CALENDÁRIO +Info...

Quinta-Feira, 1 de Agosto de 2019

Segunda-Feira, 5 de Agosto de 2019

  • ITRM 2019 - 30ª Semana: Últ. dia

Sábado, 10 de Agosto de 2019

  • IMPI 2019 - Jul: Últ. dia
  • IVNE 2019 - Jul: Últ. dia

Segunda-Feira, 12 de Agosto de 2019

  • ITRM 2019 - 31ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 13 de Agosto de 2019

  • ICC 2019 - Ago: Últ. dia
  • ICCOP 2019 - Ago: Últ. dia
  • ICIT 2019 - Ago: Últ. dia
  • ICS 2019 - Ago: Últ. dia

Quinta-Feira, 15 de Agosto de 2019

Segunda-Feira, 19 de Agosto de 2019

  • ITRM 2019 - 32ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 20 de Agosto de 2019

Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019

  • IMGA 2019 - Jul: Últ. dia
  • IMLV 2019 - Jul: Últ. dia
  • IMTM 2019 - Jul: Últ. dia

Domingo, 25 de Agosto de 2019

  • IMAAC 2019 - Jul: Últ. dia
  • IMVC 2019 - Jul: Últ. dia
  • IPMC 2019 - Ago: Últ. dia
  • IPPI 2019 - Ago: Últ. dia

Segunda-Feira, 26 de Agosto de 2019

  • ITRM 2019 - 33ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

0602
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Taxa de juro subiu para 1,087%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 52 954 euros e 248 euros, respetivamente 22-08-2019

Taxa de juro subiu para 1,087%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 52 954 euros e 248 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 1,087% em julho (1,081% no mês ante-rior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu de 1,267% para 1,305 %. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 39 euros, fixando-se em 52 954 euros. A prestação média vencida subiu um euro, para 248 euros.

SABER +
Imagem sobre Indicador de atividade económica estabiliza e indicador de clima económico diminui ligeiramente 20-08-2019

Indicador de atividade económica estabiliza e indicador de clima económico diminui ligeiramente

Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga de 1,1% no 2º trimestre de 2019 (1,2% no trimestre anterior). Em julho, o indicador de confiança dos consumidores aumentou e o indicador de sentimento económico diminuiu na AE. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -2,0% e 0,2%, respetivamente (2,5% e -10,8% em junho).
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB, em volume, registou uma variação homóloga de 1,8% no 2º trimestre de 2019 (variação idêntica no 1º trimestre), enquanto a variação em cadeia foi 0,5% nos dois primeiros trimestres do ano. O indicador de atividade económica, disponível até junho, estabilizou, e o indicador de clima económico, disponível até julho, diminuiu ligeiramente. O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou em junho, refletindo um contributo positivo menos expressivo da componente de consumo corrente. O indicador de FBCF desacelerou em junho, devido aos contributos positivos menos intensos das componentes de construção e máquinas e equipamentos. Em termos nominais, as exportações e importações de bens apresentaram, respetivamente, variações homólogas de 1,0% e 6,8% em junho (5,5% e 12,0% em maio). Considerando a atividade económica da perspetiva da produção, verificou-se uma diminuição real e nominal na indústria, bem como um abrandamento em termos nominais nos serviços e em termos reais na construção.
No 2º trimestre de 2019 a taxa de desemprego situou-se em 6,3%, 0,5 p.p. inferior ao valor registado no trimestre anterior (6,7% em igual período de 2018). O emprego total desacelerou, passando de uma variação homóloga de 1,5% no 1º trimestre para 0,9% no trimestre de referência, tendo a população ativa registado um crescimento homólogo de 0,4% (0,3% no trimestre anterior).
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de -0,3% em julho (0,4% em junho), observando-se uma taxa de variação de -0,7% na componente de bens (-0,3% no mês anterior) e de 0,3% na de serviços (1,5% no mês precedente).

