Política de Cookies

Para poder prestar um serviço personalizado, funcional e de qualidade aos utilizadores do nosso serviço WEBINQ, o INE utiliza cookies próprios, imprescindíveis ao bom funcionamento do site.
Mais informação

CALENDÁRIO +Info...

Wednesday, 1 de March de 2023

Monday, 6 de March de 2023

  • ITRM 2023 - 8ª Semana: Últ. dia

Friday, 10 de March de 2023

  • IAPI 2022: Últ. dia
  • ICC 2023 - Mar: Últ. dia
  • ICCOP 2023 - Mar: Últ. dia
  • ICIT 2023 - Mar: Últ. dia
  • ICS 2023 - Mar: Últ. dia
  • IMPI 2023 - Fev: Últ. dia
  • IPCAMP 2023 - Fev: Últ. dia
  • IPCOL 2023 - Fev: Últ. dia
  • IPHH 2023 - Fev: Últ. dia
  • IVNE 2023 - Fev: Últ. dia

Monday, 13 de March de 2023

  • ITRM 2023 - 9ª Semana: Últ. dia
  • SPE 2022: Últ. dia

Wednesday, 15 de March de 2023

Monday, 20 de March de 2023

Tuesday, 21 de March de 2023

  • IMGA 2023 - Fev: Últ. dia
  • IMLV 2023 - Fev: Últ. dia

Wednesday, 22 de March de 2023

  • IEV 2022: Últ. dia
  • IMTM 2023 - Fev: Últ. dia

Friday, 24 de March de 2023

  • IHPARA 2022: Início
  • IMA 2023 - Fev: Últ. dia
  • ITRM 2023 - 14ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 15ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 16ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 17ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 18ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 19ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 20ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 21ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 22ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 23ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 24ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 25ª Semana: Início
  • ITRM 2023 - 26ª Semana: Início

Saturday, 25 de March de 2023

  • IMAAC 2023 - Fev: Últ. dia
  • IMVC 2023 - Fev: Últ. dia
  • IPMC 2023 - Mar: Últ. dia
  • IPPI 2023 - Mar: Últ. dia

Monday, 27 de March de 2023

  • ITRM 2023 - 11ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

0654
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Preços da habitação aumentaram 12,6% em 2022 e 11,3% no 4º trimestre de 2022 22-03-2023

Preços da habitação aumentaram 12,6% em 2022 e 11,3% no 4º trimestre de 2022

Em 2022, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 12,6%, 3,2 pontos percentuais (p.p.) acima da variação observada em 2021. O aumento médio anual dos preços das habitações existentes (13,9%) superou o das habitações novas (8,7%). 

No último trimestre de 2022, a taxa de variação homóloga do IPHab foi 11,3%, menos 1,8 p.p. relativamente ao trimestre anterior. No 4º trimestre de 2022, o crescimento dos preços das habitações existentes foi superior ao observado nas habitações novas, 12,7% e 7,1%, respetivamente.

No ano de 2022 foram transacionadas 167 900 habitações, mais 1,3% que em 2021. Em valor, os alojamentos transacionados totalizaram 31,8 mil milhões de euros, o que representa um aumento de 13,1% face ao ano anterior. Por categoria, as habitações existentes registaram uma redução de 0,1% no número e um aumento de 11,6% no valor das transações. Relativamente às habitações novas, observou-se um aumento de 8,5% no número de transações e de 18,2% no valor.

No 4º trimestre de 2022 transacionaram-se 38 526 habitações, traduzindo-se numa taxa de variação homóloga de -16,0% e numa redução de 8,8% relativamente ao trimestre anterior. Nos últimos três meses de 2022, as habitações transacionadas perfizeram 7,4 mil milhões de euros, menos 10,5% face a idêntico período de 2021.

As aquisições de alojamentos pelo setor institucional das Famílias, em 2022, aumentaram 2,7% face ao ano transato, fixando-se em 145 515 unidades e totalizando 27,3 mil milhões de euros.

