CALENDÁRIO +Info...

Domingo, 1 de Março de 2020

Segunda-Feira, 2 de Março de 2020

  • IMAMI 2020 - Fev: Início
  • IMGA 2020 - Fev: Início
  • IMLV 2020 - Fev: Início
  • ITRM 2020 - 8ª Semana: Últ. dia

Segunda-Feira, 9 de Março de 2020

  • ITRM 2020 - 9ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 10 de Março de 2020

Sexta-Feira, 13 de Março de 2020

  • ICC 2020 - Mar: Últ. dia
  • ICCOP 2020 - Mar: Últ. dia
  • ICIT 2020 - Mar: Últ. dia
  • ICS 2020 - Mar: Últ. dia
  • IINQE 2020: Início
  • IPP 2019: Últ. dia

Domingo, 15 de Março de 2020

  • ICTE 2020 - 1º Trim: Últ. dia
  • IPCAMP 2020 - Fev: Últ. dia
  • IPCOL 2020 - Fev: Últ. dia
  • IPHH 2020 - Fev: Últ. dia
  • IPMC 2020 - Mar: Início
  • IPPI 2020 - Mar: Início
  • ITF 2020 - Fev: Últ. dia
  • SIOURM 2020 - Fev: Últ. dia

Segunda-Feira, 16 de Março de 2020

Sexta-Feira, 20 de Março de 2020

  • IEV 2019: Últ. dia
  • IMAMI 2020 - Fev: Últ. dia
  • IMAOC 2020 - Fev: Últ. dia
  • IMGA 2020 - Fev: Últ. dia
  • IMLV 2020 - Fev: Últ. dia

Domingo, 22 de Março de 2020

  • IMTM 2020 - Fev: Últ. dia
  • ITRM 2020 - 19ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 18ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 16ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 21ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 24ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 23ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 26ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 15ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 25ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 17ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 22ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 14ª Semana: Início
  • ITRM 2020 - 20ª Semana: Início

Segunda-Feira, 23 de Março de 2020

  • ITRM 2020 - 11ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 25 de Março de 2020

  • IMAAC 2020 - Fev: Últ. dia
  • IMPI 2020 - Fev: Últ. dia
  • IMVC 2020 - Fev: Últ. dia
  • IVNE 2020 - Fev: Últ. dia

Segunda-Feira, 30 de Março de 2020

  • IEGPA 2019: Início
  • ITRM 2020 - 12ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 31 de Março de 2020

INFORMAÇÕES

13-03-2020

Atenção - Dadas as circunstâncias atuais do COVID-19, o INE decidiu suspender as entrevistas presenciais até ao final do mês de abril, devido ao risco para os inquiridos e entrevistadores. Manterá a inquirição por via telefónica ou via internet, para os quais apela à boa colaboração dos inquiridos.
 

EM DESTAQUE

0930
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Avaliação bancária subiu para 1 337 euros por metro quadrado 27-03-2020

Avaliação bancária subiu para 1 337 euros por metro quadrado

O valor médio de avaliação bancária foi 1 337 euros em fevereiro, mais 7 euros que o observado no mês precedente. Este valor representa um aumento de 0,5% relativamente a janeiro e de 7,9% face ao mesmo mês do ano anterior.


A informação deste destaque não reflete ainda a situação atual determinada pela pandemia Covid19. É de esperar que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente. De qualquer modo, a informação hoje disponibilizada é útil para estabelecer uma referência para avaliar desenvolvimentos futuros. Apesar das circunstâncias, tentaremos manter o calendário de produção e divulgação, embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária. Por esse motivo apelamos à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE, utilizando a Internet e o telefone como canais alternativos aos contatos presenciais. Na verdade a qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia Covid19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Atividade turística deverá ainda ter acelerado em fevereiro de 2020 27-03-2020

