CALENDÁRIO +Info...

Terça-Feira, 1 de Setembro de 2020

Segunda-Feira, 7 de Setembro de 2020

  • ITRM 2020 - 35ª Semana: Últ. dia

Quinta-Feira, 10 de Setembro de 2020

  • IMPI 2020 - Ago: Últ. dia
  • IVNE 2020 - Ago: Últ. dia

Segunda-Feira, 14 de Setembro de 2020

  • ICC 2020 - Set: Últ. dia
  • ICCOP 2020 - Set: Últ. dia
  • ICIT 2020 - Set: Últ. dia
  • ICS 2020 - Set: Últ. dia
  • ITRM 2020 - 36ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 15 de Setembro de 2020

Domingo, 20 de Setembro de 2020

  • IMAMI 2020 - Ago: Últ. dia
  • IMAOC 2020 - Ago: Últ. dia
  • ITRM 2020 - 49ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 51ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 47ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 45ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 50ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 41ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 52ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 48ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 40ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 42ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 46ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 43ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 44ª Semana: Início

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2020

  • IMGA 2020 - Ago: Últ. dia
  • IMLV 2020 - Ago: Últ. dia
  • ITRM 2020 - 37ª Semana: Últ. dia

Sexta-Feira, 25 de Setembro de 2020

  • IMAAC 2020 - Ago: Últ. dia
  • IMVC 2020 - Ago: Últ. dia
  • IPMC 2020 - Set: Últ. dia
  • IPPI 2020 - Set: Últ. dia

Segunda-Feira, 28 de Setembro de 2020

  • ITRM 2020 - 38ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

16-03-2020

Atendimento WebInq - Devido ao COVID-19 estão previstas algumas limitações no serviço de atendimento do WebInq. Sugere-se que privilegie o contacto através do  email: webinq@ine.pt. Agradecemos a vossa compreensão, em particular nestas circunstâncias atípicas e bastante incertas.

13-03-2020

Atenção - Dadas as circunstâncias atuais do COVID-19, o INE decidiu suspender as entrevistas presenciais devido ao risco para os inquiridos e entrevistadores. Manterá a inquirição por via telefónica ou via internet, para os quais apela à boa colaboração dos inquiridos.
 

EM DESTAQUE

0154
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 31
  • >
Imagem sobre Especial INE COVID-19 21-04-2020

Especial INE COVID-19

Estatísticas oficiais para acompanhamento do impacto social e económico da Pandemia COVID-19

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 25.º reporte semanal 23-09-2020

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 25.º reporte semanal

O INE disponibiliza o 25.º reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19. Apresenta, de forma sintética, alguns dos resultados estatísticos mais relevantes sobre esta matéria divulgados nos últimos dias.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Atividade Turística – julho de 2020, publicado a 15 de setembro;
- Índices de Preços na Produção Industrial – agosto de 2020, publicado a 17 de setembro;
- Estatísticas Rápidas do Transporte Aéreo – julho de 2020, publicado a 17 de setembro;
- Síntese Económica de Conjuntura – agosto de 2020, publicado a 17 de setembro;
- Óbitos por semana - Dados preliminares 2020, publicado a 18 de setembro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Procedimento dos Défices Excessivos (2ª Notificação de 2020) 23-09-2020

Procedimento dos Défices Excessivos (2ª Notificação de 2020)

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat, até ao final do mês corrente, a segunda notificação de 2020 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE). De acordo com os resultados provisórios obtidos neste exercício, em 2019 o saldo das Administrações Públicas (AP) (capacidade de financiamento) atingiu 177 milhões de euros, o que correspondeu a 0,1% do PIB (-0,3% em 2018). A dívida bruta das AP terá atingido 117,2% do PIB em 2019.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Contas Nacionais: Resultados anuais finais para 2018 e provisórios para 2019 23-09-2020

Contas Nacionais: Resultados anuais finais para 2018 e provisórios para 2019

O PIB fixou-se em 213 301 milhões de euros em 2019, o que correspondeu a um aumento de 4,0% em valor (4,7% em 2018), traduzindo um crescimento de 2,2% em volume (2,8% em 2018) e um deflator implícito de 1,7% (1,8% em 2018). O crescimento real da economia foi determinado principalmente pelos contributos (medidos em termos líquidos de Importações) da Despesa de Consumo Final das Famílias e das Exportações, com contributos de 0,8 pontos percentuais (p.p.) cada.
O Rendimento Nacional Bruto (RNB) cresceu 4,1% em 2019 (4,6% no ano anterior). A taxa de poupança das famílias foi de 7,2% em 2019, 0,2 p.p. superior a 2018. A capacidade de financiamento da economia fixou-se em 1,0% do PIB em 2019, menos 0,2 p.p. que no ano anterior.

