CALENDÁRIO +Info...

Domingo, 1 de Novembro de 2020

Segunda-Feira, 2 de Novembro de 2020

  • IMAMI 2020 - Out: Início
  • ITRM 2020 - 43ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 4 de Novembro de 2020

  • IPEB 2021 - 1ª Previsão: Início

Segunda-Feira, 9 de Novembro de 2020

  • ITRM 2020 - 44ª Semana: Últ. dia

Terça-Feira, 10 de Novembro de 2020

  • IMPI 2020 - Out: Últ. dia
  • IVNE 2020 - Out: Últ. dia

Quinta-Feira, 12 de Novembro de 2020

  • ICC 2020 - Nov: Últ. dia
  • ICCOP 2020 - Nov: Últ. dia
  • ICIT 2020 - Nov: Últ. dia
  • ICS 2020 - Nov: Últ. dia

Domingo, 15 de Novembro de 2020

Segunda-Feira, 16 de Novembro de 2020

  • ITRM 2020 - 45ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 18 de Novembro de 2020

  • IPEB 2021 - 1ª Previsão: Últ. dia

Sexta-Feira, 20 de Novembro de 2020

  • IMAMI 2020 - Out: Últ. dia
  • IMAOC 2020 - Out: Últ. dia
  • IMGA 2020 - Out: Últ. dia
  • IMLV 2020 - Out: Últ. dia

Domingo, 22 de Novembro de 2020

  • IMTM 2020 - Out: Últ. dia

Segunda-Feira, 23 de Novembro de 2020

  • ITRM 2020 - 46ª Semana: Últ. dia

Quarta-Feira, 25 de Novembro de 2020

  • IMAAC 2020 - Out: Últ. dia
  • IMVC 2020 - Out: Últ. dia
  • IPMC 2020 - Nov: Últ. dia
  • IPPI 2020 - Nov: Últ. dia

Segunda-Feira, 30 de Novembro de 2020

  • ITRM 2020 - 47ª Semana: Últ. dia

INFORMAÇÕES

O conhecimento de informação estatística fiável, pertinente e atual é indispensável à tomada de decisão a todos os níveis. A sua colaboração na resposta aos inquéritos do INE é decisiva para a produção e difusão das estatísticas oficiais.

EM DESTAQUE

1948
INE - Informar, Saber, Decidir
  • <
  • 1 de 31
  • >
Imagem sobre Especial INE COVID-19 21-04-2020

Especial INE COVID-19

Estatísticas oficiais para acompanhamento do impacto social e económico da Pandemia COVID-19

SABER +
Imagem sobre Em setembro, a população empregada aumentou 0,7 %, a taxa de desemprego diminuiu 0,2 pontos percentuais e a taxa de subutilização diminuiu 0,1 pontos percentuais 30-11-2020

Em setembro, a população empregada aumentou 0,7 %, a taxa de desemprego diminuiu 0,2 pontos percentuais e a taxa de subutilização diminuiu 0,1 pontos percentuais

Setembro de 2020 – resultados definitivos:
• A população empregada aumentou 0,7% relativamente ao mês anterior e 1,7% em relação a três meses antes, mas diminuiu 2,5% quando comparada com a do mesmo mês de 2019.
• A população desempregada diminuiu 1,7% em relação a agosto de 2020 e aumentou 9,9% relativamente a junho do mesmo ano e 19,5% por comparação com setembro de 2019.
• A taxa de desemprego (conceito da Organização Internacional do Trabalho, OIT) situou-se em 7,9%, menos 0,2 pontos percentuais (p.p.) que no mês precedente, mais 0,6 p.p que há três meses e 1,4 p.p. que um ano antes.
• A taxa subutilização de trabalho situou-se em 15,4%, menos 0,1 p.p. que no mês precedente e que há 3 meses e mais 2,7 p.p. que há um ano.

Outubro de 2020 – resultados provisórios:
• A população empregada aumentou 0,3% em relação ao mês anterior e 1,5% em relação a três meses antes, tendo diminuído 2,1% relativamente ao mesmo mês de 2019.
• A população desempregada diminuiu 4,7% em relação a setembro de 2020 e 3,9% relativamente a julho do mesmo ano, tendo aumentado 15,0% por comparação com outubro de 2019.
• A taxa de desemprego (conceito OIT) situou-se em 7,5%, menos 0,4 p.p. que no mês precedente e que há três meses e mais 1,0 p.p. que há um ano.
• A taxa subutilização de trabalho situou-se em 15,0%, menos 0,4 p.p. que no mês precedente e 0,6 p.p. que há 3 meses e mais 2,5 p.p. que há um ano.
• A diminuição mensal da taxa de subutilização do trabalho neste mês resultou, quase exclusivamente, da diminuição da população desempregada.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Atividade turística volta a intensificar reduções em outubro 30-11-2020