Atividade turística deverá ainda ter acelerado em fevereiro de 2020

A atual pandemia está a condicionar a atividade da generalidade dos setores económicos, a nível nacional e mundial, particularmente do turismo. Dada a preocupação que se está a gerar sobre este setor, o INE decidiu divulgar antecipadamente, de forma excecional, estatísticas sobre a atividade turística em fevereiro de 2020 baseadas na informação primária já recolhida até 24 de março no âmbito do Inquérito à Permanência de Hóspedes na Hotelaria e outros alojamentos. Esta divulgação não inviabiliza o destaque da atividade turística em fevereiro, agendado para 15 de abril, nos moldes habituais.
Compreendendo a gravidade das circunstâncias, o INE apela ainda assim para que as empresas continuem a responder ao inquérito, que vai incluir questões visando caracterizar a situação atual. Este apelo é motivado pela necessidade de informação para avaliar o impacto da pandemia e para a implementação de políticas públicas consequentes.
De acordo com a estimativa rápida, em fevereiro de 2020, o setor do alojamento turístico deverá ter registado 1,6 milhões de hóspedes e 3,9 milhões de dormidas, aumentando 16,0% e 15,3%, respetivamente (+12,2% e +7,6% em janeiro, pela mesma ordem). As dormidas de residentes terão aumentado 27,2% (+12,1% em janeiro) e as de não residentes terão crescido 10,0% (+5,6% em janeiro).

SABER +
Imagem sobre Baixo Alentejo, Alto Tâmega, Alentejo Central e Médio Tejo registaram um aumento do número de novos contratos de arrendamento face ao período homólogo 26-03-2020

Baixo Alentejo, Alto Tâmega, Alentejo Central e Médio Tejo registaram um aumento do número de novos contratos de arrendamento face ao período homólogo

No 2º semestre de 2019, face ao semestre homólogo, o valor mediano das rendas de alojamentos familiares de novos contratos de arrendamento no país aumentou 10,8% (9,2% de variação homóloga no semestre anterior), fixando-se em 5,32 €/m2. O número de novos contratos diminuiu 6,4%, face ao 2º semestre de 2018 (-10,5% no semestre anterior). Pela primeira vez, desde o início da série (2º semestre de 2017), quatro sub-regiões NUTS III aumentaram o número de novos contratos de arrendamento, face ao período homólogo: Baixo Alentejo (+9,0%), Alto Tâmega (+8,7%), Alentejo Central (+5,1%) e Médio Tejo (+0,8%).
No período em análise, 39 municípios, localizados maioritariamente na Área Metropolitana de Lisboa e no Algarve, apresentaram um valor mediano superior ao nacional. Lisboa apresentou o valor mais elevado (11,96 €/m2), e com valores iguais ou superiores a 7 €/m2 destacavam-se também Cascais (10,71 €/m2), Oeiras (10,18 €/m2), Porto (8,83 €/m2), Amadora (8,33 €/m2), Almada (7,77 €/m2), Odivelas (7,67 €/m2), Matosinhos (7,55 €/m2), Loures (7,24 €/m2), Loulé e Albufeira (ambos 7,03 €/m2), mais três municípios que os assinalados no semestre anterior.
Em Lisboa, as freguesias Misericórdia (14,49 €/m2), Santo António (14,25 €/m2), Estrela (14,00 €/m2), Campo de Ourique (13,98 €/m2), Santa Maria Maior (13,90 €/m2) e Parque das Nações (13,55 €/m2) registaram valores superiores a 13,5 €/m2. No Porto, a União das freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde registou o valor mais elevado (9,50 €/m2) e a freguesia de Campanhã registou a maior taxa de variação homóloga (+21,8%) mas o menor valor de rendas (7,54 €/m2).

A informação deste destaque não reflete ainda a situação atual determinada pela pandemia Covid19. É de esperar que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente. De qualquer modo, a informação hoje disponibilizada é útil para estabelecer uma referência para avaliar desenvolvimentos futuros. Apesar das circunstâncias, tentaremos manter o calendário de produção e divulgação, embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária. Por esse motivo apelamos à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE, utilizando a Internet e o telefone como canais alternativos aos contatos presenciais. Na verdade a qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia Covid19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Principais Agregados das Administrações Públicas 25-03-2020

Principais Agregados das Administrações Públicas

O INE apresenta os dados dos principais agregados das Administrações Públicas (AP) relativos à estimativa preliminar anual de 2019, tendo como referência a base 2016 das Contas Nacionais Portuguesas.