SABER +
Imagem sobre Boas perspetivas para as produções de pomares e vinhas 20-08-2019

Boas perspetivas para as produções de pomares e vinhas

As previsões agrícolas, em 31 de julho, apontam para aumentos de produtividade, face à campanha anterior, na maioria dos frutos frescos e nas vinhas para vinho. Na maçã e no pêssego, a floração e o vingamento dos frutos decorreram em condições bastante favoráveis, prevendo-se rendimentos unitários ao nível dos mais elevados das últimas décadas. Na amêndoa, a entrada em produção das novas plantações também fez aumentar significativamente a produtividade, situação que, provavelmente, deverá repetir-se ao longo das próximas campanhas. Quanto à vinha, antecipa-se um aumento de 10% face à vindima de 2018.
Nas culturas de primavera/verão, prevê-se a manutenção da área semeada de milho para grão, após cinco anos consecutivos de redução. A colheita de tomate para a indústria começou na última semana de julho, estimando-se um aumento de produtividade de 10%, com os frutos a apresentarem boa coloração vermelha, valorizada pela indústria. Também na batata de regadio a variação positiva da produtividade deverá ser na ordem dos 10%, enquanto no girassol será de 5%. Para o arroz prevê-se a manutenção do rendimento unitário da campanha anterior, com registo de problemas de salinidade nas águas de rega.
Quanto aos cereais de outono/inverno, cuja colheita está maioritariamente concluída, a produção deverá ficar abaixo das 200 mil toneladas (-11% que em 2018).

SABER +
Imagem sobre Preços na produção industrial registaram variação homóloga de -0,4% 20-08-2019

Preços na produção industrial registaram variação homóloga de -0,4%

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) apresentou uma taxa de variação homóloga de -0,4% em julho (-0,2% em junho). Excluindo o agrupamento de Energia, esta variação foi nula (variação de 0,4% em junho).
A variação mensal do índice total foi 0,0% (0,3% em igual mês de 2018).

SABER +
Imagem sobre Aceleração nos principais indicadores da atividade turística 14-08-2019

Aceleração nos principais indicadores da atividade turística

O setor do alojamento turístico registou 2,7 milhões de hóspedes e 7,1 milhões de dormidas em junho de 2019, aumentando +9,7% e +5,6%, respetivamente (+7,0% e +3,1% em maio, pela mesma ordem). As dormidas de residentes cresceram 11,6% (+9,1% em maio) e as de não residentes aumentaram 3,2% (+1,2% no mês anterior).
Em junho de 2019, a estada média (2,63 noites) reduziu-se 3,7% (-1,7% nos residentes e -3,9% nos não residentes).
A taxa líquida de ocupação (55,5%) aumentou 0,1 p.p. (-0,8 p.p. em maio).
Os proveitos aceleraram e apresentaram, no total, um crescimento de 11,8% (+4,7% em maio), totalizando 466,0 milhões de euros. Os proveitos de aposento (351,6 milhões de euros) cresceram 12,1% (+4,3% no mês precedente).
O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 62,5 euros (+6,5%) e o rendimento médio por quarto ocupado (ADR) ascendeu a 96,8 euros (+6,2%).

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto aumentou 1,8% em volume 14-08-2019

Produto Interno Bruto aumentou 1,8% em volume

O Produto Interno Bruto (PIB), em termos homólogos, aumentou 1,8% em volume no 2º trimestre de 2019 (taxa idêntica à do trimestre anterior). O contributo da procura interna para a variação homóloga do PIB diminuiu, refletindo a desaceleração das despesas de consumo final e, em larga medida, do Investimento. Em sentido contrário, o contributo da procura externa líquida foi menos negativo que o observado no trimestre anterior, em resultado da maior desaceleração das Importações de Bens e Serviços que a observada nas Exportações de Bens e Serviços.
Comparativamente com o 1º trimestre de 2019, o PIB aumentou 0,5%, em termos reais, mantendo a taxa verificada no trimestre anterior. O contributo da procura interna para a variação em cadeia do PIB foi negativo, após ter sido positivo no 1º trimestre. Por sua vez, o contributo da procura externa líquida foi positivo, depois de ter sido negativo no trimestre precedente.

SABER +
Imagem sobre O Índice de Custo do Trabalho aumentou 0,9% em relação ao mesmo trimestre de 2018 13-08-2019

O Índice de Custo do Trabalho aumentou 0,9% em relação ao mesmo trimestre de 2018

O Índice de Custo do Trabalho (ICT) ajustado de dias úteis registou um acréscimo homólogo de 0,9%, no 2.º trimestre de 2019. No trimestre anterior tinha sido observado um acréscimo homólogo de 1,4%.
As duas principais componentes, custos salariais e outros custos (ambos por hora efetivamente trabalhada), aumentaram 0,9% e 0,8%, respetivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior.
A variação homóloga foi também explicada pelo acréscimo de 4,0% no custo médio por trabalhador conjugado com o acréscimo de 3,1% no número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços cresceu 3,7% 12-08-2019