Atividade turística volta a intensificar reduções em outubro

De acordo com a estimativa rápida, em outubro de 2020, o setor do alojamento turístico deverá ter registado 1,0 milhões de hóspedes e 2,4 milhões de dormidas, o que corresponde a variações de -59,3% e -63,0%, respetivamente (-52,7% e -53,4% em setembro, pela mesma ordem). As dormidas de residentes terão diminuído 21,0% (-8,5% em setembro) e as de não residentes terão decrescido 76,2% (-71,9% no mês anterior).
Em outubro, 29,9% dos estabelecimentos de alojamento turístico terão estado encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (24,0% em setembro).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Produto Interno Bruto em volume registou uma variação de -5,7% em termos homólogos e de +13,3% em cadeia 30-11-2020

Produto Interno Bruto em volume registou uma variação de -5,7% em termos homólogos e de +13,3% em cadeia

No 3º trimestre de 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) registou uma diminuição homóloga de 5,7% em volume, depois da contração de 16,4% observada no trimestre anterior. Esta evolução deveu-se em grande medida ao comportamento da procura interna que registou um contributo significativamente menos negativo que no trimestre precedente (passando de -11,8 pontos percentuais (p.p.) no 2º trimestre para -4,0 p.p.), refletindo sobretudo a recuperação expressiva do consumo privado e, em menor grau, do Investimento e do consumo público. No mesmo sentido, o contributo da procura externa líquida no 3º trimestre foi menos negativo que o registado no trimestre precedente (passando de -4,6 p.p. para -1,6 p.p.), verificando-se uma recuperação mais significativa das Exportações de Bens e Serviços (passando de uma taxa de -39,4% para -15,2%) que a observada nas Importações de Bens e Serviços (de -29,2% para -11,4%), devido sobretudo à evolução das exportações de bens.
Quando comparado com o 2º trimestre de 2020, o PIB aumentou 13,3% em termos reais, depois de ter diminuído 13,9% no trimestre precedente. Este resultado é também explicado, sobretudo, pelo comportamento da procura interna, que registou um contributo positivo de 10,7 p.p. para a variação em cadeia do PIB, quase simétrico do observado no 2º trimestre (-10,9 p.p.). O contributo da procura externa líquida também passou a positivo (2,6 p.p.), depois de ter sido muito negativo (-3,0 p.p.) no trimestre precedente, verificando-se um crescimento acentuado das Exportações de Bens e Serviços.

SABER +
Imagem sobre Taxa de variação homóloga do IPC estimada em -0,2% 30-11-2020

Taxa de variação homóloga do IPC estimada em -0,2%

Tendo por base a informação já apurada, a taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido -0,2% em novembro de 2020, valor inferior em 0,1 pontos percentuais (p.p.) ao registado em outubro. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) terá registado também uma variação de -0,2% (-0,1% no mês anterior). A taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá sido -6,1% (-6,0% no mês anterior), enquanto o índice referente aos produtos alimentares não transformados terá apresentado uma variação de 3,9% (4,5% em outubro).
Relativamente ao mês anterior o IPC terá tido uma variação de -0,3% (em outubro, a variação mensal foi 0,1% e em novembro de 2019 tinha sido -0,1%).
Estima-se uma variação média nos últimos doze meses nula, valor inferior em 0,1 p.p. ao registado no mês precedente.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de -0,4% (-0,6% no mês anterior).
Os dados definitivos referentes ao IPC do mês de novembro serão publicados no próximo dia 14 de dezembro.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre 81,9% do acréscimo de óbitos de 19 de outubro a 15 de novembro relativamente à média dos últimos 5 anos deveu-se a óbitos por COVID-19 27-11-2020

81,9% do acréscimo de óbitos de 19 de outubro a 15 de novembro relativamente à média dos últimos 5 anos deveu-se a óbitos por COVID-19

Entre 2 de março, data em que foram diagnosticados os primeiros casos com a doença COVID-19 em Portugal, e 15 de novembro, registaram-se 82 326 óbitos em território nacional, mais 9 640 óbitos que a média, em período homólogo, dos últimos cinco anos. Destes, 36,0% (3 472) foram óbitos por COVID-19. Nas últimas 4 semanas (19 de outubro a 15 de novembro) registaram-se mais 1 556 óbitos que a média, em período homólogo, de 2015-2019. Nesse período registaram-se 1 274 óbitos por COVID-19, representando 81,9% do acréscimo observado.
Do total de óbitos desde 2 de março a 15 de novembro, 40 842 foram de homens e 41 484 de mulheres, mais 4 197 e 5 443 óbitos, respetivamente, que a média de óbitos no período homólogo de 2015-2019.
Mais de 70% dos óbitos foram de pessoas com idades iguais ou superiores a 75 anos. Comparativamente com a média de óbitos observada no período homólogo de 2015-2019, morreram mais 8 227 pessoas com 75 e mais anos, das quais mais 6 288 com 85 e mais anos.
O maior acréscimo registou-se na região Norte, com exceção da última semana de junho, das primeiras de julho, das últimas de setembro e primeira de outubro em que foi superior na Área Metropolitana de Lisboa.
Do total de óbitos registados entre 2 de março e 15 de novembro de 2020, 49 301 ocorreram em estabelecimento hospitalar e 33 025 fora do contexto hospitalar, a que correspondem aumentos de 3 492 óbitos e 6 148 óbitos, respetivamente, relativamente à média de óbitos em 2015-2019 em período idêntico. Neste período, 63,8% do acréscimo de óbitos ocorreu fora dos hospitais.
Contudo, nas duas últimas semanas (2 a 15 de novembro), o maior acréscimo de óbitos registou-se nos hospitais.