A estimativa preliminar para o ano de 2019 revela que o setor das AP apresentou um saldo positivo (capacidade líquida de financiamento) de 404 milhões de euros, correspondente a 0,2% do PIB.

SABER +
Imagem sobre Procedimento dos défices excessivos (1ª Notificação de 2020) 25-03-2020

Procedimento dos défices excessivos (1ª Notificação de 2020)

Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat, até ao final do mês corrente, a primeira notificação de 2020 relativa ao Procedimento dos Défices Excessivos (PDE). De acordo com os resultados provisórios obtidos neste exercício, em 2019 a capacidade de financiamento das Administrações Públicas (AP) atingiu 403,9 milhões de euros, o que correspondeu a 0,2 do PIB (-0,4% em 2018). A dívida bruta das AP terá atingido 117,7% do PIB em 2019.

SABER +
Imagem sobre Saldo das Administrações Públicas atingiu 0,2% do PIB em 2019 25-03-2020

Saldo das Administrações Públicas atingiu 0,2% do PIB em 2019

A capacidade de financiamento da economia situou-se em 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, o que compara com 1,2% em 2018. O PIB nominal aumentou 3,9%, taxa inferior ao crescimento de 4,0% do Rendimento Nacional Bruto (RNB) e do Rendimento Disponível Bruto (RDB), verificando-se uma redução do saldo dos rendimentos primários com o Resto do Mundo. Considerando valores para o ano terminado no trimestre, a capacidade de financiamento da economia passou de 0,6% do PIB no 3º trimestre para 0,8% no 4º trimestre de 2019.
Em termos trimestrais, a capacidade de financiamento do setor institucional das Famílias diminuiu de 1,7% do PIB no ano acabado no 3º trimestre de 2019 para 1,6% no ano acabado no 4º trimestre. O rendimento disponível das Famílias registou um aumento inferior ao da despesa de consumo final, o que determinou a redução em 0,1 pontos percentuais (p.p.) da taxa de poupança para 6,7%. O saldo das Sociedades Não Financeiras fixou-se em -3,4% do PIB no 4º trimestre, enquanto a capacidade de financiamento das Sociedades Financeiras diminuiu para 2,4%. O saldo do setor das Administrações Públicas (AP) registou um aumento de 0,3 p.p. no ano terminado no 4º trimestre de 2019, relativamente ao trimestre anterior, situando-se em cerca de 403,9 milhões de euros, o que correspondeu a 0,2% do PIB (-0,4% do PIB em 2018).

A informação deste destaque não reflete ainda a situação atual determinada pela pandemia Covid19. É de esperar que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente. De qualquer modo, a informação hoje disponibilizada é útil para estabelecer uma referência para avaliar desenvolvimentos futuros. Apesar das circunstâncias, tentaremos manter o calendário de produção e divulgação, embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária. Por esse motivo apelamos à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE, utilizando a Internet e o telefone como canais alternativos aos contatos presenciais. Na verdade a qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia Covid19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Preços da habitação aumentaram 9,6% em média anual e 8,9% 23-03-2020

