Política de Cookies

Para poder prestar um serviço personalizado, funcional e de qualidade aos utilizadores do nosso serviço WEBINQ, o INE utiliza cookies próprios, imprescindíveis ao bom funcionamento do site.
Mais informação

CALENDÁRIO +Info...

Saturday, 1 de January de 2022

Monday, 3 de January de 2022

  • ITRM 2021 - 51ª Semana: Últ. dia

Wednesday, 5 de January de 2022

  • IH 2022: Início
  • ITENF 2021 - 4º Trim: Início

Monday, 10 de January de 2022

  • ICC 2022 - Jan: Últ. dia
  • ICCOP 2022 - Jan: Últ. dia
  • ICIT 2022 - Jan: Últ. dia
  • ICS 2022 - Jan: Últ. dia
  • IMPI 2021 - Dez: Últ. dia
  • IPCAMP 2021 - Dez: Últ. dia
  • IPCOL 2021 - Dez: Últ. dia
  • IPHH 2021 - Dez: Últ. dia
  • ITRM 2021 - 52ª Semana: Últ. dia
  • IVNE 2021 - Dez: Últ. dia

Tuesday, 11 de January de 2022

Thursday, 13 de January de 2022

Saturday, 15 de January de 2022

Thursday, 20 de January de 2022

Saturday, 22 de January de 2022

  • IMGA 2021 - Dez: Últ. dia
  • IMLV 2021 - Dez: Últ. dia
  • IMTM 2021 - Dez: Últ. dia

Monday, 24 de January de 2022

Tuesday, 25 de January de 2022

  • IMAAC 2021 - Dez: Últ. dia
  • IMVC 2021 - Dez: Últ. dia
  • IPPI 2022 - Jan: Últ. dia
  • ITENF 2021 - 4º Trim: Últ. dia

Monday, 31 de January de 2022

  • IPMC 2022 - Jan: Últ. dia
  • ITRM 2022 - 3ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1622
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 30
  • >
Imagem sobre Taxa de juro desceu para 0,801%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 58 207 euros e 253 euros, respetivamente 19-01-2022

Taxa de juro desceu para 0,801%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 58 207 euros e 253 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,801% em dezembro (0,807% no mês anterior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 0,692% em novembro para 0,682% em dezembro. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 123 euros, fixando-se em 58 207 euros. A prestação média manteve-se em 253 euros.

Em 2021, a taxa de juro média anual para o total do crédito à habitação fixou-se em 0,821%, valor 13,6 p.b. inferior ao do ano anterior. O capital médio em dívida aumentou 2 428 euros, para 56 668 euros. A prestação média mensal aumentou 1,7% (4 euros), para 237 euros.

SABER +
Imagem sobre Acentuada aceleração dos preços no produtor e no consumidor no 2º semestre 19-01-2022

Acentuada aceleração dos preços no produtor e no consumidor no 2º semestre

Em 2021, verificou-se uma aceleração dos preços, tendo o Índice de Preços no Consumidor (IPC) evidenciado um forte movimento ascendente, registando variações de homólogas de 0,6% e 1,9% no 1º e 2º semestre, respetivamente e 1,3% de média anual, após a variação nula em 2020. Esta aceleração dos preços verificou-se na maioria das categorias do IPC, embora mais pronunciadamente nos bens energéticos. O aumento dos preços foi ainda mais acentuado na produção industrial, tendo o respetivo índice aumentado 6,4% em 2021, depois de ter diminuído 3,9% no ano precedente. Note-se, porém, que o aumento anual dos preços na produção de bens de consumo foi bastante mais moderado (2,1%), ficando assim mais próximo do verificado no IPC. 

Os indicadores de curto prazo, disponíveis para novembro, revelam elevados crescimentos em termos nominais na indústria e nos serviços, significativamente mais intensos que no mês precedente e refletindo sobretudo a aceleração dos preços implícitos. Em termos reais, verificaram-se aumentos na indústria e na construção.

