Política de Cookies

Para poder prestar um serviço personalizado, funcional e de qualidade aos utilizadores do nosso serviço WEBINQ, o INE utiliza cookies próprios, imprescindíveis ao bom funcionamento do site.
Mais informação

CALENDÁRIO +Info...

Quarta-Feira, 1 de Maio de 2024

  • ICC 2024 - Mai: Início
  • ICCOP 2024 - Mai: Início
  • ICGRAM 2024 - Abr: Início
  • ICIT 2024 - Mai: Início
  • ICS 2024 - Mai: Início
  • IMA 2024 - Abr: Início
  • IMAAC 2024 - Abr: Início
  • IMAOC 2024 - Abr: Início
  • IMGA 2024 - Abr: Início
  • IMLV 2024 - Abr: Início
  • IMPI 2024 - Abr: Início
  • IMTM 2024 - Abr: Início
  • IMVC 2024 - Abr: Início
  • INTRA-CH 2024 - Mai: Início
  • INTRA-EX 2024 - Mai: Início
  • IPCAMP 2024 - Abr: Início
  • IPCOL 2024 - Abr: Início
  • IPHH 2024 - Abr: Início
  • IREPEXP 2024 - Mai: Início
  • IREPIMP 2024 - Mai: Início
  • ITENF 2024 - 1º Trim: Últ. dia
  • ITF 2024 - Abr: Início
  • IVNE 2024 - Abr: Início

Segunda-Feira, 6 de Maio de 2024

  • IECOM 2023: Últ. dia
  • ITRM 2024 - 17ª Semana: Últ. dia
  • UCDR 2023: Últ. dia

Sexta-Feira, 10 de Maio de 2024

  • ICC 2024 - Mai: Últ. dia
  • ICCOP 2024 - Mai: Últ. dia
  • ICIT 2024 - Mai: Últ. dia
  • ICS 2024 - Mai: Últ. dia
  • IMPI 2024 - Abr: Últ. dia
  • IPCAMP 2024 - Abr: Últ. dia
  • IPCOL 2024 - Abr: Últ. dia
  • IPHH 2024 - Abr: Últ. dia
  • IVNE 2024 - Abr: Últ. dia

Segunda-Feira, 13 de Maio de 2024

  • ITRM 2024 - 18ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 15 de Maio de 2024

Segunda-Feira, 20 de Maio de 2024

  • IEDCB 2023: Últ. dia
  • IMAMI 2024 - Abr: Últ. dia
  • IMAOC 2024 - Abr: Últ. dia
  • ITRM 2024 - 19ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 22 de Maio de 2024

  • IMGA 2024 - Abr: Últ. dia
  • IMLV 2024 - Abr: Últ. dia
  • IMTM 2024 - Abr: Últ. dia

Sábado, 25 de Maio de 2024

  • IMAAC 2024 - Abr: Últ. dia
  • IMVC 2024 - Abr: Últ. dia
  • IPMC 2024 - Mai: Últ. dia
  • IPPI 2024 - Mai: Últ. dia

Segunda-Feira, 27 de Maio de 2024

  • IAMPL 2024: Início
  • ITRM 2024 - 20ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1800
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 31
  • >
Imagem sobre O caminho que percorrem os dados no INE 15-12-2023

O caminho que percorrem os dados no INE

O caminho que percorrem os dados no INE

SABER +
Imagem sobre Avaliação da habitação aumentou 16 euros, para 1596 por metro quadrado 24-05-2024

Avaliação da habitação aumentou 16 euros, para 1596 por metro quadrado

O valor mediano de avaliação bancária na habitação foi 1 596 euros por metro quadrado em abril de 2024, mais 16 euros que o observado no mês precedente. Em termos homólogos, a taxa de variação fixou-se em 7,0% (6,5% em março de 2024). Refira-se que o número de avaliações bancárias foi cerca de 31,9 mil, o que representa uma subida de 4,4% face ao período anterior e um aumento de 49,9% em termos homólogos. 