Volume de Negócios nos Serviços cresceu 3,7%

O índice de volume de negócios nos serviços acelerou 3,1 pontos percentuais (p.p.), para uma taxa de variação homóloga de 3,7% em junho. No segundo trimestre de 2019, a variação homóloga dos serviços situou-se em 2,1% (4,6% no trimestre precedente).
Os índices de emprego, de remunerações brutas e de horas trabalhadas, ajustados de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 1,6%, 3,4% e -2,7%, respetivamente (1,1%, 3,6% e 2,6%, em maio, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC desce para -0,3% 12-08-2019

Taxa de variação homóloga do IPC desce para -0,3%

A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi -0,3% em julho de 2019, taxa inferior em 0,7 pontos percentuais (p.p.) à do mês anterior. Esta evolução deve-se em grande medida ao contributo da variação negativa dos preços da classe dos Restaurantes e hotéis. As reduções de preços verificadas na classe do Vestuário e calçado, em consequência de uma maior intensidade nas promoções de final de época, e a alteração da taxa de IVA aplicada ao termo fixo das tarifas de eletricidade e gás natural, contribuíram também para a diminuição desta taxa. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) registou uma variação homóloga de -0,1%, taxa inferior em 0,7 p.p. à registada em junho.
A variação mensal do IPC foi -1,3% (nula no mês precedente e -0,6% em julho de 2018). A variação média dos últimos doze meses foi de 0,7%, taxa inferior em 0,2 p.p. à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de -0,7%, refletindo o maior peso relativo da classe dos Restaurantes e hotéis neste índice (Ver Quadro 3, na página 8 deste destaque). Esta taxa é inferior em 1,4 p.p. à do mês anterior e em 1,8 p.p. à estimativa do Eurostat para a área do Euro (no mês anterior, esta diferença foi 0,6 p.p.).
O IHPC registou uma variação mensal de -1,7% (0,4% no mês anterior e -0,4% em julho de 2018) e uma variação média dos últimos doze meses de 0,7% (valor inferior em 0,3 p.p. ao registado em junho).

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção abrandou para 2,8% 09-08-2019

Produção na Construção abrandou para 2,8%

O Índice de Produção na Construção teve uma taxa de variação homóloga de 2,8%, 1,1 pontos percentuais (inferior ao registado em maio. Os índices de emprego e de remunerações tiveram um crescimento de 2,4% e 6,2% (2,6% e 6,0% em maio), respetivamente.

SABER +
Imagem sobre As exportações e as importações diminuíram 8,3% e 4,1%, respetivamente, em termos nominais 09-08-2019

As exportações e as importações diminuíram 8,3% e 4,1%, respetivamente, em termos nominais

Em junho de 2019, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de -8,3% e -4,1%, respetivamente (+8,5% e +14,3% em maio de 2019, pela mesma ordem), podendo refletir o menor número de dias úteis do mês em análise. Destaca-se a diminuição das exportações e importações de Combustíveis e lubrificantes (-34,3% e -24,8%, respetivamente) e o acréscimo de 32,4% nas importações de Material de transporte (maioritariamente aviões).
Excluindo Combustíveis e lubrificantes, as exportações diminuíram 6,2% e as importações decresceram 0,2% (+9,8% e +11,4%, respetivamente, em maio de 2019).
O défice da balança comercial de bens atingiu 1 833 milhões de euros em junho de 2019, mais 150 milhões de euros face ao mês homólogo de 2018. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1 270 milhões de euros, registando um aumento do défice de 288 milhões de euros em relação a junho de 2018.
No 2º trimestre de 2019, as exportações e as importações de bens aumentaram, respetivamente, 1,0% e 6,8% face ao 2º trimestre de 2018 (+5,5% e +12,0%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em maio de 2019).
No 1º semestre de 2019, verificaram-se aumentos de 2,9% nas exportações e de 9,3% nas importações, o que representa uma desaceleração das exportações e uma aceleração das importações face à variação registada no 2º semestre de 2018 (+3,7% e +7,5%, pela mesma ordem). Excluindo Combustíveis e lubrificantes, os acréscimos foram de 4,5% e 9,9%, respetivamente (+4,3% e +7,4%, no 2º semestre de 2018).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria diminuiu 8,0% 08-08-2019

Volume de Negócios na Indústria diminuiu 8,0%

Em termos homólogos e nominais, o Índice de Volume de Negócios na Indústria passou de um crescimento de 3,0% em maio para uma redução de 8,0% em junho, podendo refletir o menor número de dias úteis do mês em análise. As variações dos índices do mercado nacional e do mercado externo situaram-se em -4,5% e -12,7% (4,3% e 1,4% em maio, pela mesma ordem). No segundo trimestre de 2019, as vendas na indústria apresentaram uma variação homóloga de -1,4% (0,5% no trimestre anterior).
Os índices de emprego e de remunerações registaram aumentos homólogos, respetivamente de 0,4% e 3,7% (0,8% e 3,5% em maio), enquanto a variação do índice de horas trabalhadas se fixou em -5,6% (3,2% no mês precedente).