SABER +
Imagem sobre Capacidade de financiamento da economia situou-se em 1,0% do PIB 23-09-2020

Capacidade de financiamento da economia situou-se em 1,0% do PIB

• A capacidade de financiamento da economia situou-se em 1,0% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano acabado no 2º trimestre de 2020, aumentando 0,1 pontos percentuais (p.p.) face ao trimestre anterior. O Rendimento Disponível Bruto (RDB) e o PIB nominal diminuíram 2,8% e 3,3% no ano acabado no 2º trimestre de 2020.
• A capacidade de financiamento das Famílias aumentou 2,2 p.p., para 4,0% do PIB no ano acabado no 2º trimestre de 2020 e a taxa de poupança aumentou para 10,6% (7,5% no trimestre anterior). Este resultado reflete sobretudo a diminuição de 3,7% do consumo final.
• O saldo das Sociedades Não Financeiras agravou-se em 0,3 p.p. no 2º trimestre, fixando-se em -3,1% do PIB, refletindo sobretudo a redução de 4,9% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) nominal. A capacidade de financiamento das Sociedades Financeiras manteve-se em 2,0% do PIB.
• O saldo do setor das AP reduziu-se em 1,8 p.p. no ano terminado no 2º trimestre de 2020, relativamente ao trimestre anterior, representando uma necessidade de financiamento das AP de 1,9% do PIB. Tomando como referência valores trimestrais e não o ano acabado no trimestre, o saldo das AP foi negativo no 2º trimestre de 2020, atingindo –4 858,2 milhões de euros (-10,5% do PIB, o que compara com -2,2% no trimestre homólogo). Considerando o conjunto do primeiro semestre de 2020, o saldo das AP fixou-se -5,4% do PIB em 2020, o que compara com -1,2% em igual período de 2019.
• Considerando valores efetivos e não valores referentes ao ano acabado no trimestre, é de assinalar o aumento expressivo da taxa de poupança em cerca de 12 p.p. no 2º trimestre de 2020 face ao observado em idêntico período de 2019. Salienta-se ainda a redução do peso do excedente bruto de exploração no VAB das Sociedades Não Financeiras em 7,6 pontos percentuais, a maior diminuição em termos homólogos da série disponível.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Principais agregados das Administrações Públicas - 2019 23-09-2020

Principais agregados das Administrações Públicas - 2019

O INE apresenta os dados dos principais agregados das Administrações Públicas (AP) relativos à estimativa provisória anual de 2019, tendo como referência a base 2016 das Contas Nacionais Portuguesas.
A estimativa provisória para o ano de 2019 revela que o setor das AP apresentou um saldo positivo (capacidade líquida de financiamento) de 177 milhões de euros, correspondente a 0,1% do PIB. Saliente-se, do lado da despesa, o crescimento das prestações sociais e, do lado da receita, o crescimento das contribuições sociais e dos impostos sobre a produção e importação.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Não residentes representaram 13,3% do valor das aquisições de imóveis 22-09-2020

Não residentes representaram 13,3% do valor das aquisições de imóveis

Em 2019, 8,5% dos imóveis transacionados em Portugal foram vendidos a não residentes, correspondendo a 13,3% do valor total transacionado (8,2% e 13,0%, respetivamente, em 2018). Depois dos acréscimos expressivos tanto em número como em valor nos anos anteriores (+14,5% e +19,2% em número e +22,2% e +22,6% em valor, respetivamente em 2018 e 2017), em 2019 o número de imóveis adquiridos por não residentes diminuiu 2,0%, tendo aumentado apenas 1,0% em valor.
Em 2019, o valor médio dos prédios vendidos a não residentes situou-se em 176 429€ (+3,1% face a 2018). Este valor é 57% superior ao valor médio das transações totais, uma diferença semelhante à que se verificou em 2018.
Tal como no ano anterior, foram os residentes em França que mais imóveis adquiriram em Portugal (18,1% do valor total dos imóveis adquiridos por não residentes), seguidos pelos residentes no Reino Unido (17,3%). Entre os principais países de residência dos compradores não residentes, é de salientar a China, cujo valor médio dos imóveis adquiridos por residentes neste país (373 071€) foi mais do dobro do valor médio total dos imóveis vendidos a residentes no estrangeiro.
O valor médio dos imóveis adquiridos por não residentes por preço igual ou superior a 500 000€ atingiu 923 016€, aumentando 3,2% face a 2018.
O Algarve ultrapassou a Área Metropolitana de Lisboa, tendo representado 37,7% do valor das aquisições por não residentes (35,8% na AML), em resultado das variações respetivas de +6,1% e -8,5%, face a 2018.