SABER +
Imagem sobre Portal do INE com 27 milhões de páginas visitadas 23-05-2024

Portal do INE com 27 milhões de páginas visitadas

O INE faz hoje, 23 de maio de 2024, 89 anos. Por esta ocasião, apresentamos algumas estatísticas relativas à nossa atividade no ano de 2023. De certa forma, um reflexo do exercício da nossa missão. Foram publicados 381 destaques à comunicação social, associados a 773 momentos de disponibilização de operações estatísticas, cumprindo uma calendário fixo (99% realizado). Um ritmo de produção constante assegurado por 579 trabalhadores.

As notícias nos órgãos de comunicação social ascenderam a 20 729, uma média de 57 por dia. Nas redes sociais, o número de pessoas alcançadas é de aproximadamente um milhão. O número de acessos ao portal do INE ultrapassou os dois milhões e 27 milhões de páginas visitadas. 

Na recolha de dados, foram entregues mais de um milhão de questionários de forma digital (via plataforma Webinq do INE), essencialmente por parte das empresas. A recolha por via do telefone (famílias) atingiu os 138 mil. 

No acesso aos dados primários - dados dos inquéritos ou de fontes administrativas - encontram-se em atividade 180 projetos, com mais de 450 investigadores de várias entidades e acedendo a 614 bases de dados (designados de microdados).

A base de dados do portal cresce todos anos - 9 730 indicadores novos ou atualizados em 2023 - uma multiplicidade de cubos de informação, hoje disponíveis de forma automática via API (Application Programming Interface), e que somados totalizam 3 460 milhões de registos. Todas estas estatísticas são caracterizadas por uma grande heterogeneidade, riqueza, ao que corresponde investigação, desenvolvimento, produção e disseminação de estatísticas oficiais por parte do INE no exercício independente e isento da sua missão.

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial diminuíram 0,8% 20-05-2024

Preços na Produção Industrial diminuíram 0,8%

Em abril, o Índice de Preços na Produção Industrial registou uma redução homóloga de 0,8%, variação menos negativa em 0,7 pontos percentuais (p.p.) que a apresentada em março.

Excluindo o agrupamento de Energia, a variação do índice foi -1,2% (-1,8% no mês anterior).

A variação mensal do índice agregado foi nula (-0,7% no período homólogo).

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica desacelerou em março. Preços no produtor continuaram a 20-05-2024

Indicador de atividade económica desacelerou em março. Preços no produtor continuaram a diminuir e Preços no Consumidor desaceleraram

O indicador de sentimento económico da Área Euro (AE) diminuiu de forma moderada em abril, após ter aumentado no mês anterior. Os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 5,3% e 6,7%, respetivamente (0,4% e 1,6% em março). 

Em Portugal, o índice de preços na produção industrial atingiu uma variação homóloga de -0,8% em abril (-1,5% em março), apresentando uma taxa negativa pelo décimo segundo mês consecutivo. O agrupamento de Energia registou uma taxa de 0,9%, após ter apresentado 0,2% no mês antecedente. Excluindo a componente energética, este índice atingiu uma variação homóloga de -1,2% (-1,8% no mês anterior), enquanto o índice relativo aos bens de consumo apresentou um crescimento homólogo de 2,7% em abril (2,6% em março), interrompendo o perfil de desaceleração observado desde o início de 2023.

Por sua vez, a variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 2,2% em abril, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) à observada no mês anterior. Na vertente externa, os preços implícitos das exportações e das importações de bens continuaram a registar variações negativas, -2,3% nas exportações e -3,1% nas importações (-3,9% e -6,0%, respetivamente, em fevereiro). Excluindo os produtos petrolíferos, registaram-se decréscimos de 2,2% nas exportações e de 3,5% nas importações (-2,9% e -5,6% em fevereiro).

Os indicadores de curto prazo, disponíveis para março, revelam uma desaceleração em volume na construção e nominal nos serviços e para uma aceleração em volume na indústria. Em termos nominais, o volume de negócios na indústria apresentou uma diminuição mais intensa, refletindo essencialmente um efeito de dias úteis (março de 2024 teve menos três dias úteis que o mesmo mês de 2023). O indicador de clima económico, que sintetiza os saldos de respostas extremas das questões relativas aos inquéritos qualitativos às empresas, diminuiu em abril, após ter aumentado no mês anterior. Na perspetiva da despesa, o indicador de atividade económica aumentou em termos homólogos entre setembro e março, menos intensamente no último mês, após ter diminuído em agosto. O indicador de investimento diminuiu, em termos homólogos, em fevereiro e março, tendo o indicador de consumo privado desacelerado.