Preços da habitação aumentaram 9,6% em média anual e 8,9%

Em 2019, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) registou uma variação média anual de 9,6%, menos 0,7 pontos percentuais (p.p.) que a registada em 2018. Os preços das habitações existentes apresentaram um aumento médio anual superior ao observado nas habitações novas, 10,1% e 7,6%, respetivamente.
No último trimestre de 2019, a taxa de variação homóloga do IPHab foi 8,9%, menos 1,4 p.p. por comparação com o trimestre anterior. Nos últimos três meses do ano, o crescimento dos preços das habitações existentes fixou-se nos 9,8%, o dobro da taxa de variação observada nas habitações novas (4,9%).
No ano de 2019 transacionaram-se 181 478 habitações, o que representa um aumento de 1,6% face 2018. Neste período, o valor das transações totalizou 25,6 mil milhões de euros, mais 6,3% comparativamente ao ano transato.
No 4º trimestre de 2019 realizaram-se 49 232 transações, traduzindo-se numa taxa de variação homóloga de 6,1% e num aumento, face ao trimestre anterior, de 7,4%. Em valor, as habitações transacionadas totalizaram os 6,9 mil milhões de euros, mais 12,2% que no mesmo período de 2018.

A informação deste destaque não reflete ainda a situação atual determinada pela pandemia Covid19. É de esperar que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente. De qualquer modo, a informação hoje disponibilizada é útil para estabelecer uma referência para avaliar desenvolvimentos futuros. Apesar das circunstâncias, tentaremos manter o calendário de produção e divulgação, embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro desceu para 0,997%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 53 755 euros e 248 euros, respetivamente 19-03-2020

Taxa de juro desceu para 0,997%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 53 755 euros e 248 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,997% em fevereiro (1,000% no mês anterior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu de 1,090% para 1,131%. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 147 euros, fixando-se em 53 755 euros. A prestação média aumentou um euro, para 248 euros.

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica diminuiu e indicador de clima económico estabilizou 18-03-2020

Indicador de atividade económica diminuiu e indicador de clima económico estabilizou

Em fevereiro, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico aumentaram na Área Euro (AE). No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de 3,5% e -10,9%, respetivamente (0,3% e -5,1% em janeiro).
Em Portugal, o indicador de atividade económica, disponível até janeiro, diminuiu e o indicador de clima económico, disponível até fevereiro, estabilizou. O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou em janeiro, refletindo os contributos positivos menos intenso das componentes de consumo duradouro e não duradouro. O indicador de FBCF registou uma diminuição em janeiro, verificando-se uma diminuição do contributo positivo da componente de construção e um contributo mais negativo das máquinas e equipamentos, enquanto o material de transporte registou um contributo negativo menos intenso.
Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram, respetivamente, variações homólogas de 5,9% e 0,2% em janeiro (7,4% e 3,2% em dezembro). Considerando a atividade económica da perspetiva da produção, verificou-se um crescimento na indústria e uma desaceleração em termos reais na construção e, de forma ligeira, em termos nominais nos serviços.
De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, fixou-se em 6,9% em janeiro, 0,2 pontos percentuais superior ao valor definitivo registado em dezembro (taxa de 6,6% no mesmo período do ano anterior). Em janeiro, a estimativa para a população empregada (15 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, registou um crescimento homólogo e em cadeia de 0,2% (variação homóloga de 0,1% em dezembro).
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma taxa de variação homóloga de 0,4% em fevereiro (0,8% no mês anterior), verificando-se uma taxa de variação de -0,2% na componente de bens (0,4% em janeiro) e de 1,2% na componente de serviços (1,4% no mês anterior).

A informação deste destaque, referente a fevereiro, não reflete ainda a situação atual determinada pela pandemia Covid19. É de esperar que as tendências aqui analisadas se alterem substancialmente. De qualquer modo, a informação hoje disponibilizada é útil para estabelecer uma referência para avaliar desenvolvimentos futuros. Apesar das circunstâncias, tentaremos manter o calendário de produção e divulgação, embora seja natural alguma perturbação associada ao impacto da pandemia na obtenção de informação primária.

SABER +
Imagem sobre Índice de Preços na Produção Industrial diminuiu 3,0% 18-03-2020

Índice de Preços na Produção Industrial diminuiu 3,0%

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) diminuiu 3,0% em fevereiro (-1,9% em janeiro). Excluindo o agrupamento de Energia, esta taxa situou-se em -2,0% (-2,2% no mês anterior). A variação mensal do índice agregado foi -1,1% (variação nula no mesmo mês de 2019).