Na perspetiva da despesa, os indicadores quantitativos de síntese (atividade económica, consumo privado e investimento) aceleraram em novembro de 2021. O indicador de clima económico, que sintetiza as apreciações dos empresários, estabilizou em dezembro, apresentando um comportamento irregular desde julho.

De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (16 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 6,3% em novembro, menos 0,1 p.p. que no mês anterior (6,3% em agosto e 7,2% em novembro de 2020). A taxa de subutilização do trabalho (16 a 74 anos) situou-se em 11,7%, valor idêntico ao do mês de outubro (14,0% e 12,6% nos meses de novembro de 2020 e 2019, respetivamente). A população empregada (16 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, aumentou 0,3% em novembro relativamente ao mês anterior e 3,1% em termos homólogos (variação homóloga de 3,3% em outubro).

SABER +
Imagem sobre Reduziu-se a distância relativamente aos valores pré-pandemia 18-01-2022

Reduziu-se a distância relativamente aos valores pré-pandemia

Em novembro de 2021, nos aeroportos nacionais movimentaram-se cerca de 3 milhões de passageiros e 19 mil toneladas de carga e correio (+339,0% e +35,2%, respetivamente), verificando-se uma aceleração relativamente ao mês anterior, em que as variações homólogas foram 180,6% e 27,5%. Ainda assim, comparando com novembro de 2019, o movimento de passageiros diminuiu 21,5% e o movimento de carga e correio decresceu 1,6%.

Entre janeiro e novembro de 2021, registou-se um aumento de 31,8% no número de passageiros movimentados nos aeroportos nacionais em relação a igual período do ano anterior (-69,0% no período homólogo de 2020; +6,7% no mesmo período de 2019). Comparando com o mesmo período de 2019, a redução foi 59,2%.

Entre janeiro e novembro de 2021, França foi o principal país de origem e de destino dos voos, registando crescimentos de 25,0% no número de passageiros desembarcados e 24,1% no número de passageiros embarcados. A Suíça voltou a destacar-se com o maior crescimento no número de passageiros embarcados e desembarcados (+34,7% e +31,6%, respetivamente), ocupando a 5ª posição. 

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial aumentaram 19,9% 18-01-2022

Preços na Produção Industrial aumentaram 19,9%

O Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) registou uma variação homóloga de 19,9% em dezembro, (18,7% em novembro). A intensidade deste aumento continua a refletir o aumento dos preços das matérias primas e, em particular, da energia, sem a qual a variação do índice foi 10,5% (10,0% no mês precedente). A variação mensal do índice agregado foi 1,1% (0,1% no mesmo mês de 2020). 

No 4.º trimestre de 2021, o índice total apresentou uma variação homóloga de 18,2% (11,5% no trimestre anterior). Excluindo a Energia, o índice aumentou 9,7% (7,1% no trimestre anterior).

Para o conjunto do ano 2021, a variação média do índice fixou-se em 8,8% (-4,2% no ano de 2020), tendo os índices para o mercado interno e externo registado variações de 10,9% e 5,1% respetivamente (-3,4% e -5,4% no ano anterior, pela mesma ordem). Excluindo do índice total o agrupamento de Energia, a variação média foi 5,5% (-1,1% em 2020).

SABER +
Imagem sobre Dormidas na RA Madeira superaram os níveis de novembro de 2019, principalmente de residentes 14-01-2022

Dormidas na RA Madeira superaram os níveis de novembro de 2019, principalmente de residentes

O setor do alojamento turístico registou 1,5 milhões de hóspedes e 3,6 milhões de dormidas em novembro de 2021, correspondendo a aumentos de 265,5% e 287,7%, respetivamente (+115,2% e +137,9% em outubro, pela mesma ordem). Face a novembro de 2019, o número de hóspedes diminuiu 17,0% e as dormidas decresceram 12,4%. 

Em novembro, o mercado interno contribuiu com 1,3 milhões de dormidas e os mercados externos totalizaram 2,3 milhões. Face a novembro de 2019, registaram-se diminuições quer nas dormidas de residentes (-3,4%), quer nas de não residentes (-16,6%).