SABER +
Imagem sobre A remuneração bruta mensal média por trabalhador aumentou 3,4% no segundo trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018 08-08-2019

A remuneração bruta mensal média por trabalhador aumentou 3,4% no segundo trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018

A remuneração bruta mensal média por trabalhador (posto de trabalho) aumentou 3,4% no segundo trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018, tal como a componente regular daquela remuneração.
Em termos reais, descontado o efeito da inflação no período em análise, a remuneração bruta mensal média por trabalhador aumentou 2,9% e a componente regular aumentou 2,8%.
Nos últimos cinco anos, a Retribuição Mínima Mensal Garantida aproximou-se da remuneração bruta mensal regular, tendo passado de 55,9% deste montante, no 1.º semestre de 2014, período em que se inicia a série disponibilizada ao INE, para 63,0%, no 1.º semestre de 2019, e ultrapassando os 80% em algumas atividades, como as atividades administrativas, da agricultura e pesca e do alojamento e restauração.

STATSLAB - Estatísticas em desenvolvimento

 

SABER +
Imagem sobre A taxa de desemprego diminuiu para 6,3% 07-08-2019

A taxa de desemprego diminuiu para 6,3%

No 2.ºtrimestre de 2019, a taxa de desemprego foi 6,3%, inferior em 0,5 pontos percentuais (p.p.) à do trimestre anterior e em 0,4 p.p. à do trimestre homólogo de 2018.
A população desempregada, estimada em 328,5 mil pessoas, diminuiu 7,1% (25,1 mil) em comparação com o trimestre anterior e 6,6% (23,3 mil) em relação ao 2.º trimestre de 2018.
Na população empregada (4 916,7 mil pessoas) foi observado um acréscimo trimestral de 0,7% (36,5 mil) e um acréscimo homólogo de 0,9% (42,6 mil).
A taxa de desemprego de jovens (15 a 24 anos) situou-se em 18,1%, tendo aumentado 0,5 p.p. em relação ao trimestre anterior e diminuído 1,3 p.p. relativamente ao homólogo. A proporção de desempregados à procura de emprego há 12 e mais meses (longa duração) foi estimada em 53,1%, mais 6,3 p.p. que no trimestre anterior e mais 0,8 p.p. que no homólogo.

SABER +
Imagem sobre Custos de construção com variação homóloga de 2,0% 07-08-2019

Custos de construção com variação homóloga de 2,0%

Em junho, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 2,0%, menos 0,4 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior. O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações de 0,6% e de 4,1% face ao período homólogo.

SABER +
Imagem sobre Alojamento turístico com crescimento mas em desaceleração 02-08-2019

Alojamento turístico com crescimento mas em desaceleração

Relativamente a 2018, estima-se que o número de chegadas a Portugal de turistas não residentes tenha atingido 22,8 milhões, correspondendo a um crescimento de 7,5% face a 2017. Este crescimento é menor que o estimado para o ano anterior (+16,6%). Espanha manteve-se como o principal mercado emissor de turistas internacionais (quota de 25,4%).
Considerando a atividade do setor do alojamento turístico em 2018, o número de hóspedes totalizou 25,2 milhões e as dormidas 67,7 milhões, traduzindo-se em aumentos de 5,1% e 3,1%, respetivamente (+12,9% e +10,8%, pela mesma ordem, em 2017). Na hotelaria registaram-se 81,0% dos hóspedes e 83,6% das dormidas, seguindo-se o alojamento local (quotas de 15,6% e 13,8%, respetivamente) e o turismo no espaço rural e de habitação (3,4% e 2,6%, pela mesma ordem). O mercado interno assegurou 19,9 milhões de dormidas (29,4% do total) e evidenciou um aumento de 6,5% em 2018 (+7,3% em 2017). As dormidas dos mercados externos (70,6% do total) registaram um crescimento significativamente inferior (+1,8%, após +12,2% no ano precedente) e atingiram 47,8 milhões.
Em 2018, os residentes em Portugal efetuaram 22,1 milhões de deslocações turísticas, com um crescimento de 4,2% (+5,0% em 2017 e +5,4% em 2016). As viagens turísticas em território nacional atingiram 19,6 milhões, refletindo um aumento de 3,2% (+4,1% no ano anterior). As deslocações para o estrangeiro (2,5 milhões) representaram 11,3% do total, tendo aumentado 13,3% (+13,1% em 2017).