SABER +
Imagem sobre Preços da habitação desaceleram para 7,8% e valor das transações reduz-se 15,2% 22-09-2020

Preços da habitação desaceleram para 7,8% e valor das transações reduz-se 15,2%

No 2º trimestre de 2020, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) registou um aumento, em termos homólogos, de 7,8%, menos 2,5 pontos percentuais (p.p.) que no trimestre anterior. No trimestre de referência, a taxa de variação dos preços das habitações existentes foi 8,2%, acima da observada nas habitações novas (6,0%).
Em relação ao trimestre anterior, o IPHab aumentou 0,8% (4,9% no 1º trimestre de 2020). Neste período, o crescimento dos preços das habitações novas superou o das habitações existentes, 1,2% e 0,7%, respetivamente.
Entre abril e junho de 2020 foram transacionados 33 398 alojamentos com um valor total de 5,1 mil milhões de euros, o que representa uma redução, face ao mesmo período do ano anterior, de 21,6% e 15,2%, respetivamente. Por meses, abril foi aquele que registou a diminuição mais intensa nas transações, 35,2% no número e 25,0% no valor. Em maio e junho observaram-se variações menos negativas, de -22,0% e -7,6%, respetivamente, no número de transações, e de -14,2% e -7,0% do respetivo valor, pela mesma ordem.


Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro subiu para 0,967%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 54 317 euros e 226 euros, respetivamente 21-09-2020

Taxa de juro subiu para 0,967%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 54 317 euros e 226 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,967% em agosto (0,950% no mês anterior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu de 0,969% em julho para 1,003% em agosto. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 114 euros, fixando-se em 54 317 euros. A prestação média manteve-se em 226 euros.

SABER +
Imagem sobre A mortalidade em Portugal no contexto da pandemia COVID-19 - Semanas 1 a 35 18-09-2020

A mortalidade em Portugal no contexto da pandemia COVID-19 - Semanas 1 a 35

Entre 2 de março, data em que foram diagnosticados os primeiros casos com a doença COVID-19 em Portugal, e 30 de agosto, registaram-se 57 971 óbitos em território nacional, mais 6 312 óbitos do que a média, em período homólogo, dos últimos cinco anos. Destes, 1 822 foram devido à COVID-19.
O aumento dos óbitos, registado a partir de março de 2020, atingiu um pico na semana 15 (6 a 12 de abril), reduzindo-se gradualmente até ao fim do período de Estado de Emergência (3 de maio). No final de maio voltou a verificar-se novo pico na mortalidade, retornando aos valores de anos anteriores nas semanas 24 e 25 (8 a 21 de junho). A sobremortalidade relativamente à média do período homólogo atingiu o máximo na semana 29 (13 a 19 de julho), registando-se um excedente de mortalidade de cerca de 800 óbitos.
Do total de óbitos no período 2 de março a 30 de agosto, ocorreram 28 400 óbitos de homens e 29 391 de mulheres, mais 2 597 e 3 715 óbitos, respetivamente, em relação à média de óbitos observada no período homólogo de 2015-2019.
Mais de 70% dos óbitos foram de pessoas com idades iguais ou superiores a 75 anos. Comparativamente com a média de óbitos observada em período homólogo de 2015-2019, morreram mais 5 518 pessoas com 75 e mais anos, das quais mais 4 371 com 85 e mais anos.
O maior acréscimo no número de óbitos relativamente à média 2015-2019 registou-se na região Norte, com exceção da última semana de junho e as primeiras de julho em que este acréscimo foi superior na Área Metropolitana de Lisboa.
Embora a maior proporção de óbitos tenha sempre ocorrido em estabelecimento hospitalar, a proporção de óbitos em domicílio e outro local foi, a partir de 2 de março, superior à média de 2015-2019, atingindo na semana 12 (16 a 23 de março) 46,1% do total de óbitos nessa semana.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Informação já disponivel para agosto aponta para redução menos intensa da atividade económica 17-09-2020