SABER +
Imagem sobre Avaliação bancária na habitação subiu para 1 131 euros por metro quadrado 27-11-2020

Avaliação bancária na habitação subiu para 1 131 euros por metro quadrado


O valor mediano de avaliação bancária foi 1 131 euros em outubro, mais 3 euros que o observado no mês precedente. Em termos homólogos, a taxa de variação manteve-se em 5,8%, tal como verificado em setembro. Refira-se que o número de avaliações bancárias consideradas ascendeu a cerca de 25 mil, mais 2,9% que no mesmo período do ano anterior.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Vendas no Comércio a Retalho diminuíram 0,7% 27-11-2020

Vendas no Comércio a Retalho diminuíram 0,7%

O Índice de Volume de Negócios no Comércio a Retalho1 apresentou uma variação homóloga de -0,7% em outubro (aumento de 0,5% em setembro).
Os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas apresentaram taxas de variação homóloga de -3,2%, -1,9% e -5,2%, respetivamente (variações de -3,7%, 1,4% e -4,2% em setembro, pela mesma ordem).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Indicadores de confiança dos consumidores e de clima económico diminuem 27-11-2020

Indicadores de confiança dos consumidores e de clima económico diminuem

Em novembro, o indicador de confiança dos Consumidores  diminuiu, após ter permanecido num patamar relativamente estável nos últimos cinco meses, que se seguiu à recuperação parcial observada em maio e junho da maior diminuição da série registada em abril.
O indicador de clima económico diminuiu em novembro, interrompendo o perfil de recuperação observado nos seis meses anteriores, após ter atingido em abril o valor mínimo da série. Em novembro, os indicadores de confiança diminuíram em todos os setores, Construção e Obras Públicas, Comércio, Serviços e Indústria Transformadora, verificando-se a redução com maior magnitude no primeiro caso.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre COVID-19: acompanhamento do impacto da pandemia nas empresas 26-11-2020

COVID-19: acompanhamento do impacto da pandemia nas empresas

Mais de metade das empresas respondentes reportou um impacto negativo ou muito negativo na evolução presente do volume de negócios associado à redução das encomendas/clientes (59%) e às novas medidas de contenção (56%). Estas percentagens sobem para 84% e 82%, respetivamente, entre as empresas do setor do Alojamento e restauração.
As empresas que beneficiam atualmente de apoios anunciados pelo Governo devido à pandemia COVID-19 representam entre 19% e 30% do total, dependendo da medida. A maioria das empresas beneficiárias avaliam as medidas como muito importantes para a sua situação de liquidez. Pelo menos 50% das empresas do Alojamento e restauração beneficiavam de alguma medida apresentada pelo Governo no período de inquirição.
85% das empresas deverão manter os postos de trabalho até ao final de 2020, enquanto 10% das empresas têm planos para a sua redução. Em 2021, 74% das empresas planeiam manter os postos de trabalho, sendo a percentagem que planeia aumentar e reduzir idêntica. No Alojamento e restauração, a proporção de empresas que planeia reduzir os postos de trabalho, quer até ao final do ano quer em 2021, ronda os 35%.
Relativamente a alterações permanentes na forma de trabalhar motivadas pela pandemia, 59% das empresas consideram muito provável a redução do número de viagens de negócios e 31% o uso mais intensivo do teletrabalho.
Num cenário de controlo efetivo da pandemia em 2021, 34% das empresas consideram que a atividade já voltou ou voltará ao normal num intervalo médio de 9,8 meses. No mesmo contexto, 4% das empresas não preveem o retorno ao nível normal e 62% não conseguem antecipar se o seu volume de negócios voltará ou não ao nível normal.
90% das empresas manifestam um grau de preocupação elevado ou moderado face a um agravamento ou prolongamento das medidas de contenção da pandemia a implementar pelo Governo.
84% das empresas não preveem o encerramento num cenário de agravamento das medidas de contenção da pandemia e de ausência de medidas adicionais de apoio. Em oposição, 16% das empresas estimam conseguir subsistir, em média, apenas cerca de 7 meses num tal cenário. Nas empresas do setor do Alojamento e restauração, esta percentagem situa-se em 42% e o tempo médio de subsistência em 5,3 meses.
Pelo menos 40% das empresas consideram muito importante uma extensão das medidas de apoio do Governo face a um cenário de agravamento das medidas de contenção. No Alojamento e restauração, 90% e 79% das empresas consideram muito importante o alargamento ou reposição do layoff simplificado e a suspensão de obrigações fiscais e contributivas. Apenas 8% das empresas tencionam recorrer aos fundos do Plano de Recuperação e Resiliência (“Next Generation EU”). Das restantes, 45% consideram que não existe ainda informação disponível suficiente para uma tomada de decisão.