Em 2022, registaram-se 10 722 vendas de habitações, por um total de 3,6 mil milhões de euros, a compradores com domicílio fiscal fora do Território Nacional, correspondendo a um crescimento de 20,2% e 25,3%, respetivamente, em número e valor, relativamente ao ano de 2021.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro subiu para 2,532%, o valor mais elevado desde março de 2012 17-03-2023

Taxa de juro subiu para 2,532%, o valor mais elevado desde março de 2012

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 2,532% em fevereiro, o valor mais elevado desde março de 2012, traduzindo uma subida de 34,9 pontos base (p.b.) face a janeiro (2,183% ). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu de 3,139% em janeiro para 3,409% em fevereiro. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 177 euros, para 62 533 euros. A prestação média fixou-se em 322 euros em fevereiro, traduzindo uma subida de 7 euros face a janeiro e 67 euros (26,3%) comparativamente com fevereiro de 2022. Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação subiu 38 euros, para 569 euros.

SABER +
Imagem sobre Em janeiro de 2023, número de casamentos celebrados aumentou 44,5% relativamente a jane 17-03-2023

Em janeiro de 2023, número de casamentos celebrados aumentou 44,5% relativamente a janeiro de 2022

Em fevereiro de 2023, o número de óbitos foi 10 803, valor inferior ao registado em janeiro de 2023 (menos 1 123 óbitos; -9,4%), mas superior ao registado em fevereiro de 2022 (mais 129 óbitos; +1,2%). Neste mês, o número de óbitos devido a COVID-19 desceu para 191 (menos 41, relativamente a janeiro de 2023), representando 1,8% do total de óbitos. Comparativamente com fevereiro de 2022, registou-se uma redução de 924 óbitos devido a COVID-19.

Em janeiro de 2023, registaram-se 7 146 nados-vivos, correspondendo a um aumento de 11,8% relativamente a janeiro de 2022 (6 393).

Em janeiro de 2023, o saldo natural foi -4 756, desagravando-se em relação ao do mês homólogo de 2022, quando registou o valor de -5 344.

Em janeiro de 2023, celebraram-se 1 656 casamentos, correspondendo a um aumento de 44,5% relativamente ao número de casamentos realizados em janeiro de 2022 (mais 510 casamentos). 

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica aumentou em janeiro. Preços na produção industrial e n 17-03-2023

Indicador de atividade económica aumentou em janeiro. Preços na produção industrial e no consumidor desaceleraram, mas mantendo crescimentos elevados

Em fevereiro, o indicador de sentimento económico da Área Euro (AE) registou uma ligeira diminuição, após ter aumentado nos três meses anteriores. Os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 0,3% e 0,7%, respetivamente (4,5% e 0,2% em janeiro). 

Em Portugal, o índice de preços na produção da indústria transformadora desacelerou nos últimos sete meses, de forma significativa em fevereiro, apresentando uma taxa de variação homóloga de 12,3% (16,9% no mês anterior). Excluindo a componente energética, este índice aumentou 10,6% em termos homólogos (12,4% em janeiro). O índice relativo aos bens de consumo registou uma variação homóloga de 14,7% (16,0% no mês anterior), desacelerando pelo terceiro mês consecutivo, após ter atingido em novembro o valor mais elevado da série (16,2%). Por sua vez, a variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) abrandou para 8,2% em fevereiro, taxa inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à observada no mês anterior. O índice referente aos produtos alimentares não transformados continuou a acelerar, passando de uma variação homóloga de 18,5%, em janeiro, para 20,1%, a taxa mais elevada desde maio de 1990. Na vertente externa, os preços implícitos das exportações e das importações de bens desaceleraram em janeiro pelo quinto mês consecutivo, para crescimentos homólogos de 8,1% nas exportações e 7,0% nas importações (9,7% e 12,2%, respetivamente, em dezembro).

Os indicadores de curto prazo relativos à atividade económica na perspetiva da produção, disponíveis para janeiro, apontam para uma aceleração na indústria, em volume e valor, e na construção, em termos reais, e para um abrandamento nos serviços em termos nominais.

Na perspetiva da despesa, o indicador quantitativo de síntese de consumo privado aumentou em janeiro, enquanto o indicador de investimento registou uma diminuição. O indicador de atividade económica aumentou intensamente em janeiro, após ter diminuído em termos homólogos em novembro e dezembro. Por sua vez, o indicador de clima económico, que sintetiza as questões relativas aos inquéritos qualitativos às empresas, aumentou em janeiro e fevereiro, após ter estabilizado no mês anterior.