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre 64 municípios apresentaram valores medianos do rendimento superiores à referência nacional 31-07-2019

64 municípios apresentaram valores medianos do rendimento superiores à referência nacional

Em 2017, o valor mediano do rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado por sujeito passivo foi de 8 687 € em Portugal. 64 Municípios apresentaram valores medianos do rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado por sujeito passivo superiores à referência nacional, destacando-se, com valores acima de 10 000 €, os seguintes: Oeiras, Lisboa, Cascais, Entroncamento, Alcochete, Coimbra, Almada, Porto, Vila Franca de Xira, Évora, Seixal, Aveiro, Marinha Grande, Odivelas e Setúbal.
O coeficiente de Gini, indicador habitualmente utilizado para sintetizar o grau de desigualdade de uma distribuição de rendimentos, apresentou valores superiores à referência nacional em 34 municípios: 18 na região Norte, 7 da Região Autónoma dos Açores, 4 na Área Metropolitana de Lisboa, 2 na região Centro, 2 na Região autónoma da Madeira e 1 no Algarve.

STATSLAB - Estatísticas em desenvolvimento

Consulte a Publicação

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC desce para -0,3% 31-07-2019

Taxa de variação homóloga do IPC desce para -0,3%

Tendo por base a informação apurada até à data do presente destaque, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido -0,3% em julho de 2019 (0,4% em junho). Esta evolução deve-se em grande medida ao contributo da variação negativa dos preços da classe de restaurantes e hotéis. A redução da taxa de IVA aplicada à eletricidade e ao gás natural contribuiu também para a diminuição desta taxa. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá baixado para -0,1% (0,6% no mês anterior). A taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá diminuído para -2,8% (em junho, esta taxa foi -2,5%).
A variação mensal do IPC terá sido -1,3% (em junho, o valor apurado foi nulo e em julho de 2018 tinha sido -0,6%), estimando-se uma variação média nos últimos doze meses de 0,7%, taxa inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) ao registado no mês precedente.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de -0,7% (0,7% em junho), refletindo o maior peso relativo da classe de restaurantes e hotéis neste índice.
Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de julho serão publicados no próximo dia 12 de agosto.

SABER +
Imagem sobre Índice de Produção Industrial registou uma variação homóloga de -5,8% 30-07-2019

Índice de Produção Industrial registou uma variação homóloga de -5,8%

O índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de -5,8% em junho (-0,4% em maio). A taxa de variação da secção das Indústrias Transformadoras situou-se em -3,7% (0,1% no mês anterior). No 2º trimestre de 2019, o índice agregado diminuiu 2,5% e o índice da secção das Indústrias Transformadoras diminuiu 1,0% em termos homólogos (no trimestre anterior, estas variações tinham sido  3,8% e -1,0%, respetivamente).

SABER +
Imagem sobre Vendas no Comércio a Retalho cresceram 4,5% 30-07-2019

Vendas no Comércio a Retalho cresceram 4,5%

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho registou uma variação homóloga de 4,5% em junho (4,3% em maio). Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas2, apresentaram taxas de variação homóloga de 2,3%, 2,8% e 0,1%, respetivamente (2,3%, 4,6% e 1,3% em maio, pela mesma ordem). No segundo trimestre de 2019, as vendas no comércio a retalho subiram 5,2% em termos homólogos (4,9% no primeiro trimestre).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2019 22-08-2019

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Agosto de 2019

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre Portugal em números - 2018 19-08-2019

Portugal em números - 2018

Publicação bilingue (português e inglês) contendo informação estatística de síntese sobre Portugal organizada em quatro áreas: o território, as pessoas, a atividade económica e o estado.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2019 19-08-2019

Boletim Mensal de Estatística - Julho de 2019

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Turismo - 2018 02-08-2019

Estatísticas do Turismo - 2018

A publicação Estatísticas de Turismo de 2018 apresenta informação de enquadramento e contexto económico internacional e nacional, com base em informação de fontes diversas, designadamente a Organização Mundial de Turismo, Eurostat, Fundo Monetário Internacional, Banco de Portugal e Segurança Social, incluindo ainda resultados apurados sobre movimento de cruzeiros marítimos e chegadas de turistas a Portugal.