Os proveitos registados nos estabelecimentos de alojamento turístico atingiram 211,6 milhões de euros no total e 153,4 milhões de euros relativamente a aposento. Comparando com novembro de 2019, os proveitos totais decresceram 8,0% e os relativos a aposento diminuíram 7,5%. O rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 30,4 euros em novembro (42,8 euros em outubro). O rendimento médio por quarto ocupado (ADR) atingiu 75,2 euros em novembro (83,9 euros em outubro). Em novembro de 2019, o RevPAR foi 32,1 euros e o ADR 70,5 euros. 

No período acumulado de janeiro a novembro de 2021, verificaram-se aumentos de 56,4% nos proveitos totais e de 58,0% nos relativos a aposento. Comparando com o mesmo período de 2019, registaram-se variações de  46,8% em ambos.

Entre janeiro e novembro de 2021, considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, campismo e colónias de férias e pousadas da juventude), registaram-se 14,9 milhões de hóspedes e 39,9 milhões de dormidas, correspondendo a crescimentos de 33,0% e 36,9%, respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Em 2021 registaram-se 125 032 óbitos em Portugal, mais 1,1% do que em 2020 e mais 11,3% do que em 2019 14-01-2022

Em 2021 registaram-se 125 032 óbitos em Portugal, mais 1,1% do que em 2020 e mais 11,3% do que em 2019

Em 2021 registaram-se 125 032 óbitos em Portugal, mais 1 353 (1,1%) do que em 2020 e mais 12 741 (11,3%) do que em 2019. O número de óbitos por COVID-19 registado em 2021 foi 12 004 (6 972 em 2020), correspondendo a 9,6% do total de óbitos.

No mês de dezembro de 2021, o número de óbitos foi 11 337, valor superior ao registado no mês de novembro (mais 947 óbitos) e inferior em 1 659 óbitos (-12,8%) ao observado no mês de dezembro de 2020. O número de óbitos por COVID-19 ascendeu a 518, representando 4,6% do total de óbitos. O número de óbitos por COVID-19 aumentou relativamente a novembro de 2021 (mais 222) e diminuiu relativamente a dezembro de 2020 (menos 1 877).

Em novembro de 2021, registaram-se 6 464 nados-vivos, correspondendo a uma redução de 5,5% relativamente ao mesmo mês de 2020.  O número total de nados-vivos registados de janeiro a novembro de 2021 foi 72 416, inferior ao verificado no mesmo período de 2019 e de 2020, respetivamente, menos 7 646 e menos 5 988 nados-vivos. 

No mês de novembro de 2021, o saldo natural foi -3 902, desagravando-se relativamente ao do mês homólogo de 2020, quando registou o valor de -4 632. O saldo natural acumulado até novembro de 2021 foi -41 142, agravado relativamente ao observado no mesmo período de 2019 (-22 164) e de 2020 (-32 229).

Em novembro de 2021, celebraram-se 1 625 casamentos, o que representa um aumento de 32,7% (mais 400 casamentos) relativamente ao mês novembro de 2020. De janeiro a novembro de 2021 foram celebrados 26 923 casamentos, mais 9 520 do que no período homólogo de 2020 e menos 4 362 do que no período homólogo de 2019.

SABER +
Imagem sobre Maior mobilidade da população no Natal e Ano Novo face ao mesmo período do ano anterior - Dezembro 2021/Janeiro 2022 14-01-2022

Maior mobilidade da população no Natal e Ano Novo face ao mesmo período do ano anterior - Dezembro 2021/Janeiro 2022

A proporção de população que “ficou em casa” no período entre 20 de dezembro e 10 de janeiro em 2021 foi mais baixa que em idêntico período um ano antes. Em particular, é de salientar que nos dias 25 de dezembro 2021 e 1 de janeiro 2022 a proporção da população “que ficou em casa” foi menor que observada em 25 de dezembro de 2020 e 1 de janeiro de 2021.