De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (16 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 7,1% em janeiro, mais 0,3 p.p. que no mês anterior (6,0% em outubro e 5,9% em janeiro de 2022). A taxa de subutilização do trabalho (16 a 74 anos) situou-se em 12,4%, mais 0,2 p.p. que em dezembro (11,5% em janeiro de 2022). Em janeiro, a população empregada (16 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, cresceu 0,5% face ao mês anterior e 0,1% em termos homólogos (variação homóloga de -0,4% em dezembro).

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial desaceleraram para 8,8% 16-03-2023

Preços na Produção Industrial desaceleraram para 8,8%

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) manteve a tendência de desaceleração, passando de uma variação homóloga de 10,4% em janeiro para 8,8% em fevereiro. O abrandamento dos Bens Intermédios teve o maior contributo para esta evolução.

Excluindo o agrupamento da Energia, os preços na produção industrial apresentaram uma variação de 10,5% (12,2% no mês anterior). 

A variação mensal do índice agregado foi de 1,2% (2,7% em fevereiro de 2022).

SABER +
Imagem sobre O que nos dizem os Censos sobre dinâmicas territoriais 15-03-2023

O que nos dizem os Censos sobre dinâmicas territoriais

O Instituto Nacional de Estatística disponibiliza hoje a publicação “O que nos dizem os Censos sobre dinâmicas territoriais”, com base nos resultados do XVI Recenseamento Geral da População e VI Recenseamento Geral da Habitação (Censos 2021) sobre as dinâmicas do território.

Constitui o quinto número da série de estudos publicada pelo INE, no âmbito dos Censos 2021, que procura aprofundar algumas das dimensões censitárias mais relevantes ao nível da população, dos agregados familiares e da habitação.

Em anexo à Publicação, disponibiliza-se o conjunto de indicadores objeto de análise na publicação, privilegiando-se o detalhe geográfico ao nível das NUTS III, municípios e freguesias, e sempre que relevante com informação que permite a comparação entre os Censos 2011 e os Censos 2021.

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre Exportações e importações aumentaram 14,5% e 10,3% em termos nominais 13-03-2023

Exportações e importações aumentaram 14,5% e 10,3% em termos nominais

Em janeiro de 2023, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +14,5% e +10,3%, respetivamente (+9,5% e +9,2%, pela mesma ordem, em dezembro de 2022). Estas variações poderão refletir, em parte, efeitos de calendário, dado que janeiro de 2023 teve mais um dia útil que o mês homólogo de 2022 e mais dois que o mês passado.

Excluindo Combustíveis e lubrificantes, observaram-se aumentos de 14,3% nas exportações e 10,8% nas importações (+7,0% e +8,1%, respetivamente, em dezembro de 2022). 

Os índices de valor unitário (preços) registaram variações de +8,1% nas exportações e +7,0% nas importações (+9,7% e +12,2%, respetivamente, em dezembro de 2022). Excluindo os produtos petrolíferos, as variações foram +8,1% nas exportações e +5,9% nas importações (+8,4% e +9,1% em dezembro de 2022, pela mesma ordem). 

O défice da balança comercial registou uma melhoria de 27 milhões de euros face a janeiro de 2022, atingindo 1 963 milhões de euros. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice totalizou 1 325 milhões de euros, diminuindo 35 milhões de euros relativamente a janeiro de 2022.

No trimestre terminado em janeiro de 2023, as exportações e as importações aumentaram 14,3% e 12,3%, respetivamente, em relação ao mesmo período de 2022 (+16,2% e +17,4%, pela mesma ordem, no 4º trimestre de 2022).

SABER +
Imagem sobre Transporte aéreo de passageiros mantém tendência de crescimento 13-03-2023

Transporte aéreo de passageiros mantém tendência de crescimento

Em janeiro de 2023, nos aeroportos nacionais movimentaram-se 3,9 milhões de passageiros e 16,7 mil toneladas de carga e correio, correspondendo a variações de +84,0% e -0,4%, respetivamente, face a janeiro de 2022. 

Comparando com janeiro de 2020 (antes do início da pandemia), o movimento de passageiros aumentou 5,7% e o movimento de carga e correio diminuiu 3,2%.

Em janeiro de 2023, registou-se o desembarque médio diário de 60,7 mil passageiros nos aeroportos nacionais, valor significativamente superior ao registado em janeiro de 2022 (31,9 mil; +89,9%) e 5,4% acima do verificado em janeiro de 2020 (57,6 mil).

