas trabalhadas  apresentaram variações homólogas de 0,8%, 5,8% e 3,7%, respetivamente (0,2%, 8,0% e 6,2% no mês anterior, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Agosto de 2021 21-09-2021

Boletim Mensal de Estatística - Agosto de 2021

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais;  População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2021 21-09-2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2021

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2021 20-08-2021

Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2021

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2021 20-08-2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2021

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do rendimento ao nível local - 2019 27-07-2021

Estatísticas do rendimento ao nível local - 2019

O INE divulga as Estatísticas do Rendimento ao nível local com base em dados fiscais anonimizados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) relativos à Nota de liquidação do imposto sobre o Rendimento das pessoas Singulares (IRS – Modelo 3), obtidos no âmbito de um protocolo celebrado entre as duas entidades.

Os resultados apresentados nesta publicação baseiam-se nos valores do rendimento bruto, declarado do IRS liquidado e da variável derivada rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado, por agregado fiscal e por sujeito passivo. O ano em que se centra a análise é 2019, último ano com informação disponibilizada ao INE, embora se apresentem dados para 2018. 

Os resultados encontram-se estruturados em fichas de síntese para os municípios com 2 mil ou mais sujeitos passivos deste imposto e para as 25 sub-regiões NUTS III do país.

Esta iniciativa insere-se no quadro de desenvolvimento da Infraestrutura Nacional de Dados (IND) no INE, que corresponde ao corolário de um caminho que tem sido prosseguido nos últimos anos de integração de dados provenientes de fontes diversas. As Estatísticas do Rendimento ao nível local, resultantes do aproveitamento de fontes administrativas, pretendem contribuir para a leitura da diversidade territorial da distribuição do rendimento à escala local.


Estatísticas em desenvolvimento

STATSLab-Estatísticas em desenvolvimento

 

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Julho de 2021 23-07-2021

REVSTAT - Statistical Journal - Julho de 2021

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.

SABER +
Imagem sobre Portugal em números - 2020 23-07-2021

Portugal em números - 2020

A publicação Portugal em Números apresenta informação estatística de síntese sobre Portugal organizada em quatro áreas: o Território, as Pessoas, a Atividade económica e o Estado.

Edição bilingue

SABER +
Imagem sobre Estatísticas Agrícolas - 2020 22-07-2021

Estatísticas Agrícolas - 2020

A publicação Estatísticas Agrícolas - 2020, está organizada em 12 capítulos, com textos de análise e respetivos quadros estatísticos. A informação divulgada cobre a atividade agrícola e alguns setores da economia nacional com ligações ao setor agrícola, incluindo temas tão diversificados como a produção vegetal, animal e florestal; a economia agrícola, analisada através das contas económicas da agricultura, da silvicultura e preços e índices de preços na agricultura, bem como o comércio internacional de produtos agrícolas e florestais, entre outros.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2021 21-07-2021

Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2021

Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2021 21-07-2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2021

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
#