SABER +
Imagem sobre Residentes impulsionaram atividade turística 16-03-2020

Residentes impulsionaram atividade turística

O setor do alojamento turístico registou 1,4 milhões de hóspedes e 3,3 milhões de dormidas em janeiro de 2020, correspondendo a variações de +12,2% e +7,6%, respetivamente (+9,4% e +7,5% em dezembro, pela mesma ordem). As dormidas de residentes aumentaram 12,1% (+4,5% em dezembro) e as de não residentes cresceram 5,6% (+9,3% no mês anterior).
Em janeiro de 2020, a estada média (2,29 noites) reduziu-se 4,0% (-0,7% no caso dos residentes e -5,4% no de não residentes). A taxa líquida de ocupação (29,1%) aumentou 0,9 p.p. (+0,7 p.p. em dezembro).
Os proveitos totais cresceram 7,2% (+9,1% em dezembro), atingindo 175,9 milhões de euros. Os proveitos de aposento fixaram-se em 124,8 milhões de euros, aumentando 8,5% (+9,4% no mês anterior).
O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) aumentou 4,5% para 25,1 euros (+4,7% no mês anterior). O rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 68,6 euros, aumentando 2,9% (+0,9% no mês anterior).
Em janeiro, considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 1,5 milhões de hóspedes e 3,5 milhões de dormidas, correspondendo a crescimentos de 12,2% e 7,7%, respetivamente (+9,1% e +7,7% em dezembro, pela mesma ordem). As dormidas de residentes cresceram 12,0% (+5,7% em dezembro) e as de não residentes aumentaram 5,7% (+9,0% no mês anterior).
Este destaque inclui informação sobre o peso no setor do alojamento turístico dos principais países afetados pela pandemia do Vírus COVID-19.
 

SABER +
Imagem sobre Transporte de passageiros cresce no último trimestre e reforça crescimento anual 16-03-2020

Transporte de passageiros cresce no último trimestre e reforça crescimento anual

No 4º trimestre de 2019, o movimento de passageiros nos aeroportos nacionais atingiu 13,4 milhões, representando um crescimento de 6,3%  (+6,6% no 3ºT). O transporte por metropolitano aumentou 13,8% (+12,5% no 3ºT) com um registo de 74,1 milhões de passageiros transportados. O transporte fluvial de passageiros aumentou 6,2%, após +2,4% no 3ºT, atingindo 5,3 milhões de passageiros transportados.

O transporte aéreo e o transporte rodoviário registaram aumentos na movimentação de mercadorias de 16,2% e 0,6%, respetivamente (+17,4% e -3,0% no 3ºT, pela mesma ordem). O transporte marítimo e o transporte ferroviário de mercadorias registaram decréscimos: -2,9% nos portos marítimos nacionais (-12,9% no 3ºT) e -12,3% por ferrovia (-15,9% no trimestre anterior).

Os resultados preliminares de 2019 revelam um crescimento generalizado no transporte de passageiros: por via aérea (+6,8%, igual ao registado no ano anterior), por ferrovia pesada (+21,2%, após +4,0% em 2018), por metropolitano (+10,5%, +3,7% em 2018) e por vias fluviais (+6,7%, +3,4% no ano anterior).

Relativamente ao transporte de mercadorias em 2019, com exceção da via aérea que registou um acréscimo (+12,1%, após +5,1% em 2018), todos os restantes modos de transporte assinalaram decréscimos face ao ano anterior: ferroviário -12,0% (após estabilização registada em 2018), rodoviário -1,4% (+0,1% em 2018) e marítimo -5,8% (-3,2% no ano anterior). 

Em 2019, no transporte por oleoduto registou-se um aumento de 2,8% face ao ano anterior. Relativamente ao transporte de gás por gasoduto verificaram-se crescimentos quer nas entradas (+6,5%) quer nas saídas (+7,1%).