França foi o principal país de origem e de destino dos voos, mas foram Espanha e Reino Unido que registaram maiores crescimentos face a janeiro de 2022, ocupando, respetivamente, a 2ª e a 3ª posição.

SABER +
Imagem sobre Proveitos do setor do alojamento turístico mantêm tendência de crescimento 13-03-2023

Proveitos do setor do alojamento turístico mantêm tendência de crescimento

Em janeiro de 2023, o setor do alojamento turístico registou 1,5 milhões de hóspedes (+72,5%) e 3,5 milhões de dormidas (+74,5%), correspondendo a 212,4 milhões de euros de proveitos totais (+99,0%) e 153,9 milhões de euros de proveitos de aposento (+102,3%). Comparando com janeiro de 2020, quando ainda não se observavam efeitos da pandemia, registaram-se aumentos de 21,6% nos proveitos totais e 24,0% nos relativos a aposento.

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 29,0 euros, e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 78,4 euros (+86,2% e +17,7% face a janeiro de 2022, respetivamente). Em relação a janeiro de 2020, o RevPAR aumentou 16,6% e o ADR cresceu 16,7%. 

Em janeiro, entre os municípios com maior representatividade no total de dormidas, destaca-se Albufeira, que continuou a apresentar redução das dormidas face a 2020, tanto de residentes (-17,5%) como de não residentes (-9,9%).

Considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), em janeiro de 2023 registaram-se 1,5 milhões de hóspedes e 3,8 milhões de dormidas, correspondendo a crescimentos de 70,4% e 70,0%, respetivamente. Comparando com janeiro de 2020, as dormidas aumentaram 6,4% (+6,5% nos residentes e +6,3% nos não residentes).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC diminuiu para 8,2% 10-03-2023

Taxa de variação homóloga do IPC diminuiu para 8,2%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) diminuiu, pela quarta vez consecutiva, para 8,2% em fevereiro de 2023, taxa inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à observada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) acelerou para uma variação de 7,2% (7,0% em janeiro). A variação do índice relativo aos produtos energéticos diminuiu, também pelo quarto mês consecutivo, para 1,9% (7,1% no mês precedente), enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados registou uma variação de 20,1% (18,5% no mês anterior), a taxa mais elevada desde maio de 1990.

A variação mensal do IPC foi 0,3% (-0,8% no mês precedente e 0,4% em fevereiro de 2022). A variação média dos últimos doze meses foi 8,6% (8,2% em janeiro). 

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português apresentou uma variação homóloga de 8,6%, valor idêntico ao registado no mês anterior e superior em 0,1 p.p. ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em janeiro, a variação do IHPC português tinha sido idêntica à da área do Euro). Excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, o IHPC em Portugal atingiu uma variação homóloga de 8,0% em fevereiro (7,8% em janeiro), superior à taxa correspondente para a área do Euro (estimada em 7,4%).

O IHPC registou uma variação mensal de 0,4% (-0,8% no mês anterior e 0,5% em fevereiro de 2022) e uma variação média dos últimos doze meses de 8,9% (8,5% no mês precedente).

SABER +
Imagem sobre Volume de negócios nos serviços desacelerou para 12,6% 10-03-2023

Volume de negócios nos serviços desacelerou para 12,6%

O índice de volume de negócios nos serviços registou uma variação homóloga nominal de 12,6% em janeiro, o que traduz um abrandamento de 6,6 pontos percentuais (p.p.) face ao observado em dezembro de 2022.

A variação mensal do índice total foi -2,5% em janeiro (1,2% no período anterior).

Os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 4,9%, 12,9% e 7,7%, respetivamente (5,3%, 12,1% e 5,3% em dezembro).

SABER +
Imagem sobre Licenciamento e conclusão de edifícios diminuíram no último trimestre e também no total 10-03-2023

Licenciamento e conclusão de edifícios diminuíram no último trimestre e também no total do ano 2022

No 4º trimestre de 2022 foram licenciados 5,4 mil edifícios, -3,8% que no mesmo trimestre de 2021 (-6,9% no 3ºT 2022) e -9,5% que no 4º trimestre de 2019. Os edifícios licenciados em construções novas decresceram 3,8% (-4,7% no 3ºT 2022 e -3,5% face ao 4ºT 2019). O licenciamento para reabilitação diminuiu 5,2% (-12,6% no 3ºT 2022), correspondendo a um decréscimo de 23,2% relativamente ao 4º trimestre de 2019. Os edifícios concluídos decresceram 4,1% (-3,4% no 3ºT 2022) e aumentaram 7,2% relativamente ao 4º trimestre de 2019, totalizando 3,7 mil edifícios. 

Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados decresceu 5,9% (-8,3% no 3ºT 2022) e o número de edifícios concluídos aumentou 1,5% (+3,4% no 3ºT 2022).

No total do ano 2022, foram licenciados 24,5 mil edifícios e concluídos 14,8 mil edifícios, correspondendo a decréscimos de 3,5% e 3,2%, respetivamente, face a 2021 (+8,2% e +3,6%, pela mesma ordem, em 2021). Comparando com o ano 2019, verificam-se aumentos de 0,7% nos edifícios licenciados e 8,1% nos edifícios concluídos.

SABER +
Imagem sobre Produção na construção acelerou para 2,2% 10-03-2023

Produção na construção acelerou para 2,2%

O Índice de Produção na Construção aumentou 2,2% em termos homólogos, taxa superior em 1,6 pontos percentuais (p.p.) à observada em dezembro.

O emprego e as remunerações registaram variações de 2,5% e 10,6%, respetivamente (2,2% e 5,8% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Custos de construção aumentam 11,2% 09-03-2023

Custos de construção aumentam 11,2%

Em janeiro de 2023, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 11,2% em termos homólogos, mais 0,3 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior. O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações homólogas de 10,4% e de 12,4%. 

Com este destaque é apresentada uma nova série de dados tendo como ano base 2021=100, com dados retrospetivos até 2000.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria cresceu 12,7% 09-03-2023

Volume de Negócios na Indústria cresceu 12,7%

O índice de Volume de Negócios na Indústria apresentou uma variação homóloga nominal de 12,7% em janeiro (11,2% no mês anterior), continuando a refletir o forte efeito do índice de preços na indústria, que subiu 9,9% no mês em análise. Excluindo o agrupamento de Energia, as vendas na indústria aumentaram 13,6% (8,2% em dezembro). As variações dos índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo fixaram-se em 12,8% e 12,6%, respetivamente (10,9% e 11,6% no mês precedente). 

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas tiveram crescimentos homólogos de 1,8%, 11,9% e 6,8% (1,8%, 6,7% e 1,1% em dezembro), respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Transporte de passageiros aumentou no 4º trimestre, mas resultados globais de 2022 aind 08-03-2023

Transporte de passageiros aumentou no 4º trimestre, mas resultados globais de 2022 ainda abaixo dos níveis de 2019

No 4º trimestre de 2022, os aeroportos nacionais movimentaram 13,9 milhões de passageiros, correspondendo a um crescimento de 41,9% face ao mesmo período de 2021. Comparando com o 4ºT 2019, registou-se um crescimento de 3,7%. 

No mesmo trimestre de 2022, foram transportados 45,9 milhões de passageiros por comboio e 62,1 milhões por metropolitano (+15,5% e +27,6%, pela mesma ordem, face ao 4ºT 2021). Face a idêntico período de 2019, registaram-se decréscimos de 6,3% e 17,1%, respetivamente.

No 4º trimestre de 2022, o transporte de passageiros por via fluvial aumentou 20,1% relativamente ao 4ºT 2021, atingindo 4,5 milhões de passageiros e diminuindo 15,0% face ao 4ºT 2019.

Relativamente ao transporte de mercadorias: por via aérea verificou-se uma diminuição de 0,9% face ao 4ºT 2021 (-3,8% comparando com o 4ºT 2019); na ferrovia, registou-se uma diminuição de 3,1% (+0,8% face a idêntico período de 2019); por via marítima, registou-se um decréscimo de 3,6% (-7,0% relativamente ao 4ºT 2019); e o transporte rodoviário aumentou 0,4% (-11,5% face ao 4ºT 2019).

Os resultados preliminares de 2022 revelam um crescimento no transporte de passageiros por via aérea (+121,7%; +39,2% em 2021), por comboio (+42,1%; +18,1% em 2021), por metropolitano (+58,5%; -2,4% em 2021) e por vias fluviais (+42,5%; +2,0% em 2021). Face a 2019, registaram-se variações de -5,6%, -2,1%, -19,3% e -16,8%, respetivamente.