A diferenciação dos níveis de mobilidade entre 2021 e 2020 na época festiva torna-se ainda mais saliente quando se contextualiza o indicador proporção da população que “ficou em casa” face à taxa incidência cumulativa a 14 dias de novos casos COVID-19. Contudo, a contextualização da proporção da população que “ficou em casa” relativamente aos óbitos COVID-19 registados sugere, pelo contrário, níveis de mobilidade na época festiva de 2020 mais elevados que em 2021.

STATSLAB - Estatísticas em desenvolvimento

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação média anual do IPC foi 1,3% em 2021 e a taxa de variação homóloga foi 2,7% em dezembro 12-01-2022

Taxa de variação média anual do IPC foi 1,3% em 2021 e a taxa de variação homóloga foi 2,7% em dezembro

Em 2021, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação média anual de 1,3%, sucedendo a uma variação nula registada no conjunto do ano de 2020. Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação média situou-se em 0,8% (nula no ano anterior). A taxa de variação homóloga do IPC total evidenciou um forte movimento ascendente ao longo de 2021, em particular na segunda metade do ano em que as variações observadas foram sempre superiores ao valor da média anual.

Em dezembro de 2021, o IPC registou uma variação homóloga de 2,7%, taxa superior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) à observada em novembro. Relativamente à estimativa rápida publicada em 3 de janeiro passado, houve uma revisão em baixa de 0,02 p.p., determinando, por arredondamento a uma casa decimal, que a variação homóloga acabe por se fixar em 2,7% em lugar dos 2,8% inicialmente estimados. Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a variação homóloga foi 1,8% (1,7% no mês anterior). Em termos mensais, o IPC apresentou uma variação nula em dezembro (0,4% no mês anterior e -0,1% em dezembro de 2020).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma taxa de variação média de 0,9% em 2021 (-0,1% no ano anterior). A taxa de variação homóloga situou-se em 2,8% em dezembro, taxa superior em 0,2 p.p. à observada em novembro de 2021 e inferior em 2,2 p.p. ao valor estimado pelo Eurostat para a área do Euro (em novembro de 2021, esta diferença foi de 2,3 p.p.).

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios nos Serviços cresceu 21,7% 12-01-2022

Volume de Negócios nos Serviços cresceu 21,7%

O índice de volume de negócios nos serviços acelerou 6,0 pontos percentuais (p.p.), para uma variação homóloga nominal de 21,7% em novembro, sendo de destacar a forte recuperação do Alojamento, restauração e similares. Pelo segundo mês desde o ínicio da pandemia, o índice foi superior ao mês homólogo de 2019.

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustados de efeitos de calendário, apresentaram variações homólogas de 3,2%, 4,2% e 3,2%, respetivamente (2,5%, 4,0% e 1,4% em outubro, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Empresas perspetivam aumento nominal de 6,5% nas exportações de bens 11-01-2022

Empresas perspetivam aumento nominal de 6,5% nas exportações de bens

As empresas perspetivam um acréscimo nominal de 6,5% nas suas exportações de bens em 2022 face ao ano anterior. As empresas esperam um acréscimo de 7,7% nas exportações para os mercados Extra-UE e de 6,0% para os países Intra-UE.

Por Grandes Categorias Económicas (CGCE) destacam-se as exportações de Máquinas, outros bens de capital (exceto o material de transporte) e seus acessórios (+9,3%) e os Produtos alimentares e bebidas (+5,3%).

A confirmarem-se estas perspetivas, em 2022 os valores de exportações de bens serão superiores aos registados no período pré-pandemia. 