Os principais resultados centram-se na oferta de alojamento turístico e ocupação - relativamente aos estabelecimentos de alojamento turístico com detalhe sobre os três segmentos: Hotelaria, Alojamento local e Turismo no espaço rural/de habitação, bem como resultados sobre campismo e colónias de férias/pousadas de juventude;
e na procura turística dos residentes - com resultados detalhados sobre turistas (residentes) bem como a caracterização das suas viagens em várias vertentes, incluindo excursionismo.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do rendimento ao nível local - 2017 31-07-2019

Estatísticas do rendimento ao nível local - 2017

O INE inicia a divulgação das Estatísticas do Rendimento ao nível local com base em dados fiscais anonimizados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) relativos à Nota de liquidação do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS –Modelo 3), obtidos no âmbito de um protocolo celebrado entre a AT e o INE.


Os resultados apresentados nesta publicação baseiam-se nos valores do rendimento bruto declarado do IRS liquidado e da variável derivada rendimento bruto declarado deduzido do IRS liquidado por agregado fiscal e por sujeito passivo. O ano em que se centra a análise é 2017, embora seja apresentada informação para o período de 2015 a 2017.

Os resultados encontram-se estruturados em fichas de síntese para os municípios com mais de 2 mil sujeitos passivos deste imposto e para as 25 sub-regiões NUTS III do país.

Esta iniciativa insere-se no quadro de desenvolvimento da Infraestrutura Nacional de Dados (IND) no INE, que corresponde ao corolário de um caminho que tem sido prosseguido nos últimos anos de integração de dados provenientes de fontes diversas. As Estatísticas do Rendimento ao nível local, resultantes do aproveitamento de fontes administrativas, pretendem contribuir para a leitura da diversidade territorial da distribuição do rendimento à escala local.


Estatísticas em desenvolvimento

STATSLab-Estatísticas em desenvolvimento

 

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2019 25-07-2019

Boletim Mensal de Estatística - Junho de 2019

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas Agrícolas - 2018 24-07-2019

Estatísticas Agrícolas - 2018

A publicação Estatísticas Agrícolas - 2018, está organizada em 12 capítulos, com textos de análise e respetivos quadros estatísticos. A informação divulgada cobre a atividade agrícola e alguns setores da economia nacional com ligações ao setor agrícola, incluindo temas tão diversificados como a produção vegetal, animal e florestal; a economia agrícola, analisada através das contas económicas da agricultura, da silvicultura e preços e índices de preços na agricultura, bem como o comércio internacional de produtos agrícolas e florestais, entre outros.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2019 19-07-2019

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Julho de 2019

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

Nota: Até Fevereiro de 2009 editado com o título:Boletim mensal da agricultura e pescas e agro-indústria

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal 18-07-2019

REVSTAT - Statistical Journal

 

REVSTAT - Statistical Journal (Vol.17 Number 3 - July 2019)

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.  Edição em língua inglesa.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Construção e Habitação - 2018 17-07-2019

Estatísticas da Construção e Habitação - 2018

A presente publicação insere-se na série anual das Estatísticas da Construção e Habitação, disponibilizando um vasto conjunto de indicadores sobre a construção e habitação em Portugal.
Da informação agora disponibilizada, destaca-se a divulgação da informação do Sistema de Indicadores de Operações Urbanísticas (SIOU): Estimativas do Parque Habitacional 2011-2018 e indicadores sobre Obras Concluídas e Licenciadas, relativos a 2018.


Incluem-se ainda nesta publicação, elementos informativos sobre o mercado de habitação e propriedades comerciais: vendas de alojamentos familiares; evolução de preços e preços da habitação ao nível local (que se baseiam em dados administrativos de natureza fiscal); valores de avaliação de peritos ao serviço de instituições bancárias; rendas de habitação ao nível local; evolução dos custos de construção e índice de preços das propriedades comerciais.


Os quadros de resultados são apresentados com uma desagregação geográfica ao nível das regiões NUTS III, para a maior parte das variáveis. No entanto, grande parte desta informação está disponível nos Dados Estatísticos>Base de Dados do Portal de Estatísticas Oficiais com desagregação ao nível do município e, para alguns indicadores, ao nível da freguesia.

SABER +
#