SABER +
Imagem sobre O valor provisório da esperança de vida aos 65 anos foi estimado em 19,69 anos 26-11-2020

O valor provisório da esperança de vida aos 65 anos foi estimado em 19,69 anos

A estimativa provisória da esperança de vida aos 65 anos mantém a trajetória ascendente que tem vindo a ser observada, embora o progresso no último triénio se tenha atenuado. Efetivamente, no triénio 2018-2020 aquela estimativa foi 19,69 anos, tendo nos dois triénios anteriores sido estimada em 19,61 anos (2017-2019) e 19,49 anos (2016-2018).

SABER +
Imagem sobre Empresas estrangeiras em Portugal empregam 17% das pessoas ao serviço e representam 26,3% do VAB do setor empresarial 24-11-2020

Empresas estrangeiras em Portugal empregam 17% das pessoas ao serviço e representam 26,3% do VAB do setor empresarial

Em 2019 existiam 8 275 filiais de empresas estrangeiras em Portugal que empregavam cerca de 553 mil pessoas, representando, respetivamente, 1,9% e 17,0% do total das sociedades não financeiras. Registe-se, contudo, que entre as grandes empresas, as filiais estrangeiras representaram quase 40% do total desta categoria e 43% do pessoal ao serviço.
Em termos médios, cada filial empregava 67 pessoas, em 2019, valor muito superior ao das sociedades nacionais (6 pessoas). O VAB das filiais estrangeiras em Portugal atingiu 25,4 mil milhões de euros, aumentando 10,4% em 2019, acima do crescimento observado nas sociedades nacionais (+4,3%). Em 2019, o VAB das filiais estrangeiras correspondeu a 26,3% do total do setor empresarial. No mesmo ano, o peso destas empresas no total das exportações de bens ascendeu a 39,9%.
Do VAB gerado pelas filiais, 75,0% respeitava a sociedades de entidades sediadas em países da União Europeia.
A produtividade aparente do trabalho, os gastos com pessoal por pessoa ao serviço e a remuneração média mensal por pessoa ao serviço das filiais estrangeiras foi, em média, superior em 70,6%, 52,6% e 39,7% às observadas nas sociedades nacionais, atingindo respetivamente 45 245 euros, 26 100 euros e 1 401 euros, em 2019.
Comparando filiais com sociedades de nacionais por dimensão, observa-se que as diferenças não são tão acentuadas quando se consideram os valores respetivos para as empresas de maior dimensão e são, pelo contrário, muito acentuadas no caso das micro e pequenas empresas.
Em 2019, as exportações de bens das filiais estrangeiras (ver caixa) cresceram de forma mais acentuada que as das sociedades nacionais (+6,7% face a +1,6%). Contudo, entre janeiro e setembro de 2020, período que reflete os efeitos da pandemia COVID-19, as filiais estrangeiras têm revelado um comportamento mais negativo (-16,6%) que as sociedades nacionais (-10,0%).

SABER +
Imagem sobre Perto de 2/3 das empresas têm website 23-11-2020

Perto de 2/3 das empresas têm website

Em 2020 , cerca de 97% das empresas com 10 ou mais pessoas ao serviço e 42,8% das pessoas ao serviço utilizam computador com ligação à Internet para fins profissionais. No mesmo ano, 61,1% das empresas referem ter website próprio ou do grupo económico a que pertencem (+2,6 p.p. face a 2019). A maioria disponibiliza a descrição dos produtos ou serviços e listas de preços e ligações ou referências a perfis de redes sociais da empresa (78,7% e 56,4% das empresas com website, respetivamente).
As vendas de bens e serviços realizadas através do comércio eletrónico, pelas empresas com 10 e mais pessoas ao serviço, representaram cerca de 20% do total do volume de negócios em 2019 (+1 p.p. face ao ano anterior e +6 p.p. face a 2015).
Em 2020, 29,0% das empresas compram serviços de computação em nuvem na Internet, com destaque para a compra do serviço de correio eletrónico e armazenamento de ficheiros (83,2% e 70,1% destas empresas, respetivamente).
Em 2019, mais de metade das empresas não analisaram big data por insuficiência de recursos humanos, conhecimentos ou competências nesta área. Ainda assim, 10,2% das empresas com 10 ou mais pessoas ao serviço analisaram big data, com destaque para o método de análise machine learning (33,7% destas empresas).
Em 2020, 22,9% das empresas têm pessoal ao serviço especialista em TIC. As ações de formação para desenvolver as competências em TIC promovidas pelas empresas em 2019 destinaram-se, sobretudo, a pessoal de outras categorias que não TIC. Em 2019, 6,5% das empresas com 10 ou mais pessoas ao serviço recrutaram ou tentaram recrutar especialistas em TIC, sendo que destas 44,5% tiveram dificuldade no preenchimento destes postos de trabalho.
Em 2020, 13,0% das empresas com 10 ou mais pessoas ao serviço utilizam dispositivos ou sistemas interconectados que podem ser monitorizados ou controlados remotamente através da Internet (IoT) e 9,1% utilizam robôs industriais e/ou de serviço. Em 2019, 4,5% das empresas com 10 ou mais pessoas ao serviço utilizaram impressão 3D, com impressoras 3D da empresa e/ou através de serviços de impressão prestados por outras empresas.