SABER +
Imagem sobre Produção na Construção cresceu 2,6% 11-01-2022

Produção na Construção cresceu 2,6%

O Índice de Produção na Construção aumentou 2,6% em novembro, em termos homólogos, acelerando 0,5 pontos percentuais face ao observado no mês anterior. O emprego e as remunerações apresentaram crescimentos de 1,7% e 9,6% (1,7% e 6,5% em outubro), respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Volume de Negócios na Indústria cresceu 16,6% em termos nominais 10-01-2022

Volume de Negócios na Indústria cresceu 16,6% em termos nominais

O Índice de Volume de Negócios na Indústria registou um crescimento homólogo nominal de 16,6% em novembro (11,5% no mês precedente). Excluindo o agrupamento de Energia, o Índice aumentou 17,9% (5,4% em outubro). Os índices relativos ao mercado nacional e ao mercado externo registaram variações de 10,8% e 24,4%, respetivamente (9,4% e 14,5% em outubro, pela mesma ordem). Estes crescimentos nominais expressivos estarão a ser influenciados significativamente pelo crescimento dos preços na produção, tendo o respetivo índice apresentado um aumento de 18,7% em novembro (16,2% no mês anterior).  

As variações homólogas do emprego, das remunerações e das horas trabalhadas fixaram-se em 2,1%, 5,7% e 3,6% (1,5%, 4,2% e -0,7% no mês anterior), respetivamente.

SABER +
Imagem sobre Exportações e importações aumentaram 15,7% e 32,3%, em termos nominais 10-01-2022

Exportações e importações aumentaram 15,7% e 32,3%, em termos nominais

Em novembro de 2021, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +15,7% e +32,3%, respetivamente (+2,8% e +17,6%, pela mesma ordem, em outubro de 2021). Face a novembro de 2019, verificaram-se variações de +15,1% nas exportações e +17,0% nas importações, sendo de destacar os acréscimos nas exportações e importações de Fornecimentos industriais (+40,9% e +47,3%, respetivamente) e nas importações de Combustíveis e lubrificantes (+44,9%). 

Excluindo Combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações aumentaram 15,9% e 23,7%, respetivamente (+0,8% e +9,8%, pela mesma ordem, em outubro de 2021). Em comparação com novembro de 2019, as exportações aumentaram 18,9% e as importações cresceram 14,0%.

O défice da balança comercial de bens aumentou 1 162 milhões de euros face ao mês homólogo de 2020 (aumentou 389 milhões de euros em relação a novembro de 2019), atingindo 2 097 milhões de euros em novembro de 2021. Excluindo Combustíveis e lubrificantes, o défice atingiu 1 344 milhões de euros (um aumento de 574 milhões de euros face a 2020 e uma diminuição de 43 milhões de euros em relação a 2019).

No trimestre terminado em novembro de 2021, as exportações de bens aumentaram 9,3% e as importações cresceram 22,5% em relação ao mesmo período de 2020 (+8,8% e +18,8%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em outubro de 2021). Comparando com o trimestre terminado em novembro de 2019, as exportações e as importações aumentaram 8,4% e 9,8%, respetivamente. 

No período acumulado de janeiro a novembro de 2021, relativamente ao mesmo período de 2019, as exportações aumentaram 5,2% (+17,6% face ao mesmo período de 2020) e as importações cresceram 0,9% (+19,5% face a 2020), salientando-se em ambos os fluxos o acréscimo nos Fornecimentos industriais (+12,2% e +19,9%, respetivamente) e o decréscimo no Material de transporte (-11,0% e -32,3%, pela mesma ordem).

SABER +
Imagem sobre Em novembro, a taxa de desemprego situou-se em 6,3% e a taxa de subutilização em 11,7% 07-01-2022

Em novembro, a taxa de desemprego situou-se em 6,3% e a taxa de subutilização em 11,7%

Outubro de 2021:

A população ativa (5 169,3 mil pessoas) aumentou 0,1% relativamente ao mês anterior e a três meses antes e 2,0% quando comparada com o mesmo mês de 2020.

A população empregada (4 839,8 mil) registou um acréscimo em relação aos três períodos de comparação: 0,1%, 0,3% e 3,3%, respetivamente.