De acordo com o Inquérito ao Emprego, no 1º trimestre de 2024, a taxa de desemprego foi de 6,8%, mais 0,2 p.p. que a taxa observada no trimestre anterior (7,2% no 1º trimestre de 2023). O número de desempregados diminuiu 3,4% em termos homólogos (variação homóloga de 3,0% no trimestre anterior). A taxa de subutilização do trabalho foi superior em 0,1 p.p. à do 4º trimestre de 2023, fixando-se em 11,7%. O emprego total aumentou 1,8% em termos homólogos (variação homóloga de 1,6% no 4º trimestre). O volume de horas efetivamente trabalhadas apresentou uma diminuição homóloga de 2,8% (variação de 0,3% no trimestre anterior).

SABER +
Imagem sobre Número de nados-vivos aumentou em março, mas saldo natural agrava-se relativamente a fe 17-05-2024

Número de nados-vivos aumentou em março, mas saldo natural agrava-se relativamente a fevereiro

Em abril de 2024, registaram-se 9 519 óbitos, valor inferior ao registado em março de 2024 (menos 1 039 óbitos; -9,8%), mas superior ao registado em abril de 2023 (mais 283 óbitos; +3,1%).

Em março de 2024, registaram-se 6 770 nados-vivos, número que cresceu 9,1% relativamente a fevereiro de 2024 (6 204), mas que decresceu 4,3% relativamente a março de 2023 (7 071).

Naquele mês, o saldo natural foi -3 772, agravando-se, ligeiramente, em relação ao do mês homólogo de 2023, quando registou o valor de -3 489.

Em março de 2024, celebraram-se 1 951 casamentos, o que corresponde a um acréscimo de 36,9% em relação ao número de casamentos realizados em fevereiro de 2024 (mais 526 casamentos), mas a um decréscimo de 2,1% em relação a março de 2023 (menos 41).

SABER +
Imagem sobre Em 2022, aumentaram principalmente as mortes por doenças do aparelho respiratório 16-05-2024

Em 2022, aumentaram principalmente as mortes por doenças do aparelho respiratório

Em 2022, morreram no país 124 942 pessoas, menos 0,2% do que em 2021 (125 233). Do total de mortes no país, 124 361 foram de residentes (99,5% do total).

As mortes por doenças do aparelho circulatório e por tumores malignos representaram 48,9% (mais 0,9 p.p. do que em 2021), continuando a não atingir metade das mortes ocorridas no país, em resultado do impacto da doença COVID-19, tal como em 2021.

As doenças cerebrovasculares (AVC) estiveram na origem do maior número de mortes em 2022, com 9 616 óbitos de residentes por AVC, que representaram 7,7% do total de óbitos de residentes. A taxa de mortalidade por doenças cerebrovasculares foi de 92,1 mortes de residentes por 100 mil habitantes, mais elevada do que em 2021 (92,2). As mulheres continuaram a ser as que, de forma fatal, foram mais atingidas pelos AVC, com uma relação de 75,8 óbitos de homens por cada 100 óbitos de mulheres que, tendo diminuído em relação ao ano anterior (77,8), reflete o agravamento relativo da condição feminina. 

No conjunto das mortes por tumores malignos, destacaram-se 4 410 mortes de residentes causadas por tumores malignos da traqueia, brônquios e pulmão, que representaram 3,5% do total de mortes de residentes e aumentaram 0,5% em relação ao ano anterior. Estes tumores continuaram a atingir homens e mulheres de forma muito diferente, com taxas brutas de mortalidade de 64,5 mortes por 100 mil homens e de 21,9 óbitos por 100 mil mulheres, que resultam numa relação de 268,7 óbitos de homens por 100 de mulheres.