SABER +
Imagem sobre Taxa de juro desceu para 0,932%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 54 645 euros e 227 euros, respetivamente 23-11-2020

Taxa de juro desceu para 0,932%, capital em dívida e prestação mensal fixaram-se em 54 645 euros e 227 euros, respetivamente

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 0,932% em outubro (0,966% no mês anterior). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu de 0,966% em setembro para 0,914% em outubro. No mês em análise, o capital médio em dívida aumentou 161 euros, fixando-se em 54 645 euros. A prestação média subiu 1 euro para os 227 euros.

SABER +
Imagem sobre Mobilidade da população ao nível regional no contexto da pandemia COVID-19 - Dados até 16 de novembro 20-11-2020

Mobilidade da população ao nível regional no contexto da pandemia COVID-19 - Dados até 16 de novembro

Tirando partido dos dados da iniciativa “Data for Good” do Facebook, é possível obter informação sobre a mobilidade da população numa perspetiva regional. Os resultados apurados destacaram que:
• No primeiro Estado de Emergência, confirmou-se a redução da mobilidade da população, registando-se um aumento na sequência da implementação das medidas de desconfinamento. Recentemente, após a declaração de novo Estado de Calamidade a 15 de outubro, verificou-se, globalmente, uma nova redução dos níveis médios de mobilidade, que se acentuou com a declaração de novo Estado de Emergência a 9 de novembro.
• O conjunto das NUTS III com 50% ou mais da população a residir em municípios de elevado risco COVID-19 apresentaram, globalmente, menores níveis de mobilidade que os restantes territórios. Desde 4 de novembro – data em que foram identificados 121 municípios de elevado risco – o conjunto das NUTS III com todos os municípios em elevado risco apresentaram, diariamente, os menores níveis de mobilidade. Por outro lado, o conjunto das NUTS III sem municípios em elevado risco apresentaram, tendencialmente, os maiores níveis de mobilidade.
• Nos dias com restrição de circulação entre municípios – Páscoa, Dia do Trabalhador e Dia de Todos os Santos – verificam-se, tendencialmente, menores níveis de mobilidade. Esta tendência é particularmente evidente quando se comparam os dias com restrição de mobilidade no período da Páscoa e no Dia do Trabalhador – em que o país se encontrava também em Estado de Emergência – face aos dias homólogos do início de março e dias homólogos após o início do ano letivo 2020/2021.

STATSLAB - Estatísticas em desenvolvimento

SABER +
Imagem sobre Aumentaram significativamente os utilizadores de internet e de comércio eletrónico. Mais que duplicou a percentagem dos utilizadores por motivos educativos 20-11-2020

Aumentaram significativamente os utilizadores de internet e de comércio eletrónico. Mais que duplicou a percentagem dos utilizadores por motivos educativos

Em 2020, 84,5% dos agregados familiares em Portugal têm ligação à internet em casa e 81,7% utilizam ligação através de banda larga, o que representa um aumento significativo, de mais 3,6 p.p., em relação ao ano anterior.

No contexto da pandemia, a percentagem de utilizadores de internet aumentou 3,0 p.p. em relação ao período homólogo de 2019, o que contraria a estabilidade dos resultados nos dois anos anteriores.

A população dos 16 aos 74 anos que utilizou a internet nos 3 meses anteriores à entrevista fê-lo principalmente para comunicar e aceder a informação, mas foram sobretudo as atividades relacionadas com aprendizagem as que registaram maior aumento em 2020: mais que duplicaram as proporções de utilizadores que comunicaram com professores ou colegas através de portais educativos (de 14,5% em 2019 para 30,8% em 2020) e que frequentaram cursos online (de 7,7% para 18,0%).

Entre os utilizadores de internet empregados, 31,1% exerceram a sua profissão em teletrabalho, sobretudo na Área Metropolitana de Lisboa em que esta proporção foi 43,2%. Para 29,6% dos internautas empregados, o trabalho em casa foi associado à pandemia COVID-19.

Por classes de rendimento, os agregados familiares do quintil mais elevado (20% dos agregados com maiores rendimentos) apresentam os maiores níveis de acesso à internet (96,8%) e à banda larga (94,5%). No outro extremo, o 1.º quintil (20% com menores rendimentos), as proporções reduzem-se para 66,9% com acesso à internet em casa e 62,4% através de banda larga.