A população desempregada (329,6 mil) aumentou 0,4% em relação a setembro e diminuiu 3,0% relativamente a julho e 14,3% relativamente a outubro de 2020.

A taxa de desemprego situou-se em 6,4%, valor idêntico ao do mês anterior e inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) ao de três meses antes e em 1,2 p.p. ao de um ano antes.

A população inativa (2 512,9 mil) manteve-se praticamente inalterada em relação a três meses antes, tendo diminuído 0,1% em relação ao mês anterior e 3,2% relativamente a outubro de 2020.

A taxa subutilização de trabalho situou-se em 11,7%, tendo diminuído 0,3 p.p. em relação ao mês precedente, 0,9 p.p. em relação a três meses antes e 3,1 p.p. relativamente ao mês homólogo de 2020.

Novembro de 2021:

A população ativa (5 179,7 mil) aumentou em relação aos três períodos de comparação: 0,2%, 0,4% e 2,1%, respetivamente outubro e agosto de 2021 e novembro de 2020.

A população empregada (4 852,8 mil) aumentou 0,3% em relação ao mês anterior, 0,4% relativamente a três meses antes e 3,1% comparativamente a um ano antes.

A população desempregada (326,9 mil) diminuiu 0,8% em relação ao mês precedente e 11,1% relativamente ao mês homólogo de 2020, tendo aumentado 0,6% relativamente a três meses antes.

A taxa de desemprego situou-se em 6,3%, menos 0,1 p.p. do que no mês precedente, igual a três meses antes e menos 0,9 p.p. do que um ano antes.

A população inativa (2 505,4 mil) diminuiu tanto em relação a outubro de 2021 (0,3%), como a agosto do mesmo ano (0,6%) e a novembro de 2020 (3,7%).

A taxa subutilização de trabalho situou-se em 11,7%, valor idêntico ao do mês precedente e inferior ao de três meses antes (0,6 p.p.) e ao do mês homólogo de 2020 (2,3 p.p.).

SABER +
Imagem sobre Custos de construção aumentam 8,5% em termos homólogos 06-01-2022

Custos de construção aumentam 8,5% em termos homólogos

Em novembro, estima-se que os custos de construção de habitação nova tenham aumentado 8,5% em termos homólogos, mais 1,2 pontos percentuais (p.p.) que o observado no mês anterior. O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações homólogas de 9,4% e de 7,3%.

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 92.º reporte semanal 06-01-2022

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 92.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.

O presente reporte versa sobre os destaques relativos a: 

- Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação – novembro de 2021, publicado a 28 de dezembro;

- Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas no Comércio a Retalho – novembro de 2021, 

publicado a 29 de dezembro;

- Índices de Produção Industrial – novembro de 2021, publicado a 30 de dezembro.

Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque. 

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 91.º reporte semanal 04-01-2022

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 91.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.

O presente reporte versa sobre os destaques relativos a: 

- Índices de Preços na Produção Industrial – novembro de 2021, publicado a 20 de dezembro;

- Conta de Fluxos de Materiais – 2020, publicado a 20 de dezembro;

- Atividade dos Transportes - Estatísticas rápidas do transporte aéreo – outubro de 2021, publicado a 21 de dezembro;

- Síntese Económica de Conjuntura – novembro de 2021, publicado a 21 de dezembro;

- Estatísticas do Ambiente – 2020, publicado a 22 de dezembro;

- Estatísticas de Rendas da Habitação ao nível local – 3.º Trimestre de 2021, publicado a 22 de dezembro; 

- Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação – novembro de 2021, publicado a 22 de dezembro;

- Índice de Preços da Habitação – 3.º Trimestre de 2021, publicado a 23 de dezembro;

- Contas Nacionais Trimestrais por Setor Institucional – 3.º Trimestre de 2021, publicado a 23 de dezembro.

Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque. 

SABER +
Imagem sobre Indicadores de confiança dos consumidores e de clima económico estabilizam 04-01-2022

Indicadores de confiança dos consumidores e de clima económico estabilizam

O indicador de confiança dos Consumidores estabilizou em dezembro, após ter diminuído nos dois meses anteriores, de forma significativa em novembro. 