Em 2022, as doenças do aparelho respiratório que, de acordo com as normas da OMS não abrangem a doença COVID-19, causaram 12 114 óbitos de residentes, mais 18,1% do que no ano anterior, com impacto substancial no total de óbitos de residentes (mais 1,5 p.p., de 8,2% em 2021 para 9,7% em 2022) e, em simultâneo, um aumento da taxa de mortalidade de 98,6 por 100 mil habitantes em 2021 para 116,0 por 100 mil habitantes em 2022. Quase 40% do aumento das mortes causadas por doenças do aparelho respiratório ficou associado ao aumento das mortes por pneumonia, com 4 488 óbitos em 2022, que representaram 3,6% da mortalidade ocorrida em 2022 (3,0% em 2021), e um aumento de 19,5% óbitos em relação ao ano anterior.

Individualmente, a doença COVID-19 causou o segundo maior número de mortes (7 769 óbitos), tendo representado 6,2% da mortalidade em 2022, apesar do decréscimo de quase 40% no total de óbitos causados por esta doença. A diminuição do número de óbitos relativamente ao ano anterior refletiu-se numa redução substancial da taxa de mortalidade, de 124,5 óbitos por cada 100 mil residentes em Portugal em 2021 para 74,4 em 2022, mantendo-se mais elevada no caso dos homens (81,6) do que das mulheres (67,8).

SABER +
Imagem sobre Em termos reais, a remuneração bruta total mensal média por trabalhador aumentou 3,8% 16-05-2024

Em termos reais, a remuneração bruta total mensal média por trabalhador aumentou 3,8%

A remuneração bruta total mensal média por trabalhador (por posto de trabalho) aumentou 6,1%, para 1 443 Euros, no trimestre terminado em março de 2024 (correspondente ao 1.º trimestre do ano), em relação ao mesmo período de 2023. A componente regular e a componente base daquela remuneração aumentaram 6,1% e 6,3%, situando-se em 1 285 Euros e 1 209 Euros, respetivamente. Em termos reais, tendo por referência a variação do Índice de Preços do Consumidor, a remuneração bruta total mensal média aumentou 3,8% e as suas componentes regular e base aumentaram 3,8% e 4,0%. Estes resultados abrangem 4,6 milhões de postos de trabalho, correspondentes a beneficiários da Segurança Social e a subscritores da Caixa Geral de Aposentações, mais 2,9% do que no mesmo período de 2023.

Em relação a março de 2023, a remuneração bruta total mensal média aumentou em todas as dimensões de análise (atividade económica, dimensão de empresa, sector institucional, intensidade tecnológica e intensidade de conhecimento). Os maiores aumentos foram observados nas “Indústrias extrativas” (secção B; 12,9%), nas empresas de 500 e mais trabalhadores (6,9%), no sector público (6,3%) e nas empresas de “Serviços de mercado com forte intensidade de conhecimento” (9,4%).

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro diminuiu pelo terceiro mês consecutivo, para 4,606% 16-05-2024

Taxa de juro diminuiu pelo terceiro mês consecutivo, para 4,606%

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação diminuiu pelo terceiro mês consecutivo, para 4,606% em abril, traduzindo uma descida de 0,7 pontos base (p.b.) face a março (4,613%). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu pelo sexto mês, passando de 4,000% em março para 3,910% em abril. A prestação média fixou-se em 404 euros, um euro acima do valor de março de 2024 e 63 euros acima do registado em abril de 2023, o que traduz uma variação mensal de 0,2% (variação nula no mês anterior). No último mês, a parcela relativa a juros representou 61% da prestação média, o que compara com 48% em abril de 2023. Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação desceu 8 euros face ao mês anterior, para 611 euros em abril, o que corresponde a um aumento de 3,6% face ao mesmo mês do ano anterior. O capital médio em dívida para a totalidade dos créditos à habitação aumentou 186 euros, para 65 577 euros. 

SABER +
Imagem sobre Transporte de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou no primeiro trimestre 15-05-2024

Transporte de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou no primeiro trimestre

Em março de 2024, nos aeroportos nacionais movimentaram-se 5,3 milhões de passageiros e 22,0 mil toneladas de carga e correio, correspondendo a variações de +8,1% e +14,6%, respetivamente, face a março de 2023.