Relativamente ao transporte de mercadorias, os resultados preliminares de 2022 indicam um aumento do transporte por via aérea (+16,9%, após +29,7% em 2021) e por via marítima (+2,3%, +4,7% no ano anterior). Face a 2019, registaram-se variações de -5,8% e -0,4%, pela mesma ordem. Por via terrestre, o transporte ferroviário diminuiu 3,2% (+11,4% em 2021) e o transporte rodoviário decresceu 2,2% (+11,5% em 2021), em ambos os casos não se registando ainda uma recuperação face a 2019 (-3,6% e -7,1%, respetivamente).

Em 2022, o transporte por oleoduto aumentou 28,3% face ao ano anterior (+7,6% em 2021; -5,7% face a 2019). No transporte de gás por gasoduto verificaram-se decréscimos na entrada (-4,3%; -0,1% em 2021; -7,6% face a 2019) e na saída (-4,8%; +0,3% em 2021; -7,5% comparando com 2019).

SABER +
Imagem sobre Número de nascimentos de empresas em 2021 (187 mil) volta a aproximar-se do nível de 20 08-03-2023

Número de nascimentos de empresas em 2021 (187 mil) volta a aproximar-se do nível de 2019

Em 2021, das 1 359 035 empresas ativas em Portugal, 187 036 nasceram nesse ano, refletindo um crescimento de 21,2% face ao ano anterior (-21,4% em 2020), voltando a aproximar-se do nível de 2019 (-4,7%).

A proporção de empresas sobreviventes 1 ano após o nascimento fixou-se em 75,7% (+1,1 p.p. face a 2020 e -0,4 p.p. comparando com 2019) e as sobreviventes 3 anos após o nascimento corresponderam a 49,1% (+4,9 p.p. em relação ao ano anterior; +2,9 p.p. face a 2019).

Das 468 746 sociedades não financeiras em atividade em 2021, 38 878 tinham iniciado atividade nesse ano, +9,2% face ao verificado em 2020, mas ainda inferior em 15,4% comparativamente a 2019, correspondendo a uma taxa de natalidade de 8,3% (+0,4 p.p. face a 2020, mas -2,2 p.p. comparando com 2019).

Estima-se que o número de mortes de sociedades não financeiras tenha sido 17 449, menos 24,8% face ao verificado em 2020 e menos 25,7% comparativamente a 2019, correspondendo a uma taxa de mortalidade de 3,7% (-1,4 p.p. face à verificada em 2020 e -1,7 p.p. comparando com 2019).

Em 2021 existiam 5 349 sociedades de elevado crescimento, menos 6,6% que no ano anterior (-23,1% face a 2019), que representavam 10,7% do total das sociedades não financeiras com 10 ou mais pessoas remuneradas, 16,0% do pessoal ao serviço, 13,7% do volume de negócios e 15,5% do valor acrescentado bruto (VAB).

O número de sociedades não financeiras jovens de elevado crescimento, designadas gazelas, continuou a decrescer em 2021 (-3,8%, após -13,6% entre 2019 e 2020) e somou 554 sociedades. O conjunto destas sociedades foi responsável por um VAB de 840 milhões de euros, mais 58 milhões de euros que em 2020, correspondendo a 1,1% do total das sociedades não financeiras com 10 ou mais pessoas remuneradas (-0,1 p.p. face ao ano anterior; peso idêntico comparando com 2019).

SABER +
Imagem sobre Produção Industrial aumentou 4,5% 01-03-2023

Produção Industrial aumentou 4,5%

O Índice de Produção Industrial apresentou uma variação homóloga de 4,5% em janeiro (1,9% em dezembro). Excluindo o agrupamento de Energia esta variação foi de 1,7% (-1,2% no mês precedente). A taxa de variação da secção das Indústrias Transformadoras situou-se em 1,3% (-0,2% em dezembro). A variação mensal do índice agregado foi -2,6% (3,6% no mês anterior). 

SABER +
Imagem sobre Em janeiro, a taxa de desemprego subiu para 7,1% e a taxa de subutilização do trabalho 01-03-2023

Em janeiro, a taxa de desemprego subiu para 7,1% e a taxa de subutilização do trabalho para 12,4%

Dezembro de 2022:

• A população ativa (5 223,9 mil pessoas) aumentou em relação a novembro de 2022 (0,3%), a setembro do mesmo ano (0,5%) e a dezembro de 2021 (0,5%).