O indicador de clima económico também estabilizou em dezembro, tendo vindo a apresentar um comportamento irregular desde julho. Os indicadores de confiança aumentaram em dezembro na Indústria Transformadora e na Construção e Obras Públicas e diminuíram ligeiramente no Comércio e nos Serviços.

O saldo das opiniões dos Consumidores relativas à evolução passada dos preços aumentou nos últimos três meses, de forma ténue em dezembro, atingindo o valor máximo desde abril de 2012.

As expectativas dos empresários da Construção e Obras Públicas sobre a evolução futura dos preços de venda voltaram a registar o valor máximo da série, reforçando o acentuado movimento ascendente observado desde maio. Na Indústria Transformadora, as perspetivas sobre os preços de venda situam-se no valor máximo desde outubro de 1990. Por sua vez, o saldo das perspetivas de evolução futura dos preços de venda no Comércio diminuiu em dezembro, após ter atingindo em novembro o valor máximo da série iniciada em 2003. O saldo das expectativas de evolução dos preços de prestação de Serviços também diminuiu em dezembro, após os aumentos observados nos quatro meses precedentes, que culminaram num nível próximo do máximo da série registado em novembro de 2005.

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC estimada em 2,8%. Taxa de variação média de 2021 estimada em 1,3% 03-01-2022

Taxa de variação homóloga do IPC estimada em 2,8%. Taxa de variação média de 2021 estimada em 1,3%

Tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá aumentado para 2,8% em dezembro de 2021 (2,6% em novembro). O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado uma variação de 1,8% (1,7% no mês anterior). Estima-se que a taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos se situe em 11,2% (14,1% no mês precedente) enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 3,2% (0,8% em novembro). 

Comparativamente com o mês anterior, a variação do IPC terá sido nula (0,4% em novembro de 2021 e -0,1% em dezembro de 2020).

Estima-se uma variação média nos últimos doze meses de 1,3% (1,0% no mês anterior).  

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de 2,8% (2,6% no mês anterior). 

Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de novembro serão publicados no próximo dia 12 de janeiro.

SABER +
Imagem sobre Atividade turística manteve crescimento em novembro, mas diminuiu face ao período homólogo de 2019 03-01-2022

Atividade turística manteve crescimento em novembro, mas diminuiu face ao período homólogo de 2019

O setor do alojamento turístico registou 1,5 milhões de hóspedes e 3,6 milhões de dormidas em novembro de 2021, correspondendo a aumentos de 265,5% e 287,7%, respetivamente (+115,2% e +137,9% em outubro, pela mesma ordem). Os níveis atingidos em novembro de 2021 foram, no entanto, inferiores aos observados em novembro de 2019, tendo diminuído o número de hóspedes e de dormidas, -17,0% e -12,4%, respetivamente.

Em novembro, o mercado interno contribuiu com 1,3 milhões de dormidas e os mercados externos totalizaram 2,3 milhões. Face a novembro de 2019, registaram-se diminuições quer nas dormidas de residentes (-3,4%), quer nas de não residentes (-16,6%).

As dormidas registadas nos primeiros onze meses de 2021 aumentaram 40,4% (+36,0% nos residentes e +45,3% nos não residentes). Comparando com o mesmo período de 2019, as dormidas diminuíram 47,7% (-10,8% nos residentes e -63,3% nos não residentes).

Em novembro, 33,8% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (25,3% em outubro).

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Dezembro de 2021 21-01-2022

Boletim Mensal de Estatística - Dezembro de 2021

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Janeiro de 2022 21-01-2022

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Janeiro de 2022

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre As Pessoas - 2020 03-01-2022

As Pessoas - 2020

Brochura de síntese de informação estatística relativa aos temas: População, Educação, Cultura e Desporto, Saúde, Mercado de Trabalho, Proteção Social e Rendimento e Condições de Vida.