No início de 2024 continuou a verificar-se máximos históricos nos valores mensais de passageiros nos aeroportos nacionais. Em março de 2024, registou-se o desembarque médio diário de 86,5 mil passageiros, valor superior ao registado em março de 2023 (80,0 mil; +8,2%).

No 1º trimestre de 2024, o número de passageiros movimentados aumentou 5,9% e o movimento de carga e correio cresceu 13,6%.

França foi o principal país de origem e de destino dos voos, apesar de ter registado decréscimos no número de passageiros desembarcados e embarcados face ao mesmo período de 2023 (-2,4%; -2,6%). Reino Unido e Espanha ocuparam a 2ª e 3ª posições, como principais países de origem e de destino.

SABER +
Imagem sobre 25,9% dos desempregados no 4.º trimestre de 2023 transitaram para o emprego 15-05-2024

25,9% dos desempregados no 4.º trimestre de 2023 transitaram para o emprego

Do total de pessoas que estavam desempregadas no 4.º trimestre de 2023, 56,4% (200,0 mil) permaneceram nesse estado no 1.º trimestre de 2024, 25,9% (91,8 mil) transitaram para o emprego e 17,7% (62,8 mil) transitaram para a inatividade.

No mesmo período, 28,7% (48,9 mil) dos homens desempregados e 23,3% (43,0 mil) das mulheres desempregadas transitaram para o emprego.

Do 4.º trimestre de 2023 para o 1.º trimestre de 2024, 30,8% (70,0 mil) dos desempregados de curta duração e 18,1% (24,6 mil) dos inativos pertencentes à “força de trabalho potencial” transitaram para o emprego.

Ao mesmo tempo, transitaram para um trabalho por conta de outrem 9,7% (65,7 mil) das pessoas que tinham um trabalho por conta própria e 23,2% (82,1 mil) das pessoas que se encontravam desempregadas.

Do total de trabalhadores por conta de outrem que, no 4.º trimestre de 2023, tinham um contrato de trabalho com termo ou outro tipo de contrato, 22,5% (163,9 mil) passaram a ter um contrato sem termo no 1.º trimestre de 2024.

Do número de pessoas que, no 4.º trimestre de 2023, tinham um emprego a tempo parcial, 19,9% (79,7 mil) passaram a trabalhar a tempo completo no 1.º trimestre de 2024.

A percentagem de pessoas que permaneceram empregadas entre o 4.º trimestre de 2023 e o 1.º trimestre de 2024, mas que mudaram de emprego, diminuiu 0,4 p.p. em relação ao último trimestre, fixando-se nos 3,3% (159,4 mil).

SABER +
Imagem sobre Despesa pública atingiu 112 mil milhões de euros em 2023, correspondendo a 42,3% do PIB 14-05-2024

Despesa pública atingiu 112 mil milhões de euros em 2023, correspondendo a 42,3% do PIB (44,1% em 2022)

Em 2023, o total da despesa pública atingiu 112,4 mil milhões de euros, o que correspondeu a 42,3% do PIB, menos 1,8 pontos percentuais (p.p.) que em 2022. O peso da despesa pública no PIB em Portugal foi inferior em 7,7 p.p. à média do conjunto dos países da área do Euro.

Comparativamente com 2022, a despesa pública aumentou 5,2% em termos nominais, em 5,5 mil milhões de euros. As prestações sociais foram a rúbrica da classificação económica com maior peso relativo, representando 41,2% do total da despesa. As remunerações e o consumo intermédio corresponderam a 24,7% e 12,5% desse total, respetivamente.

Na classificação da despesa por funções, em 2022, último ano para o qual esta informação está disponível, a função de proteção social concentrou 39,7% do total, seguida da função de saúde e da função de serviços gerais das administrações públicas, onde estão incluídos os juros pagos, com 16,2% e 13,0%, respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Crescimento da atividade turística acelerou em março com a Páscoa 14-05-2024

Crescimento da atividade turística acelerou em março com a Páscoa

Em março de 2024, o setor do alojamento turístico registou 2,3 milhões de hóspedes (+12,2%) e 5,7 milhões de dormidas (+12,8%), gerando 405,8 milhões de euros de proveitos totais (+20,1%) e 303,3 milhões de euros de proveitos de aposento (+21,1%). 