A percentagem de utilizadores de comércio eletrónico registou em 2020 o maior aumento da série iniciada em 2002, mais 7 p.p. que em 2019. Em 2020, 44,5% das pessoas dos 16 aos 74 anos fizeram encomendas pela internet nos 12 meses anteriores à entrevista e 35,2% nos 3 meses anteriores.

A quantidade de encomendas através de comércio eletrónico aumentou significativamente: o grupo dos utilizadores que fizeram 3 a 5 encomendas aumentou 4,0 p.p., os que fizeram 6 a 10 encomendas aumentou 9,5 p.p. e os que fizeram mais de 10 encomendas aumentou 6,9 p.p.

A importância despendida por encomenda também aumentou, em mais 15,7 p.p. no caso de encomendas entre 100 e 499 euros e mais 8,0 p.p. para encomendas de valor igual ou superior a 500 euros.

SABER +
Imagem sobre Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 33.º reporte semanal 19-11-2020

Acompanhamento do impacto social e económico da pandemia - 33.º reporte semanal

O INE disponibiliza o reporte semanal para acompanhamento do impacto social e económico da pandemia COVID-19.
O presente reporte versa sobre os destaques relativos a:
- Estatísticas do Comércio Internacional – setembro de 2020, publicado a 09 de novembro;
- Índice de Custos de Construção de Habitação Nova – setembro de 2020, publicado a 09 de novembro;
- Índice de Produção, Emprego, Remunerações na Construção – setembro de 2020, publicado a 10 de novembro;
- Índice de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria – setembro de 2020, publicado a 10 de novembro;
- Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas nos Serviços – setembro de 2020, publicado a 11 de novembro;
- Índice de Preços no Consumidor – outubro de 2020, publicado a 11 de novembro;
- Acidentes de trabalho e problemas de saúde relacionados com o trabalho - Módulos ad hoc do Inquérito ao Emprego – 3.º Trimestre de 2020, publicado a 11 de novembro;
- Contas Nacionais Trimestrais - Estimativa Rápida – 3.º Trimestre de 2020, publicado a 13 de novembro;
- Índice de Custo do Trabalho – 3.º Trimestre de 2020, publicado a 13 de novembro;
- Óbitos por semana – Dados preliminares 2020, publicado a 13 de novembro.
Para maior detalhe, consulte os links, para informação relacionada, disponíveis ao longo do destaque.

SABER +
Imagem sobre Atividade económica com ritmo mais lento de recuperação 18-11-2020

Atividade económica com ritmo mais lento de recuperação

Na Área Euro (AE), o Produto Interno Bruto (PIB) em termos reais registou uma variação homóloga de -4,4% no 3º trimestre de 2020 (-14,8% no trimestre anterior) e uma variação em cadeia de +12,6% (-11,8% no 2º trimestre). Em outubro, verificou-se uma recuperação mais lenta do indicador de sentimento económico da AE e uma diminuição do indicador de confiança dos consumidores. Os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -1,5% e -1,6%, respetivamente (3,7% e -8,3% em setembro).
Em Portugal, de acordo com a segunda estimativa rápida, o PIB em termos reais registou uma redução homóloga de 5,7% no 3º trimestre, após a forte contração de 16,4% no trimestre anterior. Comparativamente com o 2º trimestre de 2020, o PIB aumentou 13,3% em termos reais, depois de ter diminuído 13,9% no trimestre anterior.
Em Portugal, não considerando médias móveis de três meses (ver secção seguinte), a informação disponível revela um ritmo de recuperação da atividade económica mais lento em setembro e outubro. O indicador de confiança dos Consumidores aumentou em outubro e o indicador de clima económico prolongou o perfil de recuperação observado desde maio, mas situando-se ainda abaixo dos níveis pré-pandemia. Os indicadores de confiança aumentaram em todos os setores, Indústria Transformadora, Construção e Obras Públicas, Comércio e Serviços.
O montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais de pagamento automático na rede multibanco diminuiu 6,3% em outubro, em termos homólogos, após o decréscimo de 4,5% observado em setembro. As vendas de veículos automóveis registaram taxas de variação homóloga de -12,6% nos automóveis ligeiros de passageiros, -15,1% nos comerciais ligeiros e -15,0% nos veículos pesados (-9,4%, -7,2% e -8,6% em setembro, respetivamente).
No 3º trimestre de 2020, a taxa de desemprego situou-se em 7,8%, 2,2 pontos percentuais (p.p.) acima do valor registado no trimestre anterior (6,1% no período homólogo de 2019). A subutilização do trabalho abrangeu 813,7 mil pessoas (aumento de 8,7% em relação ao trimestre anterior e de 21,9% em termos homólogos), determinando um aumento da taxa de subutilização do trabalho de 14,0% para 14,9% do 2º para o 3º trimestre (12,2% no 3º trimestre de 2019). O emprego total apresentou uma diminuição homóloga de 3,0% (-3,8% no 2º trimestre), tendo a população ativa registado uma redução de 1,3% (variação homóloga de -4,5% no trimestre anterior). O volume de horas efetivamente trabalhadas diminuiu 7,2% em termos homólogos e aumentou 17,4% relativamente ao 2º trimestre, em resultado do volume de horas efetivamente trabalhadas ter sido particularmente baixo no 2º trimestre de 2020.
A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi -0,1% em outubro, taxa idêntica à registada no mês anterior, tendo a componente de bens registado uma taxa de variação de -0,3% nos últimos dois meses (-0,1% em agosto), enquanto a componente de serviços registou em outubro um crescimento de 0,2% (taxa nula em setembro). O índice de preços na produção da indústria transformadora apresentou em outubro uma taxa de variação homóloga de -4,6% (-4,8% no mês anterior). Excluindo a componente energética, este índice também tem vindo a apresentar variações homólogas negativas desde setembro de 2019, fixando-se em -1,1% em outubro (-1,3% no mês anterior).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às suas solicitações. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Preços na Produção Industrial diminuíram 4,6% em termos homólogos 18-11-2020