SABER +
Imagem sobre Edifícios licenciados cresceram 2,7% e edifícios concluídos aumentaram 17,6% 13-03-2020

Edifícios licenciados cresceram 2,7% e edifícios concluídos aumentaram 17,6%

No 4º trimestre de 2019 foram licenciados 5,8 mil edifícios, o que corresponde a um aumento de 2,7% face ao mesmo período do ano anterior (+7,0% no 3º trimestre de 2019). Os edifícios licenciados em construções novas cresceram 1,5%, enquanto o licenciamento para reabilitação diminuiu 4,3% (+7,5% e +4,1%, respetivamente, no 3º trimestre de 2019). Os edifícios concluídos aumentaram 17,6% (+16,7% no 3º trimestre de 2019), totalizando 4,4 mil edifícios. 

Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados aumentou 0,9% (-2,1% no 3º trimestre de 2019) e o número de edifícios concluídos cresceu 7,3% (+5,3% no 3º trimestre de 2019). 

No total do ano de 2019 foram licenciados 23,7 mil edifícios e concluídos 16,0 mil edifícios, correspondendo a acréscimos de 6,7% e 19,0%, respetivamente, face ao ano anterior (+17,6% e +19,0%, pela mesma ordem, em 2018). 

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços acelerou para 3,1% 11-03-2020

Volume de Negócios nos Serviços acelerou para 3,1%

O índice de volume de negócios nos serviços apresentou uma variação homóloga nominal de 3,1% em janeiro (2,1% no mês precedente).
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustado de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,3%, 3,9% e 1,2%, respetivamente (0,8%, 3,4% e -0,2% em dezembro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC desce para 0,4% 11-03-2020

Taxa de variação homóloga do IPC desce para 0,4%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 0,4% em fevereiro de 2020, taxa inferior em
0,4 pontos percentuais (p.p.) à registada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de 0,1%, valor inferior em 0,3 p.p. ao registado em janeiro de 2020.
A variação mensal do IPC foi -0,6% (-0,8% no mês precedente e -0,2% em fevereiro de 2019). A variação média dos últimos doze meses foi 0,3%, taxa inferior em 0,1 p.p. à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,5%, taxa inferior em 0,3 p.p. à do mês anterior e inferior em 0,7 p.p. à estimativa do Eurostat para a área do Euro (em janeiro de 2020, esta diferença foi de 0,6 p.p.).
O IHPC registou uma variação mensal de -0,6% (-0,8% no mês anterior e -0,3% em fevereiro de 2019) e uma variação média dos últimos doze meses de 0,3% (valor idêntico ao registado no mês precedente).

SABER +
Imagem sobre As exportações aumentaram 4,2% e as importações diminuíram 1,9%, respetivamente, em termos nominais 11-03-2020

As exportações aumentaram 4,2% e as importações diminuíram 1,9%, respetivamente, em termos nominais

Em janeiro de 2020, as exportações de bens registaram uma variação homóloga nominal de +4,2% e as importações de -1,9% (+5,5% e +1,7% em dezembro de 2019, pela mesma ordem). Destacam-se os acréscimos nas exportações e importações de Combustíveis e lubrificantes (+50,3% e +14,3%, respetivamente) e a diminuição nas importações de Material de transporte (-17,1%), principalmente Outro material de transporte (aviões).
Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 1,5% e as importações decresceram 4,0% (respetivamente +2,9% e +1,5%, em dezembro de 2019).
O défice da balança comercial de bens registou uma diminuição de 339 milhões de euros face ao mês homólogo de 2019, atingindo 1 539 milhões de euros em janeiro de 2020. Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1 043 milhões de euros, correspondente a uma diminuição do défice de 314 milhões de euros em relação a janeiro de 2019.
No trimestre terminado em janeiro de 2020, as exportações e as importações de bens aumentaram respetivamente 5,9% e 0,2% face ao trimestre terminado em janeiro de 2019 (+7,4% e +3,2%, pela mesma ordem, no 4º trimestre de 2019).