O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 50,1 euros (+15,2%) e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 96,9 euros (+11,7%). O ADR atingiu os valores mais elevados na Grande Lisboa (129,5 euros) e na RA Madeira (97,1 euros). 

Em março, o município de Lisboa concentrou 23,2% do total de dormidas (11,4% do total de dormidas de residentes e 27,9% de não residentes). Entre os municípios com maior representatividade no total de dormidas em março, destacaram-se Lagoa e Portimão, pelos crescimentos mais expressivos, +45,6% e +19,8%, respetivamente. 

No 1º trimestre de 2024, as dormidas atingiram 13,5 milhões e registaram um crescimento de 7,1% (+3,9% nos residentes e +8,7% nos não residentes), a que corresponderam aumentos de 15,0% nos proveitos totais e de 15,2% nos de aposento. 

Considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 2,4 milhões de hóspedes e 6,1 milhões de dormidas em março, correspondendo a crescimentos de 12,2% e 12,9%, respetivamente. As dormidas de residentes aumentaram 10,9% e as de não residentes cresceram 13,8%. 

Estes resultados foram influenciados pela estrutura móvel do calendário, ou seja, pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que este ano se repartiu entre março e abril, enquanto no ano anterior se concentrou apenas em abril.

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção cresceu 3,0% 14-05-2024

Produção na Construção cresceu 3,0%

O Índice de Produção na Construção aumentou 3,0% em março, variação inferior em 1,6 pontos percentuais (p.p.) ao observado no mês anterior.

O índice de emprego e de remunerações desaceleram 0,4 p.p. e 1,7 p.p., para variações homólogas de 2,6%, e 9,2% (3,0% e de 10,9% em fevereiro).

SABER +
Imagem sobre Tráfego rodoviário estimado em 79,5 mil milhões de veículos-quilómetro 14-05-2024

Tráfego rodoviário estimado em 79,5 mil milhões de veículos-quilómetro

O INE divulga, pela primeira vez, um estudo no âmbito do StatsLab – estatísticas em desenvolvimento – para medição do tráfego do parque rodoviário nacional de matrícula portuguesa. Os resultados apresentados, para o período de 2016 a 2023 (dados provisórios), foram obtidos com base nas leituras aos odómetros dos veículos recolhidas durante as respetivas inspeções periódicas.

Em 2023, estima-se que tenham sido percorridos 79,5 mil milhões de veículos-quilómetro (vkm), pelo parque nacional de veículos (-2,4% face a 2022; +3,6% face a 2016, primeiro ano da série disponível). Os veículos ligeiros de passageiros representaram 73,5% do tráfego total e os veículos ligeiros de mercadorias 18,5%. Aos veículos a gasóleo (todas as tipologias) corresponderam 73,8% do total de veículos-km, enquanto os veículos a gasolina representaram 21,0% dos vkm.

STATSlab - Estatísticas em desenvolvimento

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços cresceu 5,1% 13-05-2024

Volume de Negócios nos Serviços cresceu 5,1%

Em março, o índice de volume de negócios nos serviços registou uma variação homóloga de 5,1%, mais 0,5 pontos percentuais (p.p.) que no mês anterior.

No 1.º trimestre de 2024, o índice aumentou 4,7% face ao mesmo período de 2023 (4,6% no trimestre anterior).

O índice total registou um crescimento mensal de 2,6% em março (0,9% em fevereiro).

Os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 4,4%, 12,0% e -0,3%, respetivamente (5,4%, 12,6% e 0,9% em fevereiro).

SABER +
Imagem sobre Índice de Custo do Trabalho aumenta 6,2% 13-05-2024

Índice de Custo do Trabalho aumenta 6,2%

No 1.º trimestre de 2024, o Índice de Custo do Trabalho (ICT) registou um acréscimo homólogo de 6,2%. No trimestre anterior, tinha aumentado 6,3%.

Os custos salariais (por hora efetivamente trabalhada) aumentaram 6,3% e os outros custos (também por hora efetivamente trabalhada) aumentaram 6,1%, em relação ao mesmo período do ano anterior.