Preços na Produção Industrial diminuíram 4,6% em termos homólogos

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) diminuiu 4,6% em outubro, valor idêntico ao observado no mês anterior. Excluindo o agrupamento de Energia a variação dos preços foi -1,0% (-1,3% em setembro). Face ao mês anterior o índice agregado aumentou 0,1%, tal como em outubro de 2019.

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração, que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Fruteiras e olival com campanhas pouco favoráveis 18-11-2020

Fruteiras e olival com campanhas pouco favoráveis

As previsões agrícolas, em 31 de outubro, apontam para diminuições significativas na produção de maçã (-25%, face à campanha anterior) e de pera (-35%), quer devido a condicionalismos fisiológicos, quer devido a condições meteorológicas adversas. Essencialmente devido à redução da produtividade dos amendoais de sequeiro do interior Norte, também se prevê a diminuição da produção de amêndoa relativamente ao ano anterior embora deva atingir a segunda maior produção dos últimos 20 anos. No kiwi a produção deverá situar-se em redor das 32 mil toneladas, valor semelhante à campanha anterior. A castanha também manterá, previsivelmente, a produção de 2019 (9% acima da média do último quinquénio). Nos olivais a produtividade deverá decrescer 30% face a 2019, num ano de contrassafra e com problemas no vingamento dos frutos. Quanto à vinha, numa campanha com grande heterogeneidade regional, a produção deverá diminuir 5%, face à vindima anterior.
Nas culturas anuais, a produção de tomate para a indústria deverá ser próxima de 1,2 milhões de toneladas, 15% abaixo da campanha anterior. No arroz a produção também deverá diminuir 10%, essencialmente devido à diminuição da área instalada. Quanto ao milho para grão, os resultados das colheitas já realizadas apontam para a manutenção da produção (próxima das 750 mil toneladas).

SABER +
Imagem sobre Inversão da tendência de recuperação no movimento de passageiros 17-11-2020

Inversão da tendência de recuperação no movimento de passageiros

Em setembro de 2020, nos aeroportos nacionais registou-se o movimento de 1,9 milhões de passageiros, representando um decréscimo de 69,0% (-65,9% em agosto). O movimento de carga e correio totalizou 12,4 mil toneladas, correspondendo a uma diminuição de 29,8% (-39,0% em agosto).
O número de passageiros desembarcados nos aeroportos nacionais em voos provenientes do Reino Unido registou um decréscimo de 73,9% (-69,1% em agosto). Entre 21 de agosto e 10 de setembro, período em que o Reino Unido incluiu Portugal na lista de países seguros para viajar, verificou-se uma menor redução do número de passageiros desembarcados nos aeroportos nacionais em voos provenientes do Reino Unido (-53,5%), quando comparada com a registada no acumulado dos restantes dias dos meses de agosto e setembro (-80,2%).

Apesar das circunstâncias determinadas pela pandemia COVID-19, o INE apela à melhor colaboração das empresas, das famílias e das entidades públicas na resposta às solicitações do INE. A qualidade das estatísticas oficiais, particularmente a sua capacidade para identificar os impactos da pandemia COVID-19, depende crucialmente dessa colaboração que o INE antecipadamente agradece.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Outubro de 2020 23-11-2020

Boletim Mensal de Estatística - Outubro de 2020

Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Novembro de 2020 20-11-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Novembro de 2020

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas Demográficas - 2019 13-11-2020

Estatísticas Demográficas - 2019

Publicação com análise dos principais acontecimentos demográficos em Portugal, evidenciando as tendências e aspetos mais relevantes da situação em 2019, que abarcam as seguintes temáticas: volume e estrutura populacional, crescimento efetivo, natural e migratório; projeções de população; natalidade e fecundidade; mortalidade geral, fetal e neonatal e esperanças de vida; nupcialidade e divórcios; migrações internacionais, aquisição, atribuição e perda da nacionalidade portuguesa. 