Informação já disponivel para agosto aponta para redução menos intensa da atividade económica

Em agosto, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico aumentaram na Área Euro (AE), de forma ténue no primeiro caso. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 7,6% e 0,3%, respetivamente (4,6% e 5,4% em julho).

Em Portugal, não considerando médias móveis de três meses (ver secção seguinte), a atividade económica tem vindo a registar reduções expressivas mas progressivamente menos intensas entre junho e agosto. O indicador de confiança dos Consumidores aumentou em agosto, após ter diminuído no mês anterior, tendo o indicador de clima económico continuado a recuperar em agosto, à semelhança dos três meses anteriores, das fortes reduções verificadas em abril. Os indicadores de confiança aumentaram em todos os sectores de atividade, de forma mais expressiva nos Serviços e no Comércio, recuperando também na Construção e Obras Públicas e na Indústria Transformadora.
O montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais de pagamento automático na rede multibanco diminuiu 8,1% em agosto, em termos homólogos, após ter diminuído 9,7% em julho. As vendas de veículos automóveis registaram taxas de variação homóloga de -0,1% nos automóveis ligeiros de passageiros, -40,5% nos comerciais ligeiros e -7,2% nos veículos pesados (-17,6%, -19,4% e 67,3% em julho, respetivamente).
De acordo com as estimativas mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, situou-se em 8,1% em julho, mais 0,8 pontos percentuais (p.p.) que o valor definitivo registado em junho (6,3% em abril e 6,5% em julho de 2019). A taxa de subutilização do trabalho situou-se em 15,7%, mais 0,2 p.p. que no mês anterior (12,9% no período homólogo de 2019). A estimativa da população empregada (15 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, diminuiu 3,5% em termos homólogos, mas cresceu 0,1% face ao mês anterior (variação homóloga de -3,4% em junho).
A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi nula em agosto (variação de 0,1% em julho), observando-se uma taxa de variação de -0,1% na componente de bens (-0,2% no mês anterior) e de 0,1% na componente de serviços (0,6% em julho).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Movimento nos aeroportos nacionais em julho em recuperação, mas ainda distante dos valores homólogos 17-09-2020

Movimento nos aeroportos nacionais em julho em recuperação, mas ainda distante dos valores homólogos

Em julho de 2020, nos aeroportos nacionais registou-se o movimento de 1,3 milhões de passageiros, representando um decréscimo de 79,5% (-94,6% em junho). O movimento de carga e correio totalizou 9,6 mil toneladas, correspondendo a uma diminuição de 47,8% (-54,1% em junho).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial diminuíram 5,0% 17-09-2020

Preços na Produção Industrial diminuíram 5,0%

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) apresentou uma variação homóloga de -5,0% em agosto (-5,4% no mês anterior), em grande medida explicada pelo agrupamento de Energia, sem o qual a redução do índice foi -1,4% (-1,6% em julho). A variação mensal do índice agregado foi nula (-0,5% em agosto de 2019).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 24.º reporte semanal 15-09-2020

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 24.º reporte semanal

O INE disponibiliza o 24.º reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19. Apresenta, de forma sintética, alguns dos resultados estatísticos mais relevantes sobre esta matéria divulgados nos últimos dias.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Índice de Custos de Construção de Habitação Nova – julho de 2020, publicado a 08 de setembro;
- Estatísticas do Comércio Internacional – julho de 2020, publicado a 09 de setembro;
- Atividade dos Transportes – 2.º Trimestre de 2020, publicado a 09 de setembro;
- Índice de Produção, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Construção e Obras Públicas – julho de 2020, publicado a 10 de setembro;
- Índice de Preços no Consumidor – agosto de 2020, publicado a 10 de setembro;
- Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria – julho de 2020, publicado a 10 de setembro;
- Construção: Obras Licenciadas e Concluídas – 2.º Trimestre de 2020, publicado a 11 de setembro;
- Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas nos Serviços – julho de 2020, publicado a 11 de setembro;
- Indicadores de contexto para a pandemia COVID-19 em Portugal, publicado a 11 de setembro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Atividade turística mantém recuperação em julho, principalmente devido aos residentes 15-09-2020