A evolução homóloga do ICT resultou também da conjugação do acréscimo de 6,1% no custo médio por trabalhador e do decréscimo de 0,2% no número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador. O acréscimo do custo médio por trabalhador foi transversal a todas as atividades económicas, tendo os aumentos sido menores do que os observados no trimestre anterior, com exceção da Administração Pública, cuja taxa de variação se manteve (5,9%). O maior acréscimo foi observado nos setores da Indústria e da Construção, ambos com uma taxa de variação de 6,3%. As horas efetivamente trabalhadas por trabalhador aumentaram em todas as atividades económicas, com exceção do total da economia e da Administração Pública, onde diminuíram, 0,2% e 3,2%, respetivamente. O maior acréscimo foi observado na Construção (2,0%) e o menor na Indústria (1,4%). Em resultado destas variações, o ICT aumentou em todas as atividades económicas, tendo o maior acréscimo sido observado na Administração Pública (9,3%).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC diminuiu para 2,2% 13-05-2024

Taxa de variação homóloga do IPC diminuiu para 2,2%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 2,2% em abril, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) à observada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação de 2,0% (2,5% em março). A variação do índice relativo aos produtos energéticos aumentou para 7,9% (4,8% no mês precedente), em consequência do efeito de base associado à redução de preços registada em abril de 2023 (variação mensal de -3,2%). O índice referente aos produtos alimentares não transformados registou uma variação nula (-0,5% no mês anterior). 

A variação mensal do IPC foi 0,5% (2,0% no mês precedente e 0,6% em abril de 2023). A variação média dos últimos doze meses diminuiu para 2,6% (2,9% em março). 

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português apresentou uma variação homóloga de 2,3%, valor inferior em 0,3 p.p. ao registado no mês anterior e inferior em 0,1 p.p. ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em março, a taxa em Portugal tinha sido superior à da área do Euro em 0,2 p.p.). Excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, o IHPC em Portugal atingiu uma variação homóloga de 2,1% em abril (2,8% em março), inferior à taxa correspondente para a área do Euro (estimada em 2,8%).

O IHPC registou uma variação mensal de 1,1% (2,3% no mês anterior e 1,3% em abril de 2023) e uma variação média dos últimos doze meses de 3,5% (3,8% no mês precedente).

SABER +
Imagem sobre Exportações e importações diminuíram 13,6% e 15,5% em termos nominais 10-05-2024

Exportações e importações diminuíram 13,6% e 15,5% em termos nominais

Em março de 2024, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de -13,6% e -15,5%, respetivamente (+2,6% e +1,7%, pela mesma ordem, em fevereiro de 2024).

No mês de março de 2024, destacaram-se os decréscimos nas exportações e nas importações de Fornecimentos industriais (-16,9% e -26,9%, respetivamente). De salientar, também, o decréscimo nas exportações de Material de transporte (-16,0%) e nas importações de Combustíveis e lubrificantes (-33,0%).

Excluindo Combustíveis e lubrificantes, em março de 2024, registaram-se decréscimos de 13,6% nas exportações e de 13,1% nas importações (+1,8% e +2,9%, respetivamente, em fevereiro de 2024).

Em março de 2024, os índices de valor unitário (preços) continuaram a registar variações negativas, -2,3% nas exportações e -3,1% nas importações (-3,9% e -6,0%, respetivamente, em fevereiro de 2024; +4,4% e -2,3% em março de 2023). Excluindo os produtos petrolíferos, registaram-se decréscimos de 2,2% nas exportações e de 3,5% nas importações (-2,9% e -5,6%, respetivamente, em fevereiro de 2024; +6,1% e +0,5% em março de 2023).

O défice da balança comercial diminuiu 471 milhões de euros em março de 2024, em termos homólogos, atingindo 1 621 milhões de euros. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice totalizou 1 174 milhões de euros, refletindo um decréscimo de 129 milhões de euros.

No 1º trimestre de 2024, as exportações e as importações diminuíram 4,2% e 6,3%, respetivamente, em termos homólogos (+1,1% e -2,4%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em fevereiro de 2024). 