Para complementar a informação apresentada foram incluídas na publicação hiperligações para um conjunto de indicadores da Base de Dados do INE. São ainda disponibilizados quadros de resultados com séries longas dos principais indicadores demográficos, com informação decenal para o período 1900-1980 e anual entre 1980 e 2019.

A presente edição corresponde à 86ª edição do anuário temático sobre Demografia, publicado pelo Instituto Nacional de Estatística desde 1935 e anteriormente publicado pela Direcção Geral de Estatística desde 1929, estando todos os volumes disponíveis nesta área das Publicações.

SABER +
Imagem sobre Atividade Económica - 2019 06-11-2020

Atividade Económica - 2019

Brochura com informação estatística de síntese que permite a caracterização da atividade económica de Portugal, abrangendo entre outros, temas como: Contas Nacionais, Empresas, Agricultura e Pescas, Indústria e Energia, Construção e Habitação, Turismo, Transportes e Comércio Internacional.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas dos Transportes e Comunicações - 2019 05-11-2020

Estatísticas dos Transportes e Comunicações - 2019

Na presente publicação o INE divulga os principais resultados estatísticos sobre a atividade dos setores de Transportes e Comunicações em 2019.

Transporte ferroviário: apresentam-se os resultados dos inquéritos do INE sobre a infraestrutura ferroviária, equipamento de transporte, informação económica sobre as empresas, resultados de transporte ferroviário ligeiro e ligeiro e de consumo energético. Transporte rodoviário: difundem-se estatísticas sobre infraestruturas rodoviárias, parque de veículos presumivelmente em circulação, vendas de veículos (agora também usados) e registo de matrículas, emissão de cartas de condução, consumo de combustíveis, sinistralidade bem como resultados dos inquéritos ao transporte rodoviário de mercadorias e de passageiros. Transporte marítimo e fluvial: apresentam-se os principais resultados do inquérito dirigido às administrações portuárias, sobre movimento de navios, mercadorias e passageiros; são ainda apresentados resultados detalhados do inquérito ao transporte fluvial de passageiros e veículos. Transporte aéreo: inclui-se informação referente à atividade das empresas licenciadas em Portugal, bem como resultados detalhados de tráfego aeroportuário e dados sobre navegação aérea. Transporte por conduta: são apresentadas estatísticas com base em informações obtidas junto das empresas com atividade no transporte em gasoduto e oleoduto. Comunicações: são abrangidos os setores de telecomunicações e serviços postais.

Nesta publicação está também disponível um capítulo de enquadramento económico e ainda estatísticas do comércio internacional por modos de transporte.

SABER +
Imagem sobre Estatísticas do Comércio Internacional - 2019 26-10-2020

Estatísticas do Comércio Internacional - 2019

A presente publicação divulga os resultados definitivos das estatísticas do Comércio Internacional de bens relativas ao ano 2019.

As estatísticas do Comércio Internacional de bens incluem as estatísticas do Comércio Intra-UE, obtidas através da informação proveniente do Sistema Intrastat, e as estatísticas do Comércio Extra-UE, baseadas nas declarações alfandegárias.

Destaca-se nesta publicação uma análise às transações de bens (importações) efetuadas com o recurso ao comércio eletrónico, no período de 2018-2019.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal de Estatística - Setembro de 2020 23-10-2020

Boletim Mensal de Estatística - Setembro de 2020

Boletim Mensal de Estatística contém os principais dados estatísticos mensais e trimestrais organizados nos seguintes capítulos: Contas Nacionais Trimestrais; População e Condições Sociais; Agricultura, Produção Animal e Pesca; Indústria e Construção; Comércio Interno e Internacional; Serviços; Finanças e Empresas; Comparações Internacionais.

SABER +
Imagem sobre Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Outubro de 2020 22-10-2020

Boletim Mensal da Agricultura e Pescas - Outubro de 2020

O Boletim Mensal da Agricultura e Pescas divulga um conjunto de informação conjuntural relativa ao sector primário. A estrutura desta publicação proporciona, através de dados, gráficos e tabela disponibilizados, uma oportunidade de acompanhar estas temáticas e analisar a evolução através das séries cronológicas apresentadas. A análise qualitativa é acompanhada por alguns elementos gráficos.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Outubro de 2020 20-10-2020

REVSTAT - Statistical Journal - Outubro de 2020

Edição especial sobre «Celebrating the World Statistics Day»

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.

SABER +
Imagem sobre REVSTAT - Statistical Journal - Outubro de 2020 20-10-2020

REVSTAT - Statistical Journal - Outubro de 2020

Publicação de artigos de relevante conteúdo científico, abrangendo todos os ramos da Probabilidade e da Estatística, e que oferece um contributo efetivo para o esclarecimento e a divulgação de métodos estatísticos inovadores fundamentados em problemas reais.

SABER +
#