• A população empregada (4 868,7 mil) manteve-se praticamente inalterada em relação ao mês anterior e diminuiu 0,3% relativamente a três meses antes e 0,4% em relação ao mês homólogo do ano anterior.

• A população desempregada (355,2 mil) registou acréscimos de 5,2% em relação a novembro, de 13,1% relativamente a setembro de 2022 e de 15,5% por comparação a um ano antes.

• A taxa de desemprego situou-se em 6,8%, valor superior em 0,3 pontos percentuais (p.p.) ao do mês anterior, em 0,8 p.p. ao de três meses antes e em 0,9 p.p. ao de um ano antes.

• A população inativa (2 435,0 mil) diminuiu em relação aos três períodos de comparação (mês anterior, três meses antes e mês homólogo do ano anterior): 0,7%, 1,1% e 2,1%, respetivamente.

• A taxa de subutilização do trabalho situou-se em 12,2%, valor superior em 0,4 p.p. ao do mês precedente, em 0,9 p.p. ao de três meses antes e em 0,8 p.p. ao de um ano antes.

Janeiro de 2023:

• A população ativa (5 267,5 mil) aumentou em relação ao valor observado no mês anterior (0,8%), a outubro de 2022 (1,3%) e a janeiro de 2022 (1,4%).

• A população empregada (4 892,7 mil) aumentou em relação ao mês anterior (0,5%), a três meses antes (0,1%) e a um ano antes (0,1%).

• A população desempregada (374,8 mil) aumentou em relação aos três períodos de comparação: 5,5%, 19,6% e 22,3%, respetivamente.

• A taxa de desemprego situou-se em 7,1%, superior em relação a dezembro e a outubro de 2022 (0,3 p.p. e 1,1 p.p., respetivamente) e a janeiro de 2022 (1,2 p.p.).

• A população inativa (2 424,7 mil) diminuiu 0,4% em relação ao mês anterior, 1,3% relativamente a três meses antes e 1,8% por comparação com o período homólogo.

• A taxa de subutilização do trabalho situou-se em 12,4%, valor superior em 0,2 p.p. ao do mês anterior, em 1,0 p.p. ao de três meses antes e em 0,9 p.p. ao do mesmo mês de 2022.

SABER +
Imagem sobre Vendas no Comércio a Retalho aumentaram 3,6% em volume 28-02-2023

Vendas no Comércio a Retalho aumentaram 3,6% em volume

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho passou de uma variação homóloga negativa de 1,8% em dezembro 2022, para 3,6% em janeiro 2023.

Os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas apresentaram taxas de variação homóloga de 2,2%, 12,8% e 7,4% (1,9%, 6,7% e 2,4% em dezembro 2022).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Fevereiro de 2023 22-03-2023

Boletim Mensal de Estatística - Fevereiro de 2023

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2023 21-03-2023

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2023

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Área Metropolitana de Lisboa em números - 2021 20-03-2023

Área Metropolitana de Lisboa em números - 2021

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
Imagem sobre Região Algarve em números - 2021 20-03-2023

Região Algarve em números - 2021

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
Imagem sobre Região Norte em números - 2021 20-03-2023

Região Norte em números - 2021

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
Imagem sobre Região Alentejo em números - 2021 20-03-2023

Região Alentejo em números - 2021

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
Imagem sobre Região Centro em números - 2021 20-03-2023

Região Centro em números - 2021

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
Imagem sobre Censos - 2021 15-03-2023

Censos - 2021

A publicação O que nos dizem os Censos sobre dinâmicas territoriais apresenta uma análise exploratória dos resultados dos Censos 2021 relativos ao território e às suas dinâmicas.

Este retrato do território nacional explora as seguintes temáticas: a ocupação do território; a mobilidade territorial através das alterações de residência e a organização funcional dos territórios à luz das deslocações casa-trabalho.

Disponibiliza-se, também, o conjunto de indicadores objeto de análise, privilegiando-se o detalhe geográfico ao nível das NUTS III, municípios e freguesias, e sempre que relevante com informação que permite a comparação entre os Censos 2011 e os Censos 2021.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Outubro de 2022 27-02-2023

REVSTAT - Statistical Journal - Outubro de 2022

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.

Todos os artigos estão disponíveis em REVSTAT-Statistical Journal

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2023 22-02-2023

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2023

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
#