SABER +
Imagem sobre Custos de construção aumentaram 2,1% 09-05-2024

Custos de construção aumentaram 2,1%

Em março de 2024, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 2,1% em termos homólogos, menos 0,4 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior. O preço dos materiais apresentou uma variação homóloga de -1,3% e o custo da mão de obra de 6,7%.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria diminuiu 11,8% 08-05-2024

Volume de Negócios na Indústria diminuiu 11,8%

Em termos homólogos e nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria registou uma variação de -11,8% em março (-0,5% no mês precedente). Sem o agrupamento Energia, o volume de negócios passou de um crescimento de 0,5% em fevereiro, para uma redução de 12,5% no mês em análise. Os índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo apresentaram variações de -10,5% e -13,9% (-1,5% e 1,1% em fevereiro), respetivamente. Estes resultados refletem o facto de março ter menos três dias úteis face ao mesmo mês de 2023. 

No 1.º trimestre de 2024, as vendas na indústria contraíram, em termos homólogos, 5,4% (-5,3% no trimestre anterior).

O emprego e as horas trabalhadas registaram diminuições homólogas de 0,3% e 9,3% em março, após aumentos de 0,3% e 2,4% no mês anterior. As remunerações apresentaram um crescimento de 6,1% (7,6% em fevereiro).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Maio de 2024 22-05-2024

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Maio de 2024

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre O parque habitacional - análise e evolução: 2011-2021 08-05-2024

O parque habitacional - análise e evolução: 2011-2021

O Instituto Nacional de Estatística disponibiliza o estudo O Parque Habitacional - análise e evolução: 2011-2021 realizado em colaboração com o Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

Nesta publicação apresenta-se uma caraterização do parque habitacional português no período 2011 a 2021. Os principais temas abordados referem-se à evolução da população, famílias e alojamentos; às principais caraterísticas dos edifícios e dos alojamentos; à forma de ocupação, regime de propriedade e encargos com a habitação; à estimativa das carências habitacionais e da disponibilidade de habitação e às necessidades de reabilitação e dinâmica de construção para habitação.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Abril de 2024 19-04-2024

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Abril de 2024

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Março de 2024 16-04-2024

Boletim Mensal de Estatística - Março de 2024

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Saúde - 2022 05-04-2024

Estatísticas da Saúde - 2022

A presente publicação, Estatísticas da Saúde - 2022, apresenta os dados estatísticos sobre saúde relativos a Portugal e principalmente ao ano de 2022, abrangendo dez subtemas, em geral com desagregação geográfica ao nível III da NUTS - 2024: estado de saúde, hospitais, farmácias e medicamentos, pessoal de saúde inscrito, partos, mortalidade geral, mortalidade infantil, mortalidade neonatal, mortalidade fetal e Conta Satélite da Saúde. 

Inclui ainda uma breve descrição das operações estatísticas que estão na origem dos dados publicados, bem como dos conceitos para fins estatísticos e classificações utilizados.

SABER +
Imagem sobre Desporto em Números - 2023 05-04-2024

Desporto em Números - 2023

O Instituto Nacional de Estatística disponibiliza a 4.ª edição da publicação Desporto em Números 2023, na qual é divulgada informação relativa a um conjunto de indicadores sobre o desporto em Portugal. Nesta edição são incluídos os resultados da participação desportiva em 2022, relativos à prática de atividade desportiva e a prática de exercício físico, bem como informação sobre os principais obstáculos à prática dessas atividades. Na publicação são divulgados resultados obtidos a partir de diversas fontes, seja de operações estatísticas do INE ou de dados de natureza administrativa. A informação reporta aos anos de 2018 a 2023, quando disponível. A publicação está organizada em nove capítulos: ensino, emprego, empresas, remuneração média, comércio internacional de bens, preços no consumidor dos bens e serviços, financiamento público, desporto federado e participação desportiva, percorrendo um conjunto de indicadores síntese relativos à dimensão social e económica do desporto.

Edição bilingue

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2024 21-03-2024

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2024

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Fevereiro de 2024 20-03-2024

Boletim Mensal de Estatística - Fevereiro de 2024

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Região Algarve em números - 2022 08-03-2024

Região Algarve em números - 2022

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
Imagem sobre Região Alentejo em números - 2022 08-03-2024

Região Alentejo em números - 2022

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

SABER +
#