Atividade turística mantém recuperação em julho, principalmente devido aos residentes

O setor do alojamento turístico registou 1,0 milhões de hóspedes e 2,6 milhões de dormidas em julho de 2020, correspondendo a variações de -64,0% e -68,1%, respetivamente (-82,4% e -85,5% em junho, pela mesma ordem). As dormidas de residentes diminuíram 30,8% (-59,4% em junho) e as de não residentes recuaram 84,5% (-96,7% no mês anterior).
Os proveitos totais registaram uma variação de -70,5% (-88,6% em junho), fixando-se em 157,9 milhões de euros. Os proveitos de aposento atingiram 123,7 milhões de euros, diminuindo 70,5% (-88,2% no mês anterior).
Em julho, 27,8% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (48,1% em junho).
Em julho, considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 1,2 milhões de hóspedes e 3,3 milhões de dormidas, correspondendo a evoluções de -62,0% e -65,1%, respetivamente (-80,7% e -82,6% em junho, pela mesma ordem).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 09 de setembro 11-09-2020

COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 09 de setembro

A expressão da pandemia continua a ser caracterizada por uma elevada heterogeneidade territorial. Alguns dos resultados apurados foram os seguintes:
• O número preliminar de óbitos entre 1 de março e 30 de agosto de 2020 foi superior em 5 882 ao de igual período de 2019. Esta variação resultou sobretudo do acréscimo dos óbitos de pessoas com 75 e mais anos (+ 5 162). Em 164 dos 308 municípios portugueses, os óbitos nas últimas quatro semanas (entre 3 e 30 de agosto de 2020) foi superior ao valor homólogo de referência.
• A partir do final de agosto observa-se uma tendência de aumento do número de novos casos COVID-19, com valores acima de 2 500 novos casos a partir de 7 de setembro (valores acumulados dos últimos 7 dias) e atingindo os 3 075 novos casos (correspondentes a 3,0 novos casos por 10 mil habitantes) a 9 de setembro.
• A 6 de setembro, data de referência dos últimos dados divulgados pela DGS ao nível municipal, por cada 10 mil habitantes, registaram-se, 2,4 novos casos de COVID-19. Em 53 municípios, o número de novos casos confirmados por 10 mil habitantes foi superior a este valor, destacando-se um conjunto de 13 municípios na AMP e territórios limítrofes e 11 municípios da AML.
• A análise da concentração territorial dos novos casos revelou uma tendência de aumento até 14 de junho (últimos 7 dias), seguida de uma progressiva redução, atingindo-se o maior nível de dispersão territorial da série de 19 de abril a 6 de setembro, a 6 de setembro.
• No conjunto de 7 dias terminados a 6 de setembro, a AML representava 40% dos novos casos do país (28% da população residente, em 2019). Ao longo das últimas semanas, verificou-se também um aumento do número de novos casos na AMP, registando-se uma aproximação aos valores de novos casos confirmados por 10 mil habitantes observados para o país. Os novos casos registados nas duas áreas metropolitanas representavam a 6 de setembro mais de metade (56%) do total de novos casos do país.
• A 6 de setembro existiam em Portugal 58,8 casos de COVID-19 por 10 mil habitantes. A leitura da relação entre o número de casos confirmados e o número de novos casos (últimos 7 dias) por 10 mil habitantes evidenciou nove municípios da AML com valores acima da média nacional em ambos os indicadores e que concentravam 33% do total de novos casos do país e 81% dos novos casos da AML.
• Adicionalmente, a análise de regressão da série diária dos novos casos confirmados de COVID 19, evidencia uma estrutura semanal caracterizada pelo registo de um maior número de casos diários, em termos relativos, em cada semana nos dias úteis de 3ª a 6ª feira, do que os apurados nos outros dias. Este padrão determina o recurso complementar a médias móveis de 7 dias (ou valores acumulados de 7 dias) para avaliar o comportamento tendencial da série.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços caiu 16,2% 11-09-2020