Edição bilingue

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Novembro de 2021 23-12-2021

Boletim Mensal de Estatística - Novembro de 2021

O Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Dezembro de 2021 23-12-2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Dezembro de 2021

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Ambiente - 2020 22-12-2021

Estatísticas do Ambiente - 2020

A publicação Estatísticas do Ambiente, na sua edição de 2021, segue a linha editorial e a estrutura do ano anterior e apresenta uma análise detalhada do setor do ambiente privilegiando-se a divulgação da informação através de quadros com indicadores síntese, figuras e mapas.

SABER +
Imagem sobre Séries Longas para a Economia Portuguesa - 2020 20-12-2021

Séries Longas para a Economia Portuguesa - 2020

As Séries Longas para a Economia Portuguesa apresentam, de forma articulada e consistente com o quadro concetual em vigor nas estatísticas oficiais, um conjunto vasto de séries de variáveis fundamentais para caracterizar o comportamento temporal da Economia Portuguesa, recuando-se, sempre que possível, ao final da década de 40 do século passado. A publicação resulta de um trabalho conjunto do Instituto Nacional de Estatística e do Banco de Portugal, abrangendo diversas áreas estatísticas da responsabilidade das duas instituições.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Comércio - 2020 16-12-2021

Estatísticas do Comércio - 2020

A presente publicação sobre Estatísticas do Comércio divulga os principais resultados estatísticos relativos às empresas de Comércio e estabelecimentos retalhistas de dimensão relevante em Portugal, no ano de 2020.

Relativamente às empresas de Comércio (secção G da CAE), é apresentada informação com base nos dados preliminares do Sistema de Contas Integradas das Empresas (SCIE), bem como resultados do Inquérito às Empresas de Comércio (IECom) nomeadamente sobre a repartição do volume de negócios por produtos vendidos (nomenclatura CPA), abrangendo os setores automóvel, grossista e retalhista.

No que respeita a estabelecimentos de Comércio a retalho, divulgam-se os principais resultados do Inquérito às Unidades Comerciais de Dimensão Relevante, sobre repartição de volume de negócios por produtos vendidos e ainda outras características da atividade destas unidades comerciais, de acordo com a natureza alimentar ou não alimentar dos estabelecimentos, a região onde se inserem, o escalão de área de vendas, entre outras desagregações.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas da Cultura - 2020 16-12-2021

Estatísticas da Cultura - 2020

O Instituto Nacional de Estatística divulga a publicação Estatísticas da Cultura - 2020, ano em que os efeitos da pandemia e as consequentes medidas adotadas para salvaguarda da saúde pública tiveram impactos significativos no sector cultural e criativo.

Na publicação é disponibilizada informação estatística sobre diversos temas na área da cultura: ensino; emprego; índice de preços no consumidor de bens e serviços culturais; empresas do sector cultural e criativo; comércio internacional de bens culturais; participação cultural online; património cultural; artes plásticas; materiais impressos e de literatura; cinema; artes do espetáculo; distribuição videográfica; radiodifusão e financiamento público das atividades culturais e criativas. 

SABER +
Imagem sobre Anuário Estatístico da Região Autónoma da Madeira - 2020 15-12-2021

Anuário Estatístico da Região Autónoma da Madeira - 2020

A edição deste ano segue a estrutura temática adotada nas edições anteriores, consistindo em 27 subcapítulos agrupados em quatro grandes domínios: O Território, As Pessoas, A Atividade Económica e O Estado. No início de cada subcapítulo, apresenta-se um quadro com um conjunto de indicadores de síntese, visando uma comparação mais imediata do posicionamento das diferentes unidades territoriais nos fenómenos retratados.
Os quadros de informação disponibilizam as hiperligações para os indicadores em Dados Estatísticos | Base de Dados com o nível de desagregação geográfica de acordo com a informação editada.

Está disponível, também, a informação integrada dos quadros publicados para as sete regiões em Dossiês temáticos | Municípios.

SABER +
#