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção na Construção abrandou para 1,5% 10-03-2020

Índice de Produção na Construção abrandou para 1,5%

O Índice de Produção na Construção registou um aumento homólogo de 1,5% em janeiro (1,8% no mês precedente). Os índices de emprego e de remunerações aumentaram 1,7% e 3,1%, respetivamente (1,9% e 5,5% no mês anterior).

SABER +
Imagem sobre Índice de Volume de Negócios na Indústria desacelerou para 0,4% 09-03-2020

Índice de Volume de Negócios na Indústria desacelerou para 0,4%

Em termos homólogos e nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria cresceu 0,4% em janeiro (1,1% no mês anterior). O índice relativo ao mercado nacional desacelerou de 1,4% em dezembro para 0,7% em janeiro e o índice correspondente ao mercado externo regressou a uma variação negativa,  -0,2%,  após crescimento de 0,6% em dezembro.
O emprego e as horas trabalhadas registaram diminuições homólogas de 0,5% e 1,3% em janeiro (reduções de 0,4% e 1,2% no mês precedente, pela mesma ordem), enquanto as remunerações aumentaram 3,6% (1,9% em dezembro).

SABER +
Imagem sobre Custos de construção aceleram para uma variação homóloga de 2,6% 09-03-2020

Custos de construção aceleram para uma variação homóloga de 2,6%

Em janeiro, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 2,6%, mais 0,5 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior. O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações de 0,1% e de 6,2% face ao período homólogo.

SABER +
Imagem sobre Vendas no Comércio a Retalho aceleraram para 4,3% 28-02-2020

Vendas no Comércio a Retalho aceleraram para 4,3%

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho registou uma variação homóloga de 4,3% em janeiro, taxa superior em 1,6 pontos percentuais à observada no mês anterior.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas, apresentaram taxas de variação homóloga de 2,8%, 2,3% e 1,7%, respetivamente (2,6%, 1,8% e 2,7% em dezembro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Fevereiro de 2020 20-03-2020

Boletim Mensal de Estatística - Fevereiro de 2020

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e  Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2020 20-03-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Março de 2020

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Janeiro de 2020 24-02-2020

Boletim Mensal de Estatística - Janeiro de 2020

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2020 21-02-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Fevereiro de 2020

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Península Ibérica em Números - 2019 21-02-2020

Península Ibérica em Números - 2019

Os Institutos Nacionais de Estatística de Portugal e de Espanha publicam, conjuntamente, a 16.ª edição de Península Ibérica em Números | Península Ibérica en Cifras. A publicação contém indicadores estatísticos oficiais agrupados em 14 temas, que permitem comparar estes dois países e observar a posição de cada um no contexto da União Europeia. Em múltiplos casos, a informação é apresentada com detalhe a nível regional.
Esta publicação é apresentada em edição trilingue (português, espanhol e inglês) e inclui textos relativos a uma parte significativa dos seus quadros, gráficos e mapas.

Está disponível também a edição interativa

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Janeiro de 2020 18-02-2020

REVSTAT - Statistical Journal - Janeiro de 2020

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.

Edição em língua inglesa.

SABER +
Imagem sobre Região Norte em números - 2018 14-02-2020

Região Norte em números - 2018

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

SABER +
Imagem sobre Região Centro em números - 2018 14-02-2020

Região Centro em números - 2018

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

SABER +
Imagem sobre Área Metropolitana de Lisboa em números - 2018 14-02-2020

Área Metropolitana de Lisboa em números - 2018

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

SABER +
Imagem sobre Região Algarve em números - 2018 14-02-2020

Região Algarve em números - 2018

Brochura contendo informação estatística de síntese para cada região NUTS II de Portugal continental, organizada em mais de vinte subcapítulos agrupados em quatro domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. A apresentação da informação, maioritariamente através de mapas temáticos e gráficos, permite captar a realidade socioeconómica de cada uma das regiões no contexto nacional e dos respetivos municípios.

Está também disponível a edição interativa da brochura

SABER +
#