Volume de Negócios nos Serviços caiu 16,2%

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de -16,2% em julho, recuperando 6,3 pontos percentuais (p.p.) face à variação observada no mês precedente.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de -8,9%, -7,5% e -15,2%, respetivamente (-8,3%, -9,0% e -16,4% em junho, pela mesma ordem).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Edifícios licenciados e concluídos diminuíram 14,7% e 2,8%, respetivamente 11-09-2020

Edifícios licenciados e concluídos diminuíram 14,7% e 2,8%, respetivamente

No 2º trimestre de 2020 foram licenciados 5,0 mil edifícios, o que corresponde a um decréscimo de 14,7% face ao mesmo período do ano anterior (-5,5% no 1º trimestre de 2020). Os edifícios licenciados em construções novas decresceram 12,0% e o licenciamento para reabilitação diminuiu 21,6% (-2,2% e -11,2%, respetivamente, no 1º trimestre de 2020). Os edifícios concluídos diminuíram 2,8% (+32,2% no 1º trimestre de 2020), totalizando 3,4 mil edifícios.
Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados decresceu 16,0% (+2,4% no 1º trimestre de 2020) e o número de edifícios concluídos diminuiu 21,9% (+11,5% no 1º trimestre de 2020).
Numa análise mensal, verifica-se que os edifícios licenciados apresentaram uma tendência homóloga decrescente de janeiro a maio de 2020, tendo invertido esta tendência nos meses de junho e julho, com crescimentos de 7,5% e 2,8%, respetivamente.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção diminuiu 5,5% 10-09-2020

Produção na Construção diminuiu 5,5%

O Índice de Produção na Construção diminuiu 5,5% em julho, recuperando 3,0 pontos percentuais (p.p.) face ao valor observado em junho. Os índices de emprego e de remunerações registaram variações homólogas de -0,9% e -2,0%, respetivamente (variações de -1,6% e -2,6% no mês anterior).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC foi nula 10-09-2020

Taxa de variação homóloga do IPC foi nula

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi nula em agosto de 2020, taxa inferior 0,1 pontos percentuais (p.p.) à registada em julho. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de -0,1%, taxa inferior em 0,2 p.p. à registada em julho.
A variação mensal do IPC foi -0,3% (-1,3% no mês precedente e -0,1% em agosto de 2019). A variação média dos últimos doze meses foi 0,1%, taxa idêntica à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de -0,2%, taxa inferior em 0,1 p.p. à do mês anterior e idêntica à estimada pelo Eurostat para a área do Euro (em julho de 2020, a variação do IHPC português tinha sido inferior à da área do Euro em 0,5 p.p.).
O IHPC registou uma variação mensal de -0,3% (-2,0% no mês anterior e -0,1% em agosto de 2019) e uma variação média dos últimos doze meses de 0,1% (valor idêntico ao registado no mês precedente).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria diminuiu 11,1% 10-09-2020

Volume de Negócios na Indústria diminuiu 11,1%

Em termos homólogos e nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria diminuiu 11,1% em julho (redução de 10,9% no mês anterior). Os índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo apresentaram variações de -9,1% e -13,9% (-8,4% e -14,5% em junho), respetivamente.
O emprego, as remunerações e as horas trabalhadas registaram reduções homólogas de 2,9%, 0,5% e 9,1% (variações de -2,9% -2,3% e -9,3% em junho, pela mesma ordem).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Agosto de 2020 22-09-2020

Boletim Mensal de Estatística - Agosto de 2020

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2020 21-09-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Setembro de 2020

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Inquérito ao Setor da Economia Social - 2018 14-09-2020

Inquérito ao Setor da Economia Social - 2018

O INE lançou em junho de 2019 o Inquérito ao Setor da Economia Social (ISES), uma operação estatística nova no âmbito do Sistema Estatístico Nacional (SEN), que surgiu na sequência da realização, em 2017, do Inquérito às Práticas de Gestão (IPG) das sociedades não financeiras.

As questões do inquérito resultaram do trabalho desenvolvido com a colaboração da CASES-Cooperativa António Sérgio para a Economia Social.

Os primeiros resultados deste inquérito foram divulgados em 27 de novembro de 2019, no dia Europeu da Economia Social, na área STATSlab do Portal, correspondendo a estatísticas em desenvolvimento, dado que se centravam essencialmente na análise das práticas de gestão das entidades da economia social.

A publicação que agora se divulga resulta de um desenvolvimento dos resultados do inquérito ao Setor da Economia Social permitindo, para além da análise das práticas de gestão, divulgar outro tipo de informação que possibilita uma caracterização mais detalhada do setor, nomeadamente em termos das atividades desenvolvidas, composição interna, relações com entidades do setor público e privado, indicadores de medição do impacto social destas entidades e modalidades de financiamento.

Consulte, também, a infografia sobre o Inquérito ao Setor da Economia Social - 2018

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2020 24-08-2020

Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2020

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2020 21-08-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Julho de 2020 04-08-2020

REVSTAT - Statistical Journal - Julho de 2020

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Turismo - 2019 31-07-2020

Estatísticas do Turismo - 2019

A publicação Estatísticas do Turismo - 2019 apresenta informações gerais e os principais resultados de estatísticas de turismo incluindo:

- enquadramento - contexto económico internacional e nacional, com base em informação de fontes diversas, designadamente a Organização Mundial de Turismo, Eurostat, Fundo Monetário Internacional, Banco de Portugal e Segurança Social. Inclui ainda resultados apurados sobre movimento de cruzeiros marítimos, chegadas de turistas a Portugal, remuneração bruta mensal por trabalhador nas atividades de Alojamento e uma análise à distribuição das principais variáveis de caracterização das atividades de alojamento.

- oferta de alojamento turístico e ocupação - resultados da oferta e ocupação para a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude) e dentro do conjunto do setor dos estabelecimentos de alojamento turístico, de acordo com os três segmentos: estabelecimentos hoteleiros, turismo no espaço rural/de habitação e ainda o alojamento local. Análise da sazonalidade no alojamento turístico.

- procura turística dos residentes - resultados detalhados sobre turistas (residentes) bem como a caracterização das suas viagens em várias vertentes, incluindo excursionismo.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do rendimento ao nível local - 2018 29-07-2020

Estatísticas do rendimento ao nível local - 2018

O INE divulga as Estatísticas do Rendimento ao nível local com base em dados fiscais anonimizados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) relativos à Nota de liquidação do imposto sobre o Rendimento das pessoas Singulares (IRS – Modelo 3), obtidos no âmbito de um protocolo celebrado entre as duas entidades.

Os resultados apresentados nesta publicação baseiam-se nos valores do rendimento bruto declarado do IRS liquidado e da variável derivada rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado por agregado fiscal e por sujeito passivo. O ano em que se centra a análise é 2018, embora seja apresentada informação para o período de 2016 a 2018.

Os resultados encontram-se estruturados em fichas de síntese para os municípios com 2 mil ou mais sujeitos passivos deste imposto e para as 25 sub-regiões NUTS III do país.

Esta iniciativa insere-se no quadro de desenvolvimento da Infraestrutura Nacional de Dados (IND) no INE, que corresponde ao corolário de um caminho que tem sido prosseguido nos últimos anos de integração de dados provenientes de fontes diversas. As Estatísticas do Rendimento ao nível local, resultantes do aproveitamento de fontes administrativas, pretendem contribuir para a leitura da diversidade territorial da distribuição do rendimento à escala local.


Estatísticas em desenvolvimento

STATSLab-Estatísticas em desenvolvimento

 

SABER +
Imagem sobre Anuário Estatístico de Portugal - 2019 22-07-2020

Anuário Estatístico de Portugal - 2019

O Instituto Nacional de Estatística apresenta a 111ª edição do Anuário Estatístico de Portugal (AEP), a qual dá continuidade a uma longa tradição iniciada em 1877 (AEP 1875).

O AEP 2019 apresenta uma análise global que permite uma visão abrangente dos fenómenos registados em 2019 em termos sociais, económicos e demográficos.

A atual edição está organizada em 30 subcapítulos, distribuídos em 4 grandes temas: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. Cada subcapítulo consiste numa análise estatística sintética acompanhada de uma página infográfica, permitindo uma rápida apreensão dos fenómenos salientados.

Os dados estatísticos, que acompanham esta publicação, apresentam séries temporais desagregadas ao nível de NUTS I e II, possibilitando uma comparação cronológica e espacial dos fenómenos retratados.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2020 22-07-2020

Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2020

Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
#